1. Spirit Fanfics >
  2. Pela Primeira Vez >
  3. Quarto de hóspedes

História Pela Primeira Vez - Capítulo 2


Escrita por:


Capítulo 2 - Quarto de hóspedes


Passou uma semana desde que vi Sakura pela última vez. Pensei em talvez pedir seu número para Ino ou Temari, mas por fim decidi que era melhor não, pois eventualmente iremos nos encontrar. E de fato aconteceu. 

Sexta-feira à noite, Naruto chamou alguns amigos para ir até seu apartamento. Óbvio que fui, na esperança de vê-la novamente. Tirei o celular do meu bolso e olhei as horas, vendo que já se passavam das 23h00min e eu ainda não havia visto Sakura. Talvez não tivesse vindo. Talvez esteja muito cansada com o trabalho da semana ou… talvez tenha saído com algum. Esse último pensamento me fez engolir seco. 

Afinal, é claro que ela poderia ter algum namorado. Era extremamente bonita, inteligente e amigável. Ok, posso lidar com isso, com ela estar namorando. 

- Ino, achei que seria poucas pessoas - ouvi a voz de Sakura e virei a cabeça discretamente, a fim de não parecer interessado na conversa delas. 

- São poucas pessoas! - Ino exclamou. 

De fato, não eram poucas pessoas. Havia pelo menos umas 15, nem tinha conhecimento que Naruto tinha tantos amigos assim, mas fazia sentido já que ele era uma pessoa bem carismática. 

- Poucas nada. 

- Relaxa, você tem que ficar se enturmar mais. 

Continuaram conversando, mas, por conta de terem andado em direção a cozinha de Naruto, não consegui ouvir o resto da conversa das duas. Eu sabia que Sakura não se sentia confortável com tanta gente, pois sentia-a tímida. 

Fiquei em dúvida se ia até a cozinha e falava com ela ou se continuava de pé apoiado na parede olhando para esses amigos de Naruto jogar sinuca. Por fim, assim que vi Ino saindo da cozinha sem a Haruno, decidi ir falar com ela. 

Entrei na cozinha vendo-a preparar um copo de bebida. Cheguei perto dela o suficiente para sentir o cheiro de seu perfume e sussurrar o nome dela.

- Oi - falei baixinho, relativamente perto do seu ouvido. 

Vi ela se atrapalhar, assustada com minha abordagem nada discreta. Me repreendi por isso. 

- Sasuke! Oi - exclamou, um pouco mais alto do que o normal. 

Afastei-me um pouco dela, somente para sentar em um dos banquinhos que havia na cozinha de Naruto.

- Desculpe, minha intenção não era te assustar - respondi, sincero. 

- Eu me distraio facilmente. 

- É, já notei isso algumas vezes - ri. 

Sakura parece ficar sem graça, mas mesmo assim pergunta: - Isso significa que repara em mim? 

Confesso que não esperava que fosse tão direta assim, pois, como já disse, a considerava tímida. Foi uma surpresa, mas uma surpresa boa.

- Não imagina o quanto - disse, com a voz meio rouca. 

- Acho que nunca me passou pela cabeça isso. 

- Por que não? 

- Porque… Ah, não sei bem ao certo. O que você poderia reparar em mim? 

- Tudo. - disse. Para mim, a pergunta deveria ser: o que eu não poderia reparar em nela?-  Me admira você não achar que os outros reparam em você. 

Ela pareceu pensar em algo, chegando até a abrir a boca, mas fechando-a novamente, sem falar absolutamente nada. Com medo que caíssemos no silêncio constrangedor, me forcei a pensar em alguma coisa para falar. 

- Eu também já observei você - disse, com a voz extremamente baixa e, se não estivesse de fato concentrado em nossa conversa, possivelmente nem a teria escutado. 

Antes que eu pudesse falar alguma coisa, Ino entrou na cozinha, acompanhada de Hinata, uma morena com olhos extremamente claros e, quase, namorada do Naruto.

- Sakura, essa é Hinata - Ino disse. - Ela é a veterinária de quem te falei. 

- Prazer em conhece-lá - Sakura disse, colocando o copo de bebida em cima do balcão e estendendo a mão para a morena. 

- Igualmente. Ino me disse que adotou um gatinho recentemente e estava querendo castrá-lo. 

- Isso mesmo. 

- Posso te dar um cartão - Hinata mexeu na bolsa pequena em que carregava e tirou de lá papel pequeno. - Aqui tem meu número e endereço, pode passar  lá quando puder. 

- Obrigada, vou assim que conseguir. 

Naruto entrou pela porta, procurando Hinata, convidando-a para uma partida de sinuca. A morena então foi, despedindo-se de Sakura, deixando-nos sozinhos novamente, ou quase isso, já que Ino ainda estava aqui. No entanto, a loira saiu após olhar-me de cima a baixo, com um sorriso pequeno e dar-se conta de que eu estava interessado na sua amiga. Novamente estávamos sozinhos.

