História Perfect Stranger - Capítulo 10


Escrita por:

Postado
Categorias Supergirl
Personagens Kara Zor-El (Supergirl), Lena Luthor
Tags Kara Danvers, Karlena, Katie Mcgrath, Lena Luthor, Mcnoist, Melissa Benoist, Meltie, Supercorp
Visualizações 323
Palavras 2.308
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 10 - Capítulo 10


L. L.

_ O que faz aqui, Diana?- pergunto após acompanhar com os olhos Kara andando até o elevador ainda somente com minha camisa.

_ Podemos conversar?- ela mesma fecha a porta e anda até a cozinha, se deparando com a mesa de café da manhã.- Uau, estavam mesmo com fome, parece que a noite foi boa.

Não respondo, apenas continuo de braços cruzados esperando que ela fale alguma coisa.

_ Lena, vim até aqui porque estou de volta à National City e gostaria de retomar o que tínhamos.- Diana fala tudo de forma direta e eu fico um tanto surpresa.

_ Eu...eu pensei que ficaria um ano em Milão, Diana. Nós terminamos porque você disse que não poderia perder a oportunidade desse trabalho e eu concordei, estávamos em um consenso.- passo uma de minhas mãos pelo cabelo, totalmente nervosa. O que eu faria agora?

_ Eu sei, Lee, mas o contrato acabou mais cedo e eu resolvi voltar.- ela se aproxima e passa seus braços por meus ombros.- Não podemos apenas continuar de onde paramos?

Seus olhos me encaram em expectativa e eu não consigo formular sequer uma frase. Diana foi alguém muito importante pra mim, talvez ainda seja, mas também tem Kara, que eu acabo de dizer que é uma amiga...oh merda.

_ Não sente mais nada por mim?- ela começa a aproximar seu rosto do meu e meus olhos vagueiam entre seus olhos e sua boca.

Porra, claro que eu sentia, no mínimo desejo, ela era uma mulher linda e isso ninguém podia negar.

_ Diana...eu…- sou calada por seus lábios sobre os meus, macios e urgentes.

Diana conhece o meu corpo e sabe como me tocar, de modo que, em segundos, suas mãos entram por debaixo da minha camisa e apertam minha cintura.

Que se dane! Puxo seu quadril mais rente ao meu e retribuo o beijo, travando uma batalha por domínio entre nossas línguas e subindo minha mão direita para seus cabelos.

Sinto nossos corpos se movendo em conjunto em direção ao meu quarto, o mesmo quarto que já transamos diversas vezes.

Mas, assim que meu corpo é jogado sobre a cama, eu me lembro com quem estava há poucas horas. Não era a morena quem havia me feito gritar de prazer, ela não estava aqui há mais de seis meses.

Diana foi embora na primeira oportunidade de ser uma modelo mundialmente famosa. Não que eu estivesse julgando, era sua carreira e seu sonho, mas ela nem sequer exitou e eu não pediria que ficasse por mim.

Separo nossos lábios e ela abre seus olhos, me encarando surpresa quando empurro com delicadeza seu corpo de cima do meu.

_ Eu acho melhor você ir embora agora.- digo baixo e sem muita certeza, ainda me recuperando do beijo longo.

_ Você não parece certa disso.- Diana sorri de lado e tenta me beijar novamente, mas dessa vez eu desvio o rosto e me levanto, cruzando os braços sob os peitos.

_ Eu estou…- engulo em seco encarando seus lábios inchados e desviando os olhos logo após.- ...muito certa. Vá embora, por favor.

Me viro e sigo em direção à porta de entrada do apartamento, abrindo-a e aguardando até que Diana se retire.

_ Eu não vou desistir de nós, Lena.- a morena me dá um selinho longo antes de passar pela porta.

_ Céus!- me encosto à madeira, respirando fundo e de forma audível.

Volto à cozinha e tomo meu café da manhã, ou tento, já que o gosto da comida parece amargo e desce com dificuldade por minha garganta.

Merda, que confusão fui me meter. Kara deve estar com muita raiva, com razão. Droga, Lena, de novo. Mas era Diana, a mulher com quem eu namorei por dois anos, com quem achei que fosse me casar, revê-la foi um baque bem grande. E Kara...bem, não sei, eu pensei que estivesse apaixonada, mas e se não estiver?

Encosto a cabeça na mesa, psicologicamente exausta, a culpa aos poucos se abatendo cada vez mais sobre mim. Encaixo minhas mãos por meus cabelos e me ponho a pensar, sem surtir muito efeito, já que começo a sentir os cheiros de Kara e de Diana espalhados pela camisa que uso.

Por fim me levanto, deixando a louça suja de lado e buscando algum dos meus livros favoritos para tentar me distrair. No entanto, após ler o mesmo parágrafo cinco vezes sem reter absolutamente nada, resolvo me arrumar e ir para a L-Corp trabalhar nos laboratórios.

