1. Spirit Fanfics >
  2. Pega na Minha Pipoca - One-Shot Hoshi (Seventeen) >
  3. Entre pipocas e coisas mais quentes.

História Pega na Minha Pipoca - One-Shot Hoshi (Seventeen) - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


> essa one é uma bem rapidinha pra molhar as calcinhas das carat's e hoshi stan's hihihi

espero que gostem, boa leitura lindas <3

Capítulo 1 - Entre pipocas e coisas mais quentes.


Fanfic / Fanfiction Pega na Minha Pipoca - One-Shot Hoshi (Seventeen) - Capítulo 1 - Entre pipocas e coisas mais quentes.

Sexta à noite, tempo frio e com previsão de chuva, sozinha em casa, ah, o melhor ambiente para se assistir um filme. Como eu amo ficar enrolada em meios às cobertas, sentada no sofá da sala e me deliciar com a playlist de filmes de terror que três dias atrás fiz. Mas hoje eu resolvi convidar meu melhor amigo para vir apreciar meu bom gosto em filmes, já que o mesmo também não faz merda nenhuma nas sextas.

Agora me encontro colada no fogão aguardando de forma ansiosa minha preciosa pipoca ficar pronta, minha boca chegava a salivar, o que me fez pensar em quanto gosto de pipoca, mas também no tanto que gosto de Soonyoung, ou Hoshi como eu e nossos amigos preferimos chamá-lo, somos amigos desde que me conheço por gente, justamente por nossos pais já serem muito amigos desde a época colegial dos mais velhos. E passando a maioria do meu tempo ao lado de Hoshi, acabei por criar um sentimento diferente pelo mesmo, um tesão sem fim, dizer que amo Hoshi é fácil, por sermos melhores amigos desde nossos três anos de idade, mas essa sensação sexual é diferente, uma que nunca havia sentido por homem algum, apenas Hoshi me causa tais sentidos que me deixam louca por tentar compreender se ele não possa ter feito uma espécie de macumba para me prender tanto a ele dessa forma ou algo do tipo, estou falando, é surreal, acreditem em mim.

Saí dos meus pensamentos levemente doidos quando ouvi a campainha tocar, em um pulo sai do sofá e fui atender a porta dando-me de cara com o tesudo, digo, Hoshi.

— Eai dongsaeng. — Sorriu esticando sua mão para bagunçar meus cabelos, revirei meus olhos por ser vista pelo mesmo apenas uma criança que ele gosta de proteger, eu sei que é fofo mas para mim é bem broxante.

Dei espaço a ele para entrar e assim Hoshi fez, pulando sobre meu sofá e colocando seus pés sobre uma mesinha de centro, fingindo que a casa era sua, se não fosse meu melhor amigo eu poderia muito bem quebrar ele por ser tão folgado.

— Vou pegar os filmes de terror que deixei separado lá no meu quarto, já volto! — Animada avisei a ele, tratando logo de ir correndo para o cômodo, ouvindo sua risada pela minha afobação.

Já em meu quarto passei a procurar em meio às enormes pilhas de filmes que havia comprado, pois dvd é muito mais legal do que qualquer coisa paga de streaming de filmes e sérias, sério mesmo.

Estava chegando a ficar com dores de cabeça em me esforçar para lembrar em qual parte da minha cômoda os filmes de terror eu havia colocado. Um bico se formou em meus lábios enquanto meus olhos vasculhavam por tudo, levantei levemente minhas sobrancelhas ouvindo o som de notificação chegando no meu celular, rapidamente peguei o aparelho e li a mensagem com a tela ainda bloqueada, meus olhos quase saltaram para fora quando li e vi de quem era.

Soo Babo

quer piroca, gatinha?

Puta merda... Puta merda! Não pode ser, ele está mesmo oferecendo a rola dele pra mim? Seja o que for, não posso perder essa oportunidade!

quero sim, oppa.

Soo Babo

o que!? meu deus!

pipoca*

é pipoca, dongsaeng!

eita porra, tu quer o que?

Passei a rir do seu desespero, como pode ser tão tapado em me mandar isso? Ai Hoshi, se você soubesse o quanto eu quero sua piroca, de preferência indo bem fundo e forte em mim, pensaria duas vezes em atiçar a safada aqui.

quero a piroca, Soo.

