História Perfect Places - Capítulo 1


Escrita por:

Visualizações 191
Palavras 3.048
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Ficção, LGBT, Orange, Romance e Novela, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Pansexualidade, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi povo, então eu voltei e eu senti saudades mas essa fic é meu mais novo bebe e o lugar onde eu posso expor o meu conhecimento de viagens. Eu queria fazer uma fic de aventura de viagem um pouco diferente da maioria, então essa fic se passa nas ferias entre o segundo ano e o terceiro ano. A Lica teve a overdose e foi para Paris com a Marta e as fives estão super brigadas, é uma realidade alternativa mas vai ter coisa da novela que eventualmente vão brotar mas isso somente quando a viagem acabar.Além disso vai funcionar do jeito que cada capitulo vai ser uma cidade que elas vão e eu vou seguir uma logica geografica, as cidades vão ser as mais conhecidas e que eu pessoalmente acho mais legal.
Eu acho que é isso que eu tenho para falar, eu espero que vocês curtam e desculpe por qualquer erro.

Capítulo 1 - Gare du Nord


Fanfic / Fanfiction Perfect Places - Capítulo 1 - Gare du Nord

É...tudo tinha acontecido de uma vez e eu não fazia a mínima ideia de como tinha realmente acontecido e a única coisa que eu  desejava era que nada daquilo tivesse acontecido. Essas foram as maiores realizações que eu tive durante essa viagem ou pelo menos essa parte da viagem.

Ter vindo a Paris com a minha mãe me deu tempo, bastante tempo. Tempo para poder fazer muitas coisas, eu acho que refletir foi uma das principais. Eu precisava de um momento onde eu parava e percebia tudo que tinha acontecido na minha volta, porque como eu falei eu não fazia a mínima ideia de como esses fatos aconteceram. Na verdade eu sei como eles aconteceram, só não sei como eu os deixei todos aconteceram.

Estopim de tudo isso foram as brigas da minha família, acho que eles levaram ao meu maior problemas. As drogas, eu me enfiei num buraco negro onde eu não sabia resolver os meus sentimentos ai eu só me enfiava mais e mais neles, afinal eles me faziam me sentir melhor. Só que elas me levam a autodestruição, eu nunca ia conseguir suprir a vontade, eu percebi isso quando eu briguei com as minhas amigas.

Eu tinha vindo para Paris e tinha feito curso, sim eu estava melhor. Sair de São Paulo me ajudou a esquecer todos os meus rolos com o meu pai , a Malu, a Clara e até o problemas com o Felipe e o MB. Só que as minhas amigas, isso era outra história. Eu sentia uma dor no peito toda vez que eu pensava nelas, a saudades de cada uma delas  quebrava o meu coração. Eu não conseguia tirar da minha cabeça a ideia que eu tinha estragado tudo mesmo que me diziam o contrário, é engraçado como o nosso cérebro funciona, né?

De qualquer jeito Dona Marta tinha me dado uma força do caramba aqui mas também ela não conseguia fazer milagres com a minha própria consciência

-Tem certeza que você não quer que eu fiquei um pouco mais?- A minha mãe falou enquanto segurava as suas malas me encarando perto da entrada da plataforma do trem que ia para o aeroporto.

-Olha, mãe, você deu uma ajuda do caramba para mim mas você precisa voltar a sua prova do mestrado é semana que vem-Eu disse ao encarar a minha mãe enquanto eu tinha a minha mochila encostada nos meus pés-E eu tenho uma passagem comprada esqueceu.

-É mas eu poderia ir com você para Barcelona, tem outros dias de provas e ...-A minha mãe começou mas acabei a cortando.

-Escuta aqui Dona Marta, você foi incrível ainda mais com tudo que aconteceu .A melhor mãe do mundo  mas você também tem as suas coisas. Eu sei quanto esse mestrado é importante, você passou todo o seu tempo pesquisando sobre as coisas aqui, você tem ir lá e arrasar,é sério.

