1. Spirit Fanfics >
  2. Pepita de Kryptonita >
  3. Capítulo 4; Enjôos, Homem de aço, Novo emprego

História Pepita de Kryptonita - Capítulo 5


Escrita por:


Notas do Autor


Oiê! Como vcs estão!? Bem? Mal? Me falem, amo interagir com vocês!!

Antes que vocês digam: Nossa, essa Fanfic está indo rápido demais!!

Pau no seu CU! Se não agilizar nada acontece! Desculpa... TPM

Voltando, espero que gostem, fiz com muito carinho esse capítulo.

Boa Leitura!

Capítulo 5 - Capítulo 4; Enjôos, Homem de aço, Novo emprego


Fanfic / Fanfiction Pepita de Kryptonita - Capítulo 5 - Capítulo 4; Enjôos, Homem de aço, Novo emprego

3 Semanas Depois

Kalyna Lokwood

Essa era a minha vida agora. Acordar, comer e botar tudo para fora no momento seguinte. Jena segurava um pano úmido nas mãos e afastava os fios de cabelo do meu rosto. Eu me sentia péssima já fazia semanas. Nada parava em meu estômago e eu tinha tonturas constantes.

— Eu vou te levar ao médico, Kaly — Jena disse. Seus olhos transbordavam preocupação e suas mãos tremiam — Isso não é normal — Apertei sua mão de leve e dei um sorriso fraco.

— Isso é só uma virose, Jena — Suspirei. Limpei a boca e me olhei no espelho — Daqui a pouco eu já estarei melhor! — Tentei tranquiliza-la

— Você acaba de quase desmaiar dentro do banheiro! Seu café está dentro do vaso — Apontou. Sua respiração estava irregular — Você vem repetindo que vai melhorar já faz três semanas! Até agora eu não vi nenhuma melhora, pelo contrário.

— Se amanhã eu não melhorar, prometo que irei ao médico! — Me rendi. Jena mordeu o lábio inferior e concordou.

— Você quer um pouco de água!? — Ofereceu. Neguei.

— Não! Eu estou atrasada para o meu primeiro dia de trabalho — Vibrei, felicidade escorria de cada palavra.

— Você não acha melhor ficar em casa!? Eu fico preocupada em te manter longe de mim nesse estado — Apertei suas bochechas.

— Não se preocupe. Eu estou bem! Você vai ver, o médico vai falar a mesma coisa que eu estou te dizendo a dias — Fui sincera.

Jena me olhou analítica e relaxou.

— Eu já vou indo — Fui até o quarto com Jena em meu encalço e peguei a minha bolsa — O planeta diário me aguarda — Sorri genuinamente. Jena balançou a cabeça e me abraçou.

— Tenha um bom trabalho. Se acontecer algo, me ligue! Vou estar no escritório hoje e só volto até às oito — Assenti. Jena era advogada, a melhor de Metrópolis. Tinha um escritório próprio e, como todos diziam, ganhava qualquer causa.

— Não se preocupe. Qualquer coisa, eu ligo para a super Jena!! — Falei, extasiada. Peguei as chaves do carro e mandei beijinhos no ar para Jena, antes de sair do apartamento.

Enquanto eu percorria as ruas de Metrópolis, uma rajada cortou o céu. As pessoas gritaram extasiada e aplaudiram aquele que tanto chamam de herói. Superman sorriu. O S em seu peito mostrava toda a sua grandeza e o identificava como um deus. Por plena curiosidade, me atrevi a colocar a cabeça para fora do carro e olhar aquele que todos veneravam.

Como um impulso, meu carro foi jogado para frente e eu agradeci pelo cinto de segurança. Olhei para trás e o motorista que lamentava silenciosamente.

— FILHO DA PUTA! — Berrei ao sair do carro e encarar o estrago feito na lateral do automóvel.

— Me desculpa, moça. Eu sinto muito, eu estava olhando para o... — Ele apontou para o Superman, perdendo a fala.

— Mas que porra! Você não presta atenção!? Meu Deus, o meu carro!! Quem é que vai pagar o conserto!? O Superman!? — Indaguei, furiosa.

— Me passa a sua conta bancária, talvez eu possa resolver — Meus pelos se enrijeceram e eu me pus a me virar calmamente para encarar o dono daquela voz.

O herói que todos veneravam me olhava com um sorriso sacana no rosto. Sua pose exalava superioridade e o seu tom, malícia.

— Então anote aí! — Fui curta e grossa. Não ia me deixar intimidar, mesmo que esse homem possa me quebrar em duas.

— Sou todo ouvidos — Estreitei meus olhos diante da sua fala. Uma aglomeração de pessoas se formou. Pessoas tiravam fotos e faziam vídeos, tapei o meu rosto e chequei o horário no celular.

— Eu não tenho tempo para isso! — Me virei para o homem que havia batido no meu carro — Você tem algum cartão!? Uma forma de eu me comunicar com você para conversarmos sobre isso!? — Apontei para o amassado. O cara ainda olhava para o Superman, que estava atrás de mim. Estalei meus dedos em sua frente e o tirei do maldito transe.

