História Perfeitamente Quebrados - Capítulo 13


Escrita por:

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Adolescente, Amor, Colégio, Jolene Watson, Paul Gareth, Quebrados, Romance
Visualizações 18
Palavras 2.182
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ficção Adolescente, Romance e Novela
Avisos: Linguagem Imprópria
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Oi gente!
Mais uma vez trago um capítulo novo. Espero que gostem

Capítulo 13 - Capítulo doze - Chá de bebê


       Mike se afasta quando percebe o seu erro. Eu olho para ele como se fosse um fantasma. Eu devia dizer que não quero vê-lo mais, mas não. Que garota nessa situação ia afastar alguém como Mike?

       Ele levanta e pega nas suas coisas, mas eu o impeço de ir embora. — Não vá! — Digo e isso surpreende ele.

      — Você não quer que eu vá? — Ele pergunta com uma pitada de alegria na sua voz.

       — Claro que não. Você quer ir? — Pergunto.

       — Não. Eu pensei que você ia me querer longe de você.

        Eu levanto e agarro o seu braço. — Você errou, mas isso não significa que eu queira estar longe de você. — Digo.

      — Jolene... — Ele suspira. — Eu estou completamente apaixonado por você. Quero que você fique comigo e quero cuidar das bebês com você.

        — Mike...

        — Eu quero ser o pai delas. Você entende? — Ele acaricia o meu rosto.

        — Eu entendo.

        — Não quero te pressionar a nada. Se você quiser a gente continua amigos até que as coisas... até que você mude de ideias.

        Eu abraço ele. Seus braços me envolvem protetoramente e eu descanso a minha cabeça no seu peito. É uma pena eu não estar apaixonada por esse homem tão incrível.

      — Eu gosto de você. Muito obrigada.

      — Não precisa agradecer. Faço qualquer coisa para ver você bem. — Ele me ajuda a sentar no sofá.

       — Vamos falar então dos berços. — Olho para ele. Quero mudar de assunto.

         Mike me fala sobre os berços, e eu me pergunto se está tentando mesmo ocupar o lugar de Paul. Quer dizer, ele não quer saber da gente e Mike quer, mas talvez seja cedo demais para tomar decisões precipitadas.

     Eu visto o meu vestido verde-lima e vou para a sala onde Kate e suas filhas estão colocando bolos e biscoitos por cima da mesa. Sophie e Blaire tiveram a ideia de fazer um chá de bebê para mim.

       — Mike vem? — Pergunta Kate com um sorriso.

       Passaram três semanas desde que nos beijamos e Mike continua o mesmo. Eu não queria que ele ficasse aqui, mas ele se autoconvidou.

       — Ele vem sim. Fazer ele mudar de ideias é a coisa mais difícil do mundo.

       — Porquê você não namora logo ele? — Jamice pergunta.

       — Não quero tomar decisões precipitadas.

       — Sério? Você conhece ele há muito tempo. Porquê isso?

       — É complicado.

       Ouvimos a porta e Janice sai da cozinha para abrir a porta. Sophie e Blaire entram e eu levanto para abraçá-las.

        — Você está linda! — Blaire passa a mão no meu cabelo.

        — Como estão as minhas sobrinhas preferidas? — Sophie se abaixa para falar para a minha barriga.

       — Muito bem. Como está Liam? — Pergunto para Blaire.

       — O mesmo de sempre. — Ela revira os olhos. — Um idiota!

        — Bratt vem? — Sophie pergunta.

        — Felizmente para você, ele vem.

        — Sim! — Ela sorri. — Eu vou seduzir ele com o meu charme.

        — Boa sorte! — Eu digo.

        Elas colocam os presentes num canto, perto da mesa de jantar cheia de comida. Tem presentes de Kate e suas filhas, presentes de Blaire e Sophie, presentes de algumas primas que não puderam aparecer também.

        Nós nos sentamos todas. — Eu não vejo a hora de pegar as minhas sobrinhas! — Sophie diz.

        — Suas sobrinhas? — Eu pergunto.

        — Sim, sobrinhas. Eu vou me casar com Bratt. — Ela diz e endireita os óculos.

        Eu troco olhares com Blaire. Será que isso é normal? Ela já está planejando tudo com Bratt.

       — Ah! Você é a garota que gosta do Bratt. — Janice estreita os olhos para Sophie.

        — Sim, porquê? — Ela pergunta.

        — Por nada.

        Ouvimos a porta novamente e Sophie abre a porta dessa vez com esperança que seja Bratt. Para a sorte dela, é sim.

       — Oi, Bratt! — Ela se joga nos braços dele, e ele não entende nada.

