1. Spirit Fanfics >
  2. Perfect >
  3. A Magia E Todas As Borboletas

História Perfect - Capítulo 9


Escrita por: vanelope-stars

Notas do Autor


OLÁ!!
Como estão?
Espero que essa att melhore o dia de vocês 🌈💙

Capítulo 9 - A Magia E Todas As Borboletas


ㅡ C-como você está? Liguei em uma hora ruim? Não quero te incomodar.

Estou apenas ajudando minha irmã com algumas coisas. Daqui a pouco vamos comer. Mas eu tenho tempo, não se preocupe.

ㅡ Certo…

Fiquei em silêncio. Meu coração estava batendo rápido e eu não sabia o que dizer. Sabia, na verdade. Mas estava juntando coragem para falar. Temi que Jimin desligasse.

Você queria dizer alguma coisa, Jeon? Ou só queria ouvir minha voz? ㅡ Riu. Quase pude ver sua expressão. Aquele sorriso pequeno…

ㅡ Também ㅡ Ri, sem graça, e continuei: ㅡ, mas… Como você está? Está se divertindo aí em Busan?

Sim, sim. É bom ver minha família. E você?

ㅡ Estou bem. Hoje foi o aniversário de uma amiga minha. A recepcionista da floricultura, lembra? Dahyun.

Sim, a menina loira. Diga a ela que desejo um feliz aniversário atrasado.

ㅡ Digo sim. Bom… fui na festa dela hoje e foi bem legal… estou bem. Tudo certo.

Que bom.

Me sentei na cama e juntei os joelhos ao peito. A cada segundo que passava, eu me sentia ainda mais tentado a dizer aquelas palavras que flutuavam dentro de mim. Aquela pergunta que me deixava em transe. Tanto pelo medo quanto apenas pela curiosidade. Mordi o lábio. Meu coração estava disparando cada vez mais.

Tem mais algo que você queira dizer, Jeon?

Respirei fundo e relaxei meu corpo. Tudo bem, são só palavras. Palavras machucam, mas passam. Palavras flutuam… palavras flutuavam dentro de mim e eu precisava deixar que elas saíssem. Elas precisavam flutuar para fora e levar junto com elas as borboletas no meu estômago.

ㅡ Hyung, quando… Quando você me elogia, o que exatamente você quer dizer?

Como assim?

ㅡ Quando você diz que meu sorriso é bonito e coisas assim, o que você quer dizer?

Exatamente o que eu disse, eu acho.

ㅡ N-não, hyung. Não assim. Qual é a sua intenção? O que você… Sente quando diz isso pra mim?

Você quer saber o que eu sinto?

ㅡ S-sim.

Acho que me sinto encantado, Jeon. Encantado por você.

Tudo aquilo flutuou para fora de mim, mas não como eu queria. Aquelas palavras e borboletas me cegaram de repente. Abrir os os olhos era como ter minha visão totalmente tapada por elas. Era como inspirar, inspirar e respirar todas aquelas borboletas. Até que eu sumisse no meio de todas aquelas asas azuis que batiam sem controle. Eu estava sumindo no meio dos meus sentimentos e flutuando para fora de mim. De repente não era mais eu falando com Jimin, mas sim aquele grande amontoado de asas.

ㅡ E o que isso significa, hyung?

Significa exatamente o que eu disse.

ㅡ Mas… Eu não entendo, hyung. ㅡ Passei a mão no rosto; tentando recuperar a razão. Afastar as borboletas e suas asas afobadas de mim. ㅡ Eu não entendo o que quer dizer, hyung.

Quer dizer exatamente o que eu disse, Jeon. Não tem porém.

Respirei fundo outra vez; as borboletas se afastaram com o ar que saía da minha boca. Suspirei antes de continuar:

ㅡ Não é nada importante, hyung. Eu só fiquei confuso. Mas está tudo bem. Não quero tomar mais do seu tempo hoje. Até logo, hyung.

Acho que volto na quinta, Jeon. Conversaremos melhor daí. Tudo bem?

ㅡ Sim.

Boa noite, Jeon. Tenha bons sonhos.

ㅡ Você também, hyung. Até.

Desliguei a chamada e deixei o celular ao lado do travesseiro, mas logo o peguei outra vez. Contei tudo a Yoongi por mensagem e desliguei o celular para não receber as próximas milhares de notificações de mensagens dele.

Entrava a luz dos postes pela janela. Minha cortina azul fazia o quarto se tornar azul também. 

Eu encarei o teto. Dormi após observar pouco a pouco o quarto ser tomado por todas aquelas borboletas. Até que não tivesse mais espaço livre, até que não houvesse cor além de azul. Até que eu também sumisse.

Desejei que os sonhos de Jimin fossem bons, pois nos meus eu estava me afogando em borboletas.


{...}


Meu pai me acordou. Meu celular estava desligado e o alarme não pôde tocar. Ligá-lo foi o mesmo que pedir que ele travasse. As mensagens de Yoongi entraram e entraram. Apenas esperei tudo acabar e respondi com só uma mensagem.

Eu: bom dia, hyung. daqui a pouco nos encontramos. pare de surtar. - 07:10

Tomei um banho rápido e comi meu café da manhã. Yoongi chegou e devorou todos os sanduíches que meu pai havia deixado prontos sobre a mesa. Ele até se ofereceu para fazer mais, porém eu puxei Yoongi para fora de casa antes que meu pai cozinhasse para ele em plena manhã.

