1. Spirit Fanfics >
  2. Pequenos Detalhes(Revisada e Editada) >
  3. Capítulo 36

História Pequenos Detalhes(Revisada e Editada) - Capítulo 36


Escrita por:


Capítulo 36 - Capítulo 36


Sábado, 23/07/2016.

[...]

Depois de ficar um pouco com Milena e Patrícia na sala, Felipe chegou e foi para o quarto da Bruna. Aproveitei a oportunidade e subi para o quarto de um certo loiro de cachos emburrado. Daniel estava estirado na cama com fones de ouvido e olhos fechados. Cheguei perto dele e distribui beijos pelo seu rosto e tirei os fones dele.

- Vai lá com minha mãe e a Milena. - Falou emburrado.

- Sério mesmo que você ficou chateado?

- Não, claro que não… - Ele revirou seus olhos.

- Tá carente amor? - Ele assentiu e eu me aconcheguei ao seu lado na cama. - Agora tô aqui com você, está bom assim?

- Não. - Resmungou.

Dei um selinho nele. - E assim? - Voltou a negar, beijei-o. - E agora?

- Quase... - Quando me dei conta já estavamos em um beijo intenso, que não demorou a ser interrompido por batidas na porta.

- Daniel e Julie, saiam logo daí. Todo mundo já chegou. - Disse Bruna aparentemente bem ansiosa para o desfile, afinal ela e Camille adoram moda.

Chegamos no zoológico e um programa que deveriamos fazer juntos virou um caos. Camille, Bruna e Lucas foram para o desfile do Victoria Secret's , enquanto Matheus, Felipe, Daniel e eu fomos visitar os animaizinhos. Ficamos de nos encontrar às quatro horas para ver o show juntos.

[...]

O show estava demais, varias bandas legais já passaram: Strake, NxZero, Malta. Já passavam das sete da tarde e eu estava começando a ficar cansada. Chamei Daniel para irmos embora e ele concordou, nos despedimos do pessoal e fomos para a casa dele.

Quando chegamos, a família toda estava na sala de jantar. Pensei em parar para cumprimenta-los, mas Daniel me puxou tão rápido para as escadas que acho que eles nem perceberam nossa presença na casa. Entramos no seu quarto e ele trancou a porta atrás de si.

- Por que fez isso? - Perguntei cruzando meus braços.

- Não queria correr o risco da minha irmã te roubar de mim de novo. - Falou me abraçando pela cintura e começando um beijo.

- Ciumento. - Disse ao colocar minhas mãos em sua nuca.

- Não sou ciumento. Só cuido do que é meu.

- Você é um bobo mesmo. - Falei entre os beijos.

- Eu te amo. - Falou enquanto me conduzia até a cama. Nós deitamos sem parar os beijos e as carícias.

- Eu também te amo, Dan. - Falei. Daniel estava por cima de mim, fazendo eu entrelaçar minhas ,pernas em seu corpo.

Ele se ajoelhou me puxando para si, me fazendo ficar ligeiramente sentada e podendo, assim, tirar minha blusa. Voltou a me deitar na cama e foi minha vez de me livrar de sua camisa. Daniel desceu seus beijos para o meu pescoço e seguiu por todo o corpo até chegar no cós do meu short, mas antes que pudesse tirar, puxei-o de volta para um beijo.

Inverti nossas posições, ficando em cima dele. Pude sentir o volume em sua calça. Beijei-o e dei leves mordidas em sua orelha, arrancando suspiros do loiro. Rebolei em seu colo, dessa vez, roubando um gemido rouco dele. Depois desse ato, ele retomou o controle voltando a ficar por cima de mim, lhe dei um sorriso malicioso.

Quando notei já estavamos apenas de roupas intimas. Daniel roçava seu membro em mim e falava coisas românticas e safadas no meu ouvido, me deixando completamente louca de desejo. Não demorou muito para o loiro se livrar da minha lingerie cor de vinho. E para não ficar pra trás, também tirei sua cueca box preta.

