História Peek A Boo - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Abo, Chanbaek, Hunhan, Kaisoo, Sulay, Taoris, Xiuchen
Visualizações 46
Palavras 1.038
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Fantasia, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 1 - Ha-Na


Do Kyungsoo

É uma pena que a vida não funcione da maneira que gostaríamos. Eu era apenas mais um ômega fracassado na vida amorosa fugindo de encontros casuais com o ex.

Deixe-me explicar. Park Chanyeol era o garoto mais lindo do mundo na minha opinião. Aquele orelhudo estudava comigo à anos assim como nossos amigos, o ciclo era o mesmo, porém, em algum momento do fim do colégio isso tudo mudou tragicamente quando o encontrei na cama com meu melhor amigo, Byun Baekhyun.

Me senti tão humilhado que não escutei desculpas, quais delas eles poderiam me dar? Erraram o caminho? Foi acidente? Eu estava me afundando em uma terrível fossa e sumi das vistas de todos os nossos amigos que já tinham perdoado o casal, incluindo meu irmão mais velho Jongdae.

-Você vai ficar aí para sempre? -Sehun e Luhan eram os únicos amigos que eu permitia que me visitassem. Por quê? Eles não eram tão próximos aos meus outros amigos.

-Vou.

-Eu já disse que você deveria sair e conhecer pessoas novas Soo. O Chanyeol não vale tanto esforço assim. -Bufei irritado ao ouvir o nome do dito cujo.

-Não fale dele aqui.

-Seus amigos continuam ligando? Você deveria atender pelo menos o Chen hyung. Ele é seu irmão e se preocupa com seu bem-estar.

-Eu estou bem. -Sehun murmurou algo e acabou saindo. Será que eu não possuía o direito de curtir minha tristeza? Mesmo que o tempo já tenha passado um pouco as coisas ficam bem frescas e nítidas em minha mente.

Não era fácil ter o fim de um relacionamento de anos marcado por uma traição. Eu considerava isso tudo imperdoável mesmo sabendo que algum dia eu teria de superar e encarar a dura realidade. Eles pareciam perfeitos nas fotos que postavam juntos, sempre saindo e se divertindo como eu nunca tive a oportunidade de aproveitar com ele, talvez eu tenha uma rotina muito caseira, minhas curiosidades limitadas e isso o cansou.

Baekhyun era o oposto de mim, um garoto sensual, divertido, alegre e que provavelmente era bem melhor do que eu em tudo, até mesmo na vida sexual da qual eu sempre tive medo de experimentar coisas diferentes. Na verdade, eu era um daqueles ômegas fracotes e medrosos na vida, sem atrativos. Fui bobo em pensar que um alfa iria querer se casar comigo sendo como sou.

Sehun havia me mandado procurar outra pessoa que despertasse novos interesses mas eu não tinha cabeça para entrar em algum relacionamento e ser largado em seguida pelos meus modos caseiros e nada radicais para um jovem. Eu sempre prezava um bom livro, silêncio e gostava de dormir.

Sentei na janela de casa onde eu podia notar um garoto dançar. O novo vizinho estudava com Sehun. Seu nome é Kim Jongin ou Kai e algumas vezes percebo o quão diferente é. Ele é um alfa que tem a típica imagem daqueles moleques populares e encrenqueiros com tatuagens mas mesmo assim era bonito.

-Bom dia Soo... -Eu não gostava muito do modo invasivo que ele possuía, nunca lhe dei liberdades para me chamar intimamente ou conversar mas ele parecia não se importar com isso.

-Bom dia.

-Nossa Soo, por quê tão desanimado assim? -Ele veio para a janela e pulou da sua sacada para a minha. Eu odiava pessoas intrometidas como ele.

-Sai daqui Jongin, eu não te dei essa intimidade. -Me irritei ficando de pé mas não faz efeito algum já que eu era um mero ser humano de meio metro enquanto ele era alto. Jongin riu e me abraçou recebendo um soco de volta.

-Eu escutei você chorar à noite.

-Não é da sua conta. Pare de se meter esses assuntos. -Peguei meus livros pronto para entrar e largá-lo do lado de fora, entretanto ele passou por mim. -JONGIN.

-Eu quero saber. Ninguém é tão depressivo assim e Sehun se importa muito com você mas parece que não se importa com seus amigos também não é? -Ele comentou, seu tom de voz estava acusatório.

-Você não sabe nada sobre a minha vida Jongin, é só um garoto, e pare de me abraçar.

-Só temos cinco anos de diferença Kyungsoo. Você é bom de abraçar e além do mais tem um cheiro agradável. -Jongin era tão intrometido que tinha a capacidade de me cheirar. O bati irritado e me afastei.

-Cinco anos é muita coisa, você ainda é um garotinho saindo do colegial enquanto eu já terminei uma faculdade. Somos diferentes e também, eu não tenho motivo algum para falar sobre a minha vida com um vizinho intrometido. -Ele estava olhando as coisas no quarto, a estante de livros e alguns ursos que eu tinha ganhado quando ele se deparou com uma foto que eu tinha abaixado.

-Quem é?

-Jongin, eu já lhe disse, vai para casa e pare de me importunar com suas perguntas. -Tentei pegar a foto de sua mão mas não consegui e ele segurou meu rosto para que eu o encarasse.

-Pare de mentir para mim, para si mesmo, para todos. Você age como se fosse alguém muito importante no mundo mas é só um vizinho mal educado e solitário. -Ele estava irritado, o modo rude como falou comigo acabou me magoando e a vontade de chorar veio. Jongin tinha razão, eu era só um solitário e patético.

-É, você tem razão. Eu sou apenas uma pessoa solitária então porque não me deixa em paz com a minha solidão?

-Você passou por um término não é? Eu só consigo achar essa justificativa mas não entendo por que não se livra dessas coisas e dele de uma vez.

-Não é tão fácil quanto aparenta. -Peguei aquela foto e joguei no lixo. Respirei fundo sentindo o cheiro amadeirado de Jongin. -Vai para casa por favor. Eu só quero ficar sozinho.

-Não adianta sofrer por alguém que provavelmente já está seguindo a vida Soo.

-Por quê você se mete tanto nisso Jongin? Faz isso com todo mundo que estiver triste? É o prêmio de consolação?

-Eu não faço isso com todos, mas que mal existe em ajudar meu vizinho fofo? -Ele fez uma cara de inocente que me fez grunhir irritado.

-Eu não sou fofo.

-É sim e eu não quero mais saber de te ver deprimido aqui. Amanhã vamos sair e se não levar à sério eu vou te levar do jeito de que estiver.

-Eu não vou.

-Vai sim, eu garanto.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...