História Pela Segunda Vez - Capítulo 8


Escrita por:

Postado
Categorias Fifth Harmony, Halsey, One Direction, Shawn Mendes
Personagens Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Harry Styles, Lauren Jauregui, Louis Tomlinson, Personagens Originais
Visualizações 32
Palavras 1.878
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), LGBT, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Dois capítulos essa semanaaa!

Esse aqui é especial gente, curtinho mas é narrado pela Lauren!

Aproveitem!

Capítulo 8 - Minha Lua



---------------Lauren--------------


Eu sabia que não conseguiria ficar muito tempo longe de Camila, quase três meses já foi tempo demais, mais do que eu esperava suportar, eu não sei onde eu estava com a cabeça em concordar que isso é o melhor para ela, que seria o melhor para mim. Nem em um milhão de anos isso seria uma ideia viável, eu sempre amei Camila, ela é o meu sol, ela é minha lua, ela é tudo pra mim. 

Eu tentei manter minha parte no acordo, eu tentei, vi ela de longe algumas vezes, mas não tive nenhum contato com ela, uma única vez a deixei que me visse, mas eu precisava disso, precisava sentir o olhar dela.

Mas eu não contava de forma alguma que ela viria até minha casa, isso já foi além da conta, não sei se acredito em destino, mas pra mim foi isso que aconteceu, o destino a trouxe novamente pra mim. E eu não poderia perde- la, não de novo.

Eu me senti eufórica quando a vi na festa, não sabia o que fazer, não sabia se deveria me aproximar, eu sentia que sim, mas sabia que não devia. Na hora eu precisava falar com alguém sobre isso, então liguei pra pessoa que sempre estava comigo. 

Dinah? Que bom que atendeu rápido, ela está aqui Dinah, Chris está dando uma festa e ela veio, está bem aqui na minha casa!

"- Eeii calma Lauren calma. Quem está na sua casa? Camila?"

"- Claro que é Camila Dinah! Quem mais seria?! Eu não sei o fazer... o que eu faço?"

"- Você sabe muito bem o que fazer, sabe muito bem minha resposta pra isso Laur, vai falar com ela."

"- Mas... vai ser meio estranho, ela me viu olhando pra ela no Gelados, não sei, não sei como fazer isso."

"- Pelo que você me disse ela não se lembra de você, aquele dia você foi uma cliente qualquer. Você é a porra da dona desta casa! Não é como se você tivesse perseguindo a garota!"

Não conto a Dinah que na verdade estive sim a "perseguindo" também não conto a ela que eu pedi na frente de Camila exatamente o mesmo suco que ela costumava tomar comigo de manhã, não sei se ela se lembra e se ainda toma isso, não sei nem porque fiz isso ao certo, mas foi uma forma de me sentir próxima a ela. 

"- Certo, eu vou falar com ela, como uma pessoa qualquer. Vou fazer isso."

"- Vai nessa garota."

"- Dinah quando você vem pra cá? Estou enlouquecendo sem você, juro que estou ficando louca sem você!"

O celular fica silencioso por um momento, olho a tela e vejo que a ligação ainda continua, coloco de volta na orelha e a escuto dizer:

"- Eu sei que não consegue viver sem mim Gasparzinho, por isso estou fazendo de tudo pra estar aí o mais rápido possível."

Dinah e eu sempre estivemos juntas, desde o começo do ensino médio ela esteve do meu lado, ela sempre foi super protetora, todo mundo olha para ela e vê uma pessoa forte, sempre alegre e brincalhona. Eu a conhecia bem demais para saber naquele momento que ela sentia tanto a minha falta quanto eu sentia a dela, porém ela não demonstrava isso, ela preferia me confortar.

"- Não vejo a hora disso acontecer."

"- Eu também Laur, queria muito estar com você hoje... feliz aniversário."

