História Pequenos Grandes Segredos (Camren) - Capítulo 11


Escrita por:

Visualizações 84
Palavras 1.174
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Fluffy, Hentai, LGBT, Literatura Feminina, Luta, Magia, Mistério, Orange, Poesias, Policial, Romance e Novela, Sobrenatural, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Pansexualidade, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


olaaaaaa
vamos pra mais um episódio

Capítulo 11 - CAPÍTULO 10 - o estupro...


Fanfic / Fanfiction Pequenos Grandes Segredos (Camren) - Capítulo 11 - CAPÍTULO 10 - o estupro...

[...]

-Po-Por favor pare, eu não quero! - disse assutada

Aquela figura estava tentando tirar a minha calcinha, mas estava me esforçando o máximo para ele não penetrar o pênis dele em mim.

-Ja chega! Por favor, já disse que não quero!

Foi tarde, ele conseguiu tirar a minha calcinha e penetrar seu órgão no meu. Quando o mesmo colocou eu apenas travei, não consegui  me mecher, respirar, muito menos falar! Foi quando ele aproveitou meu estado e me virou de costas e começou a penetrar mais forte e rápido.

Naquele momento eu me senti morta, sem sentimentos, sem reação, eu apenas chorava, nem  me esforcei para pedir ajuda, pois estava claro que ninguém iria escutar.

Eu chorava, chorava e chorava, naquele momento senti que apenas tinha lágrimas dentro de mim, mais nada, apenas lágrimas. Não sentia nada, parecia que não tinha sentimentos, nem ouvindo eu estava.

Quando o indivíduo estava preste a ter um orgasmo, nos ouvimos barulho de sirenes que provavelmente era da polícia.

Quando estava um pouco sã, ouvi ele falando "merda", quando ele falou isso, tirou seu órgão do meu, se levantou, vestiu suas roupas e saiu correndo daquele lugar escuro e silencioso.

Eu fiquei naquele chão frio, chorando, mas voltei para realidade, se eu não saísse de lá, minha mãe iria descobrir o meu verdadeiro emprego, como ela iria reagir a isso? Não gosto nem de pensar.

Então fiz, consegui me levantar, mesmo me sentindo fraca, coloquei meus sapatos, que antes era salto alto, e fui embora, com a maquiagem borrada, chorando e fraca, e muito, muito, traumatizada.

Durante o caminho de casa, todos ficaram me encarando, ouvi algumas coisas, tipo, se perguntado o que tinha acontecido comigo, me culpado por causa de minhas vestimentas, uns riam, e eu apenas os ignoravas.

Quando cheguei em casa, abri a porta, e vi que minha mãe estava na cozinha e aproveitei a oportunidade e subi as escadas para ela não ver meu estados, mas no meio do caminho ela veio e chamou meu nome assutada.

-CAMILA! FILHA! O QUE ACONTECEU? -disse ela subindo as escadas e me abraçando

-Mae, aconteceu uma coisa horrivel comigo - quando ela me abraçou, comecei a chorar a falar.

-O que filha? O que aconteceu? - disse ela chorando .

-Eu fui estuprada por um homem com uma máscara de porco.

-Uma máscara de porco? Oh meu Deus! Minha filha, eu sinto muito!

-Eu também mãe, vamos na delegacia, por favor!

-Vamos sim! Apenas ss arrume e leve a roupa como prova.

-Ok, muito obrigada por estar comigo nesse momento!

-Eu vou estar sempre com você, Camila!

Nos abraçamos e fui para meu quarto trocar de roupa, ainda chorando, mas fui. 

Quando estava saindo de lá, meu celular toca, era uma mensagem daquele número desconhecido. Estava dizendo:

"Sinto muito por isso, Camila, mas eu estava planejando algo e tive que fazer essa ação! E vi que vai para a polícia, se fosse comigo eu também iria, ah, e tem uma surpresinha lá para você!

-S"

Então quer dizer que foi ele? "S" é um homem? Como ele sabia que estava indo para a polícia?  Eu estou sendo observada? Bom isso não importa, estou pronta e estou indo para a delegacia fazer um boletim de ocorrência.

*QUEBRA DE TEMPO*

Eu e minha mãe chegamos lá e na porta uma mulher de pele escura e cabelos cacheados nos atenderam e perguntou:

-Ola, boa noite, qual é o problema?

