História Perfect--Fillie - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias A Bela Adormecida
Visualizações 27
Palavras 1.051
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia)
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa leitura🖤👣

Capítulo 1 - Sinto que nós vamos ser grandes amigos


 São meia noite e eu aqui não conseguindo dormir, o cansaço de ter ficado 1 dia sem comer era tão grande,

Eu sei que era pouco não significa muito, mas pra mim é uma grande conquista, nunca consigo ficar um dia sem comer por muito tempo e agora eu consegui, finalmente!

Eu estou cansada, meus lábios estão secos, mais vai valer a pena, é só eu me olhar no espelho e ver aquela gordura que eu odeio ali na minha barriga e minha motivação está aí.

Quando eu me dou conta eu estou acordada e já são sete da manhã, resolvo não passar nenhuma maquiagem, e so tomar um banho.

Desço e meu café estava pronto

Droga!

"Filha? Não vai tomar seu café?" minha mãe diz.

"Vou comer na escola, meus amigos estão lá me esperando!" digo.

Que amigos?

Eu só tenho uma a maddie.

"Que bom que você está conseguindo fazer amigos filha, se não estiver tudo bem e só me avisar" ela diz e eu dou um beijo em sua testa.

Minha mãe falou isso porque eu tive que mudar de escola no meio do ano, pois estava com dificuldades de fazer amigos e acabei desenvolvendo ansiedade.

Decido não pegar ônibus e vou a pé, perder calorias era insencial,


Chego na sala atrasada pois ir a pé pra escola era realmente cansativo e longe, acabo recebendo todos olhares, me fazendo ficar vermelha.

Já estava no segundo horário e minha tremedeira era muito, meus lábios estavam secos e eu sentia cada batida do meu coração.

Tocou o sinal para irmos pro intervalo, e minha tontura aumenta.

Vou encontrar maddie, nos estudávamos na mesma escola mas na mesma sala não, o que me fazia ficar triste.

"Oi... Millie você tá pálida tudo bem?" maddie pergunta.

"Claro..."

"tem certeza?"

"Já disse que sim, me deixa em paz" grito e ela fica vermelha.

Então foi assim, o intervalo totalmente desconfortável, nos não trocamos uma palavra.


"Professora posso ir beber água?" pergunto, a fome estava começando a voltar, vi em um site de anas e mias que beber água ajudava espantar a fome. Espero que seja verdade.

Vou até o bebedouro com passos grandes mais lentos ao mesmo tempo, eu estava extremamente cansada.

Encho minha garrifinha e na escada eu sinto uma tontura, me encosto na parede e sinto as batidas do meu coração ficarem lentas mais logos se acelerarem, sinto duas mãos na minha cintura mas uma eletricidade muito forte.

"Você está bem?" o menino desconhecido diz e eu me viro pra frente pra ver quem era 


 era o finn wolfhard o menino mais popular da escola?

"Finn wolfhard?" digo e ele recolhe uma mecha de cachos que caiu em seu rosto e ri. 

"Você está bem?" quando ele diz isso minhas pernas fraquejam a tontura fica forte e tudo fica escuro

Acordo na enfermaria e minha mãe do meu lado e o finn na porta me olhando fixamente como se estivesse desapontado..

"Filha oque aconteceu você desmaiou! Vou te levar ao médico vem" minha mãe diz me ajudando a levantar da maca mais eu caio de novo e minha mãe diz "Filha, você precisa ir no médico urgentemente vem"

"Me deixa mãe eu tô bem!" digo me levantando de onde eu tinha caído

"Não, não está!" Finn diz e meu coração acelera, porque ele estava aqui? porque ele se sentia no direito de mandar na minha vida

"Você não me conhece finn wolfhard!" digo, mais nunca foi disso por algum motivo eu estava extremamente estressada.

"Não fale assim com ele, ele te carregou até aqui" minha mãe diz me levando até a porta.

Ótimo, Finn wolfhard teve que carregar uma baleia, tadinho, Deus eu só estrago tudo!

Uma semana depois.. 

Finn Wolfhard, não conseguia tirar millie da cabeça por algum motivo, e todos os intervalos ele voltava na mesma escada na esperança de encontrar millie de novo. 

Eu faltei uma semana na escola, já tinha perdido vários kilos, a maddie me telefonou algumas vezes mas eu recusei todas as chamadas,

"Filha trouxe lasanha!" minha mãe diz entrando no quarto mais quando ela me vê ela deixa o prato de lasanha cair no chão e começa a chorar

"MÃE OQUE ACONTECEU?" digo ao ver ela deixar o prato cair no chão

"Filha... Você tá um esqueleto puro, está sem comer a quantos dias? Seus olhos parecem pular pra fora! E... Que cheiro podre e esse?" ela diz chorando, mas não me importo

Me importo se ela descobrir que eu tenho anorexia,

 não... Eu não tenho eu sou gorda! Gordos não tem anorexia. 

A voz boa voltou a sussurrar no meu ouvido

"Calma minha querida, eu estou aqui, eu sou a ana! Eu estou aqui, e não deixe ninguém me roubar de você, você ainda tem muitos kilos que perder"

Essa voz ecoava no meu ouvido,

Me levanto da cama e vou até ao meu espelho, la estava eu, meu cabelo bagunçado, minhas coxas roçando, minhas gorduras, todas.... Lá!

Minha mãe por si começou a chorar e a gritar pro meu pai vir

Quando meu pai chegou ofegante ele abriu a boca em formato de o e disse

"MEU DEUS MILLIE BOB BROWN! VOCÊ TÁ HORRÍVEL, EXTREMAMENTE MAGRA!"

Ótimo ainda me chama de horrível,

Que me dera estar extremamente magra, eu estou gorda ainda, muito gorda!

Minha mãe abre o meu guarda roupa e começa a chorar mais ainda,

"Amor vem aqui, ela tem anorexia! Olha todas as comidas que eu levei pra ela estão aqui!" Minha mãe grita entre soluços.

"EU NÃO TENHO ANOREXIA! EU SÓ NÃO ESTAVA COM FOME!" essa foi a última coisa que eu disse depois de mim desmaiar.


"Ela acordou" minha mãe diz e eu vejo que eu estou em uma salinha, com um soro em minhas veias,

Droga quando de calorias aquilo tinha?

A psicóloga começou a conversar comigo e com meus pais, mas depois mandou eu sair e dar uma volta na clínica.

Tinha várias pessoas tristes, depressivas, e etc.

Vejo um menino muito magro, será que ele era como eu?

Decido me aproximar e vejo que ele estava de fone de ouvido, tiro um dos fones dele e ele diz:

"Mas que porra.."

Consigo ver o rosto dele e era puro osso, mas não dava pra mim ver o corpo pois ele estava de moletom preto bem grosso e grande,

"Oi... Eu sou a millie" digo e ele se vira completamente e diz:

"Prazer sou o noah! Tenho anorexia!"

"Não sabia que meninos tinham anorexia" digo e ele vira os olhos

"Meninos tem anorexia sim! E você também tem anorexia né?" ele diz. 

"Sim... Prazer!"

"Sinto que nós vamos ser grandes amigos" noah diz

Continua 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...