História Pelos caminhos da vingança - Capítulo 22


Escrita por:

Postado
Categorias Batman, Esquadrão Suicida, Mortal Kombat
Personagens Bruce Wayne (Batman), Cassandra "Cassie" Cage, Kenshi, Takeda Takahashi, Tatsu Yamashiro (Katana)
Tags Aventura, Crossover, Dc Comics, Dragão Vermelho, Drama, Katana, Katana (dc), Kenshi, Kenshixkatana, Mortal Kombat, Romance, Samurai, Tatsuo Yamashiro
Visualizações 17
Palavras 1.331
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 22 - Uma nova vida? Talvez.


Dois meses se passaram.

Tatsuo acordou vendo um teto branco sobre si e ouvindo uma sequencia de apitos baixos vindos de seu lado esquerdo. Percebeu que estava com uma máscara de oxigênio e ao se dar conta do que aconteceu ficou um pouco angustiada. Não sabia que dia era e ansiava em saber em que país estava.

Uma enfermeira entrou onde ela estava para ver como estavam seus batimentos cardíacos e sua pressão. Ao ver que Tatsuo havia acordado deu um sorriso foi logo chamar o médico.

O doutor veio, tirou a máscara que estava no rosto de Tatsuo e perguntou:

- Sente alguma dificuldade em respirar?

- Não – Tatsuo respondeu fazendo um sinal negativo com a cabeça.

O médico sorriu e disse:

- Em breve você receberá visita.

- Doutor – Tatsuo o chamou – onde eu estou?

- Você está no hospital das FE aqui nos Estados Unidos. Está a dois meses em coma.

- Por quê? O que houve comigo? – ela perguntou confusa.

Ele respirou fundo, respirou fundo e respondeu:

- Durante a batalha que houve no clã Dragão Vermelho você caiu e bateu a cabeça e acabou entrando em coma.

Então toda a lembrança veio da batalha dentro do clã inimigo e como defendeu Kenshi, mas depois não conseguia lembrar-se de mais nada. O médico percebendo que Tatsuo estava aflita pelo que ele falou pediu para que ela deitasse e disse em seguida:

- Vamos fazer uns exames agora. Repouse um pouco agora, é melhor.

Tatsuo não relutou e voltou a deitar-se e muitas dúvidas latejavam em sua cabeça. Mas sabia que todas seriam sanadas em breve.

▃▃▃▃

Bruce Wayne foi o primeiro a visitar Katana. Ele estava com seu terno preto e chegou sem que ela percebesse, pois estava compenetrada na leitura de um livro.

- Acho que é hora da visita, não acha? – falou Bruce sentando-se em uma cadeira próxima do leito.

- Ah Bruce – disse Tatsuo deixando o livro aberto em seu colo – estou perdida ainda.

- Nunca estive em coma, mas tenho certeza que é uma sensação estranha perceber que você passou dois meses “dormindo”.

- Sim, é horrível. Mas me conte tudo o que aconteceu nesse tempo. E Kenshi? Como ele está?

Eram raras as vezes que Tatsuo viu Bruce sorrir e naquele momento foi incluído nessas vezes. Ela discerniu que estava tudo bem com o espadachim e sentiu seu coração mais aliviado.

- Ele veio todos os dias te visitar e ficava horas conversando com você. Eu podia ver em seus olhos a gratidão que ele sentia por você ter tentado salvá-lo das mãos do grão-mestre, mas ao mesmo tempo eu percebia certa culpa por você estar aqui.

Tatsuo engoliu seco e lembrou-se dos momentos que passou com Kenshi. O beijo na estalagem e o abraço que recebeu pouco tempo antes de chegarem à fortaleza do Dragão Vermelho. Algumas lágrimas escorreram pela maçã de seu rosto e ela as limpou rapidamente.

- Você o ama, não é? – disse Bruce oferecendo um lenço para a japonesa.

Katana fechou os olhos com força, respirou fundo e abriu-os dizendo:

- Eu o amo, Bruce.

Ela nunca imaginou que aquela frase traria a ela paz. Precisava assumir aquele sentimento e vendo tudo o que aconteceu não teve escolha senão assumir o amor que sentia por Kenshi.

Bruce lhe deu um abraço aperto e disse:

- Tem muita gente que quer te ver. Vou sair para que eles possam ver você.

Antes de ele sair, Tatsuo segurou a mão de Bruce e disse:

- Que bom saber que está tudo bem.

- Fico feliz que tenha sobrevivido.

Assim que ele saiu. Ela viu Kung Lao na porta com uma rosa na mão e ao lado dele estava Kung Jin. Tatsuo não acreditou no que estava vendo e abraçou Lao, depois Jin.