ㅡ E aí? Como foi tudo com Jimin?

ㅡ Foi só aquilo que te contei, Yoongi. Não falamos mais depois disso.

ㅡ Hmmm. Vai ligar pra ele hoje outra vez?

ㅡ Não sei. Não consigo pensar em mais nada pra dizer a ele.

ㅡ Eu sei de muitas coisas que você pode dizer a ele. A primeira delas é: "Jimin, meu hyung, meu sensei, por favor, me jogue contra a parede e me tome em seus lábios quentes como um dia de verão!"

Yoongi parou no meio da rua e juntou as mãos para cima, como se falasse com alguém no céu. Não consegui me impedir de dar um tapa na nuca dele.

ㅡ Para com isso, Yoongi! Eu e Jimin não somos nem amigos direito. Nossa relação é estranha e suas piadinhas não ajudam em nada.

ㅡ Mas você gosta dele e ele gosta de você!

ㅡ Não podemos afirmar isso…

ㅡ Como não? Pelo amor de Deus, não tem como ele ser mais…

Abri meu guarda-chuva e usei ele para tapar Yoongi da minha visão. Ele murmurou um "Porra".

ㅡ Sinto em lhe informar, mas o assunto acabou. Se quiser dizer qualquer coisa sobre os sentimentos de Jimin por mim ou sobre ele me deflorar guarde para si mesmo, pois eu não quero mais ouvi-los.

ㅡ Nem tem como ele te deflorar, né, Jungkook? Pra isso você teria que ser virgem.

ㅡ Hyung! ㅡ o repreendi e bati nele com o guarda-chuva.

ㅡ Mas eu menti? Você é virgem, por acaso?

ㅡ Deu desse assunto. Deu desse assunto. ㅡ Suspirei e fechei o guarda-chuva. Tive medo de acertar alguém na rua com ele por acidente. ㅡ Por que não me fala sobre Taehyung? Já que estamos falando sobre sentimentos e virgindade, e você tem os dois.

ㅡ Ai, essa doeu, viu? ㅡ Colocou a mão no peito e gemeu. Ri e segurei a mão dele. ㅡ Mas contra fatos não há argumentos. Meu caro amigo, eu estou cada dia mais caidinho por Kim Taehyung.

ㅡ Hmm. Flertaram mais desde a festa?

ㅡ Um pouco. Não tanto quanto você e Jimin.

ㅡ Yoongi!

ㅡ Tá bom! Tá bom! Parei! ㅡ Fez biquinho. Depois sorriu como sempre fazia quando me irritava. ㅡ Eu acho que ele gosta de mim, sabe? Ele quer se aproximar de nós. Eu acho, pelo menos. Você se importa?

ㅡ Eu só não quero sobrar, hyung. Mas se ele te faz feliz me faz feliz também.

ㅡ Aww! Que adorável! Digo o mesmo sobre você e Jimin!

ㅡ Pra mim deu. Vá para a escola sozinho, senhor virgem.

Andei para o outro lado da rua e abri o guarda-chuva outra vez. Agora tinha realmente começado a chover. Yoongi correu até mim pedindo desculpas como um cachorrinho, e eu fui forçado a aceitá-lo debaixo do meu guarda-chuva.

ㅡ Vou parar. Eu juro. Só não consigo resistir, porque o Jimin parece tão caidinho por você.

ㅡ Eu sei. Eu sei. Mas não quero falar disso. Parece que vou cuspir borboletas.

Yoongi riu e apoiou a cabeça no meu ombro, nossos braços estavam enlaçados. Ele acariciou minha mão.

ㅡ Adoro quando você fala sobre seus sentimentos. Suas metáforas são mágicas.

ㅡ Palavras são mágicas, Yoonie. Todas elas. 

ㅡ Eu sei. Mas as suas são mais. Elas são você. E você sabe que você é a pessoa mais incrível do mundo pra mim. Você é a magia, Jungkook. Pelo menos pra mim. E não ouse ficar emocionado, porque eu te digo isso desde que nos conhecemos.

ㅡ Eu sei, hyung. 

Yoongi sempre me deixava emocionado quando dizia coisas bonitas pra mim. Segurei a mão dele. A chuva caiu com mais força. Eu observei a cabeça dele apoiada no meu ombro. Yoongi parecia tão pequeno, mas ele era tão, tão grande. Tão enorme e aconchegante. Me ensinou tanto.

ㅡ Você também é mágico, Yoonie. Sem você, meu conto de fadas não teria graça.


{...}


De acordo com os professores os resultados das provar sairiam na quarta ou na quinta. Tão conveniente. Queria que saíssem antes para que eu pudesse me preparar para mostrar eles a Jimin. Se minha nota fosse muito ruim, eu me enrolaria todo para contar. No almoço, Yoongi começou a falar de seus irmãos. Reclamar, para ser mais específico. Me convidou para dormir lá. E não é como se algo fosse obstáculo para isso.

ㅡ Taehyung está andando até aqui. Finge que eu sou muito divertido e que só a minha presença já é o bastante para te animar!

