História Pedaços de um coração partido - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 0
Palavras 718
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fluffy, Poesias, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Estupro, Mutilação
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 2 - Piloto automático


Autora 2017 Lorham olhou pelas persianas do segundo andar, numa janela localizada em frente ao quarto de sua irmã, Nickola provavelmente estaria dormindo, ele observou um pouco as pessoas no passeio. - vai se atrasar pra faculdade - sua irmã de 14 anos murmurou, enquanto saia para se arrumar, ela estudava perto, enquanto Lorham teria que pegar um ônibos para o outro lado da cidade. - é, não estou afim de assistir a aula de Laboratório Avançado P&B. - ela deu de ombros e desceu as escadas. Nathalie. Esse nome veio em sua mente suave... Lorham suspirou, entrou em seu quarto, tomou uma chuveirada e saio se vestindo rapido, seu corpo era todo marcado com cortes profundos, graças a Deus não tinha esclerodermia, caso contrario, seriam ainda mais feios os cortes, já vestido, colocou um capote habitual, e foi andando, iria de ônibos, não dirigia a muito tempo. Parou perto de Nickola, deu um beijo em sua testa de um jeito carinhoso, e afagou sua franja. - Se cuida praga. - lhe lançou um sorrisinho - Idem pimpolho. - juntou dois dedos, e encostou na testa em sinal de respeito, Lorham bateu a porta, e checou o relogio. Mais atrasado que o previsto. Droga. A parte do seu dia mais calma, quando ele estava com seus fones, e não fingia ser algo que ele não era. Apenas escutava musica, pra esquecer os seus demônios, até chegar no seu ponto e o sorriso forçado surgir como se não o fosse. (...) - cara, você tem que parar de chegar atrasado. -Oliver disse imerso num livro do Scott Westerfeld. Já era intervalo, desde que chegará as aulas não haviam parado, e agora ele estava ouvindo a bronca de seu amigo enquanto comia. Ele olhou pro lado, Thalia já chegava fazendo tumulto.. - Menino tá uns mil graus lá fora pelo amor de Deus... Todos já estavam acostumados a ver Lorham todo vestido, ele ate já mostrara o braço, porém uns meses depois o cortou também, e agora não poderia provar mais nada. Era algo que não conseguia controlar, as memorias de um Lorham pequeno matando o proprio pai, e o rosto de sua mãe que não acreditara nele, Nickola ficou muito tempo sem falar absolutamente nada, mas o pisicologo a ajudou. E ele só sabia se culpar, até hoje. - Lorham ! - Thalia havia falado num tom bem elevado, o tirando de seus terriveis pensamentos, fazendo uma ou outra pessoa virar o rosto para nós por meio segundo. - o que? - ele sorriu devagar encarando sua amiga. - você fica viajando, ainda bem que parou de beber Lhou - ela sorrio. Lorham lembrou do seu acidente de carro, em que quase morreu. E pensou, "por um misero triz" A verdade é que não aguentava mais viver com o peso de ter destruido sua propria familia, ele foi um garoto mau. Da faculdade, foi para seu emprego como repositor na rede de supermercados da familia Curly, colocou sua blusa e comecou a organizar suas prateleiras, no horario vago jogou um pouco de conversa fora. Nada demais, sua vida nao era nada demais, faculdade, trabalho, casa. - Eii Lorham - uma das funcionarias o chamava, o nome dela era Lizzie, alta com cabelos longos e cacheados. Lorham levantou os olhos como se dissesse "diga" - vem cá - ele a seguio até o balcão - o carrinho dessa senhora quebrou, pode ajuda-lá com as compras? Lorham fez que sim com a face, e já foi pegando as sacolas. A senhora sorrio. - sempre quis ter um neto - um jeito meio estranho de iniciar uma conversa, pensou Lorham. - a senhora nao tem? - era obvio que não, Lorham odiava perguntas logicas, porém ele estava conversando com uma senhora, não com a diretora da sua faculdade. O garoto achava que ainda estaria longe, quando a senhora parou na frente de uma porta branca. - só tenho netas - repondeu com o carinho de uma idosa fofa - Blue - ela gritou baixo. Dois minutos depois, uma garota ruiva abriu a porta. - não levou a chave de novo - sua avó sorriu, ela ergueu o olhar para Lorham, um Garoto encapotado. Ele ajudou a colocar as coisas lá dentro, e seguio seu caminho para seu resto de dia no mercado.  


Notas Finais


Dedicado a Vanessa ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...