-Ai Lica-Minha mãe falou com um sorriso frouxo no seu rosto-Você tem certeza que vai ficar bem?

-Eu vou, eu te prometo isso-Falei  ao olhar no fundo dos olhos da minha mãe. Eu não estava só prometendo isso para ela, eu estava prometendo aquilo para mim também- Eu não quero voltar a me sentir daquele jeito, as drogas aquilo... eu não quero.

-Tudo bem-A minha mãe falou e me envolveu com um abraço apertado-Eu confio em você, Lica, eu estou muito orgulhosa de você.

-Valeu-Falei dando os meus ombros de forma frouxa.

-Você merecesse viajar pela Europa nesse mochilão, a Espanha é incrível-Falou a minha mãe ao soltar o abraço apertado mas ainda ficar segurando a minha mão-Só que você tem me manter atualizada sobre tudo, ouviu?

-Relaxa, Dona Marta, você saber de tudo sobre as localizações de Heloisa Gutierrez, agora eu acho que é melhor você ir porque se não o seu trem para o aeroporto vai partir sem você-Falei ao apontar para a plataforma atrás da minha e o homem que anunciava a última chamada em francês.

-Okay, tudo bem Lica-Falou a minha me puxando para um último abraço mais curto e um beijo na bochecha-Se cuida,okay? Olha o horário do seu trem.

-Fica tranquila, tá bom?-Falei confirmando com a cabeça. Eu ainda tinha bastante tempo, o meu trem só saía às oito e  era quatro e pouco-Boa viagem, mãe.

-Boa viagem, filha e juízo, tá bom?-Falou a minha mãe depois ela virou as costas e saiu arrastando as suas malas para conseguir entrar no trem.

“Tá bom, Dona Marta” Foi o que eu pensei enquanto minha mãe dava um pequeno tchau de dentro do vagão do trem. Eu sorria largo e depois quando o trem foi embora eu coloquei a minha mochila pesada nas minhas costas, virando  na direção oposta da plataforma. Eu precisava de alguma coisa para comer. Era um cliché do caramba mas eu precisava de um café e de um croissant naquele momento.

Eu achei um lugarzinho no andar de cima da estação com algumas janelas de vidro, era um lugar perfeito para eu tirar um tempo para poder desenhar até a hora  do meu trem, ou pelo menos desse o tempo da minha bunda ficar cansada de ficar sentada. Eu sentei numa cabine, perto da janela é claro, fiz o pedido e tirei o meu material de desenho de dentro da bolsa.

Eu fui apenas desenhando as coisas que vinham na mente, é assim que eu ficava mais calma. Eu tinha descoberto no curso da Academia de artes. É sobre sentir, é sobre traduzir no papel o mais profundo sentimento e apenas deixá-lo fluir.  Não vai ser genuíno se você ficar preso demais. Eu sorria toda vez que eu lembrava do meu professor falando tudo aqui com o seu francês parisiano a perfeição. As aulas tinha sido uma ajuda aos montes para o meu espírito também mas eu também ficava preocupada. O curso tinha acabada eu tinha medo que com ele acabando e a minha mãe indo embora as coisas iam piorar , mas eu não podia deixar elas voltarem. Eu gostava da Lica que tinha se achado em Paris, eu só esperava que ela ficasse e não fosse voltar ao desastre que tinha sido.

Eu olhei para o desenho e eu tomei mais um gole seco de café. Eu tinha literalmente traduzido o que eu estava sentindo ou pelo menos representado isso. Em um canto da página havia uma menina de cabelos enrolados e óculos  com alguns computadores com direito de até uns robôs lutando no fundo da imagem. No outro canto havia uma menina de óculos, cabelos lisos tocando concentrada e embaixo desta havia uma menina com um kimono sentada na grama com um vento batendo no cabelo dela com aquelas montanhas típicas do Japão atrás. Depois ainda havia uma mãe e o seu filho segurando no lado oposto da menina do Japão.