Ele falou tão sério e em desespero que eu encostei a cabeça na mesa e ri. Acho que acabei fazendo o que ele queria, no fim, porque ele fez uma pose de quem estava contando uma piada quando Taehyung chegou. Eu mal podia respirar.

ㅡ Olá, Yoongi, Jungkook. Posso me sentar com vocês? ㅡ Taehyung perguntou, com aquela voz grave que me deixava arrepiado, e apoiou sua bandeja na mesa.

ㅡ Bom, você já trouxe sua comida. Seria falta de educação não te aceitar ㅡ Yoongi respondeu e esperou Taehyung se sentar para puxar assunto. ㅡ Não vai se sentar com seu amigo? Você nunca vem aqui.

ㅡ Ah, ele não quis vir comigo. Ao que parece, Jungkook deixa ele tímido.

Estranhei ouvir meu nome. Eu nem tinha dito "Oi" ainda. E me senti muito sem educação quando percebi, por isso me virei e falei:

ㅡ Oi, Taehyung. ㅡ Acenei. Ele estava do meu lado e me senti ridículo fazendo aquilo. Taehyung riu enquanto eu morria de vergonha.

ㅡ Jungkook? Hmm. Geralmente é ele quem fica tímido perto das pessoas ㅡ Yoongi respondeu a Taehyung, que deu de ombros.

ㅡ Ele é meio estranho mesmo. Vocês fizeram aquela prova de biologia semana passada? Tenho quase certeza que minha nota foi péssima ㅡ mudou de assunto, bufou e comeu um pouco de suas frutas.

Eu entendi por que Yoongi gostava dele. Ele era muito bonito. Até a voz era encantadora e ele tinha um jeito sedutor de falar… Não sei explicar, mas ele parecia tão à vontade. Como eu invejava isso.

ㅡ Fizemos sim. Acho que Jungkook se saiu bem.

ㅡ É? Qual seu segredo, Jeon? ㅡ perguntou Taehyung, apoiando o queixo na mão.

Senti meu rosto aumentar de temperatura. Jeon. Foi como se Jimin fosse aparecer de repente atrás de mim. Quase pude sentir a respiração dele no meu pescoço e talvez eu estivesse ficando louco, mas a música que dançamos começou a tocar. Jeon. Até, Jeon. Meu corpo todo arrepiou.

ㅡ Não chame ele de Jeon, o cara que ele gosta chama ele assim ㅡ Yoongi interferiu. E eu não gostei nada.

ㅡ Hyung!

ㅡ Mas eu tô mentindo?

ㅡ Ah, eu te deixei sem jeito. Perdão. Vou perguntar novamente. ㅡ Taehyung pigarreou antes de continuar: ㅡ Qual seu segredo para ter uma nota boa naquele tipo de prova, Jungkook?

ㅡ Eu tenho aulas particulares. Mas ainda não sei se fui bem.

ㅡ Entendi… Quem é seu professor?

Senti que mencionar Jimin ㅡ ainda que indiretamente ㅡ devia ser proibido. Por instinto levei minha mão até minha cintura. Eu realmente senti que ele podia aparecer e me chamar para dançar. A simples menção ao nome dele já me deixava em alerta.

De fato, palavras de pouca intensidade não podiam ser usadas. Nada poderia ser capaz de disfarçar. Mesmo que naquele momento meus sentimentos fossem latentes senti que não seriam por muito tempo. As borboletas me sufocariam se eu tentasse manter tudo dentro de mim. Eu teria que me acostumar com elas tapando minha visão e minha boca. Elas eram parte de mim agora.

ㅡ Jimin ㅡ respondi. ㅡ Meu professor é Park Jimin. Ele trabalha aqui na escola durante a semana. Não está hoje porque está viajando.

ㅡ Aah, o Park! Ele já foi professor substituto da minha turma uma vez. Ele é um bom professor, mas coloca um medo.

ㅡ Medo? ㅡ Estranhei as palavras de Taehyung. Medo. Medo não era a palavra que eu associava a Jimin. ㅡ Como assim "medo"?

ㅡ Ele olhava de um jeito tão ameaçador para a turma. Sempre que via ele, sentia calafrios. Ele não é assim com você?

ㅡ Não. Ele é… bem legal. Yoongi conheceu ele. Ele nunca foi assustador conosco.

ㅡ De fato. ㅡ Yoongi moveu a cabeça para a esquerda e fez biquinho. Taehyung sorriu. ㅡ Mas acho que é porque ele tem um carinho pelo Jungkook. Eles se tornaram amigos, então talvez Jimin pegue leve com ele.

Não sei se gostei de ouvir Yoongi dizendo aquilo. Só sei que não era tão mentira assim. Jimin realmente era… bom comigo.

ㅡ Sorte a sua, então, Jungkook. Além de ter um bom professor ainda tem um que gosta de você.

Apenas concordei com a cabeça. Taehyung conversou com Yoongi por mais um tempo enquanto eu estava alheio. Estava chovendo. A janela do refeitório estava molhada. Me lembrei de como sempre chovia desde que conheci Jimin.

A janela se encheu de borboletas.


