História Perdido em seu olhar - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Inuyasha
Personagens Inuyasha, Kaede, Kagome Higurashi, Rin, Sesshoumaru
Tags Continuação, Final Alternativo, Sesshoumaru, Sesshyrin
Visualizações 100
Palavras 1.376
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, Hentai, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Minna vocês são demais, obrigada pelos comentários!
Será que é agora que esse reencontro acontece??? (";")//

Capítulo 7 - As terras do oeste


Fanfic / Fanfiction Perdido em seu olhar - Capítulo 7 - As terras do oeste

Já estava de manhã e depois de acamparem próximo a uma das muitas cachoeiras daquela floresta o grupo partiria logo cedo em direção ao Shiro do Lord Daiyoukai. Estavam andando todos juntos , como sempre Rin cantarolando e saltitante, Kohaku alerta e concentrado e Shippou sem parar de falar justamente para irritar o amigo exterminador e Kirara ia juntamente com Rin pois eram muito próximas.

-Será que pelo menos uma vez você poderia ficar quieto Shippou?!

-Ah que isso Kohakinho, não há motivos para você estar estressado, Estamos descansado, ninguém está ferido e "logo iremos encontrar com o Lord Sesshoumaru"! - essa ultima parte ele falou com ironia deixando Kohaku ainda mais irritado.

-Meninos olhem! - Rin avistou uma pequena vila logo a frente.

-Vamos , teremos que passar por eles mesmo, espero não termos mais nenhum contratempo. -Kohaku parecia incomodado com algo pois estava mais sério do que o normal, mas Rin não iria perguntar o que era pois eles sempre foram como irmãos e isso deu certo graças a um respeitar o tempo do outro para se abrirem e conversarem.

-Espera não ter apenas mais um contratempo não é? - Shippou parecia o provocar mais e mais pois sabia que a carranca do colega era por conta do destino final estar muito próximo.

-SHIPPOU SEU...

-Ei meninos parem, olhem aquilo.

A vila inteira só consistiam de idosos e jovens rapazes, será que não haviam meninas por ali?

-O que eu não vejo nada de mais, há casas e pessoas...

-Não e isso Shippou, olhe novamente não há nenhuma moça, é possível que a vila inteira não tenha uma garota?! - Rin estava intrigada com aquilo e não ficou parada esperando respostas surgirem magicamente.

A garota desceu apressada da colina que findava a floresta das 100 cachoeiras e foi apressada até a aldeia. Chegando um pouco sem fôlego foi direto à um senhor que cuidava de uma plantação de flores.

-Senhor, com licença...

-Por Kami-sama garota o que faz aqui? Entre em sua cabana logo, não é só a noite que eles podem vir.

-Eles quem?

Os dois amigos chegaram logo atrás de Rin que estava com sua curiosidade quase no limite.

-Os corvos do Lord, geralmente eles vem durante o entardecer e a noite, mas ultimamente dizem estarem vindo durante o dia. 

-E o que esses corvos do Lord fazem?- Kohaku estava com um mal pressentimento em relação a aquela história.

-Antes essa vila era conhecida pelos seus festivais para comemorar o inicio da primavera, haviam flores por toda parte e as nossas garotas realizavam danças e cantorias para comemorar, mas com a chegada do Lord ao Shiro e às terras do oeste tudo mudou, as garotas começaram a desaparecer, as festividades foram canceladas e a alegria parece ter adormecido para todos.

-O quê! Então foi culpa do Lord o desaparecimento das garotas? -Shippou estava chocado e Rin estava incrédula e calada.

-Não sabemos, mas os corvos que sobrevoam essas terras pertencem ao seu primeiro general e concelheiro Karasu-san, ele é um youkai corvo muito poderoso e influente, está nessas terras a centenas de anos, era ele quem comandava até o retorno do Lord.

Rin sentiu um gosto amargo em sua boca como o mais concentrado fel. Aquilo não fazia o menor sentido, Seisshoumaru não se prestaria a desperdiçar energias com humanos que ele julgava serem tão inferiores.

-Então temos que encontrar o quanto antes o Lord e saber o que está havendo. -Rin agora estava decidida a confrontar seu antigo protetor.

 Eles atravessaram a vila e constataram algumas moças escondidas dentro de cabanas e um povo muito tenso. Eles foram parados por uma idosa que parecia nervosa e aflita.

-São vocês quem irão de encontro com o demônio branco? Por favor crianças se verem no Shiro uma garota jovem de cabelos longos avermelhados a tragam de volta, tragam minha neta para casa. - A senhora falava segurando as lágrimas, aquilo abalou Rin de uma forma sobrenatural.

