1. Spirit Fanfics >
  2. Perfect For Us:: Taejikook - ABO >
  3. Thirteen

História Perfect For Us:: Taejikook - ABO - Capítulo 14


Escrita por:


Notas do Autor


Olá, boa leitura ♡

Capítulo 14 - Thirteen


— Então, estava com ciúmes daquele ômega, uh? — Pergunta Jungkook, num tom ameno, com Jimin agora em seu colo.

Ainda estavam na área da piscina, mas Jimin não tinha mais pressa em entrar na água, queria aproveitar um pouco mais de seus futuros alfas. Sempre que ele pensava sobre talvez se tornar o futuro ômega de Jungkook e Taehyung seu estômago se enchia de borboletas. É certo de que sempre sentiu algo pelos mais velhos, eles sempre despertaram sentimentos que Jimin nunca soube reagir, ou saber do que se tratava, e embora tivesse saído de um casamento recentemente, sabia que seu corpo e seu coração desejavam estar com os alfas.

— Ciúmes minha bunda! — Jimin bufou, cruzando os braços em frente ao seu corpo.

— Seus feromônios exalavam ciúmes. — Taehyung sorriu, provocando o ômega. Jimin deixou um biquinho surgir em seus lábios.

— Se vocês arrumassem um ômega, iriam me esquecer. — Jimin admitiu baixinho. — E eu não queria ser esquecido por vocês.

— Nunca esqueceremos você, Minie. — Jungkook o abraçou mais forte, deixando seu queixo no ombro do ômega, com um suspiro.

— Vocês... hrm... vão mesmo me cortejar, não é? — Jimin olhou para os alfas, ainda inseguro.

— Sim, ômega. — Taehyung cheirou sua glândula, em êxtase com seu cheiro. — Vamos te cortejar, e iremos te dar as nossas marcas. — Taehyung disse baixo, arranhando suas presas no pescoço do ômega, bem em cima da onde Haneul havia mordido antes, que agora restava apenas uma pequena cicatriz. Jimin sentiu seu corpo tremer.

— E você será um dos poucos ômegas a carregar duas mordidas de alfas no pescoço. — Jungkook sorriu, apertando suas bochechas gordinhas, causando um biquinho nos lábios de Jimin.

— Eu acho que eu estou sonhando. — Jimin fechou os olhinhos, se encostando no peitoral de Jungkook. — Estou sonhando, com certeza. Taehyung, me belisque! — Jimin exclamou, estendendo o braço para o lúpus, que riu ao ver a cara de mandão que Jimin havia feito.

— Está bem acordado, ômega. — Taehyung se afastou, não sem deixar de sorrir. Seu lobo interior gritava. Estava feliz por finalmente poder cortejar Jimin, por finalmente tê-lo.

Os dias se passaram depressa. Logo, faltava apenas mais dois dias para irem embora. Jimin estava melhor, seus ferimentos já haviam desaparecido, sem deixar rastros de dor. O ômega realmente agradeceu por isso. Conversava e brincava diariamente com os alfas, estava feliz por estar perto deles, sem sentir medo dessa vez, de seu pai ou de Haneul. Ele estava bem, e fazia dias que havia sentido vontade de colocar para fora tudo que o que pudesse haver em seu estômago. Jimin estava menos esquelético, por estar se alimentando bem, graças a Taehyung e Jungkook, que faziam de tudo para que o ômega comesse bem e ficasse saudável.

Estava de tarde, Taehyung estava no banheiro e Jungkook estava tirando um cochilo. O ar fresco que entrava pela cobertura era refrescante, deixando os lobos satisfeitos.

O celular de Jimin tocou e ele o atendeu, sem nem prestar atenção em que estava ligando. Se ele tivesse prestado, saberia que não deveria ter atendido.

— Alô?

Preciso de você. — Ouviu a voz daquele que o fizera tão mal, fazendo seu corpo reagir contra. As mãos agora tremiam. Jimin estava visivelmente desconfortável. Iria desligar, mas Haneul voltou a falar, como se soubesse o que o ômega estava prestes a fazer. — Não desliga. Eu sei, eu agi mal, eu sinto muito. — Haneul forçou um choro. — Eu não quero te perder, ômega. Eu estou com medo. Estou no hospital e talvez eu saia preso daqui. Venha ao menos me visitar, por favor.

Não vou. — Jimin respondeu, firme. Realmente não iria. Não queria mais saber de Haneul, não queria mais ser atormentado por ele. Simplesmente não conseguia, seu lobo estava cansado, ele estava cansado. Era demais.

