1. Spirit Fanfics >
  2. Pela estrada a fora >
  3. Oneshot - Marry me, little angel!

História Pela estrada a fora - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Oieee
Adivinha quem fez uma nova onishot de AloisClaude? Eu mesmo. Já deu pra perceber que eu sou muito fãn desse shipp né?😅
Mais fazer oque, sou um fudashi muinto doido
Me tolerem!🤭


⚠️AVISO MUITO IMPORTANTE⚠️


🌙🌠 A anatomia dessa fanfic e diferente da das outras de ômegaverse em geral!

🌙🌠Bom, me incomoda muito a entrada para o útero ser no ânus. E isso e por uma questão de saúde e de lógica! Bom eu vou explicar, senta aí. O útero e uma área muito delicada e sensível, e me incomoda o fato de nimguem ter pensado nisso quando estavam criando o omegaverse, visto que o ânus e um local cheio de bactérias .

🌙.🌠No ômegaverse em geral a entrada para o útero e no ânus , PORÉM TODAVIA ENTRETANTO, eu decidi usar um novo formato em que isso se torna, bem , mais "Saudável" e um tanto lógico. Já que os ômegas "imitão" O corpo de uma mulher (Um assunto bem polêmico no omegaverse e pra mim também) seria melhor que os úteros tivessem sua entrada independente, sendo assim, entre os testículos e o ânus haveria um segundo buraco.

🌙🌠 Como ômegas possuem um pênis menor assim como os testículos , a entrada do útero terá espaço o suficiente.

🌙🌠Alem disso a entrada conectará diretamente ao útero,então , NÃO eles NÃO TERAM UMA VAGINA, apenas um útero.

🌙🌠 Esse modo "Diferente" de se ver o ômegaverse foi criado pela @StarsDaughter e dou todos os créditos a ela para com esse modo diferente de se representar o ômegaverse! Ela escreve fanfics ótimas, e eu sou muito fã dela.

🌙🌠 Nessa fanfic Alois e filho de Vicent Phantomhive e Charllot Trancy. E ele é irmão do Ciel e do 'Elic' (nome que eu dei para o irmão gêmeo do Ciel que também tem algo a ver com céu e etc.) E primo mais novo da Lizzy, assim como sobrinho da madame Red.

🌙🌠Alois tem 14 anos e é um ômega, e o Claude tem 48 e é um Alfa.

🌙🌠 Toda vez que eu colocar 《¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤》 signifoca que houve uma quebra de tempo de minutos ou horas.

Dito isso

B
O
A

L
E
I
T
U
R
A
💖

Capítulo 1 - Oneshot - Marry me, little angel!


Fanfic / Fanfiction Pela estrada a fora - Capítulo 1 - Oneshot - Marry me, little angel!

P.O.V  N/A



Em uma pequena e isolada vila do século XV na Alemanha, rodeada por uma estença floresta , onde rondava boatos sobre um Lobo Mal habitava um certo menino e sua família, que se consistia em sua mãe Charllot, seu pai Vicent,seus dois irmãos mais velhos de 15 anos que eram gêmeos Ciel e Elic , e ele mesmo , Alois que possuía 14 anos. Tudo era perfeitamente normal na vida de sua família, não eram ricos mais tinham uma boa condição, seu pai Era dono de uma banca de frutas e sua mãe trabalhava como confeiteira.




P.O.V Alois



Eram por volta das 1 hora da tarde e eu estava na cozinha ajudando minha mãe a preparar os pedidos de alguns clientes que haviam sido encomendados para hoje.




P.O.V  N/A

《¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤》


- Terminamos! Alois meu bem vá chamar seus irmãos para vocês irem entregar os pedidos - falou a mulher sorrindo gentilmente para o pequeno menino a sua frente.

- Certo mamãe - Disse indo em direção ao quarto dos gêmeos que ficava no segundo andar da casa, e logo quando chegou deu batidas leves na porta.

- Entra - Foi se escutada uma voz abafada pela porta do outro lado. O menino entrou avistando um dos irmãos sentado sobre a cama enquanto o outro estava no chão lendo alguma coisa, e tratou de se pronunciar.