O que estava acontecendo com aquelas pessoas não era justo. E se estivesse acontecendo o mesmo em outras vilas? O que se passava na mente do seu Lord para aprovar tudo isso?

ais algumas horas de caminhada e todos estavam em silêncio, a garota não mais cantava ou saltitava, Shippou parecia que nunca aprendera a falar e Kohaku que caminhava ao lado de Kirara estava com os pensamentos distantes e um receio do que iriam enfrentar logo mais. Estava distante mas visível a olho nu, o esplendoroso Shiro do Lord do Oeste. Era majestoso como Rin já havia imaginado, mas não tão empolgante como ela gostaria que fosse chegar naquele local tão almejado. 

Os portões eram enormes e a guarda real um exagero, haviam centenas de soldados acima dos muros que eram tão altos como os portões, deveriam ter uns 5 metros de altura, feitos de pedras cinzas. Antes que chegassem mais perto dois soldados os impediram de continuar adiante entrando em sua frente, eles estavam cobertos por armaduras prateadas reluzentes  e com um semblante nada amistoso.

-Parem aqui mesmo forasteiros ou seus destinos serão a morte! - um deles se pronunciou.

-Guarda real das terras do oeste eu me chamo Rin e vim me encontrar com seu Lord Sesshoumaru-sama! -Rin tinha uma postura fria e autoritária, não se parecia em nada aquela doce garota, os amigos estava surpresos mas não comentaram nada.

-Como é humana? Acha que nosso Lord se rebaixaria a tal ponto em receber alguém de sua espécie? 

Rin estava começando a perder a paciência e sabia que estavam muito vulneráveis naquele lugar.

-Isso não é você quem decide soldado, avise ao eu mestre e ele lhe dirá o que deseja.

Os soldados se entre olharam desconfiados mas não podiam ignorar que se fizessem algo que o Lord soberano não aprovasse seriam mandados para a morte imediatamente.

-Certo , aguardem aqui. Não se movam pois se for algum truque eu mesmo me encarregarei de tirar-lhes a vida.

O grupo estava nervoso e ansioso por um retorno rápido. O soldado que havia ficado os olhava com desprezo evidente. Quando o outro voltou estava com um sorriso sádico nos lábios e aquilo não podia ser um bom sinal.

-Pelo jeito o Lord aprecia sua visita garota mas dispensa os demais.

Rin então começou a êxitar, isso era estranho demais, não receber seus amigos apenas ela parecia demasiado suspeito. Mas se viera até aqui não poderia desistir.

-E então humana?! Vais deixar o Lord esperando?- logo se via que era o soldado que estava sem nenhuma paciência.

-Certamente não o deixarei esperando!

-O quê ?! Rin isso pode ser uma armadilha...

-Tenho que concordar com o Shippou Rin, isso não parece ser do feitio de Sesshoumaru.

-Chegamos até aqui não é mesmo? Não vou voltar de mãos vazias, precise de respostas.

Os rapazes não concordavam nem um pouco com a menina que estava decidida a se arriscar. 

-Me esperem naquela vila que passamos vindo para cá, logo estarei de volta... -Rin pensou e sabia o que poderia acontecer, então...- se eu não voltar em três dias saibam que o pior pode ter acontecido.

Os rapazes estavam chocados com a forma como a garota sabia dos riscos e não queriam acreditar que uma tragédia poderia acontecer.

Rin seguiu os guardas para dentro dos portões, os rapazes ficaram mais um pouco como se pudessem de ultima hora salvar a amiga. Rin caminhou por uma entrada majestosa dos portões talhados em madeira nobre com imagens de cães demônios e detalhes em prata. Adentraram no salão principal que era demasiado grande e espaçoso, Rin estava um pouco intimidada pela aparência luxuosa do local. Uma serva surgiu, estava com um kimono cinza e cabelos amarrados em um coque, era alta e pela sua energia Rin sabia ser uma youkai, mas oras que novidade um castelos como aquele não teriam humanos, ou pelo menos não como convidados. Rin foi levada até uma sala que parecia ser a sala do trono, só podia ser pois havia um trono bem no final do longo e ricamente esculpido salão. 

Se passaram alguns minutos e ela ainda estava de pé em frente aquele trono acima das escadarias pensando no que dizer e o que iria sentir ao rever seu Lord. E esperou durante muito mais que minutos...

 

 

 

 

 

 


Notas Finais


Ufá! Gente mais alguém está com o core na mão?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...