História Peça-me o que quiser - Capítulo 94


Escrita por: e LiaSchreave

Postado
Categorias A Seleção, Austin & Ally
Personagens Ally Dawson, America Singer, Aspen Leger, Carter Woodwork, Celeste Newsome, Kriss Ambers, Marlee Tames, Maxon Calix Schreave, Personagens Originais, Rainha Amberly, Rei Clarkson
Tags Americasinger, Aseleção, Maxonschreave, Pmoq
Visualizações 556
Palavras 783
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Slash, Yuri (Lésbica)
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


E ai meus bendy's!
Estou meio decepcionada com vocês pois vocês pedem maratona e quase não comentam
Venho trazer o capítulo mais fofo do.mundo e venho avisar.
"Os filmes citados abaixo existem!"

Capítulo 94 - Capítulo 20 - ST


Entre risos e piadas, devoramos a sobremesa maravilhosa. Surpresa, observo como as pessoas à minha volta curtem o momento como algo único, e me sinto imensamente feliz. Então proponho que cantem uma canção de ano-novo, e rapidamente Norbert dispara com uma música que eu me recordo vagamente ver em algum desenho animado.

Ouço maravilhada. Maxon, com seu sobrinho no colo, também canta essa canção tão americana que me deixa arrepiada. Ver essas pessoas unidas pela música me lembra minha família. Com certeza, meu pai e minha irmã estarão fatiando o cordeiro, e minha sobrinha e meu cunhado rindo com as piadas. Isso me emociona, e meus olhos se enchem de lágrimas.

Quando a canção termina, aplaudo. Tiago, que entrou no meu jogo, logo pede que eu cante uma canção espanhola. Minha mente voa, e tento pensar em alguma que ele já possa ter ouvido com Amberly e começo Macarena río. Acerto, e o menino e Maxon me acompanham, e cantamos batendo palmas.

Desta vez, quando acabamos, são Simona e Norbert que nos aplaudem, e nós acabamos aplaudindo também.

Que momento tão bonito e familiar!

Maxon abre uma garrafa de champanhe e enche todas as taças. Para Tiago bota suco de abacaxi. Todos brindamos para o Dia de Reis. Quando Simoma começa a tirar a mesa, quero ajudá-la. No começo, ela e Norbert se queixam, mas por fim desistem ao ouvir Maxon dizer:

— Simoma, se Ames disse que ia te ajudar, nada vai detê-la.

A mulher se dá por vencida e eu ajudo com entusiasmo. Consigo que Norbert fique com Maxon e Tiago na sala, conversando. Quando volto para tirar os últimos pratos, Simona me sussurra:

— Não, senhorita America, esses pratos devem ficar sobre a mesa até de madrugada.Na Alemanha é tradição deixar as sobras do jantar na mesa. Isso nos garante que no ano que vem teremos a despensa bem cheia.

Imediatamente solto os pratos com alegria.

— Então está bem! Tudo pela despensa cheia!

Por um instante, todos rimos, enquanto contamos piadas.

Maxon está se divertindo. Vejo na cara dele. em seu jeito de sorrir. Por fim, ele se levanta e convida todos nós a sentar nas poltronas. Enquanto liga a televisão, diz:

— Ames, há outra tradição na Alemanha. É meio esquisita, mas é uma tradição.

— Mesmo? E qual é? — pergunto curiosa.

Todos sorriem, e Maxon, depois de me dar um beijo meigo na bochecha, diz:

— Os alemães, depois da ceia de Ano-Novo e antes de sair pra admirar os fogos de artifício, costumam ver comédias, bastante antigas, do estilo "Todo mundo odeia o Chris”, “As Branquelas” ou “Um tira em Nova York”

Todos concordam e se acomodam. Maxon, ao ver que estou rindo, diz:

— Não ruivinha. É uma tradição! Todos os canais de televisão transmitem ano após ano, no dia 31 de dezembro.

Maxon me acomoda entre seus braços e, enquanto começa o esquete, sussurra em minha orelha:

— É um tipo de humor saudável, sem piadas obscenas nem a maldade das novelas.

De repente, para de falar porque começa a rir com o que vê na televisão. No tempo em que dura o vídeo, olho surpresa para todos. Se divertem tanto, que até Tiago desfaz sua cara fechada para rir abertamente diante das coisas que Chris faz. .

- E aí carinha que mora logo ali, passa um dólar!- Tiago cai na risada com seu tio falando.

Quando acaba o esquete, Simona vai à cozinha e volta com cinco copinhos com uvas. Olho as uvas com espanto

— Lembre-se, minha mãe é cubana — diz Maxon. — As uvas nunca faltaram numa noite dessas.

Emocionada, abobada e feliz com simples uvas, grito quando Maxon troca para o canal internacional que transmite direto da Puerta del Sol de Jerez

Aiii

Viva Jerez!

Me sinto mais espanhola que nunca.

Faltam quinze minutos para acabar o ano, e ver na televisão minha querida Jerez faz com que me emocione. Tiago me olha surpreso, e Maxon se aproxima para dizer em minha orelha:

— Não chore, querida.

Engulo o choro e sorrio.

— Tenho de ir ao banheiro um segundinho.

Desapareço o mais rápido que posso. Quando entro no banheiro e fecho a porta, minha boca se contrai, e choro. Mas minhas lágrimas são estranhas. Estou feliz porque sei que minha família está bem. Estou feliz porque Maxon está a meu lado. Mas essas lágrimas malditas insistem em correr. Choro, choro e choro até que consigo me controlar e passo água no rosto. Alguns minutos depois, batem na porta. Saio e Maxon, preocupado, me pergunta:

— Tudo bem?

— Tudo — afirmo com um fio de voz —, só que é a primeira vez que estou longe de minha família numa noite tão especial.

Meu rosto e, principalmente, meus olhos lhe indicam o que aconteceu. Maxon me abraça.

— Sinto muito, querida. Sinto que, por estar aqui comigo, esteja passando um mau momento.


Notas Finais


Até daqui a pouco!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...