- Mamãe mandou eu chamar vocês para que fossemos entregar os pedidos dos clientes.- falou enquanto sorria amigavelmente para os dois ali presentes.

- Já vamos descer - Ambos os gêmeos falaram devolvendo o sorriso ao irmão. - Nos espere la em baixo, vamos apenas nos arrumar.- o loiro apenas concordou com a cabeça e se retirou do local indo até seu próprio quarto para pegar sua capa vermelha, que nunca saia para qualquer lugar que seja sem, pois havia sido um presente da sua já falecida tia, Agelina Dalles ou como era conhecida Madame
Red. Este apelido lhe fora dado por conta de que a mesma se vestia da cabeça aos pés de vermelho, essa inclusive era a cor de seu cabelo. O menino trajava um shorts preto que ia até a metade de suas coxas, meias 3/4 que iam até seus joelhos, e na parte superior de seu corpo uma camisa de botões e por cima da mesma um colete verde. Após pegar a capa o menino desceu para o andar de baixo até a cozinha encontrando lá seus irmãos que o esperavam para irem as entregas.

- Vamos? -  Ciel pergunta enquanto o menino mais baixo encarava os olhos bicolores do irmão, lembravasse bem de que quando Ciel nasceu ele tinha os dois olhos em um azul escuro profundo, porém durante um incêndio que ocorrerá na aldeia pequenos pedaços de vidro caíram em seu olho direito o fazendo ficar com aquela tonalidade, seu irmão tinha dificuldade de enchergar com aquele lado de seus olhos mais não era nada que o atrapalha-se. Foi tirado de seus devaneios por sua mãe que lhe entregará uma cesta possuindo uma das três encomendas que haviam sido feitas.

- Está e para a senhora Miller, e não se esqueça de passar na banca antes de ir, seu pai quer falar com você meu amor.

- Ok mamãe - o Menino pegou a cesta das mãos da mais velha lhe dando um sorriso. Alois sempre fora muinto amigável com todos sempre dando oi e bom dia, boa tarde, boa noite e sorrindo para qualquer um que passava por ele - Vamos! - Eles e seus irmãos foram até a saida da casa e de lá se despediram e depois cada um foi para um lado, fazer as entregas exceto Alois que primeiro fora para  a banca de seu pai - Papai? - O Menino falou indo até o balcão da pequena banca.

- Alois - O homem de cabelos azulados falou sorrindo ao ver seu filho.

- O senhor mandou me chamar?

- Ah, sim! Eu tenho uma entrega de algumas frutas para fazer mais não posso deixar a banca sozinha, então eu queria que você levasse para mim, pode fazer isso?

- Posso sim! -  O menino falou estendendo uma das mãos para pegar a outra cesta que continha as frutas .

- Obrigado meu bem - O homem falou entregando a cesta para o mais novo. - O cliente que fez está encomenda disse que estária na livraria Dussman - das KulturKaufhaus . E para o senhor Faustos.

- Fica um pouco depois da casa da senhora Miller, onde eu vou entregar os doces - disse o menino ao pegar a cesta.

- Tome cuidado , e boas entregas pequeno - O homens disse enquanto o menino se afastava .

- Vou tomar e obrigado papai - disse o menino se virando enquanto ainda andava em direção a saída da banca de frutas. Seguiu seu caminho e enquanto ia andando cumprimentava as pessoas que passavam por si desejando-lhes uma boa tarde. Ao chegar na frente da casa de onde deveria ser entregue os doces parou e percorreu o jardim que dava acesso a entrada da casa e bateu gentilmente na porta, logo está sendo aberta por uma senhora de mais ou menos uns 35 anos que não parecia nada feliz.

- Ah, e você fofucho - Disse dando um sorriso assim que viu o menino. Alois sempre forá muito querido por todos da pequena vila pela sua forma gentil e educada de agir, espalhando alegria por onde passava. Um verdadeiro anjo! Era assim que todos o definiam. Até os mais rudes e anti-sociais  da aldeia gostavam do pequeno ômega.

- Boa tarde senhora Miller! Eu vim lhe entregar suas encomendas - Disse estendendo a cesta de guloseimas para a mais velha a sua frente.

