1. Spirit Fanfics >
  2. Peças do Destino (KakaSaku, GaaHina) >
  3. Capítulo 9 - Conversa silenciosa

História Peças do Destino (KakaSaku, GaaHina) - Capítulo 9


Escrita por: aflmmart

Capítulo 9 - Capítulo 9 - Conversa silenciosa


(POV Sakura) 

Conforme o ritmo do hospital ia se estabilizando e as coisas em toda a vila iam se normalizando eu começava a sentir o esgotamento de toda a sobrecarga dos dias anteriores. Mas eu não sucumbiria a exaustão, não ainda enquanto havia trabalho a ser feito. Ela era uma ninja não era? Tinha treinado a vida inteira para aguentar, não podia se dar ao luxo de descansar ainda.  

Tsunade para meu alívio tinha saído em viagem, e parecia bem mais disposta ao se despedir. Antes de sair ela veio até a mim para conversar e expressou sua preocupação comigo. Eu ainda revisava nossa conversa tentando entender as entrelinhas de suas sugestivas falas.  

 

*Flashback ON* 

Estava no meu consultório quando escuto alguém bater na porta.  

- Posso entrar? - Tsunade entreabriu a porta e esperou por minha resposta.  

- Claro. - Fechei minha agenda e esperei que ela se sentasse. - Aconteceu alguma coisa?  

- Eu vim perguntar a mesma coisa. Kakashi me contou que vocês discutiram por conta da direção. Me desculpe, a culpa disso tudo foi minha... 

- Não precisa se desculpar, na verdade a culpa é minha mesmo. Acho que acabei descontando em Kakashi um pouco das minhas frustrações. - Eu certamente tinha exagerado com ele.  

- Kakashi? - Ela estreitou os olhos em minha direção.  

- Kakashi-sensei. Acho que ando tão distraída que acabo me esquecendo de chamá-lo como se deve. - Senti minhas bochechas corarem. Estava convivendo tanto com o atual Hokage que de alguma forma se sentia íntima o suficiente para chamá-lo apenas pelo nome.  

- Eu e ele estamos preocupados com você. - Ela suavizou a expressão.  

- Achei que eu e ele estivéssemos preocupados com você. - Suspirei e tive que rir.  

- Qual a graça? - Tsunade perguntou confusa.  

- É típico do Kakashi-sensei se preocupar com os outros dessa forma. - Dei de ombros. - Ele devia se preocupar um pouco mais consigo mesmo.  

- Devo concordar. - Ficamos em silêncio por uns segundos. - Sabe, eu decidi viajar pelo mundo por uns tempos.  

- Isso vai te fazer bem com certeza.  

- Mas e você? O que pretende fazer para melhorar?  

- Como assim?  

- Podemos sofrer de formas diferentes Sakura, mas não tente me enganar. Eu a conheço melhor do que ninguém e sei que por trás desse semblante de resistência existe muitos sentimentos que você está de alguma forma ignorando. - Desviei o olhar, ela não poderia estar mais certa. Mas o que era meus sentimentos comparados a todo o resto que tinha acontecido.  

- Há muito a se fazer... 

- E sempre vai haver. Mas você precisa estar bem para conseguir lidar com tudo.  

- Eu sei... 

- Deveria se permitir ser ajudada. Se minha teimosia cedeu a ajuda, a sua também pode. E eu sei bem o quanto Kakashi está disposto a te ajudar. - Eu estava confusa com o sentido de suas palavras.  

- Não sei se entendo o que você quer dizer, mas prometo tentar desacelerar.  

- Bom, preciso ir. Mas antes venha cá, me dê um abraço de despedida. - Ela estendeu os braços e eu envolvi sua cintura com os meus. Suas mãos acariciaram meus cabelos num gesto maternal e por um breve segundo eu quase liberei todas as lágrimas acumuladas ali mesmo em seus braços.  

*Flashback OFF*  

 

Deitei sobre a cama particularmente irritada, eu precisava de silêncio, mas parecia algo difícil para meus pais que resolveram colocar uma música para dançarem no meio da sala.  