— Tenho sim — Ele retirou o cartão de um dos bolsos e me deu, ainda desnorteado com o herói de outra terra. Me virei para o Superman e dei um sorriso forçado, adentrando o carro e dando partida o mais rápido possível. Eu estava atrasada e acabara de trocar palavras com o Superman, esse era definitivamente o dia mais louca da minha vida!

(...)

Eu estava no setor do RH. Minhas mãos suavam e tremiam. A ansiedade me atingiu quando eu me sentei na frente do chefe do setor.

— Não temos muito do que falar, então eu serei breve! — Sorriu — Você foi admitida e, pelo que vejo, já está com o crachá do setor de notícias esportista — Apontou — Eu tenho que me desculpar. O setor de esportes está passando por uma reforma, então todos os empregados tiveram que fazer uma fusão. Você estará no...— Ele olhou nos papéis — décimo oitavo andar.

Respirei fundo. Contei uma, duas e três vezes e suspirei.

— Décimo oitavo andar!? Com o Clark Kent, Lois Lane e todos os outros repórteres importantes!? — E Clark Kent!? Voltei a repetir na minha cabeça.

— Sim! Olha, já estamos indo bem. Você já conhece os seus novos colegas de trabalho. A minha secretária irá levá-la até a sua nova mesa e o seu novo chefe. Você receberá as ordens de quais matérias cobrir e, bom, será tudo como a senhorita já sabe! — Ele sorriu. Retribuí com certa tensão.

Acompanhei a secretária e fui apresentada a todos os meus colegas. Me sentei na minha mesa e observei todas aquelas pessoas correndo de lá para cá, conversando ao telefone e ligada em três monitores onde passava noticiários. Eu odiava o setor de notícias mundiais, por isso desisti de tentar essa carreira e segui a esportiva. Sempre fui muito ligada e vidrada em olimpíadas, fotbool e entre outros esportes por causa dos meus irmãos. Vivi rodeada de coisas masculinas e, na primeira oportunidade que eu tive de escolher o setor esportivo, eu agarrei-me fortemente.

— Parece um pouco perdida! — Minha coluna tensionou. Adotei uma postura ereta e me virei para encarar Clark Kent.

— Oi — Cumprimentei, um pouco abatida. Meu rosto estava corado e eu desejava internamente me esconder debaixo da terra.

— Não sabia que era repórter. Na verdade, eu não sei quase nada sobre você desde a última vez que nos vimos...— Um sorriso sacana brincou nos lábios de Clark e eu senti em meu íntimo que aquele sorriso era familiar. Afastei tais pensamentos e mordi o lábio inferior.

— Sou do setor de esportes. É o meu primeiro dia! Se lembra daquela promoção de qual havia te falado!? — Ele assentiu. Dei de ombros e gesticulei — Então... Eu sou a mais nova contratada do planeta diário! — Sorri, tímida. Ele me acompanhou.

— Fico feliz por você. Aqui é ótimo, as pessoas são muito amigáveis e o planeta diário é o maior jornal de Metrópolis — Ele ajeitou os óculos, ficando mais gato — Gosto de saber que te verei todos os dias. Me traz boas lembranças. Se precisar de qualquer coisa, pode falar comigo, estarei a sua disposição...

Meu corpo se arrepiou e eu fiquei sem reação. Clark acenou e se retirou, se sentando em uma mesa um pouco mais longe da minha.

— Senhor, tira toda essa minha vontade de dar para esse homem de novo — Sussurrei. Olhei para Clark e ele mantinha um sorriso malicioso nos lábios, como se pudesse ouvir cada palavra minha.

Uma mulher passou ao meu lado, o cheiro de essência de morango adentrou as minhas narinas e a ânsia me dominou. Me levantei rapidamente e segurei firmemente aquela vontade de vomitar. Quando fiquei longe de olhares alheios. Corri até o banheiro e coloquei tudo o que eu havia comido para fora.

O meu celular apitou e eu atendi. Era Jena.

— Oi gata, está tudo bem!? — Jena soava tranquila e preocupada ao mesmo tempo, sua voz tinha certo tom de urgência. Me sentei na tampa do vaso e respiro fundo.

— Mais ou menos. A que devo a honra da sua ligação!? — Dei um sorriso, um pouco atordoada.

— Acho que sei o que você têm! — Meu semblante mudou. Agora eu estava curiosa — Vou sair cedo do escritório hoje. Te encontro no apartamento. Tchau.

A linha ficou muda. Não pude contestar ou fazer quaisquer pergunta. Olhei para o telefone e o guardei no bolso da calça.

O que Jena acha que eu tenho!? Isso é só uma virose! Não é...?


Notas Finais


Gente!! Eu morro de rir da Kaly. Que vergonha, imagina quando ela descobrir que o Clark consegue ouvir até os batimentos do coração da coitada!? 😂😂😂😂 Vou rachar o bico.

Iai!? O que vocês acham? Será que a Jena sabe realmente o que a Kaly tem? Ou será que é só uma “virose” 😂😂 Parece eu indo no SUS. É só uma virose, eles dizem...

Pois bem, não se esqueçam de favoritar, comentar, votar e me seguir.

Xoxo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...