- Você é a melhor coisa que já me aconteceu. - Ele simplesmente falou no meio de tudo aquilo, como se não pudesse proseguir com seus atos se não falasse.

- Eu vou te amar para sempre, não importa o que aconteça. - Falei e então o senti dentro de mim ao mesmo tempo que nossos lábios se tocaram.

Estávamos em uma sincronia perfeita. Daniel começou a dar intensidade aos seus movimentos me fazendo pedir cada vez mais pelo seu corpo colado no meu. Trocamos de posição, fazendo-me ficar por cima dele novamente. Ele segurava minha cintura com uma mão para me ajudar nos movimentos e com a outra apertava firme minha coxa para demonstrar o prazer que sentia. Minhas mãos estavam em seu peitoral e, conforme o prazer aumentava, as deslizei para baixo, arranhando todo seu abdômen.

Trocamos mais uma vez de posições. Ficamos nisso por mais algum tempo até que chegamos ao ápice juntos e nos deitamos. Um ao lado do outro exaustos. Dei um rápido beijo nele e me deitei em seu peitoral.

- Dorme aqui. - Pediu o loiro enquanto acariciava meus cabelos. - Peço pra minha mãe falar que foi a Bruna ou a Milena que pediu.

- Não precisa, amanhã me resolvo com meu pai. Eu durmo aqui hoje. - Sorri para ele, sendo retribuída em seguida. - Mas agora preciso de um banho.

- Precisamos. - Falou dando risada e logo em seguida me puxando para o banheiro.

Tomamos banho juntos, mas nada aconteceu. Apenas um beijo ou outro. Ele pegou uma roupa da Bruna para me emprestar e descemos para comer alguma coisa. Não demorou para Bruna chegar com Felipe. Disse que o resto do pessoal tinha ido embora, mas que queria ficar com o namorado mais um pouco. Ficamos os quatro assistindo filme. Antes de ir dormir, mandei mensagem para Natália, pedindo pra ela me encobrir essa noite.

Domingo, 24/07/2016.

Acordei com um péssimo humor, sabia o que esse dia me aguardava e não estava nem um pouco contente com isso. Enquanto estive com Daniel, tentei disfarçar ao máximo, e tentei ir para casa o mais rápido possível. Cheguei em casa e a família estava reunida para o café. Tentei passar despercebida mas não funcionou.

- Não vai tomar café filha? - Perguntou meu pai antes de tomar um gole de seu café.

- Não, estou sem fome. Só vim pegar uma coisa na sala mesmo. - Tentei disfarçar.

- Ainda não melhorou do enjôo? - Perguntou Helena com um semblante preocupado.

- Enjôo? - Estava confusa.

- Natália disse que você não veio jantar por conta de um enjôo. - Explicou ela.

- Era mentira? - Perguntou meu pai já desconfiado.

- Não, só não sabia que ela tinha avisado vocês. - Inventei qualquer coisa. - Afinal, pedi para não fazer isso.

- Eles me perguntaram onde estava. Queria que eu dissesse o que? Que estava com seu namorado? - A loira que até agora se manteve calada falou, brincando com a verdade.

- Eu vou pro meu quarto. Como já sabem não estou muito bem, então me deixem sozinha. - Informei antes de subir as escadas.

[...]

- Agora não tem mais volta, Natália. Você vai ter que fazer.

- E se ele perceber que é armação? - Perguntou nervosa.

- Ele não vai saber. Fica calma e seja a Natália de sempre.

- Ou ele vai desconfiar, ou não vai dar certo. Eu não posso seguir com isso.

- Eu já mandei a mensagem pra ele, em menos de cinco minutos ele vai chegar aqui. Então pega esse celular, desce e faz o que combinamos. Você sabe o que está em jogo.

- Ok, eu vou. - Suspirou.

