História Perfect Revenge - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias 4Minute, Bangtan Boys (BTS), Black Pink, Got7, HyunA, Madison Beer, Red Velvet
Personagens BamBam, Ga Yoon, HyunA, Jackson, JB, Jennie, Jeon Jeongguk (Jungkook), Ji Hyun, Ji Yoon, Jinyoung, Jisoo, Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Lisa, Madison Beer, Mark, Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Rosé, Seulgi, So Hyun, Wendy, Yeri, Youngjae, Yugyeom
Tags Bangtan Boys, B-army, Blackpink, Bts, Busan, Chim, Criminal, Got7, Hyuna, Imagine Army, Madison Beer, Mochi, Park Jimin, Perfect Revenge
Visualizações 7
Palavras 1.711
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishoujo, Bishounen, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Ficção Adolescente, LGBT, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 2 - 2nd


Quatro dias! 96 horas! Este era o tempo que eu estava na casa de Jimin recebendo uma atenção e ajuda inimagináveis.

— Então, finalmente tem suas próprias roupas. — Wendy diz sorrindo após arrumarmos tudo no closet.

Isso era surreal. O quarto que Jimin havia me dado era enorme, havia um closet que era maior do meu quarto na casa dos meus pais, um banheiro que me faria feliz se ele falasse que eu iria morar nele.

— Eu achei desnecessária tantas roupas, eu nunca vou usar dois andares de roupas, sapatos e acessórios em um ano. — Digo surpresa.

— Um ano? Pode esquecer que assim que conseguir o seu primeiro dinheirinho nós iremos ao shopping comprar mais roupas. — Seulgi diz me fazendo rir, então voltando para o quarto comigo e as meninas.

Jimin havia dado a chance de eu trabalhar para ele em troca da hospedagem e ajuda, e eu rapidamente aceitei afinal trabalhar era algo que eu precisava.

— Por fim, pega isso. Tem um GPS e o contato de todos nós salvos para a discagem rápida. Tem um chip que não permite rastreamento a não ser pelo computador de Yugyeom, já que na vida em que vivemos rastreados é o que não podemos ser. — Yeri diz me entregando um celular e em seguida saindo do quarto com as meninas.

Park Jimin tem um trabalho um tanto quanto perigoso, ele apenas me disse que trabalha com tudo o que as pessoas mais odeiam, e eu já imaginem drogas, bebidas e vendas ilegais, o que é realmente o que ele trabalha, incluindo prostituição, uma balada onde algumas meninas fazem isto para ser mais exata, ele apenas confirmou meus pensamentos e não disse mais nada a respeito, e eu tampouco insisti.

— Kels, Jimin disse para se arrumar e descer, ele vai te dar seu primeiro trabalho hoje. — Jungkook diz na porta do meu quarto.

Jeon Jungkook, um homem de vinte anos com um sorriso encantador. Foi a primeira pessoa que me senti confortável em conversar sobre tudo.

Agradeci e tirei a toalha dos meus cabelos, assim passando o pente que estava em cima da cama e indo até o meu closet.. estou amando dizer isto, meu closet... meu quarto.. enfim, Kelsey, foco!
Peguei uma roupa simples, uma calça jeans, um par de all star pretos, uma camisa de mangas até o cotovelo listrada, e por fim fiz duas tranças nos meus cabelos já que estavam molhados e eu não teria tempo de secar. Passei um rímel e um gloss e por fim saí do quarto com meu celular em mãos.

O desbloqueei e vi que marcava 11:30 da manhã, o que me fez descer as escadas correndo e encontrar ele e o resto do pessoal na sala de estar.

— Finalmente! —Jimin diz após me ver entrar no cômodo.

— Desculpa a demora. 

— Tudo bem, me siga. — Ele diz e então vai até o segundo piso.

O acompanho e o vejo parar em frente a imensa parede que fica em frente ao topo da escada, digitando algo em um aparelho que parecia ser um alarme, e então vejo o quadro que tem ali subir. Eu estava em choque, como assim eu estou num filme e ninguém me avisou?
Após alguns minutos até ele destravar tudo com  a digital e a confirmação de voz as paredes se abrem o fazendo continuar e me olhar.

— Isto aqui é um elevador, fica tranquila. —Ele diz vendo minha surpresa.

Concordo e o sigo, o vendo apertar um dos três botões que tem ali escrito térreo.

— Calma, o térreo é o primeiro andar, porque não descemos as escadas? — Pergunto confusa.

Ele não responde, então não faço mais pergunta algum até chegar no "destino".
Ao ver as portas se abrindo eu vi ali um imenso local com sofás espalhados, uma mesa longa e três cofres grandes nas paredes, e na única parede " vazia " alguns metros longe do elevador havia um bar, o que me fazia perguntar, o que eu estou fazendo aqui?

— Nós iremos para o galpão as duas, até lá preciso que conte quanto tem nestes dois sacos, consegue fazer isto em apenas duas horas e meia? —Jimin pergunta colocando a mão em dois sacos  ao lado da mesa.

— Consigo, mas para quê? 

— Isso não é do seu interesse, apenas conte tudo e quando terminar  basta vir aqui, passar este cartão aqui e apertar no botão com o numero três, ao chegar lá apenas passe o cartão novamente, ok? Leve o dinheiro com você assim que terminar, coloque no saco preto em cima da mesa. —Ele diz me explicando tudo.

— Ok. — Respondo e pego o cartão de sua mão, o vendo entrar no elevador e então sumir em alguns segundos.

Suspirei e peguei meu celular, indo até os lembretes e anotando o que ele me disse pra fazer, assim marcando para me lembrar as 2:05.

