1. Spirit Fanfics >
  2. Pedras do Ódio no Caminho do Amor >
  3. Um Pequeno Confronto

História Pedras do Ódio no Caminho do Amor - Capítulo 9


Escrita por:


Notas do Autor


Olá pessoal!
Muito feliz de estar aqui postando mais um capítulo!
Qualquer duvida deixem nos comentários.
E qualquer critica que me ajude a melhorar estarei aceitando obrigada pela atenção!

Capítulo 9 - Um Pequeno Confronto


 

 


       Chegando em sua casa​…
      ​ Percebemos que não havia ninguém em casa, vimos um bilhete no quadro de recados, aparentemente seu pai havia ido para seu escritório na cidade, sua mãe havia ido na casa de uma cliente e seu irmão como de costume estava na aula.
      Max me disse para escolher o filme enquanto o mesmo preparava alguns aperitivos.
     Não demorou muito para ele chegar na sala com batatinhas, pipocas recém-estouradas e suco para ambos.
     -Então, qual filme escolheu?!
     -Bom eu separei três opções, um de terror, um de comédia e um de aventura. Agora você decide.
     -Mas você disse que quem iria escolher o filme era você!
     -Pois bem, mudei de ideia anda logo, fala qual você quer?
     Ele deu uma boa olhada nas três opções até falar qual iria querer:
     -Esse!-Diz isso enquanto aponta para a imagem do filme.
     Ele escolheu, claro, o de terror. Esse filme tem críticas ótimas, dizem que a história no geral é muito boa, se chama "The Killer of The Night".
      Nós começamos a assistir, enquanto algumas vezes íamos pegando um pouco dos aperitivos. Durante o filme, em alguns momentos me assustava mas não era tanto assim
      Porém em uma parte quase indo ao final eu me assusto muito e acabo deixando cair um pouco de suco em minha blusa que por acaso é branca:
     -Ai droga!-Digo essas palavras me levantando do sofá.
     Max, me dá alguns guardanapos para tentar seca minha blusa evitando que fique manchada, mas no fim não dá muito certo. Vou até o banheiro e me seco estava toda molhada e grudenta.
    Ao voltar, Max está com duas blusas aparentemente dele (até porque eram grandes demais para serem de Nicolly):
   -Tome experimente e veja se uma delas fica usável.
    -Obrigada.
    Me dirijo novamente ao banheiro e troco de blusa, uma delas não me agrada, porém a outra fica perfeita não em tamanho mas pelo menos estava "usável".
   Ao sair do banheiro noto que Maxwell não estava mais lá então vou em direção aos quartos. Chegando lá vejo ele e devolvo a blusa que não havia “servido”. Nós nos beijamos afetuosamente... É quando ouvimos uma buzina de carro, quando percebemos é a mãe de Max que está chegando dá casa de sua cliente.
    Meu namorado me pede para agir normalmente como se eu não soubesse o que fazer.
   -Olá Maxwell...E Estefânia!-Ela fica surpresa ao me ver.
    -Oque estão fazendo aqui sozinhos e por que está com a camisa do Max?!
    Max parece em choque é quando eu digo:
    -Nós viemos para ele me emprestar uma blusa, eu, desastrada como sempre derrubei suco na minha então Maxwell teve a ideia de assistir um filme.
    -Ah entendo.
    -Mas eu já estava de saída, tenho um compromisso, quer ir comigo Maxwell?
    -Sim claro! Vamos.
    Nicolly parece desconfiada, porém não insiste em perguntar mais nada e nos deixa sair.
    Damos um grande suspiro de alívio ao sair da casa sem sermos descobertos por sua mãe, apesar de que ela não me pareceu estar tão convencida.
-Então para onde vamos agora? Cinema, sua casa....
-Para o meu compromisso... Não estava inventando uma desculpa aquela hora.
-Entendi.

 
              { P.V } Maxwell


     Depois de um pequeno susto desses, vamos ao compromisso de Fanny ela dirigiu até onde ​parece​ ser uma clínica onde uma psicóloga atende.
    Pensamento: "Por que ela está aqui? E ainda mais importante porquê ela não me disse nada?!"
   Fico hesitante em perguntar, no fim deixo para lá, no momento em que ela quiser me falar ela dirá.
   Não demorou muito tempo até ela ser chamada, não havia muita gente, faz 10 minutos que chegamos. Fanny me pede para esperar, eu atendo seu pedido sem mais perguntas.


              { P.V } Estefânia

 
     Ao entrar em sua sala a doutora está de costas para mim mexendo em seus papéis, acho que ela não me ouviu chegando:
    -(Tosse)
     A doutora se vira para ver quem é, parece que ela se esqueceu que vinha hoje:
     -Olá Estefânia, pode se sentar, fique à vontade.
     Eu me sento e começamos a falar, ela me começa fazendo perguntas de rotina como: "Você está bem?”, "Como vão seus pais?".
     Até que ela me faz uma pergunta, que ao meu modo de ver me pareceu um pouco desafiadora:
    -Soube que você trouxe um rapaz com você hoje, é verdade...Hum...Ele é seu namorado? -Me pergunta com um olhar misterioso e curioso.
    -Sim trouxe uma pessoa...Mas você está aqui para cuidar da minha vida ou para me aconselhar ?... Quem te pediu para fazer essa pergunta foram meus pais?!-Falo isso com um olhar
furioso.

     -Não é nada disso!
     -Sério?!Você me conhece sabe que quando as pessoas estão mentindo eu sei, e sabe que eu também sei fazer elas dizerem, ainda mais quando estou zangada. -Com um olhar
desafiador encaro minha psicóloga.
    Não demora muito para ela se sentir pressionada, no fim ela acaba me falando toda a verdade. Meus pais alguns dias atrás procuraram ela e disseram para a mesma fazer perguntas para mim, do tipo se eu estava saindo com alguém ou até mesmo namorando.
     Ao me dizer tudo isso ela pede desculpas:
    -Estefânia me desculpe eu deveria ser uma pessoa que você deveria confiar, no fim eu quebrei esse laço que demorou meses para ser construído.
    Me sinto mal por ela, tirando meu namorado e Allana ela era a única pessoa em que poderia confiar, decido desculpá-la, até porque no fim a culpa não foi dela.
    No final da consulta eu e Max vamos para o carro, ele parece inquieto. Acho melhor dar uma explicação à ele decido dizer um motivo entre vários para vir as consultas, peço para começo de conversa perdão por não ter dito antes e peço silêncio para que enquanto digo o motivo não ser interrompida:
    Ele concorda, antes de me passar a palavra diz que não tem problema se eu não quiser contar tudo à ele, e que não insistiria para que eu falasse...


​                             Continua...

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...