1. Spirit Fanfics >
  2. Perfect For Us:: Taejikook - ABO >
  3. Two

História Perfect For Us:: Taejikook - ABO - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


Olá, espero que gostem. ♡

Capítulo 3 - Two


— Vocês demoraram. — Jungkook afirmou assim que Taehyung e Jimin chegaram a mesa. Jimin estava em silêncio, pensando no que havia acontecido minutos atrás e Taehyung havia pegado o cardápio novamente, o que fez Jungkook estranhar. — Vai pedir mais alguma coisa? Eu já paguei a conta.

Taehyung afirmou, sem demorar a responder. — Vou comprar três sanduíches para nós. — Jungkook apenas concordou, sem querer saber o porquê do alfa querer algo a mais para comer.

— Querem mais alguma coisa? — Namjoon chegou a mesa poucos segundos após Taehyung chamá-lo.

— Três sanduíches com salada e apenas uma fatia de queijo. Nos traga copos de água também, com gelo, por favor. — Namjoon assentiu, mais uma vez se retirando em direção ao balcão, entregando o pedido a Seokjin.

— Está tudo bem, Jimin? — Jeon notou que Jimin estava um pouco pálido e parecia relativamente nervoso.

— Estou bem.

Não disseram mais nada até os pedidos chegarem. Sem demora, Taehyung e Jungkook começaram a comer seus sanduíches. Os olhos do alfa lúpus estavam atentos aos movimentos do ômega que, demoradamente, começou a comer o seu sanduíche.

Jimin não conseguiu comer o sanduíche todo, se desculpando com os alfas por isso. Jungkook disse que não havia problema nenhum, já Taehyung não disse nada.

Saíram da cafeteria em silêncio. Seus pelos se arrepiaram ao sentirem o ar mais frio, o tempo estava mudando e era sinal de que em breve iria chover.

— Foi legal conhecer você, Jimin. — Jungkook sorriu educado, estendendo sua mão para apertar a dele, que a pegou e assentiu. Jimin sentiu um leve arrepio ao ter sua mão junto a de Jungkook, embora para ele tenha se passado despercebido e que provavelmente foi o frio que havia começado a sentir.

— Estamos indo. — Taehyung segurou a outra mão de Jungkook, entrelaçando seus dedos e observando algumas pessoas a sua volta. Quando olhou o relógio em seu pulso, viu que estavam atrasados.

— Você pode ir pra casa sozinho, não tem perigo? — Jungkook olhou para o ômega preocupado. Jimin o achou fofo, sentindo seu peito se aquecer ao pensar em alguém se preocupando consigo.

— Tudo bem.

— Tchau, Jimin, até. — Jungkook se despediu, saindo ao lado de Taehyung, seguindo seu caminho.

Jimin então suspirou e voltou a andar em direção a sua casa. Apressou os passos, não queria demorar e acabar pegando uma chuva. Devia estar acostumado a esse tempo, uma hora faz sol, outra hora está chovendo.

Chegou em casa minutos depois e não encontrou Haneul, seu alfa. Procurou em todos os cômodos e não o encontrou, perguntou a algumas empregadas e não obteve respostas, ninguém sabia para onde o alfa havia ido.

Resolveu então tomar um banho, pediu educadamente para uma das empregadas preparar a banheira para si, que atendeu rapidamente ao pedido do ômega.

Alguns minutos depois, já dentro da banheira, Jimin se deixou relaxar. A água estava morna e seu corpo agradecia por isso. Os sais minerais que haviam se misturado a água deixavam seu corpo com uma sensação boa, ele gostava daquilo.

Se recordou de tudo que havia lhe acontecido hoje: De como esbarrou em Jungkook, de como Taehyung havia percebido algo que ninguém em toda sua vida sabia - nem mesmo seu marido - e lembrou da proposta de emprego de Namjoon e realmente começou a pensar sobre.

Mesmo que ele não precisasse de um trabalho, ele não costumava fazer nada além de estudar e agora que seu ensino médio havia sido concluído, não tinha muita idéia do que fazer futuramente. Seus pais, pediam para que ele trabalhasse como modelo em uma de suas agências, mas não era algo que chamava sua atenção. Ele gostava sim de ter atenção, mas não aquele tipo. Era demais para si.