{...}


ㅡ Eu vou ajudar meu pai com a floricultura. Vejo com a Dada se ela não precisa de ajuda com nada e aí vou direito para a sua casa. Se eu demorar é porque tinha algum trabalho extra. Mas meu pai está pintando mais esses dias, então talvez nem ligue se eu não aparecer lá ㅡ avisei a Yoongi.

ㅡ Seu pai tem hobbys chiques. Meu pai bebe quando está entediado. Mas, enfim, o iimportante é que você vá. Tenho privilégios quando você está lá. Não terei que brigar por um prato de comida hoje! ㅡ Yoongi exclamou, quase chorando.

Eu ri do quão dramático ele estava. Estávamos na saída da escola, não estava chovendo como de manhã, então eu não teria que acompanhar Yoongi até a casa dele nem lhe ceder meu guarda-chuva ou ligar para meu pai pedindo socorro. Um professor esbarrou em nós, se desculpou e voltou a andar, mas de repente parou, me olhou e perguntou:

ㅡ Você é o Jeon Jungkook, não é? ㅡ Assenti. Ele sorriu. ㅡ Vou ser professor da sua turma em breve.

ㅡ Ah… Que bom, senhor.

ㅡ Sim. Até logo!

Ele saiu tão de repente quanto veio. Yoongi e eu nos olhamos ambos sem entender nada. Jimin ficava com outros professores. Ele teria falado de mim?

ㅡ De repente todos os professores querem te dar aula, é?

ㅡ Estou estranhando tanto quanto você, hyung.

ㅡ Você tem algum tipo de ímã, Jungkook. Primeiro a Hirai, depois a Dahyun, depois o meu irmão, depois o Jimin, aí o amigo do Taehyung e agora até os professores mais velhos! Que feromônios você espalha no ar?

ㅡ Yoongi!


{...}


Não tinha trabalho extra na floricultura e eu poderia sair mais cedo. Não quis deixar Dada sozinha, então fiquei um pouco mais para fazer companhia a ela e ajudá-la. Meu pai estava em sua sala. Provavelmente pintando, como ele sempre fazia quando queria relaxar e tinha tempo livre ou quando estava muito feliz. Eu só não sabia qual era o motivo da vez.

ㅡ Jungkook, atende aquele cara pra mim? Estou ocupada ㅡ Dada pediu enquanto olhava algo no computador e apontou para a porta, onde um senhor estava entrando.

Pedi licença a uma senhora que olhava as rosas fui até o cliente. Tudo pareceu uma grande pegadinha quando encontrei com ele.

ㅡ Senhor? Como posso te ajudar?

ㅡ Ah, Jungkook! ㅡ Sorriu e ajeitou os óculos. Aquele sorriso… Ele parecia alguém. ㅡ Nem me apresentei hoje quando nos esbarramos. Sou Jung Kijoon. ㅡ Ele estendeu a mão e eu a apertei.

ㅡ Muito prazer, senhor Jung. O que o senhor está procurando?

ㅡ Seu pai.

Certo. Eu estava participando de algum reality e não sabia? O dia ficava cada vez mais estranho.

ㅡ Perdão, como? Meu pai?

ㅡ Seu pai é o dono da floricultura, Jeon Chun, não é?

ㅡ É sim… Eu… Eu vou avisar ele que você está aqui.

Fiz uma reverência e andei até o escritório atrás da recepção. Meu pai? O que ele queria com meu pai? Abri a porta de leve e espiei. Papai estava pintando um grande copo de leite.

ㅡ Pai, desculpa interromper, mas tem um homem te procurando.

ㅡ Quem?

ㅡ Jung Kijoon. Você conhece ele?

ㅡ Ah! Sim, mande ele vir.

ㅡ Vir aqui? No seu escritório? ㅡ Fiz uma expressão confusa. Ele assentiu. Cruzei os braços. ㅡ Perdão, mas é algo sobre mim? Ele disse que vai ser meu professor em breve e agora aparece aqui. Eu fiz algo errado e não sei?

ㅡ Não, não. Eu que o convidei. Somos amigos.

Meu queixo caiu e eu me senti um grande idiota. Então era por isso todas aquelas pinturas? Não evitei meu sorriso enorme e irônico. 

ㅡ São amigos?

ㅡ Sim, somos. Algo errado? 

Ri e me virei, saindo dali. Andei até o senhor Jung e cutuquei seu ombro. Ainda não estava acreditando.

ㅡ Ele está esperando você no escritório, ali atrás da recepção ㅡ avisei, apontando para a porta. Ele agradeceu e foi até lá. Andei até Dahyun e tomei um gole do suco dela. ㅡ Dá pra acreditar? Meu pai levou ele para o escritório.

ㅡ Ele é algum fornecedor?

Espremi os lábios e neguei com a cabeça. Dada ficou chocada e cobriu a boca com a mão. Eu estava tão desacreditado que achei que meu dia estava feito.

ㅡ Dada, eu vou indo. Precisa de ajuda com algo?

ㅡ Não. Está tudo certo.

ㅡ Ok. Avise meu pai, quando ele aparecer, que eu já fui para o Yoongi. Vou só passar em casa e pegar minhas coisas.

ㅡ Ok. Se divirta.

A abracei e deixei um beijo na bochecha dela antes de sair. Andei até em casa com a mesma cara idiota. Eu devia ter desconfiado quando ele pintou aquelas rosas enormes.

