História Perfectly wrong - Capítulo 10


Escrita por:

Postado
Categorias Shawn Mendes
Personagens Shawn Mendes
Tags Shawn Mendes
Visualizações 323
Palavras 1.865
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Lírica, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 10 - Jantar - 2


Fanfic / Fanfiction Perfectly wrong - Capítulo 10 - Jantar - 2

"Não importa o quanto você é forte, o mundo vai te derrubar. Você vai colher o que você plantar, ninguém vai te machucar mais do que a vida." - Orange Is The New Black.


Já estávamos todos na mesa conversando animadamente sobre assuntos aleatórios. Nada de assuntos sobre trabalho, como disse Karen e Manuel há pouco tempo atrás. Todos estavam sorridentes conversando animadamente com o parceiro ao seu lado, de frente ou do outro lado da mesa. Estava muito bom esse clima amigável e ao mesmo tempo desejado.

Eu conversava com Aaliyah, que me contava detalhadamente sobre a festa que ela foi. Shawn conversava com Geoff - sim, ele deu um jeito de trazer o amigo junto -, que estava ao seu lado. Shawn e eu estávamos lado a lado, enquanto Karen estava na minha frente e Manuel na frente de Shawn.

- Brooke, foi incrivelmente engraçado eu ver quando o Matteo caiu. - ela ri, atraindo a atenção de algumas pessoas da mesa. Comecei a rir junto imaginando o paquera de Aaliyah caindo no chão molhado. Pelos detalhes, parece que foi extremamente engraçado. - Minhas amigas começaram a gravar e ele correu atrás dela, da Maya. Ela jogou o celular dela para mim e comecei a correr, mas ele me alcançou e... - Aaliyah hesitou em continuar. - Ahn...

- Oh, não. Aaliyah, parabéns. - rapidamente lhe dei um abraço, que foi retribuído. - Você deu seu primeiro beijo, que legal. - sorri abertamente. Ela ficava fofa sem graça. Parecia Shawn quando estava envergonhado. As bochechas ficavam vermelhas, olhava para o chão e mexia em seus dedos. 

- Não quero que meu irmão e meu pai saibam. Minha mãe já sabe e você também, então já está de bom tamanho. - seu olhar voltou novamente para mim. 

- Pode ficar tranquila que esse é o nosso segredo. - fizemos um high five. 

- Gente, com licença e desculpe interromper. - Karen ficou na ponta da mesa. A mulher bateu em sua taça um garfo, fazendo um fino barulho e atraindo a atenção de todos. - Muito obrigada por aparecerem aqui. Eu queria agradecer por vocês serem doces e simpáticos comigo hoje, no meu primeiro dia de trabalho naquela empresa. - seus olhos vagavam por todos da mesa, certamente admirando que havia vindo todo mundo que ela chamara, sem nenhuma exceção ou falta. - Obrigada por me apoiarem desde o meu primeiro dia. Considerem-se uma família agora. - todos aplaudiram. - Bem, eu queria apresentar minha família para vocês, por via das dúvidas. Talvez vocês se perguntem: "Quem é essa pessoa que está aqui? Não lembro-me se ela está trabalhando no nosso andar." Pois bem, esse é meu marido Manuel - Manuel abriu um sorriso sem graça. -, Aaliyah - Aaliyah sorriu para sua mãe. - e meu filho Shawn. - Shawn, igualmente a seu pai, sorriu sem graça. - Espero que possamos nos dar bem como nos demos hoje de manhã. - Karen agradeceu pela atenção e logo sentou-se em seu lugar. Todos voltaram a conversar animadamente, como estavam fazendo antes.

- Então Brooke, como foi hoje? - Karen puxou assunto comigo, fazendo-me direcionar meu olhar à ela. - Digo, vendo a casa que Shawn escolhera e visitando-a. 

- Oh, sim. Foi cansativo. Shawn tem um bom gosto para casas. - abri um sorriso fraco, vendo a mesma sorrir e olhar para Shawn. Shawn nos olhou, interessado na conversa por ter mencionado seu nome. 