Ouviu o barulho da porta do quarto sendo aberta e segundos depois Haneul entrou no banheiro, feliz ao ver o ômega em seu momento íntimo. Jimin era um ômega belo, isso ele não negava, mas para si, não passava de uma criança.

— Oi Jimin. — Haneul começou a retirar suas roupas, pensando em se banhar junto com seu ômega.

— Não te chamei para se banhar comigo. — Foi o que Jimin respondeu, sem olhar para Haneul nos olhos, preocupado demais com a forma em que suas mãos brincavam com algumas bolhas de sabão que ali se formavam.

— Não seja chato, ômega. Eu estou com saudade. — Haneul entrou na banheira, tentando se aproximar de Jimin, que se esquivou. Ele não queria conversar com Haneul agora e gostaria de ficar sozinho.

— Irei sair. — Jimin se levantou, mas foi puxado de forma grosseira pelo alfa, o obrigando a se sentar em seu colo. Jimin sentiu raiva se apossar de si.

— Fique comigo, ômega. — Haneul começou a dá beijos nos ombros esbeltos de Jimin, tentando fazer o ômega ficar.

Jimin pensou em uma desculpa rápida e o empurrou, saindo da banheira. — Tenho uma entrevista de emprego. — Falou, pegando o roupão que estava pendurado perto do box.

— Emprego? — O alfa olhou para Jimin, confuso. — Está brincando, não é? Você nunca trabalhou na vida, Jimin.

— Agora eu vou. — Jimin saiu do banheiro, fechando a porta sem delicadeza nenhuma. Se fosse em outro momento, ele teria se entregado a Haneul sem pensar duas vezes, mas agora, Jimin realmente está chateado com o alfa.

Jimin na verdade queria dormir, a tarde inteira se possível, mas agora que arrumou essa desculpa para Haneul, teria que sair para algum lugar, não necessariamente a cafeteria.

Haneul saiu minutos depois, olhando para o ômega de uma forma debochada, começando a entender que aquilo, provavelmente, havia sido só uma desculpa.

— Jimin, você não sabe nem cuidar de você direito, quem dirá ter a responsabilidade de um emprego. — Haneul sorriu, se aproximando do ômega que agora tinha uma cueca boxers em seu corpo, já Haneul, ainda estava de roupão.

— Acha que eu não conseguiria manter um emprego? — Jimin se virou para ele, o olhando irritado.

— Você é o meu ômega, tem tudo do bom e do melhor, não precisa de um emprego. — Haneul disse convicto.

— Haneul, essa casa foi os meus pais que nos deram, se você fosse nos sustentar com o dinheiro que ganha sendo modelo, não teríamos metade disso tudo aqui. Sejamos realistas. — Jimin bufou, agora realmente irritado por Hanuel estar duvidando de sua capacidade de se manter em um emprego. Se antes ele não iria, agora ele realmente vai.

— Pare com isso, ômega.

— Não.

— Tudo isso é porque eu não te dei a droga da mordida, é isso? — Haneul aumentou seu tom de voz, fazendo o ômega parar por um momento, sentindo seus olhos encherem de lágrimas.

— Me deixa sozinho, Haneul.

— Você é a porra de um mimado, Jimin, em dois dias vai ser demitido. É por isso que as pessoas não gostam de ficar perto de você. Você as irrita. — Haneul falou alto, saindo irritado do quarto e batendo a porta com força.

Jimin tentou não se importar com as palavras de seu alfa, mas ele se importou. As lágrimas caíram por sua face avermelhada. Jimin tentou as ignorar e pegou o melhor terno que tinha, o vestindo e se olhando no espelho, estava agradável.

Enxugou suas lágrimas com as palmas das mãos e respirou fundo. Usou uma leve maquiagem em seu rosto, apenas para esconder o choro ainda evidente e saiu do quarto.

Desceu as escadas e saiu de casa, chamando seu motorista e assim, lhe deu a localização da cafeteria.