Meu celular vibrou no meu bolso.

Jimin: Oi, como está? - 18:20


{...}


Já tinha bastante barulho quando cheguei na casa dos Min. Sana estava no sofá da sala com Mina, cumprimentei brevemente as duas e Mina apertou minha bochecha. Fiquei muito sem graça e… lisonjeado. Sana me avisou que seus pais estavam cozinhando. Aquilo sim era uma grande novidade: todos os Min estavam em casa.

ㅡ Olá, tia. 

ㅡ Jungkook, meu anjo! Quanto tempo! Venha aqui me abraçar! ㅡ a mãe de Yoongi, Heeyoung, pediu. Fui até ela, que me apertou forte e encheu meu rosto de beijos.

ㅡ Não esqueça de mim! ㅡ disse o Sr. Min.

ㅡ Nunca, tio.

Após o Sr. Insu me apertar também e dizer que eu estava mais alto me avisou que Yoongi estava lavando o banheiro. Me despedi deles e fui atrás do meu amigo. Encontrei Eunwoo no caminho. Ele estava só de pijama e fugiu quando me viu. Achei fofo.

ㅡ Ah, que bom que está aqui! Agora Eunwoo para de perguntar quando você vem! ㅡ Yoongi exclamou quando apareci no banheiro.

ㅡ Ele fugiu de mim quando me viu.

ㅡ É porque ele está usando um pijama infantil. Vai entender esses adolescentes. Enfim, quer me ajudar a limpar?

Yoongi me deu um pano e um limpa vidros. Enquanto ele lavava a privada, eu limpava o box. Contei a ele sobre a aparição do Sr. Jung na floricultura. Ele, assim como Dada, ficou chocado e depois deu pulinhos de alegria.

ㅡ Você não está vendo a sorte que tem?! Jungkook, se ele virar seu padrasto ou coisa do tipo, você pode receber cola nas provas! Não consegue ver o tamanho da sua sorte?!

ㅡ Yoongi! Eu não vou extorquir ninguém! Muito menos o namorado do meu pai!

ㅡ Mas, Jungkook! Pense bem! Mesmo que eles só se encontrem pra transar, o Jung vai querer te ajudar e ter uma relação de "pai" com você! Extorquir ele é seu dever!!

ㅡ Yoongi, pelo amor de Deus! Eu não precisava imaginar meu pai transando com ele! E extorquir ele? Como você faz com meu pai?

Yoongi fez uma expressão de choque e colocou a mão no peito. Negou com a cabeça e até fungou. Tão, tão cínico.

ㅡ Como você ousa? Eu jamais faria algo assim com seu pai! Eu e ele temos uma relação linda!

ㅡ Cala a boca, hyung. Por favor.

ㅡ Você me respeite!

Yoongi começou a me bater com o pano que eu estava usando para limpar o vidro do box, começamos a "brigar" e nós dois caímos bem embaixo do chuveiro. Minha cabeça bateu no ralo e o cotovelo dele raspou no registro. Acabou ligando o chuveiro, mas ele foi rápido em desligar e só umas gotas caíram em nós. Eunwoo apareceu na porta, usando outra roupa e de cabelo penteado, quando Yoongi me ajudou a levantar. Ele nos olhou e correu novamente para o quarto.

ㅡ Nem ouse pensar besteira, seu idiota! No dia que eu e Jungkook sentirmos tesão um no outro vocês dois casam! ㅡ Yoongi gritou.

Me levantei a ajeitei minhas roupas. Yoongi revirou os olhos e voltou a limpar o banheiro. Me senti mal por Eunwoo, mas hyung não me deixou o consolar.

"Para de dar corda pra gente burra, Jungkook! Se preocupe com quem presta e tem futuro! No caso, eu!" 


{...}


Ajudei Kyungseok com os deveres da escola. Era tudo muito simples porque ele é bem pequeno. Ele me abraçou muito forte quando acabamos e falou: "Obrigado, hyung. Queria que você fosse meu professor". Fiquei muito tocado, não nego. Yoongi apareceu gritando ao nosso lado. "E eu? E eu que te ensino todo santo dia? A mim você não agradece, não é? Só vai me valorizar quando eu sumir dessa casa! Seu ingrato!"

Kyungseok fez um "Tsc" e abraçou Yoongi também. "Tudo bem, hyung. Tudo bem. Vai passar", ele falou enquanto passava a mão no cabelo do irmão. Eu tentei, tentei muito, mas não aguentei a vontade de rir.

A cozinha dos Min tem uma mesa enorme com oito lugares. Três dos lados e um em cada ponta. Sempre sobrava um lugar pra mim.

Jae, Yoongi e eu sentamos de um lado, nessa ordem. A mãe e o pai de Yoongi se sentaram na nossa frente, Eunwoo sentou ao lado deles, de frente para mim. Na ponta perto da porta estava Sana e na outra ponta estava Kyungseok. Todos nos servimos de um bom espaguete e muita, muita salada. A comida do pai de Yoongi é absurda de tão boa.