        — Oi, nerdzinha! — Ele diz e se afasta para me abraçar. — Oi, irmãzinha! — Ele beija a minha testa. — Olá a todas! — Ele sorri.

        — Olá! — Todas respondemos.

        — Como estão as minhas sobrinhas? — Ele acaricia a minha barriga.

        — Estão bem.

        — Olá, Blaire! — Ele olha para Blaire de um jeito estranho.

       — Bratt! — Ela responde com um sorriso.

       — Você quer comer alguma coisa? — Sophie pergunta colocando a mão no ombro dele.

       — Claro que eu quero. — Ele sorri para Sophie, e ela quase desmaia.

      — T-t-tudo bem. Eu vou buscar para você. — Ela tenta andar com firmeza.

       — O que se passa com Sophie? — Bratt pergunta.

       — Você quer descobrir? — Janice pergunta divertida.

      — Eu acho que não.

      — Eu vou colocar os presentes no lugar. — Bratt coloca o seu presente ao pé dos outros.

      Sophie trás uma bandeja cheia de croquetes para a gente comer. Eu fico com uma vontade de comer cheesecake, mas Kate não fez nenhum.

     Pego no meu celular e envio uma mensagem para Mike.

      Jolene: "Você pode trazer Cheesecake para mim? Estou com desejo."

     Envio, mas meus olhos arregalam quando aparece enviado para Paul. E mesmo que eu apague ele já deve ter recebido. Que droga!

     Eu envio para Mike dessa vez e espero que Paul ignore a minha mensagem. Seria muito estranho se ele viesse aqui. Mas eu tenho a certeza que isso não vai acontecer.

     Como croquetes para parar de pensar em cheesecake. — Eu acho que você está linda desse jeito! — Bratt diz olhando para mim.

      — Jolene? — Sophie pergunta esperançosa.

      — Claro! Quem mais eu estaria falando? — Ele pergunta.

      — Esqueça!

      Meu celular apita e eu abro a mensagem.

        Mike: "Claro que sim. Já estou vindo, querida."

        Blaire olha para mim. — E esse Mike? Há alguma coisa entre vocês?

        Eu não gosto de falar essas coisas na frente de Bratt. — Não. Ele é apenas um amigo.

      — Sabe que eu acho? — Sophie levanta. — Que você devia aproveitar, amiga. Ele é lindo.

       — Sophie! Você parece eu há meses atrás. — Eu rio.

       — É o que eu estou tentando dizer durante esse tempo todo. — Kate responde. — Ele é a pessoa certa!

       — Porquê não deixam Jolene decidir? — Bratt pergunta.

        — Podemos falar sobre outra coisa? — Olho para o relógio.

      Ficamos conversando sobre outra coisa de repente. Eu fico pensando em como Mike tem sido comigo e que ele realmente me quer. Mesmo estando grávida de outra pessoa.

      Depois de trinta minutos, ele chega com o meu cheesecake e com presentes. Eu sorrio e levanto para abraçar ele, que fica totalmente surpreendido.

      — Oi! Teve saudades minhas? — Ele sussurra no meu ouvido. Sorrio.

      Eu faço que sim e me afasto dele. Mike cumprimenta todos, coloca o cheesecake e os presentes no lugar e vem me dar um abraço. Eu sorrio ainda mais.

      — Você está muito feliz por me ver! — Ele beija a minha testa.

      — Claro que estou.

      — Eu quero tirar algumas fotos suas, querida. — Ele tira uma máquina fotográfica da sua bolsa de cintura.

       — Tudo bem.

      Eu fico num canto e coloco as mãos na minha barriga, e ele tira algumas fotos. Eu mudo de posição e ele continua fotografando.

      Em seguida, eu tiro foto com Blaire, com Sophie, depois as três, depois com Bratt, tiramos também os quatro, depois com Kate, suas filhas, depois tiro apenas com Mike. Ele fica atrás de mim, coloca as mãos na minha barriga, e eu coloco as mãos por cima das dele.

       — Vocês formam um casal muito lindo! — Kate diz.

       Eu me afasto para comer uma fatia de cheesecake, e Mike fica ao meu lado enquanto Blaire, Janice e Bratt ficam dançando.

      — Fico muito feliz que você veio. — Digo.

      — Eu não perderia isso por nada.

      — Você cuida de mim como se fosse o pai das minhas filhas. Eu agradeço por isso. Muito obrigada.

     — Eu quero ser o pai das suas filhas e seu namorado. — Ele diz. Eu aperto a sua mão e beijo a sua bochecha.

     — Então seja! — Digo e ele me dá o maior sorriso que ele poderia dar.

