1. Spirit Fanfics >
  2. Percy Jackson:O filho de Tártaro >
  3. Vingança promissora

História Percy Jackson:O filho de Tártaro - Capítulo 3


Escrita por: e HikimoriK


Notas do Autor


Mais um capítulo para vocês.

Boa leitura!!

Capítulo 3 - Vingança promissora


Fanfic / Fanfiction Percy Jackson:O filho de Tártaro - Capítulo 3 - Vingança promissora

Pov Zeus:

Me teletransportei diretamente para o mundo inferior, mais especificamente para a entrada do tártaro, até eu o rei dos deuses sentia um tremor por estar naquele lugar, até porque Tártaro não é qualquer um, ele é um primordial poderosíssimo, nenhum dos deuses tem uma chance se quer de lutar com ele, por isso este era o lugar perfeito para eu encerrar a vida desta criança, neste lugar ele não sobreviveria.

Apesar disso tudo, minha maior preocupação era com minha filha, Thalia, ela tinha 5 anos e estava vivendo com a mãe, eu sei que teria que fazer algo para dar um fim nela também, já que a tão temida profecia não poderia ser cumprida, se fosse poderia ser o fim da era dos deuses e eu não podia deixar isso acontecer.

Como um último adeus a está criança dei uma última olhada nele, a grande surpresa que eu tive foi a grande semelhança com Poseidon, ele tinha os mesmos cabelos pretos bagunçados, mesmo estes ainda estando pequenos, ele ainda dormia tranquilamente sem nem fazer ideia de que este seria seu fim.

- Esse é seu fim, filho de Poseidon. -Disse e o joguei no grande buraco em minha frente onde muitos o chamavam de inferno. Era melhor eu sair daquele lugar antes que Hades descobrisse do meu paradeiro, se ele ficasse sabendo estaria tudo destruído. Me teletransportei de volta ao Olimpo, onde eu imaginava que poderia viver sossegado novamente.

Pov Tártaro:

Estava em meu reino, mais especificamente sentado em meu trono no meu Palácio quando de repente sinto uma estranha sensação na boca do estômago, eu sabia o que significava, isso acontecia quando alguma coisa que não seja um monstro estivesse entrando em meu reino, isso era ruim, eu deveria contatar minha irmã Nix imediatamente, assim como eu, ela tinha seu próprio Palácio aqui no Tártaro para me ajudar com meus problemas mais urgentes, ela era casada com nosso irmão Érebo mas este não morava com ela, ele preferia ficar em seu próprio Palácio em seu próprio planeta, eu achava isso até bom, já que ele era um saco, ficar o aturando não era para qualquer um.

Me teletransportei por um vórtice para seu Palácio, já que este era o jeito mais rápido, apareci na sala do trono e Nix já estava lá, quando me viu perguntou:

- Ao que devo sua presença, meu irmão?

- Alguém desconhecido acabou de entrar em meu reino, queria que você desse uma olhada. - Respondi a ela.

- Claro, com todo prazer. - Disse ela fechando os olhos e se concentrando. Você não deve saber, mas minha irmã e eu tínhamos poderes mentais e visuais, com o poder mental dela, ela podia transportar sua mente para qualquer lugar que ela quisesse, e mesmo assim seu corpo continuava no mesmo lugar, era muito útil além de muito poderoso, mas esse não era o único.

- Achei. - Disse ela.- Irei trazê-lo até aqui.

-Espera, como assim…

Não consegui terminar a frase porque ela já tinha trazido ele até aqui, um vórtice apareceu e de lá saiu nada mais nada menos que um bebê, sério não estou brincando.

- Um bebê? - Perguntei.

- Sim, mas ele não é um bebê comum, é um semideus.- Respondeu ela.

- O QUÊ ? Você ficou louca ? Você mais do que qualquer uma deveria saber que eu não gosto dos deuses e nem de seus filhos, ele pode ser uma armadilha.- Disse a ela.

- Sim eu sei sobre os deuses, mas pense bem, até os deuses tem medo de vir até aqui, o que você acha que um bebê semideus viria fazer aqui. - Disse Nix. Mesmo não querendo admitir ela tinha razão, ela sempre tinha razão.

- Você sabe que eu tenho razão não é? - Perguntou ela.

-Tsc, sim, eu sei. - Respondi a ela.

-Não se preocupe, irei ver o que aconteceu, para ele vim parar aqui, algo muito ruim aconteceu.- Disse Nix. Eu já sabia o que ela iria fazer, era outro de seus poderes mentais, ela colocou sua mão direita sobre a cabeça do bebê e fechou os olhos para se concentrar, com esse poder ela podia ver por tudo que a pessoa tinha passado antes, até o que aconteceu quando a pessoa estava inconsciente. Já com seu poder visual ela podia ver através de qualquer coisa, mas só durante a noite, já que ela era a primordial da noite.

Já eu bom, com meu poder mental eu podia criar ilusões aleatórias em qualquer pessoa ou monstro, sejam elas boas ou ruins, na maioria das vezes era ruim, já que eu utilizava para criar torturas mentais, esse poder era mais fácil de ser utilizado quando o ser estava em estado de inconsciência. E com meu poder visual eu podia visualizar o estado de espírito de qualquer pessoa ou monstro, por exemplo, se ela pretende fazer mal a mim ou a outra pessoa, além de conseguir ver se este não era um monstro disfarçado. Além disso tudo nós ainda podíamos ler a mente de qualquer um.

Pois é, não era à toa, que eu e minha irmã éramos chamados de destruidores por muitos seres do universo, nosso pai Caos tinha tido 4 filhos, eu, Nix, Érebo e Gaia, mas por sorte apenas eu e Nix desenvolvemos tais poderes, isso ainda era um mistério. Fui tirado de meus pensamentos com Nix dizendo:

- Consegui descobrir o que houve com ele. Pequena criança, tão jovem mas já perdeu mais que muitas pessoas.

- O que aconteceu com ele?- Perguntei impaciente.

- Ele foi amaldiçoado pelos deuses.- Respondeu ela, com essa eu fui pego de surpresa, os próprios deuses amaldiçoaram um dos seus. Parece que ela viu minha expressão de espanto porque continuou. - Ele é filho de Poseidon, mas Zeus descobriu sobre seu nascimento, então por causa da grande profecia ele resolveu se livrar do bebê e de sua mãe, foi terrível.

Todos os seres do Tártaro sabiam sobre a grande profecia, muitos deles queriam se aproveitar disso, e eu era um desses. Nix se levantou de seu trono e veio caminhando em minha direção, vi que ela estava vestindo um vestido preto que realçava muito suas curvas e sua pele branca, ela era mesmo radiante.

- O que nós vamos fazer com ele então? - Perguntei a ela.

- A pergunta não é essa, é o que você vai fazer com ele. - Respondeu ela.

- Entendo. - Disse a ela.- Então se eu adotá-lo como meu filho e dar meus poderes a ele…

- Sim. - Disse ela me cortando. - Ele poderá destruir os deuses colocando em prática a nossa vingança.


Notas Finais


Então, o que acharam?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...