ㅡ Então, como estão indo as coisas? ㅡ Sra. Min perguntou enquanto cortava seu pepino no prato. Yoongi bufou e então respondeu:

ㅡ O banheiro não estava tão sujo. Mas seria ótimo se Sana parasse de pentear o cabelo lá e entupir o ralo da pia. O quarto dos meninos estava um lixo. Principalmente o lado do Jae, meu Deus! Achei um maçã podre embaixo da cama dele! O lado do Eunwoo estava cheio de coisas espalhadas, porque ele nunca põe nada no lugar. E achei revistas muito suspeitas na cama dele. Já aviso que, dependendo do que eu encontrar naquele lençol, eu não lavo as coisas dele com as minhas!

ㅡ Hyuung! ㅡ Eunwoo reclamou e cobriu o rosto rubro com as mãos. Sr. Min o deu tapinhas nas costas.

ㅡ Não me venha com essa! Vai te matar ir bater no banheiro, seu depravado?

ㅡ Bater o quê? ㅡ Jae perguntou. Yoongi passou a mão na cabeça dele e respondeu:

ㅡ Algo que você vai começar a fazer logo. Mas, voltando ao assunto, o lado de Kyungseok é o melhor. Estava tudo limpo e arrumado. Ele merece aqueles bonecos de Zootopia que pediu. Sana… Ah, aquela loja de bugigangas em forma de quarto.

ㅡ Eu estou te ouvindo ㅡ Sana interviu.

ㅡ Eu sei. É pra ouvir mesmo! Alguém pode fazer ela parar de deixar todo tipo de maquiagem espalhada lá? Eu quase escorreguei em um vidro de base quando entrei! Mas fora isso, tudo ok. Ela é bem higiênica e organizada. ㅡ Sana fez um sinal com a mão em agradecimento. Yoongi bebeu um gole de suco e continuou: ㅡ Jae tem que parar de esquecer as coisas da escola pela casa. E, pelo amor de Deus, alguém faz Eunwoo parar de falar do Jungkook que eu não aguento mais! ㅡ Passou as mãos no rosto e bufou. ㅡ É isso. Kyungseok segue sendo meu irmão favorito, e os outros que lutem pelo meu amor.

ㅡ Certo ㅡ a mãe de Yoongi falou, mordeu mais um pepino e então disse: ㅡ Todos ouviram Yoongi. Sana, nada de pentear o cabelo na pia e guarde melhor suas coisas. Eunwoo, o Jungkook está em outra, cai fora. E banheiro existe, seja consciente. Jae, você não tem quarto para morar em um lixão. Se organize e jogue tudo que não for usar, ou estiver podre, fora. Não perca as coisas pela casa. E, Kyungseok, meu amor, continue assim e vai ganhar muitos presentes! 

Yoongi mantinha tudo sob controle. Esse era o dom dele. Hyung é a pessoa mais responsável que eu conheci em toda a minha vida. Não só com sua casa e suas coisas, mas tudo. Ele sabia cuidar de si mesmo, de todos os seus irmãos por mais que fossem mais velhos, cuidava de mim. Ainda estudava e ajudava na floricultura às vezes. Yoongi me ensinou o que era ser responsável, o que era cuidar das coisas importantes.

Me ensinou a ser responsável emocionalmente, antes de tudo. Depois dele, eu tive muito mais calma e cuidado ao lidar com meus problemas e minha relações. Yoongi me amava e faria tudo por mim, mas sempre deixou claro que esperava o mesmo de mim. Yoongi iria embora se eu falhasse com ele. 

Eu sabia. Ele estava ali e estava todo dia porque confiava em mim. E eu sabia que se alguém tão grande, tão responsável e tão maduro quando Yoongi estava ao meu lado era porque eu merecia. Era porque eu acrescentava algo, fazia ele feliz, o ajudava. Nada me fazia me sentir mais importante.

Yoongi me fez entender o que era estar com alguém por escolha. Meus irmãos, meus pais, eles eram minha família e estavam ali desde sempre e para sempre. Sempre estaríamos ligados. Eu e Yoongi não. A gente escolheu aquela ligação.

Ele me escolheu. E se ele me escolheu é porque eu tenho valor. Nada se comparava a isso.


{...}


ㅡ Taehyung é legal, não é?

ㅡ É sim, hyung.

ㅡ E muito bonito, não é?

ㅡ Sim.

ㅡ Eu sei! ㅡ gritou e moveu os braços para os lados. ㅡ Meu Deus, estou tão apaixonado! Você acha que ele gosta de mim?

Yoongi me puxou tão para perto e olhou tão fundo nos meus olhos que me senti sendo interrogado.

ㅡ Acho que sim, Yoonie. Ele parece gostar de falar com você e sorriu quando você fez biquinho.

ㅡ Ele sorriu?!

Concordei com a cabeça. Yoongi respirou fundo, levantou do sofá, alongou os braços e as pernas e andou de um lado para o outro na sala enquanto pulava, sorria e mexia os braços para cima e para os lados. Ele cobriu a tela da TV por um tempo, mas eu ignorei, porque ele estava muito feliz. Quando seu pequeno surto acabou, ele se sentou e voltou a comer biscoitos.

ㅡ Perdão, eu me animei muito.

ㅡ Eu vi.

ㅡ É que… Sei lá… Eu caí na dele tão fácil. Ele nem fez nada. Você se sentiu assim com Jimin? E essa é uma pergunta séria, livre de outras intenções.

