1. Spirit Fanfics >
  2. Pela Honra Do Rei >
  3. Dia Feliz?

História Pela Honra Do Rei - Capítulo 91


Escrita por: anafelissimo

Capítulo 91 - Dia Feliz?


Michael colocou as mãos na sua cintura se posicionando atrás de Jennifer, enquanto assistiam à apresentação prestando atenção as explicações do tratador. Estavam tendo um momento de paz no qual eles se permitiam relaxar de verdade, divertindo-se junto com seus filhos e demais familiares que estavam ali. Era assim que se aproveitava o tempo em Neverland nada de brigas ou confusões, apenas diversão em família longe de toda a loucura do mundo lá fora. Chegaram até mesmo a esquecer os seus problemas com Josef e Nancy, afinal não tiveram qualquer sinal de nenhum deles desde que o dia começou. Talvez pudessem ter alguns momentos de paz que eles tanto precisavam, afinal estavam ali para aproveitarem as férias antes de viajar a trabalho. Michael em especial passou semanas planejando tornar aquele natal perfeito, especialmente o presente de Jennifer tinha pensado em todos os detalhes deste. Ele queria tanto vê-la sorrindo novamente depois de tudo o que passou, sentia falta de sua risada espontânea e divertida que a muito tempo não via. Se perguntou se algum dia superariam o pesadelo que viveram e voltar a ser felizes com os filhos que eles tinham e aqueles que ainda estavam pôr vir. A abraçou com ternura a fazendo se encostar no seu peito sentindo seu perfume, enquanto Jennifer acariciava seus braços ternamente retribuindo o carinho.

 -Que nós tal fugirmos um pouquinho depois da apresentação? –Perguntou junto a seu ouvido a abraçando.

 -Acho que seus amigos não iriam gostar disso. –Disse olhando as crianças que já começavam a se juntar ao redor deles. –Eles ficaram zangados se eu te roubar deles, além disso vou preparar biscoito junto com as garotas esta tarde.

 -Eu e meus amigos poderíamos ajudar vocês.

 -Ajudar? –Ergueu as sobrancelhas ao encara-lo. –Os biscoitos são para a ceia de natal não para sua guerra de comida.

 -Acha mesmo que nós faríamos isso? –Perguntou com um sorriso travesso nos lábios.

 -Claro que sim eu te conheço. –Disse fazendo-o rir.

 Assim que a apresentação terminou saíram do celeiro para ver os outros animais e Michael foi logo cercado pelas crianças como sempre acontecia nesses passeios. Todas queriam ficar perto dele para onde fosse não o largando o momento sequer, afinal não queriam perder um minuto de diversão junto com o seu tio favorito. Animado Michael caminhava tranquilamente entre os habitats do zoológico, sendo seguido de perto pela alegre e barulhenta comitiva em miniatura. Ele amava se divertir com seus pequenos amigos se permitindo ser mais um deles, foi para isso que construiu Neverland para poder se divertir como sempre quis. Caminhava tranquilamente pelas diversas trilhas que cortavam o zoológico particular, sendo acompanhado por seus filhos, sobrinhos além de primos mais novos. Logo atrás vinham os adultos do grupo incluindo os pais das crianças, entre eles estava os seus irmãos e cunhados que o haviam acompanhado. Aquele era um passeio em família diferente das excursões que costumava fazer, afinal neles o Michael se via obrigado a lidar diretamente com a sua família. Jennifer insistia para que ele mantivesse uma relação amigável com estes, amavam os seus sobrinhos e as brigas não eram boas para as crianças. Então Michael era arrastado mesmo contra a vontade para as reuniões, apesar de ele sempre se divertir junto com os mais jovens quando chegava.

 -Papai vamos ver a girafas. –Thomas disse puxando sua mão.

 -Não elas não têm graça vamos nos tigres. –Outro menino pediu.

 -Calma vamos visitar todos os animais. –Michael disse de forma conciliadora. –E depois iremos ao cinema. –Completou fazendo-os comemorar.

 -Parece que vai ter um dia cheio pela frente. –Jennifer disse vendo que as crianças o deixariam ocupado o dia inteiro.

 -Gostaria de se unir a nós.

 -Não acho que precise da minha ajuda. –Comentou pegando Ashley no colo. –Parece que tem tudo sob controle.

 -Mas é sempre bom ter mais alguém para ajudar. –Disse enquanto se aproximavam de um dos habitats.

