História Perfect- 2 temporada - Capítulo 15


Escrita por:

Postado
Categorias 50 Tons de Cinza, Anahí, One Direction, The Vampire Diaries
Personagens Anahí, Harry Styles
Tags 50 Tons De Cinza, Drama, Harry Styles, One Direction
Visualizações 123
Palavras 1.553
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Musical (Songfic), Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 15 - Café?


Fanfic / Fanfiction Perfect- 2 temporada - Capítulo 15 - Café?

Pov’s Sophia

O elevador desce os andares até o térreo do prédio. A raiva de Harry e da briga me acompanham, pego meu carro dirijo sem saber para onde estou indo. Por que aquela briga começou afinal? Por que eu tomei as dores da Scarlet? Por que Harry tinham que se referir aquilo, " drogas" daquela maneira?

Paro o carro antes que uma tragédia aconteça, estou muito nervosa e minhas mãos tremem meu corpo pede apenas por uma coisa, cigarro a droga. Mas eu não posso, desço do carro a um Starbucks aqui em frente, mesmo eu não tendo ideia de onde estou.

Ele liga no meu telefone, sem parar mais não quero e não vou atender, eu só preciso esfriar a cabeça.

[...]

<Ligação on>

-Alex?

-Harry? O que foi, aconteceu alguma coisa?

-É a Sophia, nós dois discutimos, ela saiu de casa com carro e não me atende eu... Alexander por favor me ajuda.

-Calma! Eu to indo, vou atrás dela.

-Obrigado!

<Ligação off>

[...]

Meu pai liga no meu telefone, não sei o motivo, porém também não atendo, Ester liga e de novo meu pai. Eles devem saber mais não quero eu...o carro do meu pai para em frente ao Starbucks que estou, olho o relógio e tarde da noite já. Como ele me encontrou aqui? Nem eu sei onde estou.

-Ai está você!

-Aqui estou eu...como?

-O que houve?

-Discutimos! Pai eu...não sei direito o porquê?

-Filha!

Ele se senta no banco comigo, me abraça e então me aninho ao corpo dele e choro baixinho, ele pede dois cafés aperta minha mãos  unidas como se quisesse me aquecer ou então parar o tremores;

-Café?

-Sim por favor!

-Por que vocês dois discutiram?

-Soube da amiga que ele contratou?

-Scarlet King, nova secretaria do administrativo.

-Isso! Eu é ela nós conhecemos a pouco tempo, eu pedi ao Harry para contratar ela. Ela e muito boa e temos sido boas amigas, mas...

-Mas?

-Ela usa drogas pai! Fuma, cigarros de cabannis! Harry voltou de Manchester e foi à casa dela comigo, levar a filha dela que fica comigo as tardes em casa.

-Sophia?

-Eu...ele já não gostou do lugar e quando começou a me perguntar sobre ela e o problemas com as drogas, ele foi tão agressivo que eu...

-Tomou as dores dela?

-Isso! Não sei ao certo o porquê, mas foi isso! Discutimos ele foi ainda mais grosso e me ofendeu me perguntando se eu tinha usado.

-Filha!

-Pai, ela e minha amiga independente do que faz e uma pessoa boa e tem me ajudado tanto. Quer dizer o fato de eu e ele não conseguirmos um filho, eu não posso mais dançar e me sinto tão...

-Sophia você não está sozinha, nem e uma incapaz.

-Eu sei! Só que, eu não concordo com a forma como ele falou dela.

-Entendo! Mas, não me leve a mal! Você não usou drogas? Usou?

Olho minhas mãos envolvidas na xícara de café e choro mais, eu não posso mentir para o meu pai, não posso.

-Sim! E.. Scarlet e eu nós conhecemos da forma errada, não nós importávamos. Ela me ofereceu só um cigarro e eu estava tão afundada na minha agonia para ser mãe que usei. Depois nós duas construímos uma amizade e ai, ela me aconselhou a parar e eu to limpa pai eu juro! Eu não uso a dias.

-Filha!

Alexander me aperta mais em seus braços, ele me deixa chorar com a minha própria dor, com fato confessar aquilo, entalado na minha garganta.

-Filha, preciso que me diga Sophia?

-Foram apenas duas vezes pai! Quando nós conhecemos e alguns dias depois eu é Harry estávamos cheios de esperança, para termos o bebé mais tudo foi por água a baixo com uma manhã, ele viajou a trabalho e eu, naquele dia eu usei e depois Scarlet e eu conversamos. Quero ter um filho é por essa criança que nem está dentro de mim ainda, eu decidi não fazer isso.

-Espero que nunca mais!

-Nunca mais!

-Harry não sabe?

-Não, hoje brigando com ele eu acho que muito daquilo e por ter certeza que ele ficaria ainda mais bravo se soubesse que eu usei.

-Ele te ama, só quer te proteger.

-Não se protege ninguém criando um cerco pai!

-Isso! Bom, volte para casa agora e me prometa nunca mais fazer algo assim?

-Prometo!