- E para paredes nem tanto, não é mesmo, Brooke? - concordei rindo. Shawn nos acompanhou, rindo também. - Quando Shawn era criança, ela queria pintar o quarto dele de verde, azul e preto. - olhei Shawn, que fazia uma careta. Eu quis muito rir da sua cara naquele instante. - Na adolescência, ele quis um papel de parede de New York, e sempre falou em morar aqui. E olha onde ele está agora. - Karen tomou um gole de seu vinho. De soslaio, vi que Shawn sorria sem graça para a mãe, de uma forma carinhosa e fofa. 

- Você sempre me dava apoio desde pequeno. - pareceu se lembrar. - Aaliyah sempre dizia que moraria em Montreal, quando mais nova. Vamos ver se ela irá para a cidade dos franceses. - Aaliyah estava ocupada demais conversando com uma garotinha ao seu lado. Parece que viraram amigas. 

- Eu acho que ela vai. - Karen suspirou. - Ela está teimando para pagar uma professora de francês ainda. - um arrepio percorreu meu corpo ao sentir dedos quentes em minha coxa direita. Shawn.

Sua mão quente estava pousada em minha coxa, fazendo movimentos aleatórios leves. Um frio na barriga percorreu por mim quando sua mão apertou levemente minha coxa. 

- Quando eu comecei a turnê, ela ainda estava com essa ideia na cabeça. - Shawn bebeu um pouco do seu vinho. Sua mãe assentiu. Ele não demonstrava nenhum tipo de vestígio me "torturando" com seus dedos debaixo da mesa.

- Você sabe como a sua irmã é. Quando ela quer uma coisa, ela consegue. - de soslaio, vi que Shawn assentia com a cabeça. Sua mão subiu ainda mais, parando a centímetros da minha intimidade. Meu corpo todo gelou e ficou imóvel quando os dedos de Shawn massageavam minha coxa. - Esses dias ela queria que nos mudássemos para Portugal ou para a Inglaterra, porque segundo ela lá é menos frio. - assenti, pois sentia o seu olhar sobre mim. - Então, Brooke, de onde é a sua família? 

- Bem, eu tenho um irmão que está na Austrália - sua mão subiu ainda mais, logo parando na minha intimidade. Meu corpo aqueceu ao sentir seus dedos massageando suavemente meu clitóris. A essa altura, minha calcinha poderia estar um pouco úmida. Desde que chegamos, Shawn estava fazendo joguinhos comigo. -, minha mãe é da Inglaterra e meu pai é... - fechei meus olhos por um segundo e abri minhas pernas, tomada pela boa sensação que ele me causara. Seus movimentos estavam ótimos. Eu não queria que ele parasse. - dos Estados Unidos. - Karen sorriu. 

- De que lugar da Inglaterra sua mãe é? - Shawn, seu desgraçado! Está me dando prazer na frente da sua mãe! 

- Croydon. - meus dedos trêmulos pegaram a taça de vinho e dei um curto gole. Quando o pousei na mesa, Shawn acelerou um pouco seus movimentos, fazendo-me pressionar meus lábios um no outro para não soltar um gemido da sensação gostosa. 

- Oh, sim. Vim de Londres. É perto. - sorri, mostrando meus dentes. Eu precisava que ele parasse com isso antes de eu jogá-lo na mesa e transar com ele ali mesmo na frente das pessoas. 

- Sim, é perto. - pigarreei. Karen tomou um pouco do seu vinho. - Então, Karen, está gostando da empresa? - mudei de assunto.

De soslaio, via que Shawn mexia em seu celular normalmente, como quem não estivesse fazendo... Atitudes inadequadas para este momento.

Enquanto seus dedos me masturbavam, eu tinha vontade de chutar a cabeça de Shawn em um negócio de boliche quando ele desacelerava seus movimentos. Coloquei minha mão em seu antebraço esquerdo, tentando tirar seus dedos - sem sucesso - de lá antes que eu chegasse ao limite em seus dedos. Não seria nada agradável.

- Eu estou gostando muito de trabalhar lá, principalmente na parte em que eu vejo todos respeitando o próximo e os clientes. Eu admiro muito a força de vontade que vocês tem para fazer todas aquelas papeladas, todo aquele sistema, toda aquela coisa difícil na parte técnica, tecnológica, rede de contatos, e entre demais coisas. Vocês realmente merecem estar lá. - eu não estava mais aguentando Shawn e suas torturas. Aquilo estava sendo... Torturante, bom, prazeroso. Por baixo da mesa, apertei levemente seu braço, fazendo-o desviar o olhar do celular para algum lugar aleatório do restaurante. - Está tudo bem, querida? - engoli a seca diante daquela pergunta.