Ele iria conseguir esse emprego e iria provar a Haneul que ele conseguiria sim, não só manter o emprego mas como ser um ômega responsável.

Minutos depois, o carro parou em frente a cafeteria, que se localizava no meio do bairro. Não só pessoas da classe mais alta como Jimin passavam ali mas como pessoas da classe média também. Todos eram bem vindos e por isso era um lugar tão aconchegante. Embora, não fosse tantas pessoas da classe média assim.

Namjoon estranhou o movimento na porta da cafeteria, mas quando viu que era Jimin, em um terno estupidamente caro, ele apostava nisso, logo foi de encontro ao ômega.

— Jimin? — Namjoon perguntou, o olhando de cima a baixo, sem saber como lidar nesse momento com o ômega a sua frente.

— E-eu... — Jimin respirou fundo, voltando a falar. — Eu vim para a entrevista de emprego.

— Oh... — Namjoon compreendeu e sorriu sereno, assentindo. — Venha comigo.

Jimin seguiu o garçom até o balcão, onde se encontrava o dono da cafeteria, também chefe de cozinha e parceiro de Namjoon.

Havia também outros atendentes, não era só Namjoon e se Jimin fosse um pouco mais analista, saberia que não, não havia vaga para garçom, mas Namjoon havia gostado do ômega de primeira e saber que ele nunca havia trabalhado foi mais um impulso para lhe oferecer um emprego.

As pessoas costumam dizer que precisam contratar alguém com experiência, mas como, se nunca deram a chance de dar o emprego para as pessoas terem uma experiência? Por isso Namjoon achava isso injusto e resolveu ajudar o ômega.

— Então você é o tão falado Park Jimin. — Kim Seokjin sorriu para ele, realmente surpreso e feliz por ver o ômega ali novamente.

— Sim. — Jimin respondeu, ainda que incerto.

— Vamos para uma mesa. Eu sou o Kim Seokjin, dono desta cafeteria. — Seokjin saiu de trás do balcão enquanto se apresentava ao mais novo, levando Jimin consigo a uma mesa mais afastada. — Me fale sobre você, querido.

Jimin respirou fundo e pensou sobre o quê exatamente ele iria falar. Porque bem, Jimin nunca havia feito nada em sua vida, não tinha experiência com nada e ainda por cima era desastrado. Jimin até sentiu pena de Seokjin se ele realmente fosse o contratar.

— Eu me chamo Park Jimin e você sabe disso. — Jimin mordeu o lábio inferior, nervoso. Seokjin achou graça. — Tenho dezenove anos, nunca trabalhei e não faço idéia de como ser um garçom. Meu marido disse que eu vou ser demitido em dois dias e eu quero provar a ele que se eu me esforçar eu vou me manter bem no emprego. — Jimin disse mais firme dessa vez, o que fez Seokjin sorrir, embora seu sorriso tenha sumido rápido ao ouvir Jimin mencionando que seu marido não lhe apoiava.

— Ele não apoia você? — Seokjin perguntou.

— Ugr... Não. — Jimin murmurou.

— Você quer mesmo trabalhar aqui?

Jimin ponderou a responder, pensando seriamente se ele queria e ele percebeu que sim, ele queria.

— Quero.

— Começaremos amanhã. E querido, — Seokjin sorriu doce, antes de continuar. — não precisa vir de terno, venha com algo casual, aqui eu lhe entregarei seu uniforme. — Jimin sorriu, feliz por ter conseguido.

— Eu consegui mesmo? — Perguntou, sem realmente acreditar e Seokjin confirmou. Jimin sentiu uma leve vontade de chorar, era uma conquista pra si afinal, mas se controlou o suficiente para não o fazer.

— Conseguiu. Começaremos amanhã. — Seokjin confirmou, feliz pelo ômega. — Preciso voltar para a cozinha, você quer algo? — Perguntou educado e Jimin negou.

— Não, obrigado. — Então Seokjin saiu, e segundos depois, um Namjoon todo animado apareceu na frente de Park.