 Jennifer ainda o acompanhou em parte do passeio ajudando a cuidar das crianças, queria ficar de olho na maior e mais bagunceira de todas elas por garantia. As vezes Michael se empolgava e perdia a noção quando estava brincando e isso havia deixado muitas marcas espalhadas pelo rancho e em sua casa. Por sorte tinham uma boa equipe de manutenção e limpeza para cuidar disso, se não seu casamento teria acabado após sua primeira guerra de comida na sala. Fazer o que? O amava mais do que tudo no mundo mesmo que fosse bagunceiro as vezes, pelo menos as coisas nunca eram chatas ao seu lado Michael era sempre intenso. Os acompanhou por uma parte do caminho antes de voltar para residência principal, tinha que cuidar de alguns detalhes do jantar daquela noite com a equipe. Ao chegar na cozinha notou que já estavam preparando o almoço daquele dia, trabalhando a todo vapor para servir mais de 70 pessoas fora os lanches destes. Dezenas de cozinheiros trabalhavam com absoluta eficiência e organização, sob o olhar atento do cozinheiro chefe que supervisionava atentamente o trabalho. Jennifer se aproximou dele para se informar sobre como iam as coisas e dar as instruções quanto ao jantar do senhor Jackson. Foi quando Melody e Vic entraram na cozinha procurando por Jennifer, aproximaram-se de onde estava sentando junto ao balcão de madeira envernizada.

 -Eu não disse que ela estava aqui? –Melody perguntou se dirigindo a Vic.

 -Alguém precisa manter as coisas em ordem nessa casa. –Jennifer disse puxando um pano sob o cotovelo desta. –E vocês o que fazem aqui? Não lembro de você ter se oferecido para ajudar com os biscoitos.

 -A Mel que está louca para te contar a fofoca e me arrastou para cá. –Vic explicou claramente desinteressada pelo assunto.

 -Ela precisa saber. –Melody alegou. –É de seu interesse. –Completou se dirigindo a Jennifer.

 -E o que aconteceu de tão importante para você vir correndo me contar? –Jennifer perguntou pondo as tigelas com ingredientes dos biscoitos sobre a bancada.

 -Foi apenas a Nancy que acabou de sair corrida do rancho.

 -Essa é uma boa notícia. –Jennifer comentou enquanto a empregada a ajudava a organizar os utensílios. –Só não entendi por que toda essa pressa em me avisar.

 -Você não entendeu ela saiu daqui toda feliz junto com a mãe. –Melody explicou em voz baixa ao se inclinar em sua direção. –E antes as duas estavam cheias de segredinhos no jardim como se estivessem armando alguma coisa.

 -Não tem nada demais em mãe e filhas conversando. –Vic disse em tom de indiferença. –Você está vendo coisa onde não tem.

 -Elas foram embora sozinhas? –Jennifer perguntou se virando para ela séria.

 -Sim o tio Charles está lá na churrasqueira com os rapazes. –Melody respondeu pegando uma uva na fruteira próxima.

 -Faz muito tempo desde que elas saíram?

 -Sim, as duas foram embora uma hora depois que chegaram achei estranho. –Jennifer parou o que estava fazendo ao ouvir isso.

 -Alguém viu o que Nancy fez, enquanto estava na casa? –Melody apenas deu ombros, afinal só as tinha visto conversando de longe no jardim.

 Jennifer sentiu vontade de procurar algum do funcionário para saber mais, mas as suas primas e tias chegaram para preparar os biscoitos e doces natalinos. Aquela era uma tradição entre as mulheres da sua família como as suas receitas e todas levavam esse costume quase centenário muito a sério. Tanto que as mais velhas não deixavam que nenhum doce industrializado, entrar nas suas casas durante as férias muito menos que fossem servidos nestas. Jennifer colocou um sorriso no rosto ao cumprimenta-las mostrando a cozinha, logo cada uma delas pôs um avental antes de tomarem os seus lugares na bancada. Havia no total vinte mulheres ocupando aquela parte da cozinha, deixando o restante dela livre para os funcionários que estavam trabalhando. Começaram a preparar os biscoitos sovando a massa em cima bancada de mármore, enquanto conversavam sobre as decorações que fariam e os sabores destes. Havia um clima tranquilo de alegria e confraternização entre todas que estavam ali, afinal aquele era um momento familiar e nostálgico para cada uma delas.

 -Acha que eles vão gostar dos biscoitos? –Tana uma das mais novas perguntou.

 -Claro que sim. –Vic disse. –Afinal estamos fazendo tudo direito.

 -Eu não sei por que estamos tendo todo esse trabalho. –Uma das adolescentes disse enquanto limpava massa dos dedos. –Por que precisamos cozinhar? Tem uma dúzia de empregados aqui para fazer a comida.

 -Não é a obrigação deles e sim nossa manter a tradição. –Ramona uma tia de Jennifer. –Agora deixa de preguiça e unte isso. –Completou lhe entregando uma forma.

 -Alguém viu a Tônia?