Acho que estava estampado na minha testa o que Shawn estava fazendo comigo ali, porque parecia dar muito na cara. 

- Está passando mal, alguma coisa do tipo, Brooke? - Shawn falou em deboche, fingindo preocupação. Ele sabia o que ele estava causando em meu corpo. Filho da mãe. Shawn aumentou o ritmo de seus movimentos, fazendo-me quase me contorcer na cadeira. - Suas bochechas estão coradas e está com a pele pálida. - o olhei. Ele só podia estar de brincadeira comigo. Acha que vai ficar assim? 

- E-eu preciso ir no banheiro. Com licença. - me levantei e em passos rápidos e curtos, fui para o banheiro.

Ao chegar no banheiro, encostei ambas mãos no mármore gelado e me olhei no espelho. Realmente minha cara estava horrível.

Minhas bochechas estavam um pouco rosadas, minha boca um pouco mais avermelhada e minha pele estava pálida, mas estava voltando ao normal já.

O pior era que Shawn sabia o que ele causava em mim e queria aproveitar dessa autoridade que ele tinha de mexer com meu psicológico e com meu corpo. Ele sabia o poder que tinha sob mim.

Retirei todo meu batom - que ainda havia um pouco - com um papel quase dourado que havia ali e me observei mais uma vez. Bem melhor.

Quando eu estava pretes a sair do banheiro, um homem alto chega e tranca a porta.

Porra, vou ser estrupada!

Por instinto me viro e vou para a pia de mármore, logo agarrando aqueles palitinhos de cheiro. Fechei meus olhos e mirei para o homem, que supostamente iria me matar.

- Sai ou eu grito! - disse com confiança. Não tanto confiante, mas tentei ser. Ah, meu Deus. Hoje verei a morte.

- Ei, sou eu. - disse uma voz bem conhecida por mim, rindo. Ao brir os olhos, coloquei raivosamente o palitinho no potinho e olhei para ele. Ah, ele não fez isso. 

- Que susto você me deu, garoto! - coloquei a mão em meu peito, sentindo meu coração palpitando fortemente com aquele susto. - Eu poderia morrer do coração aqui mesmo. - o olhei. 

- Que exagero. - lentamente, Shawn se aproximou, colocando suas mãos ao lado da minha cabeça, prendendo-me com seu corpo. Eu poderia sentir seu perfume forte. Esse perfume com certeza é o melhor que já senti, no caso, de homem. - Eu estava ficando louco com você nessa roupa. - seus lábios se desviaram para meus lábios. Automaticamente, sua língua molhou seus lábios, ficando ainda mais vermelha. Shawn, não faz isso. A qualquer momento eu poderia beijá-lo se ele continuasse a fazer isso. 

- Eu poderia ter morrido de susto, sabia? - desviei meus olhos de seus lábios para seus olhos, que estavam verdes. Os olhos do Shawn são mais bipolares que eu e Kaya juntas. 

- Desculpe, eu não sabia que iria reagir assim. Na verdade, nem era para ser um susto. - mordi meu lábio inferior, fazendo novamente o olhar de Shawn se direcionar para eles. 

- Okay, okay. Infelizmente não posso negar que sou a rainha do drama. - abri um pequeno sorriso e passei meus braços em volta de seu pescoço, olhando seu rosto e analisando os pequenos detalhes de sua face. - Que tal continuarmos o que paramos?  

- Acho justo. - Shawn sorriu, fazendo admirar seus dentes novamente. Eu adorava seu sorriso. Definitivamente, era o que mais me atraía nele.


Notas Finais


Depois de amanhã é o aniversário do Shawn e eu não tô sabendo lidar com isso.
O nosso bebezinho já vai fazer 20 aninhos❤️

Eu posto primeiro o capítulo no watt, então se quer ler mais rápido, entra lá no meu perfil (e me siga ;): https://my.w.tt/ZQGtMfGb5O?utm_campaign=invitefriends&utm_medium=link&utm_source=android


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...