1. Spirit Fanfics >
  2. Pele de borboleta >
  3. Dando uma mãozinha...

História Pele de borboleta - Capítulo 7


Escrita por:


Notas do Autor


Oi pessoal!! Estamos com mais um capítulo dessa fanfic linda, espero que gostem e tenham uma ótima leitura!

Capítulo 7 - Dando uma mãozinha...


Fanfic / Fanfiction Pele de borboleta - Capítulo 7 - Dando uma mãozinha...

Chegando no refeitório, nós pegamos nossos pedaços de bolo e sentamos em uma mesa. Dei uma mordida naquela delícia dos deuses, que realmente poderia ser chamada assim. — Hummm... que delícia, está parecendo aqueles dias que a minha mãe fazia bolo para que eu esquecesse da dor das minhas bolhas — continuei devorando o bolo quando escutei o Shouto falar.

— Você fala essas coisas como se não fosse nada, como consegue? — dei um grande sorriso, respondendo sua pergunta. 

— Não posso me lamentar da minha condição para sempre, preciso conviver com isso todos os dias, e seguir em frente com a vida, por que não lembrar daqueles momentos que tive dor como momentos felizes, reflexivos e até engraçados que tive? — Completei a resposta, comendo mais um pedaço do delicioso bolo.

 

O garoto de cabelos bicolores ficou me olhando com surpresa e riu em seguida. — Você parece a pessoa mais viva que já tive o prazer de conhecer, você é otimista com a vida… é tão estranho, que até parece ter uma aura radiante a sua volta — ele terminou me olhando com admiração, aqueles olhos... lindos de cores diferentes, nunca me acostumei com elogios, então mexi as minhas mãos rapidamente em frente ao meu rosto corado. 

— N-não é bem assim, eu não era sempre assim, na verdade eu era bem deprimido e não era tão otimista assim… se não fosse o All Might, não sei o que teria acontecido… — me interrompi vendo que estava falando besteira, e Todoroki só riu mais, até dar um suspiro de dor. — Calma aí, você ainda não está 100%, precisa descansar bastante para ficar bem, Shou-chan, você não é de ferro — passei a minha mão no seu ombro como um tipo de apoio moral.

 

Foi quando Kirishima e mais duas pessoas que eu não conhecia vieram à nossa mesa. — Oi Midoriya! Poderíamos sentar com vocês? esses são os meus amigos Uraraka e Iida. — eles se apresentaram para nós, até bem animados.

— Olá! Eu sou a Uraraka e esse cara de óculos que parece um robô é o Iida. Você parece legal, queria que pudéssemos fazer uma boa amizade. — o Iida faz alguns movimentos estranhos com as mãos, com uma voz de sermão.

— Ochako! Para de zoar comigo, não está vendo que estamos com o novato? Você deveria dar o exemplo! — a garota de cabelos castanhos ri alto do de óculos, que apenas ajeita a armação, sério.

— Iida, relaxa, até é bom fazer piadas de vez em quando — dou uma risada de toda a situação.

— Hahaha! podem se sentar aqui, tem a minha aprovação, agora só falta o Shou-chan concordar.

 

O Shouto faz um sinal com a mão aprovando também, eles se sentam e continuamos comendo, até o ruivo romper o silêncio com uma pergunta. — Espera aí, você chamou o Todoroki de Shou-chan?! Como você conseguiu ser tão próximo do garoto mais anti-social da sala? Ai! — ele recebe um pescotapa da Ochako. Eu olhei para o lado procurando um jeito de responder a pergunta. 

— Bem… ah... a gente se conheceu na biblioteca e vimos que tínhamos coisas em comum, agora somos amigos, não sei como começamos com os apelidos — o bicolor deu um suspiro de alívio e continuou comendo calmamente o seu bolo, eu e a Uraraka continuamos a conversa. 

— Então Midoriya, notei que você usa um tablet para escrever, achei bem interessante isso, poderia nos explicar melhor sobre? — às vezes cansa ter que explicar sempre a mesma coisa, mas não quero que ninguém fique desinformado. Expliquei tudo para eles e depois partimos para outros assuntos, achei todos muito divertidos e até o Shouto deu algumas risadas com aqueles três.

 

Quando o sinal tocou, fomos para a sala e estudei com foco e dedicação, até a hora da saída. Com o toque da saída, tinha lembrado do trabalho em dupla e antes que o Shou-chan saísse da sala, o chamei. — Espera! Shou-chan, preciso te avisar de uma coisa — o garoto com olhos heterocromáticos parou de andar até a porta e se vira para mim. 

— O que foi Izu-chan? — respondo a sua pergunta.

— A gente tem um trabalho em dupla para fazer, queria discutir sobre isso com você, já que o trabalho é para entregar na segunda-feira — o bicolor revira os olhos, sorrindo.

— Tá bom, a gente poderia ir na minha casa para começar a fazer e tem uma sorveteria no caminho que poderíamos passar antes de chegar lá.

 

Engulo em seco. Nunca tinha visitado a casa de um amigo e não sabia se encontraria o pai de Todoroki. — O-o seu pai vai estar lá?— ele muda a sua expressão tranquila para uma séria.

— Não, eu moro sozinho por causa da escola… então você vai? — dou um pequeno sorriso e suspiro de alívio.

— Ufa… sim, só preciso avisar para a minha mãe e então vamos — ligo para a minha mãe, a avisando de toda a situação e depois de insistir um pouco, consegui sua autorização, comemorando mentalmente por isso. — Pronto, vamos tomar sorvete?

 

Saímos da escola, indo a caminho da sorveteria e chegando lá, já estava pensando no sabor de sorvete que queria, com os olhos brilhando. — Eu acho que vou querer sorvete de creme com morango e você Shou-chan? — o bicolor ficou com uma cara pensativa. Observei atentamente suas reações.

— Hum… eu acho que sorvete de menta com flocos de chocolate — quando chegamos, vi vários sabores diferentes, pareciam todos muito saborosos naquela vitrine, estava parecendo uma criança vendo tudo aquilo, tinha várias famílias aproveitando para comprar e nós também fomos.

 

Eu e o Shouto nos sentamos numa mesa do lugar e apreciamos aquele momento. — Esse lugar é muito bom, Todo-kun. Como você conseguiu achar essa sorveteria? — ele deu um olhar nostálgico para a sorveteria. 

— A minha mãe me levava aqui todo o final de semana, era alguns dos poucos momentos felizes que tive antes de nos separarmos… — de repente os olhos dele ficaram entristecidos, quase lacrimejados e o garoto olhou para mim, não sabia de metade do que tinha acontecido com ele, mas não podia ficar ali só vendo ele chorar, então o abracei, limpando as suas lágrimas.

— Calma… não chore, tente pensar nas coisas felizes e não no que aconteceu depois, olhe para mim e respire, estou aqui não se preocupe...

 

O bicolor olhou para mim, se acalmando, não parecia mais tão triste quanto antes, na verdade o menino de quatro cores deu um sorriso trêmulo e um olhar de esperança para mim, sorri compreensivo e disse: — Que tal, irmos para a sua casa? Acho que vai ser melhor para você Shou-chan — Saí do abraço e estendi a minha mão para ele, Todo-kun pegou nela e fomos para a sua casa, ele não quis soltar a minha mão, então ficamos de mãos dadas o caminho inteiro.

 

Sempre dê sua mão a seu amigo, porque você pode precisar da dele depois...


Notas Finais


Midoriya é um anjinho, também surto com essa fofura.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...