História Pecaminoso- Imagine Hot Jimin INCESTO - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Kim Namjoon (RM), Kim Taehyung (V), Park Jimin (Jimin)
Visualizações 551
Palavras 629
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Ecchi, Fluffy, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura!

Capítulo 3 - Meu próprio pecado.


Fanfic / Fanfiction Pecaminoso- Imagine Hot Jimin INCESTO - Capítulo 3 - Meu próprio pecado.

 

"Talvez o mundo não tenha sido feito para sermos corretos"

-Bunnie-

 


Entrei no meu quarto me sentando na cama ,tentando afastar esses pensamentos,até meu celular começa a tocar. Precisaria viajar novamente dessa vez não vou deixar a S/n  sozinha ela irá comigo, voltei ao quarto dela.
—O que foi agora? Vai brigar comigo porquê?
—Nada, só vim te dizer que vou viajar amanhã e a senhorita irá comigo, ouviu? Então arrume suas malas.
—Por que?—Questionou se levantando da cama
—Você ainda pergunta!?—Questionei, arqueando a sobrancelha pondo as mãos na cintura 
—Sério que você está bravo só por que eu beijei um garoto?
—Só beijou!? Você tem 15 anos! É nova demais para beijar.
—E você que engravidou minha mãe com essa idade? O senhor também era novo e nada impediu que você fizesse sexo com ela.—Disse e rapidamente se calou, tampando a boca
—O que disse Park S/n?
—Desculpe papai! Desrespeitei o senhor!—Pôs as mãos na boca, a cubrindo
—A senhorita está passando dos limites.—Disse segurando o pulso da garota, fazendo ela tirar as mãos da boca—Você me ouviu. Amanhã de manhã esteja com as malas prontas. Se não irei deixar você na casa do seu tio.
Dito isso saí do quarto dela cerrando a porta com violência.
{...}
Na manhã seguinte, pontualmente as nove da manhã estávamos no aeroporto prontos para embarcar, despachamos nossas malas e esperamos o nosso voo ser chamado. Entramos no avião,a viagem seria muito longa. E isso me irritava, odeio voos longos.
    Enquanto eu estava distraído com meus fones de ouvido aproveitando minha playlist aleatória que estava rolando passeando por músicas que iam do Pop americano a pop latino. Olhei para S/n que estava distraída com algo em seu celular, comecei a olhar para seu corpo passando a fita-lo minunciosamente. Me amaldiçoei mentalmente por estar tendo pensamentos impuros com ela. S/n atiçava, de algum modo, meu lado inconsequente, meu lado que queria fazer as coisas erradas sem me importar com as consequências. Meu desejo por ela estava de fato me consumindo. Senti uma bela ereção se formando, a menina me olhou e seu olhar se direcionou para o meio das minhas pernas. Levei minha destra até minha coxa arrastando a mesma até em cima do meu pau o apertando marcando por cima do tecido da calça jeans. S/n entreabriu os lábios e logo passou a língua entre eles. Ri disfarçadamente vendo a reação dela. 
{...}
    Depois de seis longas horas, nós chegamos e descobrimos que a mala da S/n havia sido extraviada. Que ótimo. Fomos para o hotel e ela estava tão calada e isso me incomodava um pouco, na verdade, me incomodava muito. Odiava quando ela ficava calada. Havia algo incomodando ela.
—Vou tomar um banho.—Disse tirando uma peça de roupa de dentro da mala
—Tudo bem.—Sorriu fracamente, se sentando na cama
    Retirei aquela roupa entrando dentro do box, deixando a água quente entrar em contato com o meu corpo, novamente, pensamentos impuros invadiram minha cabeça voltando para a S/n. Novamente, uma ereção começou a se formar, eu não queria me permitir me tocar pensando nela, seria tão errado.
Talvez, não será errado se ninguém souber, contanto que fique só nos meus pensamentos estará ótimo. Peguei meu pau com  minha destra iniciando uma masturbação rápida, fazia movimentos rápidos que faziam minha mão parecer um borrão, apoiei-me no box de vidro do banheiro mordendo o lábio inferior passando o dedo polegar pela minha glande sensível, sentindo meu corpo dar os primeiros indícios que eu ia gozar.
—Caralho S/n!—Soquei a parede do banheiro, sentindo meu orgasmo me atingir deixando meu abdômen todo sujo, com meu próprio pecado.
Me virei vendo a porta do banheiro semi-aberta com um par de olhos que me encaravam e rapidamente sumiram.


Notas Finais


Espero que tenham gostado.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...