Me perdoa, Jimin. — Haneul suplicou. — Me dê apenas mais uma chance, apenas uma.

— Você perdeu todas as chances que tinha comigo, Haneul. — Jimin foi sincero. — Sei que passamos muito tempo juntos, mas tudo o que fizemos foi ferir um ao outro. Não nos amamos de verdade e eu agora consigo enxergar isso. Isso nunca foi amor, Haneul. Eu realmente gostei de você, eu sei disso. Mas o sentimento não foi bem cultivado e isso trouxe ele ao fim. Quando gostamos de alguém, devemos cuidar e cultivar o sentimento bom. Quando paramos de o fazer, aos poucos o sentimento vai morrendo, e quando vemos, tudo já era. Foi o que nos aconteceu. Eu realmente espero que você seja feliz, mas eu não quero mais nada com você, nem ver você, nem nada que envolva você.

Jimin, por favor...

— Estou pensando em mim agora. — Jimin sorriu pequeno, e olhou em direção a Jungkook, que ainda dormia sereno. — Estou pensando no que me faz feliz, e você não me faz mais feliz. Uma vez, alguém importante para mim, me disse que chorar por você era um desperdício. E essa pessoa estava certa. E eu ainda demorei tanto tempo para perceber... — A voz de Jimin embargou.

Taehyung saiu do banheiro nesse momento, vestindo apenas uma bermuda folgada, junto de uma camisa larga. Se aproximou em silêncio ao perceber que Jimin estava em ligação. Se sentou na cama, puxando Jimin para o meio de suas pernas, o abraçando pela cintura, o que fez Jimin fechar os olhos por um momento, se sentindo mais corajoso do que nunca, para encerrar aquilo de uma vez.

Seu pai quer que eu assine os papéis do divórcio. Eu não vou assinar, eu não quero perder você! — A voz do outro lado agora estava mais irritada.

— Você me perdeu a muito tempo, Haneul. — O corpo de Taehyung ficou rígido ao saber com quem Jimin estava falando. — Acabou. — E a ligação foi encerrada.

Jimin largou o celular na cama e deixou o choro vir a tona. Taehyung o puxou ainda mais, tentando confortar Jimin o quanto podia.

— Está tudo bem. — Taehyung sussurrou, afagando seus cabelos.

Jungkook acabou acordando pelos movimentos no colchão e se sentou devagar olhando para os dois, ainda sonolento demais para entender o que estava acontecendo. Mas ao notar Jimin chorando, se aproximou preocupado.

— O que houve, pequeno ômega? — Jungkook enxugou suas lágrimas, sentindo seu coração doer ao ver Jimin naquele estado.

— Tô bem, Kookie. — Jimin levou suas mãozinhas até as mãos de Jungkook, respirando aliviado por ter os alfas consigo.

— Tem certeza?

— Tenho. — E Jimin sorriu.

[...]

Ao retornarem para Seul, Park Chin os instruiu a se camuflarem, a mídia estava querendo a todo custo saber de Park Jimin. Ninguém do hotel havia falado sobre o paradeiro do ômega ou com quem estava. Era um total sigilo e ninguém desobedeceria o dono do hotel. Não ao menos que quisesse um problema enorme para si.

Conseguiram chegar na casa dos alfas bem, mas por via das dúvidas, haveriam dois seguranças disfarçados ali, para que nada acontecesse a eles.

A mansão de Jimin estava fora de cogitação, era provável que lá estivesse cheio de reporters e de paparazzis, e isso era tudo o que eles menos queriam agora.

Na manhã seguinte, teriam o ensaio fotográfico, Jungkook os acompanharia. Taehyung sabia na merda que estava se metendo, tinha plena convicção, mas não iria desistir. Não se significasse desistir de Park Jimin também. Esse erro ele não cometeria.

Desfizeram as malas, incluindo Jimin, já que sempre gostava de ir a casa dos alfas e tinha muita roupa, decidiu que deixaria aquelas ali. Os alfas não foram contra.

— Como você está, bebê? — Jungkook perguntou para Jimin, que terminava de arrumar suas roupas num cantinho do closet, onde os alfas arrumaram para deixar um espaço para suas roupas. Não era muito, já que o closet era pequeno, mas era o suficiente. E Jimin vinha aprendendo que, embora muitas vezes fosse legal ter de muito, o suficiente já bastava.

Os três haviam tomado banho a alguns minutos, separados. Taehyung decidiu ir a cozinha para preparar algo para comerem, antes de finalmente dormirem. O dia amanhã seria longo e precisavam estar descansados.

