1. Spirit Fanfics >
  2. Perdidos >
  3. É sério, será que eu sou um pai ausente?

História Perdidos - Capítulo 10


Escrita por:


Capítulo 10 - É sério, será que eu sou um pai ausente?


Heitor

— Qual o problema, Zach?

— Eles são seus primos? Freddie e Eddie?

— Sim. Por quê?

— É que eles parecem bem próximos da Layla, não acha? — ele encostou no armário. — Principalmente o Eddie.

Ele quer usar meus próprios filhos para me fazer ciúmes? Quase dei risada na cara dele, mas continuei fingindo que caí no papo dele para ver até onde ele ia. Eu precisava contar isso para o resto do pessoal.

— Do que você tá falando?

— Eu vi os dois conversando no corredor hoje. — Zach contou. — No seu lugar eu falaria com ele.

No meu lugar ele sabotaria o Eddie.

— Vou falar, pode deixar.


— É sério isso? — riu Lud.

— Sim, ele chegou todo pomposo falando que eles "parecem muito próximos".

— E como você reagiu? — perguntou Eddie, rindo.

— Consegui não dar risada, mas falei que ia conversar com você.

— E eu achei estranho a Lily pedir meu número, mas alguém achar que eu tô dando em cima da minha própria mãe... é nojento. — ele disse. — Sem ofensa, mãe.

— Não, eu entendo. — ela riu.

— Freddie. — chamei. — Posso falar com você um minuto?

— Ok, pai.

Subimos até a sala da Layla. Ele tinha agido estranho durante a aula de música e eu sabia que tinha que apoiá-lo, afinal, ele era meu filho.

— Tem alguma coisa te incomodando? Eu vi que você tava meio estranho na aula do Staringo, fiquei preocupado.

— É que... é legal conhecer o Staringo mais novo.

— Eu sei que não é isso. Você ficou estranho depois que ele perguntou sobre seguir nossos passos.

Ele se sentou, colocando a cabeça nas mãos.

— É que é complicado ser o filho de duas estrelas da música. Sempre tem essa pressão para seguirmos seus passos, sermos músicos de sucesso...

— Mas você não quer, né?

— Eu gosto de tocar, adoro música, mas não é o que eu quero pra minha vida. Até ia gostar de levar como um hobby, mas...

— Tudo bem.

Ele me olhou, surpreso.

— Pai, não tá decepcionado?

— Claro que não. — me sentei junto com ele. — Freddie, você é incrível. Vocês dois são. Como eu poderia estar decepcionado só porque você não quer ser músico?

— Não sei, eu...

— Ser músico é o meu sonho, mas não precisa ser o seu.

— Você e seu irmão são os melhores filhos que a gente poderia ter. — completou Layla, chegando na sala.

Ele fungou uma vez. Layla se sentou do outro lado dele. Será que eu era um pai ausente? Será que nunca tinha falado para ele que tinha orgulho de tê-lo como filho?

— Eu tô orgulhoso de você, Freddie. Você pode ser o que quiser, porque eu tenho orgulho de você, não do que você faz.

Ele me abraçou, chorando.

— Obrigado, pai. Obrigado.

— Eu falei que ia dar tudo certo. — Eddie riu, da porta.

Abrimos o abraço para ele e Layla.

— Esse é o nosso primeiro abraço em família, de certa forma, não é? — perguntei.

— Não estraga o momento com pergunta complicada, Heitor. — Layla riu.

— É, e na verdade... — começou Eddie, se desvencilhando. — eu vim aqui chamar vocês pra ver uma coisa.

— O quê? — perguntou Freddie.

— Nossa saída desse tempo.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...