Aquela noite quando me despedi de Dinah ao celular, procurei Camila pela festa e não a encontrava, já estava temendo que ela tivesse ido embora, até que a encontrei nos fundos da casa, ela estava no balanço, onde demos nosso primeiro beijo, foi onde senti que era mesmo o destino a trazendo de volta para mim. Ela estava tão frágil, minha vontade era cuidar dela, abraçar até garantir que estivesse bem. Minha Camila, minha Lua.

Levei água pra tentar fazê-la melhorar, me juntei a ela no balanço,  e foi tão bom senti-la novamente em meus braços, por mais que as circunstâncias não estivessem como eu gostaria, foi bom poder cuidar dela, sentir a pele dela denovo, me senti em casa com ela em meus braços. 

"O que aconteceu com você minha pequena?"

Ela estava arrepiada, devia estar com muito frio, e estava muito sonolenta. Tentei ir conversando com ela mas nada parecia adiantar, e ela continuava arrepediada. Eu precisava a levar para um lugar confortável e cobri-la, até se aquecer.

Não estava uma noite fria, mas também não estava uma noite super quente, uma leve brisa soava pelas folhas das árvores, estava fresco. Mas se ela estava passando mal provavelmente sentiria frio. 

Resolvi levá-la para o meu quarto, a coloquei em minha cama e tirei o celular de seu bolso para não atrapalha-la e coloquei na mesinha ao lado. Como a coloquei em cima dos meus edredons fui buscar uma manta para cobri-la, a cobri até o pescoço parecia bem confortável. Tirei os cabelos que caiam em seu rosto. 

E digo baixo mais para mim do que pra ela. 

"- Você vai ficar bem Camila"

E ela diz:

"- Você me fez perder o jogo"

Minha vontade era gargalhar com isso, como pode mesmo sem memória ainda continuar sendo minha mesma Camila? Minha vontade era lhe dar um beijo, porém vou até ela e afago seu rosto, eu queria dormir ao lado dela, mas não achava isso certo, não por enquanto. Então eu a observei por mais um tempinho pra ter certeza de que ia continuar bem, quando vi que ela dormiu profundamente peguei minha leitura da vez e fui para o quarto do meu irmão, eu tinha certeza que ele não ia dormir lá mesmo. E acabei que nem li o livro. Fiquei pensando em Camila e em tudo que tinha acontecido até adormecer. 

Na manhã seguinte acordei bem cedo, meu primeiro pensamento foi que Camila estava dormindo em meu quarto, então assim que abri os olhos fui até lá, abri a porta cuidadosamente, ela ainda dormia, estava com o cabelo todo bagunçado e esparramada na cama, a manta cobria apenas metade de seu corpo. Estava linda. Fui na ponta dos pés e peguei roupas limpas para mim, e fui  pegar a chave reserva do meu quarto na gaveta da cômoda, olhei Camila mais uma vez, coloquei a chave na fechadura do lado de dentro da porta do quarto e a tranquei do lado de fora. Se eu vou sair de casa não quero deixá-la dormindo indefesa com a porta aberta, vai que algum maluco que esteve na festa venha até aqui. Melhor prevenir. 

Fui até o banheiro de Chris, tomei um banho rápido e coloquei minha calça preta e uma camiseta branca.

Resolvi comprar o café da manhã em uma padaria próxima, já que sem condições de preparar alguma coisa em minha cozinha. Fiquei muitíssimo surpresa ao ver Camila chegando na padaria logo após eu ter pegado nossos cafés , ela estava ainda mais linda, os cabelos ainda um pouco bagunçados, e carinha de que acabou de acordar. O destino estava mesmo ao meu favor.

Ela aceitou meu convite de tomar café da manhã, sentamos numa mesinha e conversamos um pouco sobre ontem, ela insistia em saber porque eu a ajudei, eu disse que podia ajuda-la, que era o certo, foi totalmente verdade, só deixei de fora a parte que ela significa muito pra mim para eu ve-la daquela forma e não fazer nada. 