                    Paul

     Stephenie é diferente de Jolene. Jolene me dava carinho, cozinhava para mim e me fazia sentir bem. Stephenie não. Ela vem me ver, mas fica o tempo todo no celular, quando me convida para sair é para o shopping e ela fica comprando enquanto eu fico observando. Não devia fazer uma comparação, mas namorar com Stephenie é horrível. Eu tenho saudades da minha flor.

     O que me impede de ir atrás dela nesse exato momento, é que ela me enganou. Ela me usou para engravidar. Como posso perdoar isso? Como eu vou saber se ela gosta de mim?

     Também estou arrependido de ter dito aquelas coisas para as nossas filhas. Elas não têm culpa se a mãe é estranha. Eu devia estar presente na vida delas. Eu não quero que falte nada para elas, mas também quero ir para a universidade.

     Eu pego no meu celular para ligar para Shane, mas vejo uma mensagem de Jolene. Eu fico imóvel por trinta segundos antes de abrir a mensagem:

     Jolene: "Você pode trazer Cheesecake para mim? Estou com desejo."

     Porquê ela enviou isso? Eu não entendo. Quero fazer o que ela pediu, mas não consigo. O que eu faço? Ligo para perguntar se ela está falando sério? Compro o cheesecake e vou levar para a casa dela? O quê? Eu não sei o que fazer.

     Estou tão arrependido por tratar ela mal. Eu não sei o que vou fazer. Ela enviou essa mensagem há cinco horas, talvez eu devesse esquecer isso. Aquele doutorzinho já deve ter satisfeito o desejo dela.

     Porquê aquele maldito teve que aparecer? Ele só está complicando a minha vida. Mas eu não posso desistir da faculdade assim. Jolene acabou com os meus sonhos. Não sei o que fazer.

     Eu acho que é melhor que as coisas continuem como estão. Vai ser melhor para todo mundo. Já fiz estragos suficientes, e Jolene também já estragou a minha vida o suficiente.

      Eu levanto e ligo para Shane. Ele ainda está apaixonado por Blaire e não quer mais ninguém. Aquelas três amigas só sabem machucar as pessoas. Só não sei quem Sophie vai machucar.

      — O que foi?

      — Você quer companhia para esquecer os problemas? — Pergunto.

      — Discutiu com Jolene de novo? — Ele pergunta.

      — Não vejo ela há três semanas. Eu tenho... saudades. Porquê eu continuo amando ela? Ela não me ama!

      — Você tem certeza?

      — Não sei. É o que parece. Ela me usou e teve a coragem de mentir para mim.

      — Tudo bem. Você pode vir. — Ele desliga.

       Nós vamos para o bar que Bratt trabalha, mas ele não está hoje. Nem Bratt, nem Lambert e nem Blaire. O que é muito estranho.

      — Blaire está mais linda a cada dia que passa. — Shane diz e bebe um copo de água. Ele é tão certinho que nem álcool bebe. Eu bebo a minha cerveja.

     — Jolene também.

      — Você só não está com ela porque não quer. Se Blaire fizesse comigo o que Jolene fez com você, eu perdoava sem pensar duas vezes. — Ele diz.

      — Você perdoaria, mas eu não sou capaz.

      — Você tem razão. A gente é muito diferente. — Ele sorri.

      — Eu vou no banheiro. — Digo.

      Levanto e caminho para um corredor escuro e bato contra alguém. Um homem estranho. Deve ter trinta e alguns anos, com barba por fazer e olhos verdes e é muito assustador.

       — Onde pensa que vai? — Seu sotaque russo deixa ele mais assustador.

       — Eu pensei que era o banheiro. — Digo.

       — Não é. É o outro corredor.

       — Está bem. — Continuo imóvel.

       Ele sorri. — Adeus!

       Eu me afasto e vou no outro banheiro. Há alguns caras falando muito alto e o assunto não me interessa, até que falam de Jolene.

      — Você sabe, aquela ruiva que era de Lambert? Agora está grávida. — O careca diz. Eu fico ouvindo.

       — Como você sabe? — Pergunta o barbudo.

       — Jacob me paga para vigiar ela. Se alguma coisa corre mal com Bratt, você já sabe. — Ele ri. — Tenho de fazer tudo certinho.

      — Você está vigiando a ruiva e a morena? — O outro pergunta.

      — A morena está sempre com Lambert. É quase intocável. Por isso, eu presto mais atenção na ruiva.

       — Entendo.

       Eles olham para mim quando começo a lavar as mãos. Eu espero que não me reconheçam e saio do banheiro masculino. Meu coração está disparando.

      Vou correndo para encontrar Shane. Eu não sei o que aqueles homens estavam falando, mas eu fiquei com muito medo.

      — Vamos embora! — Eu digo.

      Shane olha para mim. — Porquê? — Pergunta.

      — Eu preciso cuidar de Jolene! 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...