— Ok Kelsey, ao trabalho. — Digo olhando para os dois sacos pouco longe de mim e suspirando, assim me sentando e vendo ali uma calculadora, uma prancheta e duas canetas azuis, junto com vários elásticos.

 

[ quebra de tempo ]

 

Olho em meu celular e vejo a hora. 1:55 da tarde, meus dedos estão cansados de escrever e eu estou cansada de contar, então agradeci por este ser o ultimo monte de dinheiro, nunca agradeci tanto por não ter que contar mais dinheiro.

— FINALMENTE! — Digo a mim mesma após terminar de prender o dinheiro com o elástico e o colocar no saco preto que já estava em seu limite. — Droga, não vai aguentar não. — Digo após tentar erguer o saco e ver que ele não aguentaria o peso.

Peguei alguns bolinhos e coloquei no bolso das calças e na barra, assim pegando a prancheta, o saco e o cartão e indo em direção ao elevador.

Meu celular apitou, o que me fez olhar e ver o que eu teria de fazer.

1- Passar o cartão. Feito.

2- Entrar com tudo o que foi pedido. Feito.

3- Apertar o botão com o numero três. Feito.

Me escorei na parede e guardei meu celular no bolso, e então suspirei fechando os olhos, contar nunca me cansou tanto, porque eu fui falar que ela boa com contas mesmo?

Vi as portas se abrirem e eu estava no segundo piso da casa, o que me fez olhar para ver se eu havia apertado o botão certo, e pelo visto sim, então tirei o saco dali e passei novamente o cartão vendo as portas se fecharem e o quadro voltar ao lugar.

Suspirei e peguei o saco novamente o levando até o andar de baixo tentando não derrubar a prancheta que estava em baixo do meu braço direito, e assim que cheguei a sala de estar eu larguei o saco na mesa grande no meio do cômodo e cai no sofá fazendo Yeri rir da minha expressão.

— Já? Pensei que demoraria mais uns quinze minutos. — Jimin diz olhando em seu relógio.

— Olha só, eu comecei a contar mas estava me atrapalhando toda, então eu separei as notas em um, cinco, dez, vinte, cinquenta e cem wons e as contei anotando aqui quantos wons de cada nota havia, e depois calculei tudo junto  o que me fez cair dura ao ver o resultado. — Digo entregando a prancheta a ele que a pega e olha tudo com atenção.

— Não tivemos o lucro de dois milhões e meio como o esperado, pessoal! — Ele diz baixo fazendo os meninos começarem a falar todos juntos. — Tivemos três milhões e meio! — Ele diz comemorando. 

Três fuckin milhões de wons, eu me contentaria apenas com duzentos wons, tava ótimo.

Vejo os meninos pularem um em cima do outro comemorando, enquanto as meninas comemoravam se abraçando, e eu? bom, fiquei na minha quietinha vendo a alegria deles ao saberem que esão fuckinários. 

— E aí, gata, quer sair para beber alguma coisa? — Jungkook diz em tom brincalhão sentando ao meu lado.

— Aish, oppa.  — Digo rindo em seguida escondendo meu rosto com minhas mãos.

— Estou brincando, Jagi. — Ele diz rindo e deitando a cabeça em meu ombro.

— Ah, é! Jimin, eu esqueci, eu guardei alguns montes aqui porque o saco parecia não aguentar, então toma aí! — Digo entregando o dinheiro que havia colocado na barra e bolsos da minha calça.

— Certo, obrigado! Agora precisamos ir para o galpão! — Ele diz com um sorriso no rosto.

Os meninos se levantam rapido e saem da sala indo para a garagem junto com as meninas, Jungkook se despede de mim e então sai, deixando apenas eu e Jimin ali.

— Você e o Jungkook, uh? — Ele diz sério. — Tem algo rolando?

— O quê? Não! Ele mesmo disse que a partir do dia que nos falamos pela primeira vez ele passaria a me ver como uma irmãzinha, e eu o vejo como um irmão também, apenas. De qualquer jeito isto não lhe interessa. — Digo mostrando a lingua a ele, que ri. 

— Interessa sim, você de algum modo pertence a mim agora, e a sua relação com os meninos é aberta demais, tem muita intimidade envolvida. — Ele diz se explicando.

— Aish, Park! Você não tem que ir a algum lugar? 

— Pode passar a me chamar mais de Park, gosto quando você fala meu nome. — Ele diz ignorando minha pergunta.

— Amor, você está aqui, vamos logo! — Hee o chama da porta do cômodo.

— Vá, amor, sua namorada o espera. — Digo ironizando a palavra " amor ".

— Ela não é minha namorada, não precisa de ciúmes, Jagi! — Ele diz rindo e então sai dali sem me dar a chance de responder.

Cinco minutos depois eu vou até a cozinha com a ultima frase de Jimin em minha mente. Eu não estava com ciúmes, nem o conheço a tanto tempo. 

" Você não conhece as meninas a tanto tempo mas admitiu ter ciumes dela mais cedo! " , meu subconsciente dizia.

— Aish, isto é diferente. — Digo baixo enquanto abro a geladeira.

" Não é, Kelsey, ciúmes é algo que você sente sem nem mesmo querer. "

— Olha aqui, isso não é verdade, você está completamente er... —Digo novamente argumentando, porém parando antes de terminar a frase, rindo de mim mesma. — Eu estou discutindo comigo mesma? Aish, bem que falam que todos tem este momento, eu só não pensei que o meu seria por eu sentir ou não ciumes de Park Jimin!  



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...