Jimin ergueu os braços para Jungkook, que o pegou em seu colo. As pernas de Jimin rodearam a cintura de Jungkook e este o segurou pelas coxas. Só assim Jimin conseguia ficar cara a cara com o alfa. Embora sempre tivesse suas bochechas coradas por isso.

— Eu estou me sentindo livre, Jungkook-ssi! — Jimin sorriu largo ao responder. Sentia seu coração mais leve, parecia que sua vida finalmente estava indo em uma direção boa. Não se sentia mais sufocado. Antes, pensava bem em tudo que iria comer e quando iria comer, porque sabia os comentários que Haneul e Park Chin fariam, e isso o deixava atormentado. Não saía com amigos ou trabalhava, porque não lhe era permitido. E Jimin nunca se sentiu tão livre em toda a sua vida.

— Eu fico feliz, Jimin-ssi. — Jungkook riu, caminhando devagar até a cozinha, Jimin soltou um gritinho e se agarrou ao pescoço do alfa, com medo de cair. Jungkook nunca o deixaria de fato cair.

— O que está fazendo, Taehy? — Jimin perguntou curioso ao chegar na cozinha, vendo o alfa fazer alguma coisa na pia.

— Como vamos dormir daqui a pouco, devemos comer algo leve. Então estou cortando frutas em pedaços pequenos que eu sei que tanto você quanto Jungkook gostam. — Taehyung sorriu, virando se para os dois, e seu lobo pareceu satisfeito quando viu como ambos estavam. Jimin parecia um bebê no colo de Jungkook.

Jungkook tentou colocar Jimin sentado na bancada, mas o ômega negou, não queria sair do colo do mais velho.

— Jimin...

— Não quero! — Negou com a cabeça, deixando sua cabeça na curva do pescoço de Jungkook, o abraçando mais forte.

— Está muito mimado, uh? — Jungkook perguntou, de brincadeira. Ele não deveria ter o feito, pelo bem da sua saúde mental.

Jimin se afastou e o olhou nos olhos, com a expressão mais inocente que conseguiu.

— Eu sou o seu garoto mimado, Jungkookie. — Sussurrou, com seu rosto próximo, como se fosse um segredo. Jungkook engoliu em seco, não esperava aquilo do ômega. Muito menos o selinho repentino que Jimin lhe deu.

Jungkook parecia em transe, enquanto Jimin descia de seu colo com uma risadinha sapeca, indo até Taehyung e o abraçando por trás.

— O que você fez com o Jungkook, Jimin? — Taehyung notou como Jimin ria baixinho e como Jungkook estava em silêncio.

Jimin o puxou para baixo, para então sussurrar em seu ouvido:

— Dei um selinho nele. Acho que o deixei em estado grave. — Taehyung gargalhou, colocando a faca dentro da pia e pegando um único recipiente com as frutas, o colocando na mesa.

Taehyung foi até Jungkook e estalou os dedos em frente ao seu rosto, fazendo o mais novo voltar ao normal, ainda confuso com o que havia acontecido. Jimin deixou mais uma risadinha escapar com isso.

— Você não pode deixar o Jimin fazer você entrar em transe o tempo todo, Jeon. — Taehyung lhe deu um beijo na bochecha e Jungkook revirou os olhos de modo carinhoso, não estava realmente bravo. Jimin havia pegado uma mania de provocar Jungkook, sempre que podia. E o alfa acabava em transe. Porque sabia que no momento não poderia fazer nada. Já Taehyung, Jimin não provocava, não por enquanto.

Taehyung os chamou para a sala e os acomodou em suas pernas. Aos poucos, foi dando os pedaços de frutas na boca de Jungkook e de Jimin, que aceitavam de bom grado enquanto assistiam algum seriado da televisão. Quando terminaram, Taehyung levou o recipiente para a pia e então os três foram para o quarto.

Nessa noite, os três dormiram juntos na cama, com Jimin no meio. Ao amanhecer, despertaram com o alarme do lúpus, eram cinco horas. Precisavam estar na agência as sete.

— Jimin, precisamos acordar. — Jungkook o chamou, em vão. O ômega virou para o outro lado, não queria acordar agora.

— Jimin, se você não levantar logo dessa cama, irá se arrepender. — Agora era a voz de Taehyung, e Jimin apenas murmurou algo, mas se sentou, ainda sonolento.

— Jungkook-ssi... — Falou manhoso, coçando os olhos. — Me leva?

