História Perfeitos Imperfeitos - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Hanabi Hyuuga, Hinata Hyuuga, Hyuuga Hiashi, Ino Yamanaka, Jiraiya, Karin, Kiba Inuzuka, Konohamaru, Naruto Uzumaki, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara, Shion
Tags Naruhina, Naruto
Visualizações 149
Palavras 3.183
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Festa, Hentai, Literatura Feminina, Mistério, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá pessoas! Tudo bem?
Sei que demorei para postar o cap, mas como eu disse para alguns, eu iria demorar porque estava pesquisando algumas coisas para fic. Foi um pouco complicado, mas finalmente consegui, claro que com algumas adaptações, que ao decorrer da historia irei adaptar.
Mudei a capa da fic! *o*
Aos leitores das minhas outras fic, ainda não respondi os comentários. Mil desculpas por isso, estava escrevendo o cap dessa fic e ainda teve visita aqui em casa, não conseguia me concentrar para responder ou escrever ç.ç
Vou tentar responder hoje ainda.

Leiam as notas finais ok?

Capítulo 4 - Capítulo 04 - Frustrada e Ansioso


Londres – junho de 2013

 

Frustração. Uma simples palavra, um turbilhão de sentimentos.

De acordo com o dicionário, frustração é o estado de um individuo quando impedido por outro ou por si mesmo de atingir a satisfação de uma exigência pulsional.  Quanto maiores forem as expectativas, maior será a frustação. Alguns de seus sinônimos são; decepção, desapontamento, desencanto, desgosto, desilusão, insatisfação, insucesso. Esses adjetivos descrevem bem os sentimentos de Hinata atualmente.

Insatisfeita, era assim que se sentia com o rendimento do seu trabalho como correspondente em Londres. Estava ali a quase um ano, entretanto não se sentia satisfeita com o trabalho que realizava.

Logo em seus primeiros dias em Londres, passou por um treinamento intensivo, que incluía ficar perambulando em delegacias locais em buscas de noticias. Não achou ruim essa parte do treinamento, mesmo tendo poucas horas de sono por conta disso, gostou da experiência e de conhecer coisas que nunca se quer imaginou por sempre estar em uma baia de um escritório redigindo as matérias que chegavam a ela.  

Passou pelos efeitos do jet lang por causa do fuso horário. Quando chegou não teve tempo de descansar ou se acostumar com as mudanças, teve que começar seu novo trabalho e ir se adaptando aos poucos.

Foi ter a sua primeira folga quase dois meses depois de sua chegada, e ao invés de visitar os pontos turísticos, que tanto queria ver quando chegou, acabou indo direto para o seu apartamento descansar, deixando seu tour pela cidade para outro momento. Acreditava que durante o trabalho poderia tirar um momento para apreciar a cidade, porém mal tinha tempo para comer.

Felizmente havia a impressa local, os acompanhava sempre em busca de uma boa noticia. Também podia contar com a ajuda dos seus colegas correspondentes, se dividindo em fontes estratégicas onde poderiam conseguir informações importantes, mas mesmo com ajuda não deixava de ser algo desgastante.

 

Decepcionada, foi assim que se sentiu quando seus superiores disseram que ela não faria parte da equipe de repórteres dos jogos olímpicos de Londres, preferiam mandar alguns enviados especiais. De acordo com eles, Hinata era novata, ainda não possuía a experiência suficiente em frente câmeras para um evento desse porte. Não descordava deles quanto a isso, entretanto não pode deixar de ficar chateada com essa decisão, afinal era uma grande oportunidade dela se destacar e mostrar do que era realmente capaz.

 Desencantada, se sentia assim após quase um ano ali. Tudo que havia sonhado e imaginado, era bem diferente da sua realidade atual. Suas expectativas foram grandes demais e agora sentia o peso de não ter realizado nada do que havia planejado. Apesar disso, também houve coisas boas, com a mudança pode aperfeiçoar seu inglês.

No começou se confundia bastante, não era como as aulas, a realidade era bem diferente da teoria. Também se sentiu decepcionada em não adquirir o sotaque dos britânicos, achava encantador, entretanto seu inglês saia com o típico sotaque estrangeiro, apesar de ter diminuído com o tempo e a prática. Também havia seu trabalho, aprendeu e vivenciou muitas coisas novas, entretanto, não era o bastante, queria mais, precisava de mais. Além disso, pode conhecer pessoas e fazer novas amizades, compartilhando experiências que com certeza não teria no Japão. Havia um mundo de possibilidades em sua volta, até mesmo a chance de se envolver em uma relação amorosa ou até mesmo sexo casual, o que não faltava era pretendentes. Todavia três coisas a impediam; primeiro, não tinha tempo para se dedicar a uma relação, nesse momento seu trabalho era prioridade é nada podia atrapalha-la, não mais; segundo, nunca teve sexo casual com alguém, isso porque o único homem que teve em sua vida e cama foi Naruto. O que leva ao terceiro item; não se sentia segura para abrir seu coração para uma nova relação. Como se arriscar, se a única relação que teve na vida a deixou cheia de inseguranças e incertezas? Como partir para uma nova relação se ainda não tinha resolvido essas questões consigo mesma?

Já havia superado sua relação com Naruto — pelo menos era o que ela achava e acreditava — no entanto, sentia que tinha outras questões não resolvidas, que a impediam seguir em frente. Talvez fosse o rancor, a mágoa, às lembranças de quem um dia ela foi ou talvez fosse simplesmente medo de se arriscar e se machucar.