Eu não queria falar pois eu estava com uma vergonha enorme, se pudesse eu enfiava minha cara no chão e ficava ali por um longo tempo, então olhei para minha mãe e ela já entendeu o recado.

-Bom, ehhh... Minha filha foi estuprada, quando estava vindo do trabalho para nossa casa.

-Ah, sinto muito, venham, vou  dar uma senha para vocês, para o depoimento, tudo bem?

-Tudo sim -disse minha mãe- muito obrigada!

Durante a espera da chamada de minha senha, percebi que não era apenas eu que fui vítima de um estupro, em outra fila tinha uma menina de pele clara, magra, cabelos escuros e longos, chorando, e ouvindo uma pessoa, provavelmente seu pai, falando que se ela estivesse com uma roupa "descente'' nada disso teria acontecido. Me doi saber que a menina tem um pai tão machista assim.

Até que enfim, minha senha foi chamada, fomos para um balcão que tinha um homen carega e branco atendendo.

-Ola, boa noite, qual foi o problema?

-Boa noite, bom, minha filha foi estuprada essa noite durante o caminho de nossa casa.

-Oh Deus -disse ele- esse mundo está perdido! Bom, qual é o nome da senhora? E de sua filha.

-Meu nome é sinu cabello, e da minha filha é Camila Cabello, ela tem 17 anos.

-Pronto, pegue esses papéis e leve na sala 11, a delegada Lauren vai querer falar com vocês duas.

Lauren, aquele nome me chamou atenção, eu tinha uma amiga quando pequena em Cuba chamada Lauren, ela era muito legal, mas acabou se mudando para um lugar que não lembro o nome, sinto falta dela.

Entramos na sala e uma mulher, que provavelmente era a Lauren, estava de costas sentada em sua caldeira que provavelmente custou muito caro. 

Ela se virou e o que eu vi me deixou paralisada, uma mulher muito bonita, branca e com belos olhos verdes, parecendo cores de esmeraldas brilhantes, ela parecia ser fria, não se importar com as coisas, queria saber mais coisas sobre ela.

-Sim? -disse ela seca e fria-

-É, viemos aqui fazer um boletim de ocorrência e falaram para entregar esses papéis a você -disse minha mãe dando a ela os documentos -

Ela leu aqueles papéis e depois me encarou e disse:

-Sinto muito pelo ocorrido, senhorita Cabello, -disse arrogante, parecia o jeito dela- mas vou precisar fazer algumas perguntas, primeiramente, onde foi o ocorrido?

-Foi em uma viela escura que fica do lado da rua de minha casa, era escuro e silencioso.

-Entendo, o que estava fazendo naquele lugar?

-Estava saíndo de meu emprego, eu sempre vou de carona com uma amiga, mas hoje não deu e acabei pegando o atalho.

-Amiga? Quem séria essa amiga?

-Bom, não sei o sobrenome dela, mas se chama Normani, e ela estuda na mesma escola que eu.

-...ormani -disse anotando o nome da Normani em um papel.

Outra pergunta, do que você trabalha, Camila, e de que horas?

-Eh... E-eu trabalho de garçonete, das 18 até as 22 horas.

-Bom, Camila, são, 21:47, você não devia estar trabalhando agora?- quando ela disse aquilo minha mãe começou a me encarar-

-S-Sim! Mas meu chefe me deu uma folga para estudar, tem provas vindo.

-Se seu chefe te deu folga, por que você foi até o seu serviço?

-B-Bom é que só fiquei sabendo quando cheguei lá!

-Entendi, bom, Camila minha equipe vai até essa viela e entramos em contato com você amanhã, apenas peço que vá para sua casa e descanse, amanhã vai ser um longo dia, ah, e aqui está meu número- disse me dando um cartão- se precisarem de qualquer coisa podem me ligar ou  mandar uma mensagem, ok?

-Ok, muito obrigada, vamos mãe?

-Vamos, obrigada, dona Lauren

-Disponham

*Quebra de tempo*

Chegamos em casa e durante o caminho foi um completo silêncio, nem minha mãe e nem eu nos falávamos.

-Bom, mãe, vou dormir, como ela disse, vai ser um longo dia amanhã. Boa noite!

-Espera! Camila, tenho umas perguntas para você!



Notas Finais


ETAAAAAA
oq sera que a sinu quer perguntar a Camila?
Obg a todos que estão acompanhando a história e desculpa se peguei pesado demais rs
Até o próximo episódio! 💞🐝


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...