~~POV Daniel on~~

Recebi uma mensagem do celular da Julie dizendo que tinha uma emergência e isso me deixou mega preocupado. Fui em desparada para a casa dela. Quando cheguei, quem me atendeu foi Rita, a faxineira.

- Oi eu vim ver a... - Interroumpeu-me.

- Eu sei, a menina te espera no escritório. - Falou ao dar passagem para eu seguir meu caminho.

- Julie, eu... - Comecei ao entrar no escritório, mas então vejo que não é a Julie. - Natália? O que está fazendo aqui? Cadê a Julie?

- O que você está fazendo aqui Daniel? - Perguntou se levantando da cadeira giratória.

- A Julie me mandou uma mensagem e a Rita disse que ela estaria aqui.

- Essa mensagem? - Perguntou mostrando o celular da Julie.

- Foi você quem mandou? - Perguntei confuso. - Mas por que está com o celular dela?

- Ela saiu e esqueceu. Aproveitei para te chamar aqui.

- E por que não fez isso do seu celular? - Ela já estava me deixando sem paciência.

- Não é óbvio? Você nunca viria se soubesse que era eu. - Falou como se estivesse triste. Só que conheço bem seus teatrinhos.

- Tudo bem. - Falei cruzando meus braços e a encarando. - Estou aqui agora. O que você tanto quer me falar?

- Que eu sinto sua falta. - Não podia acreditar no que eu estava ouvindo. Ela se aproximava de mim enquanto falava. - Eu nunca fui um exemplo de namorada, mas eu te amei, Daniel. E ainda te amo.

- Você só pode está de brincadeira comigo. - Me virei de costas para a loira e soltei uma risada indignada. Senti ela tocar meus ombros.

- Não é brincadeira, nem mentira Daniel. Eu sei que errei. Mas estou aqui pra consertar isso.

- Você está.... - Antes que eu pudesse falar qualquer coisa ela me puxa para um beijo completamente forçado.

Por ela ter me surpreendido com esse ato, demorei um pouco para conseguir similar o que acabara de  acontecer. Mas quando estava prestes a empurar a louca da Natália para longe de mim, ouço uma voz que me surpreende mais ainda.

- Por favor, me diz que isso não está acontecendo. - Julie nós olhava da porta já em prantos.

- Julie, não é... - Ela me interrompeu.

- Por favor não termina essa frase. Você não sabe o que eu penso ou deixo de pensar. - Disse a morena.

- Pensei que tivesse saido. - Falou Natália na maior cara de pau.

- Esqueci meu celular, sua traíra. Não acredito que confiei que você tinha mudado.

- Nunca falei que mudei. - Falou deixando-me a sós com a moça em lágrimas.

- Julie, por favor. Deixa eu explicar. - Pedi tentando abraçá-la.

- Não tem o que explicar. - Falou se afastando cada vez mais de mim. - Eu quero que você fique longe de mim.

- Eu não posso. Eu te amo! - Cada vez mais suas lágrimas aumentavam.

- Eu não consigo mais. Depois do que eu vi, não consigo acreditar nas suas palavras. - Meu mundo estava desabando aos poucos e eu nem me dei conta. - Acabou!

- Você não pode falar que acabou. - O desespero me tomou. - Não depois de tudo o que vivemos e de tudo o que passamos pra conseguir ficar juntos.

- Me deixa sozinha! - Pediu depois que parou de chorar, da forma mais serena e séria possível.

- Eu vou, mas ainda vamos conversar. - Falei olhando em seus olhos, que insistiam em desviar dos meus. - Quando você se acalmar e deixar eu me explicar.

Ela não disse mais nada. Sai de lá e fui rumo a minha casa. Não estava acreditando no que acabou de acontecer. Eu estava nervoso e preocupado, peguei meu celular e liguei para Bruna.

~~Ligação on~~

- Oi anjinho.

- Você não faz ideia do que acabou de me acontecer...

[...]

~~POV Daniel off~~

CONTINUAÇÃO.....



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...