1. Spirit Fanfics >
  2. Peça perdida de um quebra-cabeça >
  3. 16th chapter

História Peça perdida de um quebra-cabeça - Capítulo 16


Escrita por:


Notas do Autor


OI GENTE

Capítulo 16 - 16th chapter


Tudo estava as mil maravilhas. Raios de sol, arco-íris e borboletas.

Três meses já haviam se passado, Naruto já estava chegando às últimas sessões de fisioterapia e já havia voltado a trabalhar. Itachi havia terminado de mobiliar seu apartamento e se mudado da casa de Sasuke, este que ficou meio abatido nos primeiros dias pois havia se acostumado com o barulhento irmão.

Três meses da tal amizade colorida e os dois homens se sentiam cada vez mais vivos. Sasuke amava a adrenalina que percorria seu corpo toda vez que se beijavam sabendo que seus filhos estavam em algum cômodo da casa e poderiam aparecer a qualquer momento, como as crianças imprevisíveis que eram.

E isso de fato aconteceu.

Numa tarde de domingo em que estava na casa de Naruto. Sarada, Himawari e Boruto estavam jogando no video game no quarto do garoto e o casal achou que seria uma boa ideia aproveitar esse tempo com a crianças longe na cozinha. Estava tudo muito bem até os três chegarem sorrateiramente e verem os dois beijando. Boruto gritou, Sarada tapou os olhos de Himawari e disse "Eu sempre soube, não é surpresa nenhuma".

E agora, mesmo que seus filhos soubessem, continuava a ser uma relação não oficializada, mas não por muito tempo se dependesse de Naruto, que não sabia que Sasuke também pretendia dar um passo a frente.

— Nossa, que lindo! – Yuri exclamou quando Naruto abriu a caixinha de veludo. Duas alianças pratas e finas reluziam na claridade do ambiente.

— Vocês acham que ele vai gostar? – perguntou a mulher e Shikamaru, que também estava ali.

— Se não gostar interna ele numa clínica psiquiatra porque bem da cabeça é algo que não está. – o loiro riu meio sem jeito da fala do amigo. – Em pensar que eu pedi a Temari em casamento com um anel de coco...

— Já fez um bom tempo que estou ensaiando o pedido mas ainda não sei se consigo fazer direito. – Naruto estava sim bem inseguro com essa parte. Não que não soubesse o que pretendia falar, mas nunca foi muito bom com expressar sentimentos em palavras.

— O mais importante você já tem, que é o amor. – Yuri se sentou na mesa e suspirou, fechou os olhos e sorriu. – Deus, se for da sua vontade mandar um homem como o Naruto, saiba que sua filha está pronta.

— Para com isso, Yuri. Eu não sou tudo isso.

— Não seja modesto. Você é um verdadeiro homão da porra. – Naruto se amaldiçoou quando sentiu seu rosto esquentar. Já era um homem adulto e ainda não sabia lidar com elogios.

— Já sabe como vai pedir ele em namoro oficialmente? Digo, passeio no parque ou jantar a luz de velas? – perguntou Shikamaru.

— Eu estava pensando nisso, mas voltei atrás por achar clichê demais. Ou seja, totalmente sem ideias.

— Não seja por isso! – Yuri pulou da mesa e pôs em pé na frente de Naruto, com os braços cruzados. – Eu tenho experiência nesse assunto, posso ajudar. Bem, não em pedidos de namoro e como excutá-los ou reagir a eles. – ela riu meio sem jeito. – Mas eu já ajudei a organizar muitos! Então senta a bunda nessa cadeira e vamos ao trabalho!

←♥→


— Ontem eu dancei. – a menina disse olhando para ao teto. – Mas não só segui os movimentos certos, eu senti a música como a muito tempo não fazia. – e então ela abaixou o olhar para o Uchiha. – Sasuke, eu estou voltando a ser feliz.


— Você não imagina o quão feliz eu fico em ouvir isso, Momo. – Sasuke sempre se emocionava ao ver que seus pacientes estavam entendo a si mesmos e aprendendo domar seus atos e sentimentos.


— Agora eu sei que a maneira com que as pessoas agem não é culpa minha, porque o sentimento é unicamente delas. E foi assim que decidiram se expressar, talvez por acharem que era a melhor maneira. – ela sacudiu a cabeça, olhou novamente nos olhos do moreno e depois caiu na gargalhada. – Esse é o meu jeito de demonstrar o que eu sinto agora, e é incrível.


— Você soube como colocar em prática tudo que eu falei e fez isso muito bem. Estou orgulhoso de você.


— E eu sinto que você também está bem feliz. – de fato estava sim, agora mais que antes, porém a euforia era maior.


— Se eu te mostrar uma coisa, promete guardar segredo? – perguntou e a menina assentiu freneticamente com a cabeça.


Sasuke foi até a sua mesa e pegou na gaveta uma caixinha vermelha aveludada. Voltou para onde estava e finalmente a abriu; duas alianças igualmente finas e com um pequeno detalhe de coração no meio.