ㅡ Eu não sei, na verdade. Eu sei que gosto dele, mas ainda é muito recente. Tanto nossa relação quanto minha consciência sobre meus sentimentos. E é realmente bem óbvio que ele tem algum tipo de interesse em mim. Isso só me assusta porque eu não fiz nada pra merecer isso.

ㅡ Taehyung também não fez. Às vezes só acontece. A gente só gosta das pessoas.

ㅡ O amor é natural.

ㅡ Isso aí. 

Rimos e eu me ajeitei mais ao lado de Yoongi. Deitei minha cabeça no braço dele; ele fez carinho nas minhas bochechas.

ㅡ E de verdade, Jungkook, sem nenhuma outra intenção, eu espero que você e Jimin funcionem. Mesmo que não seja como casal. O amor pode ser natural, Jungkook, mas a dor também é, e eu espero que ela não chegue tão cedo pra você.


{...}


Fui direto do Yoongi para a escola. Conversei pouco com Jimin antes de dormir. Só falei que estava no Yoongi, e ele disse que estava bastante ocupado. Foi simples e bastou pra mim. Avisei meu pai que estava bem e que depois da escola iria para casa. Eunwoo insistiu para que eu ficasse lá mais uma noite. E, mais uma vez, fiquei muito sentimental. E triste, pois Yoongi bateu nele. Porém, isso é rotina.

ㅡ Passa a bola, Jisung!

Já era a terceira vez que o professor mandava ele passar a bola pra mim. Ele não passou nem queria passar. Todo mundo sabia e o professor também. No entanto, quem queria falar sobre isso? Eu não estava ansioso para ter uma longa discussão que não levaria a lugar nenhum, de todo jeito. Então só ignorei. Ainda que ficasse pior a cada vez.

ㅡ A bola, Jisung! O Jeon está bem do seu lado! Qual parte você não está entendendo? ㅡ o professor questionou, falando alto, ao entrar no meio da quadra.

Todos pararam de jogar e ficaram em silêncio. Yoongi colocou as mãos na cintura e limpou o suor da testa. Ele estava pronto para pegar a bola e jogar ela em uma parte sensível do corpo de Jisung.

ㅡ Eu não vou passara bola pra ele ㅡ Jisung respondeu.

Eu senti onde tudo aquilo iria dar e tentei interferir ao dizer:

ㅡ Tudo bem. Eu posso jogar em outra posição.

O professor negou com a cabeça e bufou. Suspirei e olhei para Jisung. O jeito como ele me encarou me deixou muito tenso.

ㅡ Não vamos mudar o jogo por capricho de ninguém. Passe a bola, Jisung. Não é tão difícil assim.

ㅡ Eu não jogo com aberrações.

ㅡ Então recomendo que você saia da quadra e evite todos os espelhos daqui pra frente ㅡ Yoongi falou.

ㅡ Não precisamos criar confusão. Jisung, passe a bola. Entendeu? Não pense que por ser bom no que faz você não pode ser expulso da aula. E pare de aparecer, Yoongi. Todo mundo já entendeu que você não gosta do Jisung. ㅡ O professor bufou novamente. Andou até longe de nós e apitou.

Yoongi estava com aquele olhar típico quando algo o irritava. Aquilo fazia eu me sentir culpado. Parecia que, por eu não saber me defender, ele tinha que lutar no meu lugar. Eu odiava isso, mas não sabia como mudar a situação. Ninguém começaria a ser super receptivo comigo de repente. Yoongi tinha coragem. Mas ela trazia mais problemas para mim do que me ajudava. 

Quando você sabe que as pessoas vão dificultar pra você, você não pode se dar ao luxo de se impor sempre. Com o tempo todos vão parar de te ouvir.

Não houve mais problemas na aula de educação física. A não ser que Jisung e seus amigos virando a cara pra mim conte. Porém, assim como Yoongi brigar com seus irmãos: era rotina.

ㅡ Estou acabado. Muito acabado. Meu Deus ㅡ Yoongi reclamou e se deitou no chão. ㅡ Por favor, Jungkook, me diga que essa foi a última aula.

ㅡ Foi.

ㅡ Ai, ainda bem! Agora me diga que Jisung e sua tropa de trogloditas caíram em um poço.

ㅡ Isso eu já não posso afirmar. Mas estou torcendo para que sim. Temos que ser positivos.

Yoongi riu, se sentou e mexeu no cabelo. Olhou pra mim por alguns segundos.

ㅡ Você é tão valente, Jungkook.

ㅡ Eu? Foi você que confrontou ele.

ㅡ É necessário muita coragem pra sofrer em silêncio.

O tempo parou atrás de nós. Olhar nos olhos castanhos e pequenos de Yoongi se tornou inevitável de repente. Palavras sem dúvidas eram mágicas, todas elas. E Yoongi me enfeitiçou naquele momento.

ㅡ Suas palavras têm muita magia, hyung. Eu sou muito grato por você ter algumas pra mim. De verdade.

ㅡ Ah, Jungkook, Jungkook… meu Jungkook. Quando vai reconhecer seu tamanho? 

Ele se esticou para beijar meu nariz e estendeu a mão para que eu o ajudasse a levantar. Saímos do banheiro depois disso. Ao mesmo tempo em que entendi o que ele disse também não entendi. Mas nem pude pensar muito nisso, pois na saída da escola senti alguém me observando e tudo que vi quando olhei para trás foi um garoto correndo para longe. Nem vi o rosto dele.