— Parabéns! — Namjoon sorriu largo. — Traga sua carteira de trabalho amanhã, meu amigo, você acabou de ser contratado! — E Jimin paralisou, carteira de trabalho?

— O q-que? — Jimin o olhou confuso e Namjoon deixou de sorrir, parecendo entender a situação.

— Você não tem uma carteira de trabalho?

— Não, eu... — Jimin se sentiu angustiado. Seu olhar foi de encontro a Namjoon. — Não vou poder ficar mais? — Perguntou, com certo medo em sua voz.

Namjoon sentiu o quão triste o ômega parecia estar e não demorou a responder.

— Claro que vai. Apenas faça sua carteira de trabalho depois e a traga. — Jimin assentiu, respirando aliviado.

— Vamos comemorar. — E Namjoon saiu sem lhe explicar nada, o deixando confuso. Minutos depois Namjoon voltou com um pedaço de bolo de morango, o mesmo que Jimin havia comido mais cedo. — Por conta da casa.

— Eu.. eu não posso aceitar. — Jimin teve seus olhos marejados, então fungou. Ninguém nunca havia comemorado consigo alguma conquista sua, sendo sincero, ele não havia tido muitas conquistas, mas quando tinha, ao invés de ser incentivado a ter mais, faziam de conta que era só mais alguma besteira do ômega.

— Você tá chorando? — Namjoon o olhou assustado e Jimin riu baixinho, negando.

— Eu apenas estou feliz. — Jimin suspirou, deixando uma lágrima cair, logo a limpando.

— Não aceito um não como resposta, Jimin, esse bolo eu trouxe especialmente pra você. — Jimin mordeu o lábio inferior, claramente nervoso enquanto olhava o bolo e por fim assentiu, aceitando. — Ótimo. Até daqui a pouco. — E saiu, indo atender alguns outros clientes que estavam no local.

Jimin estava na metade do bolo quando uma chuva forte começou a cair. Ele sabia que algo assim poderia acontecer, desde que mais cedo o tempo havia começado a mudar.

Ele não sentiu vontade alguma de ir pra casa, gostaria de passar um tempo bem longe de lá, pra falar a verdade. Então, se deixou comer a maravilha que aquele bolo era, sem pressa alguma, observando a chuva caindo na janela. Era uma paisagem bonita, Jimin gostava dela.

Não notou que horas eram, já havia acabado de comer o bolo a minutos atrás e Namjoon já havia pegado o prato e levado para a cozinha. A chuva continuava a cair, haviam poucos clientes agora. Jimin se assustou ao ver pela janela duas pessoas correndo da chuva, segundos depois, entrando no estabelecimento.

Jungkook tremia de frio e Taehyung abraçava o alfa para tentá-lo aquecer um pouco, em vão, visto que também estava molhado.

Jimin pegou o cardápio e o colocou em frente ao rosto, se escondendo o máximo que podia. Não queria ter que lidar com os dois alfas agora, principalmente Taehyung.

Olhou por cima do cardápio e viu quando Namjoon apontou em sua direção e os alfas o viram. Jimin choramingou quando notou que Jungkook puxava Taehyung em sua direção.

— Oi. — Jungkook o cumprimentou, ainda que estivesse com frio. Jimin sentiu pena do alfa e se levantou, retirando seu paletó, o entregando. Jungkook o olhou, sem reação.

— Está com frio. — Jimin murmurou, voltando a se sentar, brincando com seus dedinhos, nervoso.

— Não posso aceitar. — Jungkook percebeu o quão caro aquela peça parecia ser, se ele a estragasse, nem vendendo seu rim conseguiria comprar outra.

— Por favor. — Jimin insistiu e Jungkook suspirou, assentindo.

Seokjin chegou a mesa rapidamente, segurando toalhas em suas mãos, as entregando para Jungkook e Taehyung, que aceitaram de bom grado.

Por sorte, suas roupas não estavam totalmente encharcadas, com o tempo iriam secar. Jungkook usou a toalha para secar seus cabelos e um pouco de seus braços. Quando se secou o máximo que conseguiu, vestiu o paletó do ômega, que ficava um número a baixo, mas era aconchegante.