- Obrigado pequeno - Disse pegando a cesta da mão do garoto e lhe entregando o dinheiro do pagamento - Não quer entrar para tornar um chá comigo?

-  Eu adoraria ficar mais um pouco, porém tenho que entregar outra encomenda ainda agora - disse sorrindo para a senhora -  mais muito obrigado pelo convite!

- Ah , Claro! Tenha uma boa tarde pequeno!

- Desejo o mesmo para a senhora, até logo - disse se encaminhando para a saída do Jardim.

- ATÉ - Falou um pouco mais alto enquanto acenava para que o menino escutasse já que já estava um pouco distante. E assim o Alois segui o seu a caminho até a biblioteca encontrando na frente dela um homem muito alto , devriaria ter cerca de 1.90, talvez mais pensou enquanto se aproximava do estabelecimento. O homem trajava uma calça preta , uma camisa de botoes coberta por um colete preto e logo em cima do mesmo um casaco tambem de cor preta. Iria entrar na biblioteca para perguntar ao dono se ele conhecia o tal senhor Faustos. Desejaria Boa tarde ao homem mais o mesmo lhe causava arrepinhos na espinha só de olhar, além disso não parecia ser de lá, tinha medo que o mesmo fizesse algo contra si. Quando estava quase passando eplo homen sentiu seu braço livre ser segurado.

- Ah! - deu um gritinho por conta do susto. Se virando para encarar quem havia segurado seu braço vendo que era o homem que havia descrito antes -  O-oque... - disse gaguejando por conta do susto e pelo medo.

- Não precisa sentir medo Alois - disse o homem sorrindo para o mais novo.

- C-como v-ocê s-s-sabe m-meu n-nome?

- Hahah - O homem riu sarcástico - Sei mais de você do que você imagina. Mais....você está aqui para me entregar as frutas que eu encomendei com o seu pai certo?

- A-ah, entao você é o Senhor Faustos?

- Claude, Claude Faustos! - Disse pegando a mão do menino e beijando a costa da mesma. Fazendo-o corar levemente - My Highness.

- Você é novo aqui? Nunca tinha te visto antes - O menino se pronunciou para quebrar a tensão que ali se instaurava ,puxando sua mão de perto do homem.

- Eu já te vi muintas vezes! Mas respondendo sua pergunta, eu Não sou novo aqui, moro na verdade adentrando na floresta . Não venho muito aqui na Vila - disse encarando fixamente o menor a sua frente, e Alois por sua vez ficou confuso pela resposta do maior.

- Bom....aqui está a sua encomenda - disse levantando a cesta para o maior pega-la. Que pegou a cesta calmamente das mãozinhas do menor - E-eu preciso ir pra casa, minha mãe esta me esperando.

- Ah, sim - disse dando o pagamento pelas frutas ao menino.

- Bom espero ter ver outro dia quem sabe! - O menino disse sorrindo de maneira amigavel .

- Vamos nos ver logo logo~ - O homem sussurrou de maneira sexy se afastando da biblioteca e tomando seu rumo. Alois mesmo sem entender oque o homem quis dizer com isso corou . E tratou logo de voltar para sua casa antes que sua mãe e seus irmãos  ficassem preocupados pela demora do menino.


《¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤》


Já eram 5 da tarde e Alois estava sentado debaixo de uma grande árvore que ficava no fundo do jardin de sua casa, juntamente de sua prima Lizzy, estavam conversando sobre os mais diversos assuntos.

- Você ficou sabendo da notícia? - Lizzy perguntou.

- Notícia? - Questionou Ali os.

- Sim, o lobo atacou de novo!

- Lobo? -  Perguntou de novo sem saber do que se tratava.

- LOUVADA SEJA LILITH ,VOCE NÃO SABE SOBRE O LOBO?!

- Esse eh,  Não?