Coloco um dos meus vestidos favoritos, com um decote e deixo os cabelos soltos, adicionando uma leve maquiagem no rosto e pegando as chaves do carro antes de deixar a cobertura.

Já dentro da Ferrari, sintonizo em uma rádio qualquer e aperto o volante com força ao ouvir o zunido do motor potente. Sorrio, sentindo a adrenalina tomando conta do meu corpo e o nervosismo se dissipando, pelo menos por ora.

Chego à empresa em questão de poucos minutos e vejo os poucos funcionários presentes me olhando sem muita surpresa, afinal, desde que terminei com Diana, não era raro passar os domingos enfiada nos laboratórios ou no meu escritório lidando com burocracia.

Me dirijo primeiramente ao último andar, afinal, desde sexta quando saí intempestivamente daqui por causa de Kara, não havia voltado à empresa e os contratos com os japoneses ainda aguardavam minha aprovação.

Entro rapidamente em minha sala e logo sinto algo diferente quando coloco os olhos sobre minha mesa. Ao me virar, noto James Olsen sentado em meu sofá, totalmente concentrado em alguns papeis que suponho serem meus contratos.

_ Posso saber o que faz aqui, Sr. Olsen?- cruzo os braços e mantenho uma expressão fria e séria no rosto. Principalmente por ainda não ter engolido a declaração de Kara quanto à tentativa de abuso.

_ Oh, Lena, querida.- James coloca um sorriso nojento no rosto, provavelmente sua ínfima tentativa de ser charmoso e se levanta vindo ao meu encontro.

_ Posso ajudá-lo?- continuo parada e ignoro sua tentativa de flerte.

_ Lex me ligou preocupado sobre uns contratos pendentes na empresa e, como somos amigos de longa data, me pediu que viesse analisá-los.- ele tenta se aproximar novamente e eu ando até minha cadeira de couro, com um sorriso de lado.

_ Espero não ter que dar ordens para impedir sua entrada em minha empresa, Sr. Olsen. Por agora, apenas peço encarecidamente que se retire e deixe meus contratos para que eu própria analise.- estendo o indicador em direção à porta e James trava o maxilar antes de sair.

_ Mais essa.- penso alto e recolho os papeis, conferindo se não há nada faltando e finalmente indo me sentar atrás de minha mesa.

Desligo meu celular para me livrar da vontade de ficar olhando o contato de Kara e de Diana a cada dois segundos e passo a revisar todos os contratos, até que meus olhos começam a arder e me dirijo ao laboratório.

Passo o resto da tarde por lá, analisando as amostras que havia recolhido dos restos do último foguete lançado pela NASA, tentando entender o que havia dado errado naquele lançado pela Lord Thecnology e, assim, saber o que iria fazer diferente para o meu projeto superar o de Maxwell.

Volto a ligar o aparelho celular assim que deixo a empresa, o céu de National City já completamente negro há algumas horas. Vejo algumas ligações perdidas de Jess, Lex e Lillian, mas resolvo ignorar todas elas e apenas me jogar na banheira assim que chegar em casa.

Vou guiando pela avenida principal, atipicamente movimentada e noto que ocorreu um acidente logo à frente, por isso o engarrafamento se faz presente. Desligo o motor do carro e encosto a cabeça no encosto do banco, bufando frustrada.

Meu celular vibra novamente no banco do carona e o pego sem muito ânimo para falar com qualquer um da minha família. No entanto, logo vejo que se trata de uma notificação de mensagem de Kara pelo whatsapp.

Meu coração acelera rapidamente, até que eu noto que é apenas uma mensagem de transmissão, que provavelmente ela encaminhou para todos os contatos de sua agenda.

" Heey! Primeiramente uma boa noite a todas as minhas lindas alunas. Tudo okay? Espero que sim. Estou passando para avisar que em virtude de uma conferência na área da saúde em Gotham, passarei uma semana fora participando dos cursos de capacitação. Sendo assim, à aquelas que preferirem, podemos remarcar nossas aulas. Mas, como sei que vocês são muito aplicadas, vou deixar aqui o número de uma amiga que também é personal e ela orientará vocês pelo período que estarei fora: (xx) xxxxxx-xxxxx. É isso, queridas, até semana que vem, tenham um ótimo treino! Kara Danvers. 😘😘"

Quê? Kara vai viajar? Mas ela não havia me dito nada essa manhã. Não que tivéssemos conversado muito entre o sexo matinal no quarto, no chuveiro e sua fuga do meu apartamento. Mas, mesmo assim, aff, que direito eu tenho de querer satisfação também? Pois é, nenhum.

Não resisto a olhar seu perfil no Instagram e noto uma foto recente, de uma hora atrás. Nela Kara estava com uma mulher, que pela marcação era sua irmã Alex, sentada no sofá comendo pizza. É, aparentemente ela não havia se abalado muito com a merda que falei, estou me culpando à toa. Ou pelo menos é o que eu espero...

K. D.

Horas atrás...