-Enquanto a sua amiga, Harry tem que entender que as pessoas não são culpadas por seus demônios. E eu sei que se uma amizade saiu de tudo isso, você vai conseguir ajudar ela. Vocês dois são um casal, escolheram estar juntos, mesmo pensando diferente, tem que achar uma forma. 

-Sim!

-Vamos, eu acompanho seu carro até seu apartamento!

-Obrigado pai!

-Não tem de que meu amor, eu sempre vou estar aqui!

Abraço meu pai mais uma vez, sinto seu cheiro, seu amor e sua vontade de cuidar de mim mais uma vez, acabamos o café e eu pego o carro ele me acompanha até o meu prédio e quando entro na garagem ouço a buzina e o carro dele vai embora. Subo o elevador e assim que entro em casa Harry está na sala.

-Onde você estava? Eu liguei para seu pai eu fiquei muito preocupado.

-Me desculpa! Por sair daquele jeito.

-Não queria brigar, só quero proteger você, cuidar para que não...

-Para que não?

-Sophia, Scarlet não é uma boa influência para você!

-Harry eu não vou discutir isso, não de novo! Só quero que saiba, que você não manda em mim, com quem eu me relaciono. Olha brigar e tudo que houve, foi exagerado da parte dos dois. Mas Scarlet e uma pessoa boa, minha amiga e eu estou tentando ajudar ela, não só com as drogas, mas ela sabe como ninguém o que é lutar para ter uma vida melhor, mesmo que tente não entenderia. Nunca teve que passar por nada que ela passou, mas eu já. Então não me diga que ela é ou não uma boa influência.

-Não quero brigar com você, só quero te proteger.

-Isso não é proteção e controle é nunca vai fazer isso comigo! Vou me deitar, boa noite.

-Sophia...

Pov’s Harry

Ela sai da sala com a bolsa e um olhar de brava, ainda estamos brigados. Eu sei disso por que, por mais que tenha baixado a guarda e não tenhamos gritado como fizemos a alguns minutos atrás, ela está indiferente comigo. Eu sei que não tenho direito de dizer com quem ela fala ou deixa de falar. Mas só quero proteger ela. Vou para o quarto depois de um tempo, ela está deitada no canto da cama que sempre dormiu, toda coberta, tento tocar nela, puxar para que se deite perto de mim, mas ela me afasta e se vira para outro lado. Me dou por vencido, talvez amanhã ela e eu possamos conversar.

E cedo olho para o lado, porém Sophia não está aqui. São oito da manhã no relógio me preocupo, por isso levanto e vou a cozinha, onde Elizabeth prepara o café da manhã.

-Bom dia Elizabeth! Sabe me dizer onde está Sophia?

-Ela saiu bem cedo com a Layde, estava vestindo roupa de ginastica senhor!

-Obrigado!

Volto para o quarto, tento o celular mais uma vez ela não me atende. Deve ter ido apenas se exercitar. Me arrumo para ir trabalhar, passo na praça perto do nosso apartamento, ela está com Layde na praça, joga um frisbee para a cadela, que corre e traz de volta o mesmo para ela.

Ontem à noite e a forma como brigamos, eu fiquei com medo por ela, sei o que a droga faz e o que fez com ela. Mas ela é muito forte e não se deixaria vencer por isso de novo, preciso confiar nela. Depois de um tempo as observando vou para o escritório.

Pov’s Sophia

Acordo cedo, antes de Harry não quero falar com ele, ainda estou muito brava. Pensei que a fase de querer me controlar, controlar minhas amizades e até mesmo minhas vontades tinha passado. Mas ele ainda e o mesmo machão que conheço, querendo sempre exercer controle. Isso me tira do sério, vou para praça com Layde e fico a jogar frisbee com ela, o vento no rosto, o ar puro e ter conversado com meu pai ontem, me fez pensar que posso sim ficar limpa, a droga não vai acabar comigo como fez antes.

Jogo o frisbee mais uma vez, Layde salta o agarrando no ar, quando ela corre até mim, observo que há um homem me olhando, ele usa uma calça jeans, tênis e uma blusa de frio com capuz, seu rosto está meio encoberto pela luz do sol, mas eu acho que o conheço. Não...não pode ser.

Passo a coleira na Layde de novo e volto a correr, agora me dirigindo para a saída afim de ir embora, corro em passadas leves, porém a algo estranho sinto que estou sendo seguida.

Saio da praça e pego uma avenida que vai dar de frente ao meu prédio, olho por cima do ombro, o homem que estava na praça está me seguindo, acelero as passadas e quando chego ao prédio já estou sem ar por correr, entro em casa as presas me escorando na porta.

-Senhora Sophia? Aconteceu alguma coisa?

-Tinha um...tinha um...Elizabeth água. Por favor! 


Notas Finais


Olá meu amores! Gente primeiro, esse casal se ama. Parem já de brigar! Segundo, quem é esse cara?
Scarlet e Sophia essa amizade e tipo boa ou tipo desastre?
Queria dizer que já estou sonhando com as emoções da terceira temporada.
Comentários?
Beijos!
LEMBRANDO QUE; Voltei a estudar essa semana, então vamos tentar um capitulo por dia?Ok!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...