Eu olhei a folha e depois eu olhei pela janela, eu só via trens. Eram trens, mas eu não conseguia não lembrar do dia do vagão do metrô enquanto olhava para todas aquelas locomotivas. Eu respirei fundo, eu devia mandar uma mensagem para elas ou pelo menos tentar, mas de qualquer jeito eu sabia que eu ia levar um gelo, eu já tinha levado das outras vezes. Ficar fora dos mundos da mensagem era mais fácil por mais que o Felipe e o MB vivessem me bombardeando com mensagens. Eu já estava de saco cheio das mensagens deles, especialmente do Felipe. O que era estranho porque pelos stories e dele e da Clara parecia que os dois estavam muito juntos.

Eu dei mais um gole no meu café aí eu me toquei que ele tinha acabado. Eu precisava de mais, não havia nada tão perfeito quanto um cappuccino francês. Eu tentei  levantar a minha mão mas nenhum dos garçons olhavam para mim, então me levantei deixando as minhas coisas na mesa indo até a bancada principal do lugar.

-Excusez moi, un cappuccino pour cette table-Ao falei ao me encostar no balcão. Eu fiz isso e depois eu olhei para o lado e pisquei os meus olhos uma três vezes para assegurar a figura que estava na minha frente-Samantha?

-Lica?-Falou a Samantha com um o perfeito na sua boca. Ela me encarou enquanto um atendente olhava frustrado em sua direção. Parecia que ela estava tendo uma imensa dificuldade de fazer um pedido-O que você está fazendo aqui?

-Eu podia falar o mesmo, garota-Falei me aproximando dela  e encostando mais próximo dela na bancada. Eu conseguia ver o atendente na nossa frente  estava ficando com raiva- Você precisa de uma ajuda?

-Sim, eu estou meio perdida , eu não estou conseguindo pedir o meu chá e um croissant-Falou a Samantha se virando para mim com uma feição de desespero no seu rosto, o atendente continuava encarar a gente frustrado.

-Relaxa-Eu falei sorrindo depois me virei para o atendente-Un thé et un croissant ,s'il vous plait- Falei de cara e o atendente finalmente soltou um suspiro aliviado, ele abaixou e entregou um  daqueles indicadores com números da mesa-Merci, aqui-Falei e empurrei ele para a Samantha que me olhava impressionada.

-Eu não sabia que você sabia falar francês, você  ficou tempo suficiente para poder aprender então?-A Samantha questionou  curiosa.

-Na verdade não, eu meio que falo desde uns doze  anos-Falei e a Samantha me encarou mais impressionada- Teve algumas férias de esqui que a minha família passou nos alpes daqui e eu fiz um curso de francês em Lyon uns verões atrás.

-Nossa, eu não fazia ideia-A Samantha falou arqueando as suas sobrancelhas, eu lembro que a gente sempre foi do mesmo grupinho que andava junto, mas eu nunca tinha realmente conversado com ela e nem contado das férias para ela saber-Você me salvou de qualquer jeito.

-Não foi nada-Falei sorrindo, eu escaneei a mesa e vi que todas as mesa estavam ocupadas- Você quer sentar na minha mesa? Eu esqueci de perguntar se você queria para viagem ou não.

-Pode ser, eu não tô com pressa eu acabei chegar na verdade-Ela falou e levantou uma sacola de tamanho médio e me seguindo até a mesa.

-Os seus pais, eles...-Falei meio que perguntando enquanto me sentava no mesmo lado de antes e a Samantha sentava no lado oposto.

-Eles estão na Itália para falar a verdade-Explicou a Samantha.

-E o que te traz para a França ? A Itália foi entediante demais para você ?-Falei brincando e a Samantha negou soltando uma pequena risada.

-Eu sempre passo as minhas férias do final de ano na Itália, a minha família é de lá-Explicou a Samantha novamente. Lambertini é claro, fazia muito sentido.

-Eu não fazia ideia, na verdade eu não fazia ideia no que os seus pais trabalhavam com-Os pais da Samantha sempre tinha sido meio que um ponto de interrogação. Eu nunca lembro da Samantha reclamar deles ou não poder ir em algo por causa deles mas também não lembrava deles em nada- Ai você decidiu tirar um tempo para vir para Paris? É isso?