— Venha. — Jungkook o segurou no colo, o levando para o banheiro e o ajudando a escovar os dentes, depois, deixou Jimin sozinho para tomar banho.

— Você mima muito esse garoto, Jungkook. — Taehyung o advertiu.

— E quem resiste aquela carinha fofa, Taehyung? — Jungkook se defendeu.

— Ninguém. — O lúpus concordou, arrancando um sorriso de Jungkook.

O café da manhã foi servido com torradas, sucos, e claro, Jungkook alimentava Jimin na boca. Já que o ômega alegava estar com muito sono para fazer esforço com as suas mãos, o que convenhamos, era puro drama.

Um carro já os aguardava, era o de Jimin, e Chung os saudou com um bom dia. Jimin não se segurou e pulou em cima de Chung, o abraçando apertado, estava agradecido.

— Que saudade, Chung!! Obrigado, obrigado, obrigado! — Chung riu da animação do ômega e afagou seus cabelos, com um sorriso.

— Não há de quê. Vamos, se sente e ponha o cinto, seu pai vai me deixar louco qualquer dia desses. Disse que estávamos atrasados, mas ainda faltam vinte minutos, oras. — O beta desabafou e Jimin riu, voltando a se sentar direito e colocando o cinto.

— Ele tem uma capacidade de deixar todos loucos, Chung. — Jimin segurou nas mãos dos alfas, um pouco mais acordado do que antes.

O resto do caminho foi feito em silêncio, ao chegarem, como haviam previsto, haviam paparazzis e repórteres. Nenhum deles conseguiu contato direto com Jimin ou os alfas, já que os seguranças que ali estavam impediram.

— Estão atrasados. — Park Chin os olhou de braços cruzados.

— Que estranho, ainda faltam dois minutos no meu relógio. — Taehyung falou ao olhar seu relógio, voltando a encarar Park Chin com um sorriso falso. — Bom dia, Park Chin, a viagem foi ótima, chegamos bem e seu filho também está bem.

— Não temos tempo para conversas, vamos logo. — Park Chin saiu andando até uma sala reservada para a sessão de fotos, as roupas já estavam organizados, perto de um trocador.

— Bom dia, estava esperando vocês. — A fotógrafa sorriu. — O lúpus irá primeiro, suas roupas estão ali. — apontou para o segundo trocador, onde suas roupas estavam penduradas em ordem. — Vista a primeira e venha logo, ainda temos a maquiagem. — Apontou agora para outro espaço, onde haviam dois betas sentados com maletas de maquiagem em mãos.

— Tudo bem. — O lúpus respondeu simples e andou até o trocador, fazendo o que lhe foi pedido.

— Jimin, vista a sua primeira roupa, daqui a pouco também irá tirar as fotos com Taehyung. — Jimin assentiu e saiu.

Segundos depois, Taehyung voltou com um terno preto e uma das ajudantes correu até ele para terminar de o arrumar. O instruiu a deixar os primeiros botões da camisa branca abertos, usando como desculpa dar um ar mais sexy. O cabeleireiro também foi até ele, arrumando seu cabelo tão rápido que Taehyung mal pôde piscar. Nos instantes seguintes, um dos maquiadores fez seu trabalho, deixando a pele de Taehyung com mais destaque.

— É sempre assim? — Taehyung perguntou para a fotógrafa e ela sorriu, assentindo.

— Venha. — O posicionou numa poltrona confortável, e o ajudou a fazer as poses, tirando as fotos o mais rápido que podia.

— Troca de roupa, agora. — E Taehyung saiu novamente para mais uma troca. Assim se seguiu, até o momento em que Jimin também entraria nas fotos.

— Eu quero que fiquem de frente um pro outro, desse lado daqui. — Os levou até o outro lado da sala, onde havia um fundo feito, de um lado, haviam rosas e jornais no chão, do outro lado tinha uma cama, com cortinas e a pintura de um sol na parede.

Jimin ficou do lado da parede do sol, de frente ao Taehyung, que estava do outro lado, de frente às rosas.

— Jimin, leve sua mão a bochecha de Taehyung e Taehyung faça o mesmo com Jimin. — A fotógrafa pediu e assim foi feito.

As fotos foram tiradas, e agora haviam trocado de lugar, dando início a mais fotos.

Fizeram novamente uma troca de roupa. Quando notaram a de Jimin havia ficado um pouco justa. Park Chin o olhou de modo rígido.

— Falei para emagrecer, Jimin. — Jimin se encolheu.

— Me desculpa...

— O que está acontecendo? — Jungkook se aproximou. Seu lobo sentiu o lobo de Jimin inquieto, ele não conseguiu entender como, mas relevou no momento.