- Ele conhece a vila inteira mais não conhece a lenda do Lobo mal! Mais eu vou te contar para você não ser um desinformado. A uns dois anos começaram a sumir muitos animais de grande porte, como vacas é bois, cavalos ,cabras e cachorros e ninguém sabia do porque , mais aí alguns fazendeiros decidiram fazer uma vigília pra descobrir oque ou quem estava pegando os animais e durante uma dessas vigilhas dois fazendeiros escutaram um grito muito alto vindo de um dos currais e em seguida todos os cachorros ficaram agitados , e quando eles chegaram lá para finalmente descobrir oque estava roubando os animais, eles viram um Lobo , mais não um Lobo comum era um Lobo muito grande, eles disseram que tinha pelo menos 4 metros de altura com olhos dourados e muito brilhantes, com uma pelagem muito preta com uma vaca na boca , a mesma estava gritando. Eles disseram que era assutador e nimguem ousou continuar ali para desvobrir oque ele iria fazer com a pobre vaca. Dizem que ele mora no meio da floresta!

-........... - o menino estava perplexo por conta história que tinha sido contada agora para si. Mais antes que pudesse dizer alguma  coisa ele escuta sua mãe chamando sua prima e a si. Então eles se levanta o e vão até a entrada dos fundos de onde sua mãe lhes chamava.

- Oi tia - a menina falou assim que chegaram na porta.

- Sua mãe esta te esperando lá na frente para vocês irem de volta para casa - A mulher fala sorrindo para a garota.

- Ah, obrigado por avisar tia, tchau alois , tchau tia diz que eu mandei um abraço pro Ciel pro Elic e pro dou Vicente!

- Pode deixar querida - A menina vai em direção a sua mãe  para que as dos voltem para a casa das mesma. - Alois meu bem você pode fazer um favor para sua mãezinha?

- Posso sim! Mais oque seria?

- Eu quero que e você leve alguns doces que eu preparei e algumas frutas que eu trouxe da banca do seu pai para a sua avó - A mulher falava enquanto pegava um cesta onde estavam as coisas que ela tinha falado.

- Certo - Falou o menino pegando a cesta.

- Se já tiver escurecido quando você chegar lá, fica por lá e amanhã de manhã você volta querido.

- Tá bom mamãe! - O menino falou pegando sua capa que estava em cima do sofá e indo em direção a saida - Volto logo!

- Vá com calma, e tome cuidado meu bem - disse a mulher olhando o ômega mais novo começar a se afastar.



《¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤》


P.O.V Alois



Tinha dois caminhos que levariam para a casa da minha avó, um caminho que era mais aberto, e um caminho que ra mais curto porem era numa mata fechada, e eu com queria voltar mais ainda hoje para casa resolvi pegar o mais curto, afinal e a lógica!
Eu estava na metade do caminho para a casa da minha avó, e desde que entrei na mata eu comecei a ter a sensação de estar sendo vigiado e seguido, mais eu acho que deve ser só paranoia da minha cabeça por causa da história que a Lizzy me contou hoje mais cedo. Eu fiz todo o caminho calmamente, quando cheguei a casa da minha avó ainda não tinha escurecido, entreguei a cesta com as coisas e conversei um pouco com ela, e depois tomei meu caminho de volta pra casa, provavelmente já terá escurecido quando eu chegar lá, mais quanto mais cedo eu for mais rápido eu chego em casa. Eu fui seguindo pelo caminho calmamente , quanta derrapante a sensação de estar sendo vigiado voltou, dessa vez sendo seguida de um calafrio que percorreu toda a minha espinha, começa o a escutar um barulho de galhos quebrando a minha volta, a esse ponto eu já estava totalmente deseperado, mais eu já estava muinto longe da casa da minha vó então a única opção e continuar seguindo em frente, e foi isso que eu fiz. Até eu escutar um barulho de galhos quebrando bem atrás de mim, e sem eu nem mesmo perceber quando exatamente isso aconteceu eu estava sendo carregado mata a dentro por um Lobo Grande, muito grande. Ele me levou até a frente de uma casa ou melhor, De uma mansão  no meio DO NADA, que consegui enxergar com dificuldade por conta da luz da lua que nos permitia ver algumas poucas coisas em meio ao  breu da noite.