-É... pode se dizer que sim, eu estou querendo ter umas férias diferentes –Disse a Samantha e logo o mesmo cara emburrado trouxe o meu cappuccino e o pedido na Samantha. Eu agradeci baixinho e a Samantha murmurou junto as palavras, foi muito fofo para ser sincera- E as suas férias como elas estão ?

-Até agora foram muito boas para ser sincera, eu fiz um curso de desenho na Académie de la Grande Chaumièree eu passei o meu tempo por aqui mesmo com a minha mãe. As festas de fim do ano foram ótimas mesmo que foi só nós duas-Falei com um sorriso frouxo enquanto eu segurava o meu copo.

-É parece que você está bem nessa vibe-Falou ela apontando para o desenho-Você desenha muito bem,Lica, é sério-Ela falou surpresa, eu senti as minhas bochechas ficarem vermelhas e eu senti vontade voar sobre aquele trabalho. Eu que a Samantha tinha sacado que eram as five, ela não era burra- Desculpa se eu estiver sendo invasiva demais…

-Não é nada-Falei colocando a minha xícara no pires e depois pegando o meu caderno fechando ele no meio tentando enfiar ele na minha mochila- As minhas férias foram boas mas ainda tem algumas coisas que…

-Eu sei que as five brigaram-Falou a Samantha e eu olhei para ela surpresa. Ela não sabia que eu falava francês mas ela sabia da briga, o mundo que a gente vive é bem engraçado mesmo-O Guto me contou, ele viajou para o Rio de Janeiro com a Benê.

-Eu vi que ele tinha ido para o Rio mas eu não sabia que ele tinha ido com a Benê-Falei abaixando a minha cabeça, isso deu um aperto maior ainda no meu coração-Você sabe alguma coisa das outras?

-Eu não sei nada da Keyla mas a Ellen foi para o campus party com o Jota e Juca, eu acho que eles estão mandando super bem lá, eles estão nas finais se eu não me engano -Falou a Samantha  e eu abaixei a minha cabeça engolindo seco. A Samantha que não tinha nada haver com ela sabia mais das minhas amigas do que eu, pelo simples fato de ter escutado dos outros. Nem para isso eu servia, eu estava em outro continente afinal-A Tina tá no Japão não tá?

-Sim-Eu falei coçando a minha cabeça. Droga, Droga, eu era uma péssima amiga mesma.

-Lica, você tá bem? A gente não precisa falar disso, eu não sei se sou a pessoa certa e...-A Samantha começou a falar e eu cortei a sua fala imediatamente.

-Eu sou uma péssima amiga não sou? Eu sou uma pessoa péssima é isso-Comecei passando a mão pelo meu cabelo de novo.

-Olha, Lica, eu não sei a historia toda, mas você não é uma pessoa ruim, você pisou na bola pelo que eu sei mas quem não fez isso?-Disse a Samantha me encarando com aquele semi sorriso dela, ela ficava muito bem com aquele sorriso. Ela ficava linda para ser sincera-E Paris parece ter feito bem para você.

-É fez-Falei lembrando das noites que eu sofri tendo abstinência e mãe me ajudou com aquilo tudo. É eu tinha superado bastante coisa também.

-Então, não se massacra, eu acho que você e as meninas ainda tem bastante chance se resolver-Falou a Samantha.

-E se eu estragar tudo?

-Porque você pensa? Eu não acho que você vai, eu acho que você devia se dar mais crédito, Lica-Falou a Samantha ao tomar mais um gole do seu chá- Não tem nada que Lica revolucionária não consegue resolver.

- As revoluções só destroem e trazem caos-Falei dando os meus ombros e a Samantha nega com a cabeça.

-Não, Lica, o mundo que temos atualmente é por causa das revoluções se não a gente  estava na idade da pedra ainda-Disse a Samantha e aquilo fez tanto sentido- Para toda construção precisa se de uma desconstrução.