Ela me disse que estava sem memória, senti um pouco de culpa mas agi como se não soubesse disso, o que eu não sabia era o que ela pensava que tinha acontecido para ela perder, perguntei por curiosidade, ela disse que perdeu numa queda de patins, uma baita de uma mentira que a mãe dela deve ter contado.

Brinquei com ela e disse que dormi na mesma cama que ela, isso não posso negar, foi muito engraçado, a cara dela foi demais, impagável, eu precisava contar isso a Dinah, e precisava contar pra Camila um dia, vamos rir juntas de tudo isso como nos velhos tempos. 

Quando eu estava indo embora após ter me despedido dela, ouvi ela correndo até a mim, e me entregou um cupcake me desejando feliz aniversário, e agradecendo por tudo. Porque ela tinha que ser tão fofa assim? Queria tanto um abraço gostoso bem apertado que só pertence a Camila, queria sentir os lábios macios dela aos meus, suas mãos no meu rosto... seu toque. Porém me limitei a me apresentar, e ouvir o nome dela saindo de seus lábios e o aperto de mão parece que só fez eu me apaixonar ainda mais por ela. 

--

Saí do café da manhã com Camila e vim para minha casa, fiquei um pouco no balanço que estivemos ontem mas me sentia eufórica demais pra ficar parada lá dentro. Peguei meu carro e resolvi dar uma volta. 

Peguei a estrada contornando a praia até o lugar que gosto de ficar, geralmente venho ver o por do sol, às vezes  só para ler ou só para pensar enquanto adimiro a paisagem, mas ultimamente tenho vindo bastante, esse lugar me trás paz. Daqui só vejo árvores e a água do mar que se perdendo no horizonte.

Hoje estou aqui novamente, dessa vez pensando mais que o habitual em Camila. 

Foi tão bom tomar café ao lado dela, foi tão bom tê-la em meus braços ontem, conversar com ela. Eu estava com tanta saudade disso, ainda estou com muita saudade, ve-la ontem e hoje foi bom, mas não é o bastante, eu quero mais, eu quero ela, quero ela de volta pra mim. E estou realmente decidida a me aproximar dela, quero sentir seus olhos me olhando com amor, com paixão novamente. Quero poder dizer o quanto a amo, o quanto ela é especial pra mim. 

Mas não sei como fazer isso sem contar a ela toda a verdade, como tudo isso aconteceu, não sei como contar que eu sou a culpada dela ter perdido a memória, que sou a culpada pela morte dos meus pais. Chris diz que a culpa não é minha, não é diretamente minha, mas se não fosse por mim Camila ainda seria minha, ainda lembraria de tudo, e meus pais ainda estariam vivos. 

Chris apesar de tudo ainda tenta me animar, fica do meu lado e me dá apoio, sei que ele está triste, e abalado, por isso fez tantas festas nesses últimos meses, vive tentando ocupar o tempo e tentando ficar feliz fazendo outras pessoas felizes. Ele ama ficar onde as pessoas estejam felizes.

Não sei como consegui passar esse tempo tão difícil sem Camila, sem minha Lua, mas não vou mais ficar assim, eu preciso dela, vou atrás dela, me sinto um pouco egoísta mas não posso acabar desse jeito, sem o meu propósito de vida. Eu preciso dela. 

Só percebo que estou chorando quando me incomodo com uma lágrima escorrendo em minha bochecha, passo as mãos para afasta-la e me levando, vou até meu carro para ir embora.

Enquanto vou dirigindo na pista de volta para minha casa ligo o rádio baixinho para me livrar desse silêncio, abaixo os vidros da janela sentindo o vento contra minha pele, e vou pensando no que vou fazer para conseguir parte da minha vida de volta.

Neste exato momento me sinto mais viva do que tenho me sentido neses últimos três meses, só de sentir isso já sorrio com todas as novas possibilidades. 


Notas Finais


E entaoo como estamos?

Espero que tenham gostado do capítulo no ponto de vista da Lauren, porque vamos ter mais alguns logo mais, e ao que tudo indica por outros personagens também.

Vamos ver.

Até maais!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...