P.O.V  N/A



- P-p-porfavor - O pequeno ômega falou chorando por conta do medo. O Lobo o colocou na varanda da casa e ficou encarando o mesmo com aquele brilhantes olhos dourados. 'Estes olhos, eu já vi eles em algum lugar' pensou alois pensou enquanto observava o lobo o encarando.

-*Rosnado*- o Lobo tornou fazendo alois virar de costa para o mesmo numa tentativa de se proteger do lobo. Passado alguns minutos alois sente braços o segurando por trás, ele permanece de olhos fechados por conta do medo, ele foi carregado para dentro da casa e foi deixado sentado em algum lugar macio . Ele escuta passos se afastando e ficando cada vez mais longe até não ser mais possível de se ouvir e o silêncio se instaura e finalmente ele teve coragem de abrir os olhos para ver onde estava. Logo que abriu seus olhos notou que estava com as meias rasgadas por conta das presas do lobo e um pouco da sua camisa, notou também que a capa era na verdade a única peça de roupa que havia ficado intacta.


Ele estava dentro daquela casa, numa espécie de sala, estava sentado num sofá bem grande que era muinto macio, lá tinha uma lareira que estava acesa inluminando ao comodo e duas poltronas próximas  uma em cada extremidade do sofá ,era um lugar bem bonito! Foi oque ele pensou,a casa estav toda sendo inluminada por candelabros espalhados pelo comodos, observando em volta viu uma porta que não sabia para onde dava e uma grande escada que levava para o segundo anda daquela casa que era inclusive aonde a pessoa que o levará para dentro daquele lugar tinha ido. Ele foi até oque parecia ser a porta de saida. Estava trancada, então  ele resolvem subir a escada para tentar converser a pessoa que tinha o levado para la o deixar ir embora. Ele subio as escadas e ao chegar no segundo andar lá tinha um corredor bem grande tanto de largura quanto de diametro, com várias portas. E lá no fundo tinha uma porta que estava aberta dando para ver que lá era um quarto. Ele andou até a porta e adentrou no comodo que era gigantesco lá tinha uma porta que dava para um banheiro e uma grande porta dupla de vidro que dava para uma sacada. Ele se aproximou da porta que dava para a sacada vendo através dela o céu estrelado e a lua brilhando majestosa em um tom azulado no céu em meio a toda escuridão que havia naquela noite.


O homen ao sair do banheiro e avistar o loiro distraído olhando pelo vidro da porta a lua foi se aproximando vagarosamente para não fazer barulho.

- A noite está linda não é? - O mais velho sussurou no ouvido do menor o fazendo se assustar.

- Ah! - Virou-se automaticamente para trás - S-s-senhor Faustos?! - Falou sentindo seu coração acelerado por conta do susto.

- Nao precisa ficar com medo My Highness - O homem disse pegando a mão do menor e o aproximando de si - Eu não vou comer você.....bom. Pelo menos não no sentido literário - Disse dando um sorriso malicioso para o menor que apenas ficou confuso e um tanto envergonhado pela situação em que o Alfa estava. Coberto por uma calça da cintura para baixo e da cintura para cima despido. Corou ao percorrer seus olhos pelo abdômen bem definido do mesmo. Logo voltando sua atenção aos olhos dourados e brilhantes.

- C-como assim m-me comer n-não no sentindo literário? - O mais novo perguntou, estava confuso pelas palavras do mais velho.

- Sua inocência me atrai. Isso me dá mais vontade de devora-lo - Falou dando um selinho no pescoço do loiro, que se arrepiou ao sentir o contato dos lábios do Alfa contra seu pescoço.

V-você e o lo-lo-lobo n-não? - Falou enquanto sentia o mais Velho fungar no seu pescoço.

- Sou. Desculpe por ter te assustado, tinha caçadores ali perto então eu tinha que te pegar e sair dali o mais rápido possível. Não queria ter de mata-los na sua frente - Disse calmamente enquanto inspirava os feromônios do ômega.

- P-porque v-você me trouxe aqui? Onde e aqui?

- 'Aqui' e a minha casa, e eu te trouxe para cá por que chegou a hora - explicou sem muitos detalhes.

- H-hora? Hora do que ? - Alois já estava confuso antes, ficará mais confuso ainda com a resposta que lhe foi dada.