— Ah, que coisa mais linda! Quem é a pessoa sortuda que vai receber isso?! – perguntou exasperada e Sasuke riu.


— Se eu disser que é o amor da minha fica muito clichê?


— Ai que lindo você todo boiolinha! – Sasuke olhou a menina fixamente que logo arregalou os olhos. – Desculpa! Saiu no automático, eu juro!


— Tudo bem, eu sou totalmente boiola pelo Naruto. – e os dois se olharam por alguns segundos antes de caírem na gargalhada.


— Me conta quando esse romance começou, por favor.


Momo estava eufórica por finalmente estar voltando a sentir a felicidade e Sasuke também, e mais ainda pelo pedido de namoro inesquecível que pretendia fazer estar caminhando como o esperado, então não faria mal contar a ela como foi.


— Tá bom, mas isso pode demorar.


←♥→


— Naruto. – o Uchiha chamou, se aconchegando mais nos braços do loiro. Já passava de meia-noite e os dois estavam assistindo Grey's Anatomy no quarto do moreno. – Essa semana as crianças não tem aulas por causa do feriado e eu também decidi tirar uma folga. Nós poderíamos fazer uma viagem, todos juntos.



— Pra onde? – perguntou, mas sem desviar os olhos da tela de televisão, onde os médicos da série realizavam um transplante de coração.


— Tokyo. Mais precisamente na Disney. – nesse momento os olhos de Naruto se moveram e caíram sobre Sasuke, que tratou de usar sua melhor cara de cachorrinho que caiu da mudança.

— Sério isso?

— Sim. Eu acho que seria muito bom para as crianças e bem, eu sei que você sempre quis ir. Ainda não é Orlando mas... – Sasuke foi interrompido por um movimento repentino de Naruto e quando percebeu estava deitado com as belas e profundas orbes azuis o encarando. Estava prestes a perguntar se tinha dito algo de errado mas foi impedido por um beijo repentino, e foi impossível segurar o sorriso.

Aparentemente seu plano daria certo.

— Sasuke Uchiha, como foi que eu vivi tanto tempo sem você? – e ele sorriu tímido, se amaldiçoando por ser tão vulnerável aqueles olhos.

— Eu que deveria me perguntar como vivi tanto tempo me escondendo de você. – Meu Deus, Sasuke, como você é boiola. Ele pensou. – Você gostou da surpresa?

— Não gostei, eu amei. – os olhos de Naruto pareciam brilhar mais que o normal, isso o deixava desconcertado mas de um jeito bom. – É muito cedo para dizer que a cada dia que passa eu me apaixono mais por você?

— Não sei. Mas sei que sinto o mesmo. – os dois sorriram cúmplices.

Sasuke acariciou as marquinhas no rosto de Naruto antes de puxá-lo para um beijo. Nada de línguas disputando espaço, mãos percorrendo todo o corpo, apenas um beijo lento envolto por sentimentos puros e verdadeiros de um jovem casal que aos poucos redescobria o amor.

←♥→


— Foi incrível! – exclamou Naruto quando saiu do brinquedo.


— Não sei o que aconteceu mas tudo gira. – Boruto caminhava meio lerdo agarrado no braço de Sarada.


Chegaram no parque ainda pela manhã pois queriam andar bastante e passar por muitas atrações que ali estavam, para que a viagem valesse a pena. As crianças estavam muito animadas mas nada se comparava a Naruto.


Ja havia tirado algumas boas dezenas de fotos, brincado com os personagens que andavam pelo parque, roubado a pipoca que ele mesmo comprara para Sarada, fez Sasuke usar as orelhas de Mickey, e se dependesse dele iria em todos os brinquedos, coisa que Sasuke sempre recusava fazer parte afinal nunca fora sua praia e acabavam ficando na companhia de Himawari, que tinha medos dos brinquedos.


— Sarada seu cabelo tá horrível. – o menino falou quando sua visão finalmente se firmou e a menina o encarou com cara de poucos amigos.


— Acho que agora poderíamos fazer algo menos extravagante, não? – Sasuke sugeriu enquanto ajudava Sarada a arrumar o cabelo.


— Sim, posso dar uma pausa nós brinquedos por um tempo. – o Uchiha estava esperando o loiro falar isso desde de quando entrou na terceira montanha russa.


— Eu quero ver a Ariel. – Himawari disse enquanto brincava com o Slink que havia ganhado quando passaram pelo parque de Toy Story.


— Ariel? Sério? – reclamou Boruto.


— E tá reclamando porque? Você é o próprio Sebastião. – Sarada respondeu e calou o menino antes mesmo que algum dos adultos pudesse responder.


— Então vamos ver a Ariel! – Naruto falou igualmente animado como estava em tudo que já havia feito. – Venha, majestade. – disse e se curvou, estendendo a mão para a garotinha que simplesmente e ignorou o pai e foi até o irmão.