- Não sabe como estou feliz em ver vocês junto. – ela disse com as mãos postas como se fosse rezar.

Os dois riram.

- Depois que Bruce me disse sobre a dor de cabeça que você teve – disse Lao se sentando – fiquei mal, pois sabia o motivo e daí logo procurei as FE.

- Você não tem noção como todos ficaram ao ver o meu primo de volta – falou Jin como uma visível comoção na voz.

Tatsuo pegou a rosa de Lao e disse:

- Eu imagino. Queria estar lá para ver e digo que foi a melhor que coisa que você fez, Lao. E como vai fazer agora?

- Vou continuar trabalhando onde eu estava. – Lao abraçou de lado o seu prio -  Mas não vou perder o contato com meus amigos e principalmente com a minha família.

Uma forte lembrança de Sheng lhe veio a memória. Não sabia se era bom comentar o que aconteceu, mas provavelmente ele já sabia o que havia acontecido. Respirou fundo, colocou a mão sobre a de Lao e disse:

- Fico feliz com a sua decisão.

- Obrigado. Você me fez esse favor.

Os dois se despediram e foram embora deixando Tatsuo sozinha no quarto. Pegou o livro e retornou sua leitura, mas algo estava lhe incomodando. Onde estava Kenshi? Ela olhava para porta e esperava que ele viria após Lao e Jin. Começou a rir sozinha e disse para si mesma:

- Ele deve estar ocupado demais, ou nem ficou sabendo que eu voltei.

Não demorou muito para que uma enfermeira aparecesse em seu quarto. Quando Tatsuo a viu perguntou:

- Tem mais alguém para me visitar?

Ela veio até mim com o medidor de pressão e disse colocando-o em meu braço:

- Hoje não. É que também já acabou o horário de visitas.

Não satisfeita com a resposta da enfermeira perguntou:

- Você sabe se Kenshi está por aqui?

- Kenshi, Kenshi... é um espadachim cego, certo?

Tatsuo fez um sinal afirmativo com a cabeça e a enfermeira respondeu:

- Ele está viajando, só volta semana que vem.

- Ah...

Era visível a decepção no rosto de Tatsuo. Estava com saudade dele e sentia que aquele seria o momento ideal para isso. Mas ela tinha que esperar, só uma semana, apenas uma.

▃▃▃▃

Depois que Bruce assinou sua alta, Tatsuo foi encontra-lo na porta do quarto já pronta.

- Está com tanta pressa de sair? – perguntou Bruce querendo rir.

- Não aguento mais ficar presa nesse lugar.

Enquanto desciam as escadas, o coração de começou a ficar inquieto, pois não via Kenshi desde a batalha no clã Dragão Vermelho. Ela queria afastar o pensamento de que o espadachim não gostava mais dela ou algo parecido. Quando ela respirou fundo Bruce logo percebeu e perguntou:

- Está tudo bem?

Katana deu um sorriso sem graça e respondeu:

- Sim.

Chegaram enfim a portaria. Bruce não poderia ir acompanha-la até seu apartamento, pois tinha uma reunião na empresa, mas pediu que um de seus motoristas a levasse. De fato o carro, um Chrysler preto, estava a sua espera. Antes de ela entrar no carro Johnny gritou pedindo que esperasse e ela assim o fez:

- Tatsuo – falou Cage um pouco ofegante – muito obrigado por ajudar Kenshi e Takeda. Essa missão era muito importante para eles e você foi fundamental para que ela se realizasse.

- E eu sou grata a você por me fazer conhecer pessoas incríveis.

Yamashiro estava sendo sincera, principalmente por se tratar de Kenshi. Johnny a abraçou e disse:

- Pode vir no visitar quando quiser, só me avise antes.

- Pode deixar.

Johnny se despediu e ela entrou no carro. Quando o veículo começou a entrar em movimento ela sentiu seu celular vibrar na bolsa. Ela o desbloqueou e era uma mensagem:

Tatsuo,

Não sabe a alegria que fiquei ao saber que você saiu do coma. Cheguei agora pouco e quero muito te ver. Reservei uma mesa em um restaurante no centro de Gotham para jantarmos essa noite. Se quiser ir me responda o mais rápido que puder. Com amor, Kenshi.

Tatsuo sorriu, abraçou o celular e respondeu a mensagem:

Eu irei com certeza.

FIM


Notas Finais


Sim,muitos não acreditam, mas acabou e eu ainda sem crer que eu terminei uma fanfic que quase desisti de escrever. Quero agradecer a todos que me apoiaram e me incentivaram a continuar. E que possamos nos encontrar em outras aventuras. Obrigada por tudo. Até mais!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...