Mais perversa que nunca respondi ele, não afim de prolongar aquela provocação, apenas bloqueei o celular e voltei a procurar pelos filmes, sorri abertamente pegando aquela média fileira de filmes retornando para a sala, quando cheguei no local franzi o cenho ao não encontrar Hoshi pela mesma. Será que ele ficou nervoso e foi embora? Afinal, nunca tínhamos falados daquela maneira um com o outro, ele deve ter estranhado e muito.

— Aqui a pipoca, ______. — Pulei quase derrubando os filmes, pelo susto que tomei ao ouvir sua voz atrás de mim, carregando um enorme balde de pipoca vindo da cozinha. — Vi que você já tinha feito, apenas coloquei na vasilha.

— 'Tá, senta aí que eu vou colocar o filme.

Hoshi apenas assentiu indo se sentar esparramado no meu sofá, ignorei novamente o seu jeito folgado de ser e fui logo colocar o cd do filme, ajoelhei-me em frente ao aparelho dvd e tratei de enfiar o cd no mesmo. Sentia o olhar do meu amigo queimar minhas costas, e principalmente meu bumbum, que havia ficado levemente empinado naquela posição. Mordi meu inferior para conter o sorriso, feliz estava em finalmente ter sua atenção diferente voltada para mim.

Dei play no filme e fui me sentar ao seu lado, passando a prestar atenção no filme que começou a rolar, "Invocação do Mal", um dos meus preferidos. Enquanto as cenas eram leves estávamos devorando a pipoca na ansiedade para que a loucura no filme logo comece, como aparecer o demo, as únicas partes mais assustadoras que apareceram foram manifestações, como portas batendo, quadros caindo e puxões nos pés dos personagens. Como eu já havia assistido esse filme e por também não ter medo de filmes desse gênero, eu apenas ficava cada vez mais saciada a cada parte aterrorizante, mas Soo estava bem diferente de mim, faltava berrar como um bebezinho e cagar nas calças, algumas vezes ria do seu medo, fazendo assim ele jogar pipoca em mim.

— Ya! Não desperdice a pipoca, Soonyoung. — Ditei raivosa, justamente por odiar que joguem comida fora, o garoto ao meu lado apenas deu de ombros voltando sua atenção para a telinha.

— Queria saber de uma coisa…

— O que Hoshi? — Perguntei aérea encarando a Carolyn basicamente se fodendo no filme.

— Quando irá querer minha piroca?

Passei a engasgar com o milho da pipoca precisando ser ajudada pelo mesmo, que ficou preocupado enquanto batia em minhas costas, de olhos esbugalhados passei a fitar seu rosto que carregava um sorriso muito, mas muito safado.

Sorri travessa indo me sentar em seu colo, com minhas pernas jogadas um de cada lado do seu quadril, ousada fui quando esfreguei-me em sua intimidade, sentindo aos pouco seu pau criar vida.

— Quero sua piroca agora, de preferência me fodendo bem forte. — Confessei de forma manhosa, vendo seu maxilar trincar levemente.

— Mas que boquinha suja a sua, dongsaeng.

— Eu sei que você gosta, Soo.

Mas nada veio a dizer, apenas sorriu e grudou na minha nuca puxando meu rosto para perto do seu, finalmente grudando nossos lábios, senti como se estivesse indo até o céu e logo voltando, estava nas nuvens por finalmente ter beijado esse garoto. Seus lábios tem sabor de cereja e estou ficando viciada neles. Senti suas mãos irem de encontro com meu bumbum apertando a carne e me incentivando a voltar me mexer, assim fiz, arrancando não só arfares da minha parte mas também grunhidos por parte de Hoshi.

Nosso beijo cessou quando o mesmo passou a descer seus lábios, deixando beijos na minha bochecha, maxilar e finalmente em meu pescoço, passando então a maltratá-lo com mordidas e sucções, que com certeza irá deixar marcas mais tarde, eu estava apenas me deliciando em finalmente ser desejada por esse cretino gostoso.

— Posso tirar sua blusa? — Perguntou receoso, ainda preocupado, até nesses momentos ele consegue agir de forma fofa comigo.

