1. Spirit Fanfics >
  2. Perdidos >
  3. Será que era tão óbvio mesmo?

História Perdidos - Capítulo 8


Escrita por:


Capítulo 8 - Será que era tão óbvio mesmo?


Heitor

É um pouco estranho dormir com a namorada no sofá da sogra e acordar com ela te chamando para tomar café, mas a Sra. Bach me conhece, então acho que é por isso que ela fica de boa com isso. Mas ainda é estranho.

— E o filme? — perguntou a Sra. Bach.

— Foi muito legal. — disse Layla.

— Menos o final. — reclamei.

— Aquilo foi meio previsível. 

— Mas ele não podia morrer!

— E depois do filme, como foi? — perguntou o Sr. Bach.

— Pai!

Ok, ele me assusta um pouco.

— Bom, já não é a primeira vez que encontramos vocês dormindo juntos. Eu sei que na idade de vocês...

— Pai, a gente não fez nada.

Ele me encarou, depois riu.

— Eu acredito em vocês, relaxa. 

— Ah, graças a Deus. — eu disse, aliviado.

— Mas acho bom você se comportar com a minha filha. — ele completou, sério. 

— Sim, senhor.


— Você deixou uma bela impressão no meu pai, hein? — Layla riu no caminho da escola.

— Que bom que ele não conheceu Freddie e Eddie ainda.

Ela riu e me abraçou. 

— Adorei saber que vamos ter filhos, mas não queria ter antes de terminar a escola.

— É, eu acho que dá pra controlar a ansiedade até lá. — respondi, abraçando ela de volta.

Andamos abraçados até a escola, dando de cara com Zach na entrada, que olhou para nós e virou o rosto rapidamente.

— Por que vocês brigaram no dia do show?

— Ele veio querer se justificar por ter me sabotado. — contei. — Falou que fez aquilo por sua causa e eu acusei ele de não ter pensado no seu bem, porque você também ia ser prejudicada se a sabotagem tivesse funcionado. Agora eu acho que peguei um pouco pesado.

Ela me apertou mais forte.

— A gente é uma banda. Prejudicar um é prejudicar todos, ele devia saber disso.

— Falando em banda, por que o resto da nossa tá vindo com nossos filhos?

Freddie e Eddie, com mochilas nas costas, vinham na nossa direção junto com Lud, Bob e James.

— A gente sai uma noite e eles fazem isso? 

— Que ideia é essa? — perguntei quando chegamos mais perto.

— Bom dia pra você também, Heitor. — James resmungou.

— É, bro, dormiu com a gente?

— Com a gente, não, mas com a Layla, sim, né Heitor? — James riu.

— James, como você sabe disso? — perguntei. 

— Então você não nega?

— A gente tem um grupo sem vocês no Underzap. — contou Lud.

— Vocês têm o quê? 

— Desde antes do concurso. — Bob completou.

—  A gente zoava, falava que vocês se faziam de sonsos. — continuou Lud. — Porque, sabe, era bem óbvio que vocês eram amarradões um no outro.

— Tinha até uma aposta sobre quem ia se declarar primeiro. — comentou James. — Eu perdi.

— E eu que achei que eles nem iam chegar a se declarar sozinhos? — riu Lud.

— Vocês não têm um grupo pra mim e Lizzy, né? — Freddie perguntou para o irmão.

— Não.

— Que tipo de amigos vocês são?

— E a melhor parte é o nome do grupo! — James quase não conseguia falar.

— Qual?

— Laytor. — Bob respondeu, rindo também.


Depois desse incrível voto de confiança que recebemos, fomos todos para a aula. Segundo eles, matricular Freddie e Eddie na escola era uma boa ideia pra podermos ficar de olho neles e evitar incidentes como eles se referindo às pessoas por tio e tia.

No intervalo entre duas aulas, eu e Layla estávamos conversando do lado do armário dela depois de encontrarmos Eddie indo para a aula de física, quando Britney veio falar com a gente.

— Quem são esses dois meninos que começaram a andar com vocês agora?

— Meus... primos. — respondi.

— Não parecem nem um pouco com você.

— O que você quer, Britney? — Layla perguntou.

— Ai, a Lily pediu o telefone do menino com as antenas.

Me segurei para não rir. Uma das meninas do grupinho da Britney estava interessada num dos filhos da Layla? Esse foi meu maior entretenimento no dia.

— Vou falar com ele. — ela respondeu.

— Obrigada. — Britney respondeu de má vontade.

— E seu rolo com o Zach, como tá? — perguntei.

— Mal. — ela respondeu. — Por que quer saber?

— Você sabe que eu sempre apoiei vocês dois.

— Você só queria ele fora do caminho. — Ok, isso talvez seja verdade. — E nem precisava, você que era muito burro pra ver.

Aparentemente isso é verdade também. Todo mundo resolveu jogar isso na nossa cara hoje?

— Ah, qual é, não era tão óbvio assim. — Layla reclamou.

— Era, sim. — Britney riu. — Era engraçado ver você olhando pra ele toda apaixonada.

— Ok, Britney, tchau. — Layla a cortou, corando.

— Não, não, fica. — eu ri. — Me conta mais sobre isso.

Layla me deu uma cotovelada nas costelas, mas eu ainda ria.

— Você também parecia que tava se fazendo de doida. — disse Britney. — Ele vivia te olhando todo bobo e você nem reparava.

— Ok, não era tão óbvio...

— E vocês dois são os compositores, né?

— Sim, mas o que isso tem a...

— Vocês praticamente se declaravam nas músicas e nunca viram?

— Você e os meninos resolveram se juntar hoje pra esfregar na nossa cara que a gente demorou pra começar a namorar? — perguntou Layla.

Britney deu risada.

— Eu só achava aquilo tudo divertido. — disse ela. — E um pouco deprimente.

Com isso, ela saiu andando para se juntar a Lily e Daisy.

— Vocês poderiam ser grandes amigas, sabia? — brinquei, levando outra cotovelada.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...