- Você cresceu. Eu te vi pela primeira vez quando você ainda era um bebê, a muitos anos eu encontrei seus pais quando estavam andando por está  floresta, eles imploraram para que eu os deixasse vivos e eu disse que para isso eles teriam que me dar algo em troca, e eles me prometeram seu terceiro filho e eu aceitei, pensava naquilo como uma futura refeição . Sua mãe tentou evitar engravidar novamente depois do nascimento dos gêmeos, mais ela acabou engravidando novamente e concebeu você. Você era como um bonequinho quando era bebê, completamente adoravel,eu te vi crescendo , te observava dia após dia, você sempre fora tão gentil com todos, dava sorrisos a quasquer estranhos, você fez amizade com todos que tiveram um convivio com você em algum momento, você se tornou alguem tão querido naquela vila, eu te vi desabrochando até se tornar oque e hoje, e você mudou muito sabe. Você ganhou curvas e contornos durante esses anos, e bom, eu já não quero mais me alimentar da sua carne, eles me prometeram você e estavam cientes que eu poderia te pegar a qualquer momento se achasse que era a hora. Explicado isso , a 'hora' e apenas o fato do seu corpo ter terminado de se desenvolver por completo, você se tornou fértil, um ômega ja formado podendo gerar descendentes. Confesso que esperava que isso demorasse mais tempo, porém não vou dizer que não gostei desse processo ter acontessido antes, pois eu já estava ficando farto de tanto esperar - Alois estava perplexo, aquilo tinha sido muita informação para sua cabeça, mal conseguia pensar.

- E-eu, v-você, o-que... - Balbuciou tentando formar uma frase que fizesse sentido.

- Oque? - Questionou tentando entender oque o ômega estava tentando dizer.

- O-oque vo-você v-vai fazer co-comigo? - Disse reseoso e com medo da resposta.

- Oque você quer que eu faça com você? - Disse tirando o rosto do pescoço do menor e o encarando.

- E-eu quero que você não me mate!

- Hahahah - Soltou uma risada como se tivesse escutado a piada do século - Bobinho você não entendeu ainda? - Disse abrindo um sorriso divertido para o menor - Vou te fazer uma proposta ok?

- Que proposta?

- Você se casa comigo e em troca eu deixo você continuar vendo seus pais e amigos.

- C-Ca-CASAR?! - Exclamou superso.

- Bem, eu podia apenas te obrigar a se relacionar comigo sem termos nada , e te privar de sair daqui, mais eu gostei de voce e quero fazer com que a nossa convivência seja mais pacífica e de certo então..... o que me diz? Aceita minha proposta? - Fala com um tom de compreenção na voz.

- E-eu...... - Pareceu pensar em algo - Eu aceito! - Disse ficando sério. - O alfa abriu um sorriso de orelha a orelha e abraçou vagarosamente o ômega, colocando seu rosto na curvatura do pescoço do mesmo. Alois corou automaticamente e retribuiu o abraço, queria ver sua mãe, seu pai, seus irmãos,  e amigos novamente, por isso aceitou a proposta. Se entregando de bandeja ao 'Lobo Mal'.

- Está tarde, você precisa descansar - Afirmou pegando o menor no colo , estilo noiva e o levando até a cama macia e exageradamente grande o deitando ali, puxando o laço que prendia a capa do menor a soltando e a tirando de si, tirou também o colete, e os sapatos que o menor usava, depois colocou suas mãos por dentro das meias do menino retirando-as vagarosamente. Depois de feito esse processo se deitou ao lado do mesmo o puxando e o aconchegado em seu peito , cobrindo ambos.


《¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤》


Pela manhã Alois foi acordado por Claude e depois de tomar café com o mesmo, botou novamente as partes de sua vestes que haviam sido retiradas, Claude também se vestindo adequadamente , e depois ambos seguiram para a casa do mais novo já que o alfa insistiu em levá-lo até sua casa para que chegasse em segurança.





Continua....,


Notas Finais


Espero que tenha o costado e comentem se vocês quiserem a continuaçào dessa mini fanfic.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...