-Faz sentindo, bastante sentido -Falei surpresa. Eu nunca apostaria que a Samantha falaria esse tipo de coisa-É genial, Samantha.

-Valeu, eu sei que sou genial-A Samantha mostrou o seu sorriso largo enquanto tomava mais um gole do seu chá esbanjando a sua confiança. Essa era a Samantha que eu mais conhecia.

-E modesta também né-Reclamei e ela apenas soltou uma pequena risada.

-E Dona Marta, cadê? Ela não veio com você?-Questionou a Samantha mudando de assunto.

-Sim mas ela acabou de pegar um trem para o aeroporto ela já vai voltar-Expliquei e a Samantha fez que sim com a cabeça-Eu estou sozinha no meu mochilão, tanto que eu tenho um trem para Barcelona às oito.

-Você não para né, Lica –Falou a Samantha e eu apenas conseguir sorrir largo junto com ela-Não é muito tempo de viagem?

-É... seria mais prático de avião mas eu adoro viajar de trem, eu gosto de assistir as paisagens no meio do caminho- Eu fiz questão para minha mãe que eu queria viajar de trem, ela achou estranho mas atribuiu a mais uma mania de Lica-É um pouco cansativo mas dessa vez tem pelo menos uma parada em Toulouse, então não vai ser tão ruim.

-Sério?-Falou a Samantha impressionada-Eu estava pensando em ir para lá, eu vi que tinha um trem às oito, eu deixei para decidir quando eu chegasse. O mundo é muito pequeno.

-Bota pequeno nisso-Falei rindo-Você devia ir.

-Você tá falando isso só porque você vai estar no mesmo trem que eu? Acha que eu não consigo me virar com o meu francês?-Debochou a Samantha. O estranho era que a coisa que eu mais gostava sobre estar na Europa era que eu estava longe todo o drama paulista e a Samantha tecnicamente incluía isso. Ela era a melhor amiga da minha meia irmã, melhor amiga do ficante de uma das minhas melhores amigas, ela tocava na mesma banda que dois exs meus e a gente tinha estudado juntas desde do pré. Só que apesar de tudo isso eu não me sentia incomodada com a presença dela. Eu até gostava, tinha algo refrescante sobre a Samantha, eu não conseguia dizer direito.

-Não isso, okay, Toulouse é uma cidade ótima-Falei, eu já tinha ido lá uma vez nas férias com a minha família- Eu sei que você está em Paris mas eu vou na filosofia que Paris sempre deve ser a última parada.

-Porque?-A Samantha arqueou as suas sobrancelhas.

-Porque ela sempre deixa as melhores impressões-Eu falei e a Samantha me encarou com uma expressão perplexa.Parecia que estava processando tudo aquilo- De qualquer jeito se você quiser eu posso dar um pequeno tour de Toulouse para você, eu tenho bastante tempo de conexão lá, acho que são uma oito ou dez horas.

-Sério que você faria isso?

-É claro, de qualquer jeito não seria fora de mão-Falei cruzando os meus braços sobre a mesa. Era uma sensação estranha, mas de certa forma eu queria que a Samantha aceitasse o meu pedido.

-Então  já que você está me oferecendo tanto assim, eu vou aceitar-A Samantha falou e tirou o seu celular do bolso e começou a mexer no mesmo-As oito certo?

-As oito para Toulouse-Eu sorri esticando o meu pescoço para ver o site de compra de passagem no seu celular. Antes eu pensava apenas no meu trem que ia para Barcelona e por acaso tinha uma escala em Toulouse. Agora eu pensava no meu trem para Toulouse que por acaso ia para Barcelona depois.

 


Notas Finais


Então aqui está o meu singelo capitulo, eu espero que vocês tenham curtido, essa fic é como um filhinho meu então eu fic nervouser heheheehhehee
De qualquer jeito como foi falado o proximo capitulo é Toulouse, vai atualizar sexta ou sabado mas eu acho que vai ser sabado mesmo.
Eu acho que so isso
um beijo na bunda e até a proxima


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...