— Eu preciso ir ao banheiro. — Jimin não olhou para Jungkook quando falou, e Jungkook conseguiu entender o que estava acontecendo.

— Park Chin, sai. — Jungkook disse, ríspido.

— Quem você ac...

— Eu falei para sair e não tô brincando. — Jungkook o olhou frio e Park Chin bufou, saindo e os deixando sozinho.

Jimin fungou.

— Presta atenção. — Jungkook segurou seu rosto com as duas mãos. — Respira fundo, bebê. Respira fundo. — Jimin assim o fez. — Você tá incrível com essa roupa, suas coxas estão incríveis e você é o ômega mais bonito de toda a agência.. Aliás, do mundo. Você está perfeito, não há nada que precise mudar em você, está me ouvindo? — Jimin assentiu devagar, voltando a se sentir bem.

— Estou.

— Ótimo, agora você vai sair e vai tirar aquelas fotos, com a capacidade e a beleza que te pertencem. Você é perfeito, entendeu? Você é tão lindo que chega a doer, ômega. — Jimin soltou uma risada e Jungkook sorriu aliviado.

— Agora vai, meu pequeno ômega, e mostra o que sabe fazer de melhor.

— Obrigado, Kookie. — E Jimin deu andou rápido até Taehyung, com a cabeça erguida. Isso causou um sorriso enorme no lúpus e em Jungkook.

Quando tudo acabou, vestiram suas próprias roupas e suspiraram, finalmente estavam livres daquilo. Taehyung e Jimin procuraram por Jungkook pelo olhar, quando o viram, este estava conversando com a fotógrafa sobre as fotos. Os dois olhavam para a câmera e sorriam, Jungkook realmente estava encantado pela beleza dos dois.

— Você também daria um belo modelo, sabia? Park Chin deveria chamar você para um book. — Jungkook sorriu agradecido, mas recusou, não era aquilo que queria para sua vida.

— Vamos? — Taehyung se aproximou com Jimin e Jungkook se despediu da fotógrafa. Andaram até Park Chin, que os encarava.

— Concluímos tudo hoje. — Taehyung sorriu, um ar provocador em sua face. — Seja feliz com a fama. — Park Chin sorriu, também forçado.

— Eu serei.

Saíram da agência sendo protegidos novamente pelos seguranças, entraram no carro e Chung deu partida.

— Preciso ir pra casa do Yoongi, tudo bem? — Jimin perguntou inseguro e os alfas assentiram.

Chung então deixou Jimin primeiro, e fez questão de andar até a entrada com ele, para que nada lhe acontecesse e sabia que havia paparazzis por perto.

Yoongi abriu a porta, estava sonolento, então apenas saiu e deixou que Jimin entrasse e fechasse a porta por si só, seguindo o mais velho.

— O que é? — Yoongi se deitou no sofá, colocando uma das almofadas sobre sua cara.

— Fui pedido em cortejo. — Falou, sentando-se no outro sofá. Yoongi se levantou rápido, jogando a almofada para longe.

— O quê?!

— Por Jungkook e Taehyung. — As bochechas do ômega coraram.

— Você saiu de um casamento só tem uma semana! O que é isso na tua pele? É mel, caralho? — Yoongi o olhava atônito.

— Eu sei, mas eu... bem... Eu aceitei, porque eu quero. — Jimin sorriu. — Quero muito.

— Tá, parabéns. Mas o que eu tenho haver?

— Preciso de ajuda. — Fez biquinho.

— Sobre?

— Eu não sei nada sobre um cortejo! — Exclamou, nervoso. Jimin nunca tinha sido cortejado na vida. Ele não entendia nada do assunto, nem sequer havia pesquisado. Mas sabia que Yoongi saberia tudo a respeito, ele sempre sabia das coisas.

— Puta que me pariu Jimin.

— Yoongi... — Jimin fez manha. — Por favor...

— Queria uma mordida, não sabia nada sobre a mordida. Quer ser cortejado, mas não sabe nada sobre o cortejo. Jimin! Você tem que pesquisar mais sobre as coisas antes de apenas aceitar.

— Eu sei... — Jimin olhou para o chão, cabisbaixo. Mas, seu lobo queria tanto os alfas. Jimin não seria louco de falar não.

Yoongi murmurou alguma coisa, irritado consigo mesmo, antes de falar:

— Okay. — Suspirou. — Eu ajudo você sobre essa merda.



Notas Finais


Espero que tenham gostado ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...