 -Nem fale nela. –Margaret disse enquanto abria a massa com um rolo. –Desde que entrou na vida do meu irmão aquela mulher só trouxe problemas, não sei como Charles aguenta ela.

 Enquanto isso Nancy andava de um lado para o outro em seu quarto de hotel, enquanto Tônia folheava calmamente o caderno que havia pego no rancho. Não fazia a menor ideia de por que sua mãe mandou ela pegar aquilo, muito menos se aquele era mesmo o tal grande livro de que ela tanto falava. Esperava que a Jennifer não sentisse falta daquilo e chamasse a polícia, seria o fim da picada ser presa por causa de um caderno velho e encardido. Queria saber o que aquele caderno tinha a ver com sucesso e riqueza de sua prima e como ele iria ajuda-la a ter tudo que que sempre sonhou para a sua vida. O fato é que estava enfurnada naquele quarto assistindo a sua mãe ler, enquanto Jennifer se divertia com seu marido rico e todos ao redor lhe bajulando. Estava começando a perder a paciência com aquela história de bruxaria e poções, ela devia ter ficado no rancho procurando pelos podres de Jennifer isso sim. Ao invés de trancada no quarto esperando a sua mãe desvendar aqueles rabiscos, com a sorte que tinha descobriria que aquilo era algum livro de receitas.

 -Então? –Perguntou nervosa. –O que tem aí?

 -Calma aquela mulher era quase analfabeta é difícil ler esses garranchos, mas pelo visto você pegou a coisa certa. –Tônia disse segurando o caderno com as duas mãos. –Agora temos como fazer algo quanto as artimanhas de sua prima.

-E o que fazemos agora?

 -Tenha paciência querida primeiro temos que descobrir o que ela fez para desfazer, só então você poderá lançar seus próprios encantos. –Afirmou folheando o caderno.

 -Tem certeza de que isso vai funcionar?

 -Se deu certo para sua prima sem sal por que não daria para você? –Disse observando uma página especifica. –Mas antes vamos precisar de algumas coisinhas para começarmos.

 No cinema Michael assistia ao mais novo filme da Disney com seus convidados, ele sempre fez questão de assistir os lançamentos antes de todo mundo. O que fazia com que ir ao cinema em Neverland algo ainda mais fantástico, afinal sabiam que não veriam os filmes que passavam ali em lugar nenhum. Michael estava sentando com Thomas tentando para mantê-lo na poltrona, o que não era tarefa fácil ele era um garoto travesso que quase não para quieto. Conseguiu ter sucesso em acalma-lo o colocando no colo após muita conversa, enquanto corria os olhos pela sala demais lugares em busca dos outros. Afinal tinha que manter Mac e Anthony na linha pelo seu próprio bem uma travessura e passaria noite resolvendo problemas ao invés de se divertir. Precisava se esforçar para garantir que tivesse alguns momentos a sós com Jennifer, teria sorte se ela não estivesse muito cansada quando chegassem ao quarto. Seu desejo era poder passar uma noite com ela sem nenhuma interrupção, merecia isso era um homem bom que só queria um pouco de carinho da esposa. Só que para isso precisava cuidar para que nada a estressasse aquele dia, caso contrário não conseguiria ter nada dela antes do carnaval do ano seguinte.

 Michael voltou a realidade ao lembrar que não viu Anthony desde o zoológico e não lembrava de ver ele entrando quando chegaram no cinema com as crianças. Olhou ao redor vendo Maria e Jesus estavam sentados a poucas poltronas dali, mas Anthony não estava deles como sempre acontecia quando estavam no rancho. Era só o que lhe falta pensou entregando Thomas para a babá antes de sair, tinha que encontra-lo antes que provocasse uma catástrofe ou coisa pior. O fato era que indiferente de o quanto Anthony fosse crescido e independente, não permitia que ele ficasse muito tempo sem ter a supervisão de um responsável. Além das suas crises de asma que eram um perigo real sem um socorro imediato, também haviam as suas “travessuras” que eram um risco para os demais. Seu medo de que Anthony machucasse alguém era maior que a preocupação com sua saúde, Michael o conhecia melhor que ninguém e saiba do que seu filho era capaz. Isso era errado pais não deviam pensar muito menos sentir assim quanto aos filhos, mas não tinha escolha era parte da sua realidade gostando ou não disso. Precisava cuidar dele e de qualquer coisa que pudesse acontecer por causa dele, por sorte Thomas estava a salvo no cinema junto com a babá. Não tinha tempo a perder precisava acha-lo e ter certeza que estava sob controle, pegou o comunicador entrando em contato com a equipe de segurança.

 -Alo Josh alerte todos os funcionários prioridade máxima, Anthony sumiu.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...