Graças a Deus, Alex chegou bem rápido e eu pude me enfiar em seu carro e começar a chorar de verdade. Eu nem sabia exatamente o porquê de estar chorando, mas o fato é que as palavras de Lena me feriram de forma inesperada.

Passamos o trajeto caladas, pois minha irmã me conhecia melhor que ninguém é sabia que eu falaria quando estivesse pronta, o que certamente não seria agora que ainda chorava feito idiota.

Chegando em meu apartamento, já estavam lá Lucy e Winn com feições bravas.

_ O que a gostosona rica fez dessa vez?- Lucy pergunta deixando o olhar enviesado e me dando um abraço logo que minhas lágrimas cessam e eu apenas começo a fungar.

_ Na...na-nada.- respondo limpando minhas lágrimas em seus ombros estreitos e abraçando minha melhor amiga.

_ Kara, já chega, respeitei seu espaço durante todo o trajeto, mas agora você precisa explicar, porque já estou quase indo até lá meter a mão na cara dessa lambisgoia.- Alex se pronuncia em um tom de voz sério.

_ Eu não sei exatamente, foi tudo tão rápido. Estávamos na cozinha preparando o café da manhã e então a campainha tocou. Lena atendeu e era uma mulher maravilhosa com um sorriso malicioso no rosto enquanto a encarava.- paro de falar para limpar mais algumas lágrimas.- Então Lena a chamou de Diana, com um tom totalmente surpreso e me apresentou como uma amiga, sendo que havíamos acabado de transar. Eu simplesmente saí de lá, aquelas palavras foram como um soco no meu estômago e agora ficam se repetindo na minha cabeça. Sou uma idiota...

_ Aaa amiga, você não é idiota, Lena que é uma estúpida.- Winn me toma em seus braços e deito a cabeça em seu ombro.- Como você disse mesmo que se chamava a moça?

_ Diana, eu acho.- levanto a cabeça de seu ombro o olhando confusa e o moreno tem aquela expressão de gênio maluco no rosto que me mete medo.

_ Um segundo.- ele me solta, tira o celular do bolso e após menos de trinta segundos me entrega o aparelho.- Diana Prince, modelo, ex namorada de Lena. Ficaram juntas por dois anos, até que Diana se mudou para Milão. Parece que ela está na cidade há apenas dois dias e foi vista saindo do apartamento de Lena há poucos minutos, já está em todos os sites de fofocas. Menina rápida…

_ Aff, não acredito que ainda ajudamos essa Luthor filha da puta a chegar até Kara.- Alex cruza os braços e posso ver seus olhos faiscando de raiva.

_ Calma, Alê, talvez Lena tenha ficado confusa, apenas isso.- Lucy tenta acalmar os ânimos.

_ Vocês não deveriam ter se preocupado com isso, é apenas idiotice minha. Lena e eu não temos nada. Absolutamente nada e, se ela pensa que somos amigas, que bom.- forço um sorriso e eles me olham como se eu fosse um E.T, não acreditando em nada que digo.- É sério, gente, tá tudo bem.

_ Ahan, claro.- Winn, Lucy e Alex respondem em uníssono.

Meus amigos tentam mudar de assunto após isso e ficamos conversando sobre a noite de cada um, menos a minha, obviamente. Mas, em certo momento, Winn e Lucy têm que ir embora porque ambos haviam marcado outros compromissos, assim ficamos Alex e eu sozinhas em minha sala comendo pizza e vendo Chaves.

_ Ei, maninha, que convite é esse aqui?- escuto sua voz ressonar pela casa enquanto volto da cozinha, onde preparava pipoca.

Vejo-a com o braço erguido e um envelope branco em mãos. Dou de ombros e me aproximo para saber do que se trata.

_ Ah, é apenas o convite para a Semana do Corpo e Saúde de Gotham, não pretendo ir.- me sento ao seu lado novamente, já com a tigela de pipoca no colo.

_ E por que não?- Alex pega um pouco da pipoca e me olha inquisitiva.

_ Eu havia até me esquecido para falar a verdade e também tem minhas alunas da academia...- começo a dar uma desculpa.

_ Suas alunas sobreviverão uma semana sem você. Pensa bem, Kara, é exatamente disso que você precisa. Uma semana longe de National City, um tempo em que poderá pensar e refletir sobre as coisas com Lena, sobre você mesma e o que mais precisar.- minha irmã me dá um sorriso e me puxa para um abraço de lado.

_ Sim, talvez você esteja certa, passar um tempo fora me fará bem. Sem contar que vai ter comida de graça lá.- brinco e caímos as duas na gargalhada sobre o sofá.

_ Essa é a minha irmã. Por isso que te mano, coisa lerda.

Após isso eu marco logo um vôo com lugar vago para a madrugada de hoje e aviso as minhas alunas, inclusive Lena, que estarei fora pela semana. Espero que essa viagem me coloque nos eixos, é disso que estou precisando, foco.





Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...