— A majestade é o Sasuke-kun. – respondeu. – Ele é seu príncipe.


— Okay, então vou fazer de novo. – e Naruto se ajoelhou na frente de Sasuke e lhe estendeu a mão. – Me concede a honra de levá-lo para um passeio, majestade?


— Claro, nobre cavalheiro.


E assim seguiram. De mãos dadas, pouco de importando que os olhares atravessados que as vezes recebiam.


Sasuke não se lembrava de algum em toda sua vida ter estado tão feliz. Se sentia completo e não existia nada que o fizesse reclamar de algo naquele momento. A viagem estava saindo como o planejado, as crianças estavam animadas e Naruto parecia estar mais que qualquer outro. Não tinha dúvidas que seu pedido daria certo, mas ainda estava esperando pelo momento certo e quando Naruto dissesse sim – porque com toda a certeza do mundo essa seria a resposta – seu mundo se tornaria mais perfeito. E então, seriam uma família.


— Admite que você gostou, seu chato, isso não vai te fazer mesmo menino. – Sarada alfinetou Boruto. Houvera um show com os personagens do conto, tudo exatamente com na história original. Até Sarada que não era muito fã de princesas ficara impressionada mas Boruto mantinha-se se fazendo de durão.


— Aquela coisa com a água e as luzes foi legal. – murmurou e deu uma mordida no seu cachorro quente. Sarada decidiu que não insistiria mais.


— Eu acho esse negócio de "felizes para sempre" muito fútil e mentiroso. – a menina falou enquanto olhava as inúmeras fotos que haviam tirado no celular do pai


— Por quê? – Naruto perguntou. Não sabia onde aquilo poderia chegar, mas talvez o ajudasse a fazer seu pedido.


— Porque simplesmente não faz sentido. Veja bem, se os momentos ruins não duram pra sempre, os felizes também não. Então por quê alguém seria feliz para sempre? Sem contar que seria extremamente entediante. – outras pessoas poderiam ficar assustadas com o jeito que Sarada tratou do assunto mas Sasuke se sentia feliz por saber que filha estava crescendo racionalmente.


— É verdade. Você está certa. – e Naruto continuava a se espantar com a inteligência da menina, mas pelos menos ela o ajudara e muito. – Sasuke – chamou o moreno que se virou e olhou em seus olhos –, tem uma coisa que eu quero de dizer.


— Eu também quero te dizer uma coisa. – respondeu sentindo o coração acelerar no peito.


— Ah, então pode dizer.


— Não. Você já começou, agora termina.


— Sasuke – o loiro recomeçou. Se sentia um pouco nervoso mas sabia que esse era o momento –, você sabe que eu te amo. E eu não sei o que dizer porque já fiz todo o meu discurso no hospital, quando você foi me ver depois do acidente, então... – ele enfiou a mão no bolso da bermuda e tirou de lá uma caixinha. Sasuke arregalou os olhos e sentiu como se o mundo fosse parando lentamente quando viu as duas alianças. – Sasuke Uchiha, aceita namorar comigo? Eu prometo te fazer feliz e não vai ser entediante.


O mundo não parou apenas para Sasuke mas sim para todos os envolvidos naquele momento, até mesmo as crianças que olhavam o casal atentas a tudo.


— Dessa vez você foi bem esperto, meus parabéns. – definitivamente não era o Naruto esperava ouvir, até Sasuke também tirar uma caixinha do bolso de sua bermuda e abri-la mostrando que ali também haviam duas alianças.


— Naruto Uzumaki, aceita namorar comigo? Eu prometo te fazer feliz e não vai ser entediante. – os olhos de Naruto brilharam e um sorriso radiante brotou em seu rosto.


— Você me responde primeiro, Uchiha.


— Sim, eu aceito. – respondeu Sasuke rindo.


— Então eu também aceito. – e os dois se beijaram brevemente porque Sasuke não conseguia parar de rir. Tamanha era a felicidade do momento que não sabia como demostrar.


— Desculpa, é só que eu não sei lidar com isso. Como foi que pensamos tão igual?


— Talvez porque somos almas gêmeas. – respondeu Naruto. O casal se encarou por mais alguns segundos até se beijarem novamente.


— Agora somos uma família. – Himawari disse. Sua voz infantil se encontrava maravilhada.


— Sempre fomos, Hima, mas agora somos mais ainda. – Sarada respondeu. – Agora você é minha irmã. – proferiu sorrindo direcionada a menina. – E você, coisa horrorosa, é meu irmão. – Boruto apenas negou com a cabeça e retribuiu o sorriso.


E ali, a partir daquele momento, um novo ciclo se iniciava.


Notas Finais


O capítulo já tá pronto a alguns dias mas decidi postar hoje porque é meu aniversário, e como o coronga acabou com a minha festa, tô aqui bebendo vinho barato (que provavelmente vai me dar dor de cabeça) escrevendo o próximo capítulo :)

Até mais, lavem as mãos e não saiam de casa.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...