Apenas mordi meu inferior tirando eu mesma a peça, deixando já meus seios totalmente expostos por conta da falta de uso do sutiã. Vendo que o mesmo estava estático com minha ação, apenas ri pegando em ambas suas mãos levando até meus seios para que ele me desse o que tanto quero, prazer.

— Vamos Soo… — Ditei manhosa fechando meu olhos, assim que senti meus seios sendo levemente amassados por suas forte mãos.

Não aguentei e soltei um gemido arrastado quando senti sua boca lamber e chupar um dos meus biquinhos já rígidos, tanto pelo tesão como também pela brisa fria, voltei a me esfregar na sua recém-ereção buscando mostrar a ele a mesma sensação que estou sentindo, fogo no cu que precisava ser saciado, era isso.

Fiz com que Hoshi parasse, apenas para retirar sua camisa dando-me a visão dos deuses, seu abdômen um pouco malhado que faltava me fazer babar, voltei minha atenção para seu rosto que estava com os lábios semiabertos fazendo-me sorrir travessa, sai do seu colo me colocando de joelhos na sua frente sendo rápida comecei a desabotoar sua bermuda e puxá-la para baixo junto de sua cueca box, gemi totalmente satisfeita por finalmente estar vendo seu doce que à tempos quero provar.

Peguei na base do seu pau iniciando uma masturbação, começando de forma lenta mas passando a acelerar meus movimentos com os minutos, divertindo-me das caras e bocas que Hoshi fazia pelo prazer, também gemia roucamente me levando a loucura, como um homem poderia ser tão fodedor de psicológico assim? Puta que pariu.

— Co-coloca na boca… Mama ele, vai. — Pediu fechando os olhos e juntando suas sobrancelhas, podendo assim continuar com seus suspiros deleitosos.

Não pensei duas vezes em finalmente cair de boca na sua piroca, basicamente, passando a me deliciar com seu pau que pelos meus movimentos estavam chegando até o fundo da minha garganta, passei a massagear suavemente suas bolas sentindo o pau de Hoshi engrossar anunciando que faltava pouco para gozar, com esse pensamento sentia-me cada vez mais molhada, porém, uma mão segurou em meu cabelo e puxou-me para longe do meu doce recém-favorito deixando nós dois ligados apenas por um fio de baba.

— Eu quero gozar dentro de você, princesa. — Falou com sua voz rouca em um tom mais baixo, senti minha intimidade formigar. — Vem sentar na piroca do seu Soo.

Prontamente me levantei começando a retirar as últimas peças de roupas do meu corpo, agora já totalmente nua andei até ele, passando cada perna de um lado seu colo, finalmente unindo superficialmente nossos sexos, comecei a me esfregar no seu brinquedo melecando-o completamente, gemia toda vez que sentia sua cabecinha rosada ser prensada sobre meu pontinho sensível.

Aigoo… Pare de me torturar, dongsaeng. — Só de raiva acertei um tapa em seu rosto, mas pareceu não ter doido e sim satisfatório, Hoshi gosta de ser submisso? Essa é nova.

— Não me chame assim, Soo… — Ditei ainda continuando meus movimentos, queria que algo diferente saísse dos seus lábios.

— Senta logo em mim, gatinha. — Mordeu seu inferior depositando um tapa forte em uma das bandas do meu bumbum, gemi arrastada gostando.

Então ergui um pouco meu corpo assim conseguindo pegar na base do seu pau e direcioná-lo para a minha entrada já gotejante, com a ajuda das suas mãos na minha cintura fui descendo até finalmente estar preenchida pelo mesmo, como se estivessemos conectados gememos juntos pela sensação gostosa que era tê-lo dentro de mim. Com o auxílio da minha destra sobre seu peitoral passei a me movimentar, subindo e descendo devagar, mordi meu lábio tentando conter meus gritos pelo tamanho prazer.

Uh, Hoshi

— Quica bem gostoso em mim, garota! — Ordenou de olhos fechados, depositando outro tapa estalado no meu bumbum.

Gemi manhosa adorando seu lado mais rude, porra, esse homem um dia me mata. Passei a pular, literalmente, em seu pau adorando cada segundo que ele me tocava bem ao fundo, sentia ele socar meu ponto prazeroso por ser tão bem dotado. Senti seus dedos afundarem na carne macia da minha cintura, às vezes cravando suas unhas na mesma, causando-me uma ardência mas que só me dava incentivo para continuar a sentar no meu mais novo doce preferido.