Taehyung fez o mesmo processo com a toalha, se sentando de frente para o ômega.

— Obrigado, hyung. — Jungkook agradeceu ao Kim, lhe entregando as toalhas e o mesmo sorriu, assentindo.

— Sabem da novidade? — Jin sorriu, orgulhoso. Taehyung e Jungkook olharam para ele, esperando e então Jin voltou a falar. — Jimin está trabalhando aqui!

Taehyung olhou pro ômega, sorrindo sarcástico. — Não tô vendo ele trabalhando agora.

— Alfa! — Jungkook o repreendeu, recebendo apenas um revirar de olhos do alfa mais velho.

— Ele irá começar amanhã. — Kim sorriu, animado. — Com licença. — Se retirou, voltando para sua amada cozinha.

— Parabéns, Jimin! — Jungkook sorriu para o ômega. — Fico feliz por você.

— Obrigado, Jungkook. — Jimin agradeceu, nervoso na presença dos dois alfas. Ele não sabia explicar o porquê.

— A chuva não para, Jungkook. — Taehyung olhou para seu alfa, um pouco preocupado e Jimin ficou sem entender.

— Talvez devêssemos jantar aqui. — Jungkook sorriu leve, levando sua mão até a do alfa, entrelaçando seus dedos.

— Vamos para outra mesa? — Jeon negou.

— Seria falta de educação deixar Jimin aqui sozinho, alfa. — Jungkook respondeu com calmaria, tentando deixar Taehyung menos insensível em questão ao ômega.

Taehyung preferiu ficar em silêncio.

Jimin olhava para os dois de uma forma tão confusa que Jungkook quase riu.

— Marcamos de jantar hoje, Jimin. Ultimamente não conseguimos passar muito tempo juntos. — Jungkook respondeu pressupondo dúvidas que estavam explícitas em seu rosto.

— Eu posso me retirar e... — Taehyung o interrompeu.

— A vontade. — Deu de ombros, fazendo Jimin se encolher.

— Taehyung! — Jungkook o olhou irritado.

— Não briguem. — Jimin falou baixinho. Jungkook respirou fundo, tentando ignorar um pouco seu alfa.

— Taehyung ia cozinhar pra mim hoje, íamos jantar em casa, na verdade. Com essa chuva, se torna impossível. — Jungkook suspirou, um pouco cansado e com saudade de passar um tempo tranquilo com seu alfa. — Justo hoje que saímos cedo... — Jeon olhou para a chuva, inconformado.

— Eu posso pedir ao meu motorista para levar vocês. — Jimin tentou.

Taehyung sorriu irônico, antes de lhe responder.

— Não.

— Qual é o seu problema? — Jimin acabou explodindo, assustando Jeon por um momento, já Taehyung, estava impassível. — Você é um alfa extremamente idiota! — O acusou. — Jungkook quer passar um tempo com você e você vai deixar a merda do seu orgulho falar alto só para não aceitar a minha carona? Eu sou tão horrível assim? — Agora Jimin tinha a voz embargada.

Jungkook olhou sério para Taehyung e o mesmo bufou, concordando.

— Você está certo.. Vamos então, ômega.

E Jimin sorriu satisfeito, se levantando e saindo em direção a porta, não sem antes se despedir dos Kim's.

— Já vão? — Namjoon questionou.

— Marquei de jantar com Jungkook em casa hoje, Jimin fez birra para conseguir nos levar. — Taehyung respondeu.

— Até, hyung. — Jeon se despediu, abraçando Namjoon rapidamente.

Depois de se despedirem, saíram e o motorista de Jimin o viu, então saiu e abriu a porta de trás rapidamente, já que ainda chovia.

Jungkook entrou primeiro, sendo seguido por Jimin e então Taehyung, o motorista fechou a porta e entrou novamente, dando partida no carro.

— Para onde vamos?

Jimin olhou para Jungkook, que entendeu e falou o endereço para o motorista, que assentiu, seguindo para a casa dos alfas.


Notas Finais


Até o próximo. ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...