- Aqui é muito barulhento - reclamou. E realmente era, a música estava alta e não sabia como os vizinhos ainda não haviam reclamado. 

- Quer ir para algum outro lugar? - perguntei, apesar de ter a certeza que diria não. Sakura na verdade parecia querer ir embora. 

- Pode ser. Sabe algum lugar? 

- Sim - segurei a mão dela, puxando-a para vir junto comigo. 

Guiei Sakura, passando pela sala e vendo a bagunça que estava, para o corredor pequeno que o apartamento de Naruto possuía. Caminhamos por ele até chegar em uma porta no final do corredor, que era o quarto de hóspedes. Já havia dormido aqui algumas vezes. 

- Esse é o quarto de Naruto? - pediu. 

- Não, esse é o quarto de hóspedes. Normalmente quando o Naruto traz todas essas pessoas para cá, ele tranca o quarto - expliquei. 

- Acho que provavelmente faria a mesma coisa. 

Apesar de haver uma cama no quarto, sentei-me no chão, com as costas apoiadas no colchão da cama. Sakura olhou mais um pouco para o quarto e sentou-se do meu lado. 

- Eu trouxe isso, quer? - ofereceu-me uma garrafa de bebida, praticamente cheia, que estava em sua mão. 

Aceitei, tomando um gole generoso e sentindo minha garganta doer. Caralho, aquilo era vodka pura. 

- Acho que eu deveria ter olhado antes de beber - disse, desgostoso e devolvendo a garrafa para ela. 

- Depois de um tempo você acaba se acostumando - disse, bebendo um pouco. - Aqui é realmente mais calmo. 

- Você não parece gostar muito de lugares que tenham muita gente. 

- Eu gosto quando são pessoas que eu conheço, mas aqui, tirando você, Ino, Naruto e, agora, Hinata, não conheço ninguém. Nem vi a Temari por aqui hoje. 

- Acho que estava, não sei ao certo. Não prestei muita atenção. 

- Engraçado, achei que você prestava bastante atenção nas coisas ao seu redor. 

- Correção, eu presto atenção em você. 

Sakura calou-se, mas virou- se olhando para mim. Por um momento achei que iria me beijar, mas só deitou a cabeça no meu ombro. Eu, em busca de mais contato, passei os braços por seus ombros, trazendo-a ainda mais para perto. Senti o cheiro do seu perfume cítrico. É um bom perfume. Muito, muito bom. 

- Ainda estou surpresa que você repara em mim. Acho que nunca notei isso. 

- Acredito que não mesmo - ri, mas fiquei sério. - Sakura? 

- Hum? - respondeu-me e eu afastei-me um pouco dela, somente para conseguir  observar seu rosto.

- Posso fazer algo que tive vontade de fazer durante todo o tempo que estudamos juntos? 

- Sim...

Aproximei-me mais dela, sentindo nossos lábios se encostarem e seus olhos fecharem. Dei um selinho lento e afastei-me um pouco, somente para poder beijá-la de verdade. Nossas bocas encontraram-se, beijando devagar, aproveitando o momento. Uma mão foi para a cintura dela, puxando-a ainda mais (como se fosse possível) para mim. Já a outra mão foi parar em seus cabelos, puxando-os. Senti suas mãos indo para meu ombro e abraçando meu pescoço. Não pude evitar de sorrir com isso, eu estava beijando a Sakura. 

Quando o ar nos faltou, nos afastamos um pouco, mas eu desci a boca para seu pescoço, ansioso. Dei pequenos beijos e chupões, ainda com a mão em sua cintura, puxando-a para meu colo. Sakura veio devagar, sem deixar que eu me afastasse de seu pescoço. Quando estava sentada em cima de mim, com um perna de cada lado, a beijei novamente. 

Não sabia quanto tempo tinha ficado ali, somente a beijando e passando a mão pelo seu corpo, mas quando ouvi batidas na porta, Sakura afastou-se de mim, parecendo dar conta da situação em que estávamos. Saiu do meu colo e sentou-se do meu lado. 

- Sakura? - ouvi a voz da Ino. - Tinha visto você vir para cá… eu estou indo para casa, quer carona? 

- Sim - respondeu, mas ainda sentada no chão. 

Levantou-se e ajeitou a blusa que vestia, dizendo-me: - Até mais, Sasuke - disse, corada e abrindo a porta. 

- Espera, me dê seu número… - antes que eu pudesse concluir, Sakura sumiu com Ino pela porta. 

Encostei a cabeça no colchão da cama, olhando para o teto. Sorri, apesar de tudo. Eu beijei a Sakura.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...