Nossa... eu devia estar uma pessoa insuportável por implicar até com essas coisas. Eu precisava de um espaço só para mim ou acabaria descontando novamente nas pessoas ao meu redor. Coloquei o travesseiro sobre o rosto na vã esperança de aquietar meus próprios pensamentos. Mas eu estava inquieta demais, irritadiça demais e não conseguiria ficar parada na cama.  

Desistindo de tentar descansar vesti minha roupa para treinar e peguei algumas kunais. Sim treinar me ajudaria a liberar aquele estresse acumulado. Saí pela janela para não afetar meus pais com meu péssimo humor.  

Os campos de treinamentos estavam vazios naquela hora, e não era surpresa. Já era noite e em tempos de paz não havia razão para que passássemos cada hora livre do dia treinando. Sentei no primeiro campo que avistei sentindo a brisa gélida da noite roçar meu rosto e o silêncio tranquilizar um pouco meus ânimos. Ao longe era possível escutar o farfalhar das folhas sendo levado pelo vento e de alguma forma eu já me sentia bem mais calma.  

 

(POV Kakashi) 

O dia tinha sido exaustivo.  

Mesmo com Shikamaru ao meu lado ainda faltava tempo hábil para dar conta de toda a burocracia por trás do nosso projeto de reerguer a vila.  E só de pensar que amanhã eu provavelmente vou ouvir um monte daqueles conselheiros rabugentos por ter cancelado uma reunião com eles, uma reunião inútil ao meu ver, eu já sentia meus ombros pesarem.  

Ossos do ofício.  

Por algum tempo fiquei imaginando como Naruto lidaria com tudo isso. Provavelmente teria Sasuke e Shikamaru ao seu lado, e se sairia melhor do que eu. Ainda era estranho pensar que os dois haviam partido... Naruto, Sasuke, Obito, Rin, Minato, Jiraya... Seria uma maldição que todos aqueles que me cercavam tivessem de morrer tão precocemente? O rosto de Sakura surgiu em meus pensamentos. 

Eu não a deixaria morrer. Eu a protegeria com a minha vida se preciso fosse. Mas a quem eu queria enganar? Eu não fazia ideia como continuava vivo, e não tinha sido capaz de proteger nenhum dos outros...  

Chacoalhei minha cabeça tentando afastar aqueles pensamentos mórbidos. Se eu fosse para casa agora provavelmente eu me entregaria ao pessimismo e lamentações e precisava evitar isso a todo custo. Sai do prédio e andei sem rumo pelas ruas, olhando distraído as construções que estavam pelo caminho. Não havia muitas pessoas nas ruas, apenas os bares e restaurantes estavam abertos e movimento era pouco, talvez por ser início de semana.  

Não percebi o caminho que tomava até que avistei a entrada para os campos de treinamento. O silêncio ali era reconfortante, mas no momento o que eu menos precisava era ficar em silêncio sozinho.  

Foi quando a vi.  

Ela estava sentada na grama olhando para o céu. Fiquei por um tempo sobre uma árvore a observando, ela sequer percebeu que eu estava ali. Parecia concentrada demais em seus próprios pensamentos. O vento balançava seus cabelos e só então percebi o quanto eles haviam crescido desde a guerra. Um brilho me chamou a atenção, então percebi serem lágrimas. Ela chorava silenciosamente ainda observando a lua.  

Eu me sentia um intruso ali, mas algo me puxava para ela. Talvez meu instinto protetor estivesse me levando até ela para proteger. Não tentei entender que sentimentos eram aqueles, mas desci da árvore e caminhei até parar ao seu lado.  

- Posso me juntar a você? - Minha voz mesmo sendo baixa a assustou.  

- Kakashi-sensei? - Ela levou as mãos rapidamente até o rosto tentando apagar os vestígios do choro, eu então me ajoelhei ao seu lado e segurei suas mãos.  

- Não sinta vergonha por chorar. Chore Sakura. Tire essa angústia que você vem guardando. - Seus olhos encontraram os meus, uma conversa silenciosa se passava ali e pude perceber o quanto ela sentia. Sem saber muito bem o que fazer me sentei ao seu lado e a puxei para que deitasse sua cabeça em minhas pernas. Os soluços dela aumentaram e ela escondeu o rosto sob as mãos, instintivamente acariciei seus cabelos. 

Mais nada precisava ser dito naquele momento.  



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...