E como se isso não fosse estranho o bastante, Sr. Jung apareceu e me cumprimentou. Mas ele deu um sorriso tão nervoso... Como eu diria: "Eu sei que você e meu pai estão saindo. Tudo bem. Eu não acho esquisito"? Yoongi se ofereceu para contar, mas eu recusei.

Começou a chover quando eu estava na metade da rua da minha casa. Eu estava com meu guarda-chuva e lamentei por Yoongi, que não devia ter chegado em casa ainda.

Um carro passou ao meu lado e eu gelei. Jimin não parou e abriu a porta do carro porque não era ele no carro. Eu estava mesmo enlouquecendo.

Era de amor ou só eu sendo paranóico e ansioso outra vez? Tentei ignorar, mas o caminho até minha casa foi cheio de borboletas.


{...}


ㅡ Como foi no Yoongi?

ㅡ Foi bem legal. Os pais dele estavam lá e fizeram o jantar.

ㅡ Ah! Você se entupiu com o macarrão do Insu?

ㅡ Uhum ㅡ mormurei de boca cheia. 

ㅡ Que bom que se divertiu.

Continuamos a jantar. Ele não disse nada e eu não pude resistir.

ㅡ Então você e o Sr. Jung são amigos?

ㅡ Somos.

ㅡ Hmm... Onde vocês se conheceram?

ㅡ Kijoon dá aulas de história, eu já tinha visto ele na sua escola. Nos conhecemos em uma loja quando eu fui comprar uma tela nova. Acabei reconhecendo ele e começamos a conversar.

ㅡ Ah, claro.

Ele fez um "Aish" e tomou um gole de seu refrigerante. Eu comi meu arroz em silêncio. Meu sorriso estranho deve ter me entregado.

ㅡ O que tem? Eu não posso ter amigos?

ㅡ Quando eu disse isso? Você pode ter quantos amigos quiser!

Ele fez uma expressão de tédio. Eu perdi a luta para a vontade de rir. Meu pai passou a mão na testa e disse:

ㅡ Você vê algum problema nisso?

ㅡ De forma alguma. Já que vocês são tão amigos. Best friends!

ㅡ Não tanto quanto você e Jimin.

Entendi a que Yoongi se referia ao dizer "essa foi bem no coração". Eurubesci e brinquei com a comida no prato. Droga.

ㅡ Não precisava apelar.

ㅡ Mas você e Jimin não são tão amigos? Eu e Kijoon também somos.

ㅡ Pai…

ㅡ O quê? Vocês não são super amigos? Best friends?

ㅡ Aish!

Ficamos em silêncio por um tempo e depois rimos. Era bom ver meu pai animado com algo que não fossem os filhos ou o trabalho. Era bom ver ele sendo um homem além de um pai e um trabalhador.

ㅡ Fico contente por você. Ele parece legal.

ㅡ É bom saber disso.


{...}


Oi, Jeon. Boa noite.

ㅡ Boa noite, Jimin hyung. Como está?

Bem. Está tudo correndo como o planejado aqui. E você? Você disse que tinha ido ao Yoongi.

ㅡ Ah, sim. Eu dormi lá ontem.

Foi divertido? Soube que ele tem uma família enorme.

ㅡ 4 irmãos ao todo. Mas são todos bem legais. Eu me diverti.

Que bom.

Me levantei da cama e parei na frente da janela. As gotas de chuva a molhavam. Toquei o vidro e desejei que minhas próximas palavras tivessem magia o bastante para enfeitiçar Jimin e dar a ele um pouco das minhas borboletas.

ㅡ Está chovendo, Jimin. Está sempre chovendo desde que conheci você.

Realmente. Acha que é mau presságio?

ㅡ Acho que é sorte. Foi por causa da chuva que você começou a me dar carona.

Houve silêncio por um momento. Temi ter dito algo errado, mas não podia voltar atrás nem queria. Eu estava afundando nas borboletas e não havia medo o bastante que fizesse elas pararem de bater as asas.

Talvez a chuva seja nosso cupido.

Foi minha vez de fazer silêncio. Encarei a rua molhada do lado de fora como se ela pudesse me ajudar.

ㅡ Então nunca vai parar de chover?

ㅡ O cupido vai embora quando o casal está junto.

ㅡ Mas você está em Busan, e eu estou em Daegu…

Só até quinta, Jeon. Eu volto na quinta.

ㅡ E aí vai parar de chover?

Se você me disser sim…

ㅡ Acho que eu nunca diria não pra você, hyung.

Silêncio. Silêncio, as gotas de chuva e o barulho delas, minha cortina azul, as milhares de borboletas dentro de mim e ao meu lado, me sufocando, e toda a magia que minhas palavras podiam ter. Foi assim que entendi o que era estar apaixonado.

Então até quinta, Jeon.

ㅡ Até quinta, hyung. Tenha uma boa noite.

Você também, Jeon.



Notas Finais


Copo de leite é uma flor, gente. O pai do Jungkook não tava pintando literalmente um copo de leite KKKN
E aí? O que acharam?
Até💙🌈


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...