— Sua bocetinha me engole tão bem, caralho… — Prosferiu alto, levando sua mão até meu queixo, apertando-o levando meu rosto próximo ao seu.

Unimos nossos lábios iniciando um outro beijo, completamente quente, com nossas línguas transbordando em chamas.

— Levanta. — Sussurrou com nossas bocas ainda coladas. Outro tapa. Sorri travessa me levantando de seu colo sentindo um pequeno desconforto por não tê-lo mais em meu interior. — Fica bem empinadinha pra mim nesse sofá, ______.

Ri por suas palavras tão perversas, mas me coloquei na posição desejada por Soo, ajoelhei-me sobre o estofado e apoiei-me sobre o encosto, arfei sentindo seu rosto se aproximar no meu bumbum e deixando uma mordida no mesmo, não demorou para senti-lo lamber minha boceta e até mesmo meu ânus, concentrando mais no meu traseiro, fechei fortemente meus olhos já pensando que estou com o cu fodido, literalmente.

— Quero socar tanto nesse cuzinho. — Suspirou, senti que ele encarava meu bumbum sem mover um músculo. — Deixa, uh?

Murmurei um "uhum" já me preparando psicologicamente, nunca havia feito sexo anal e tenho medo dele me rasgar no meio. Presenti ele levantar-se e então senti seus dedos na minha segunda entrada, melecando-o com sua baba, depois se posicionou atrás de mim e finalmente me invadiu, indo devagar mas ainda sim me causando uma dor, ajudei o mesmo passando a ir para trás, quando ele já estava por inteiro em mim ficamos minutos parados para que eu me acostumasse com seu tamanho invadindo-me por trás. Mordi meu lábio inferior abaixando minha fronte passando a eu mesma movimentar, sentindo-o tocar bem fundo em mim.

Não precisei mais me movimentar, Hoshi prendeu minha cintura e passou a socar bem fundo e rápido em mim, me levando ao céu e inferno ao mesmo tempo, era uma sensação única ser invadida por essa piroca de mel que meu amigo tem.

— Porra Hoshi! Vai mais rápido, amor… — Pedi com a voz arrastada, enquanto tentava conter meus gemidos para que ele viesse a me compreender.

Não foi preciso pedir duas vezes, Soo passou a me foder deliciosamente, brutalmente, era uma delícia. Uma de suas mãos pegou em meu braço puxando-me contra seu peito, deixando eu levemente levantada, não impedindo que ele parasse suas investidas. Praticamente gritei ao sentir o mais velho passar a instigar meu clitóris, dando-me mais prazer, enrosquei meu braço esquerdo no pescoço alheio direcionando seu rosto para mais perto do meu com minha mão livre, voltamos a nos beijar, seus lábios moldando os meus de forma calma com nossos corpos pegando fogo foi o limite, para que eu chegasse finalmente em meu orgasmo jorrando meu melzinho sobre seu pau que quase escorregou para fora, mas Hoshi insistiu no contato procurando por seu próprio prazer.

Ainda com a respiração descompassada e com as pernas bambas, voltei a me inclinar para si por cima do sofá, dando mais acesso a ele, que me fodeu como nunca ninguém tinha feito, logo gozou me enchendo da sua porra quentinha.

Mais que satisfeitos nos desconectamos e juntos sentamos no sofá, respirando ofegante em busca de amenizar a falta de ar, sorri boba em pensar no que acabamos de fazer. Finalmente havia provado do doce do meu melhor amigo.

— E então… Gostou da pipoca diferenciada?

— Gostar foi pouco. Agora terá que me dar sua piroca todo dia, pois acho que me viciei nela. — Sorri atrevida para ele, que apenas riu alto, concordando.

Parece que o meu amor por pipoca foi trocado, pelo meu amor pela piroca de Hoshi.


Notas Finais


> antes de tudo quero agradecer muito a @agustylesd pela capa maravilhosa, eu amei demais, obrigada mesmo por ela!! <3 <3

| cap não revisado¡ me desculpe por qualquer erro ortográfico ~

meu perfil: @chogiwayt
até a próxima bebês ~ <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...