Possivelmente fosse verdade quando dizem que nunca esquece o primeiro amor, por ser o mais bonito, mas também é o que mais machuca. Todavia, Hinata não podia dizer se isso era verdade ou não, já que Naruto foi seu primeiro Namorado e único amor.

 

Insucesso, assim que Hinata pensava sobre o estado atual de sua carreira, para ela não estava sendo nada produtivo.

— As vezes me pergunto se foi uma boa ideia ter vindo para outro país para dar um up na minha carreira. — Confidencio um dia desses para Tenten. As duas conversavam por vídeo chamada sempre que conseguia um tempo de sua rotina agitada, para conversa com ela e sua família, mesmo com as oito horas de diferença, dava um jeito de manter contato.

— Está arrependida? — Perguntou a ela.

— Sinceramente eu não sei. — Deu um suspiro cansado. — Aprendi muitas coisas aqui, mas sinto que não é o suficiente. Me sinto frustrada

— Hum... Essa frustração, não seria por outro motivo? — Deu um sorriso malicioso do outro lado da tela.

— Tenten! — A repreendeu sentindo-se envergonhada. — Uma coisa não tem nada haver com a outra.

— Hina, minha querida, você está sem contato íntimo com outro ser humano a mais de um ano, isso tudo que você está sentindo pode ser somente tensão sexual ou somente um agravante para sua situação. — Explicou tranquila sem se importa com o constrangimento de Hinata.

— Tenten, já disse que uma coisa não tem nada haver com a outra. — Falou se recompondo. — Não preciso de um homem em minha vida. Sou uma mulher independente e autossuficiente. — Esclareceu as coisas com convicção, entretanto sentiu o seu rosto corar um pouco ao completar. — Também existe outras maneiras de amenizar tensão sexual sozinha... — Tenten deu risada balançando a cabeça, entendendo do que ela estava falando.

— Eu sei disso Hinata, sei que você é autossuficiente por si mesma, me orgulho muito de você por isso. — Sorriu sentindo vontade de abraça-la. — Não estou falando para você arranjar um namorado ou algo do tipo, mas sim de sexo casual. — Hinata desviou o olhar da tela do computador um pouco nervosa.

— Eu não sei Tenten... — Sua voz saiu receosa. — Sabe que isso é um pouco difícil para mim.

— Ainda sente algo por ele? — Perguntou seria.

— Não, não é isso... — Respondeu firme. Não havia mais sentimentos por ele, o seu problema não era esse. — É que ele foi o primeiro e único homem na minha vida até agora, sinceramente não sei o que fazer para dar um passo em diante. — Respirou fundo colocando as mãos sobre a mesa. — Aquela relação me mudou muito, me fez sentir insegura comigo mesma. Tenho medo de me machucar novamente. — Desabafou.

— Eu sei que você se machucou com aquela relação, sofreu bastante, mas também aprendeu muito também, certo? — Hinata assentiu fazendo Tenten sorrir. — Você precisa se arriscar Hina, para saber se vale a pena ou não. Caso se machuque no processo sempre terá sua fiel amiga aqui para desabafar e chorar. — Hinata sorriu para ela com lágrimas nos olhos. Ela era a melhor amiga que poderia ter.

 

(...)

 

 

Ansioso. De acordo com o dicionário é alguém que deseja muito alguma coisa ou que demostre inquietação.

Alguns de seus sinônimos são; inquieto, impaciente angustiado, desejoso, preocupado e aflito.

Impaciente, é uma boa maneira de descrever Naruto nos ultimamente. Isso porque ele havia a alguns meses atrás havia se candidatado para o programa de pós-graduação em duas law school, (escola de direito) uma em Harvard, essa sendo a melhor escola de direito do mundo e a outra em Oxford, essa também estando nas listas das melhores. No entanto, ainda não teve resposta de nenhuma.

— Essa demora está me deixando louco! — Esfregou as mãos pelos cabelos quase arrancando-os da cabeça.

— Ficar careca não irá resolver nada. — Shikamaru disse vendo o drama de seu amigo. Assim como Naruto, também havia se candidatado para pós-graduação, porém estava calmo, ao contrario do rapaz a sua frente.

— Não sei como você pode estar tão calmo. — Falou indignando com a tranquilidade que seu amigo estava, parecia que ele tinha preguiça até de se estressar.

— Você precisa relaxar Naruto. — Disse se recostando em sua cadeira e bebendo seu café, neste momento Naruto teve muita vontade de socar a cara de Shikamaru, todavia se limitou a fazer um gesto obsceno. — Além de ansioso, parece que você está com outro problema. — Naruto o olhou com uma expressão interrogativa. — Parece que você está com frustração sexual. — Teve que se controlar muito para não voar no pescoço de Shikamaru, que tinha um sorriso zombador em sua face.

— Acho que vou por em risco a nossa amizade, pois estou com muita vontade de te dar um soco. — Mas realmente, já fazia algum tempo que não transava.

Após seu termino com Hinata e finalmente ter superado, conheceu outras mulheres, nada serio, somente sexo casual, não queria um relacionamento por enquanto, queria se focar em sua carreira. Entretanto, estava estudando tanto ultimamente por causa da pós e ainda havia seu trabalho, que acabou deixando seus desejos carnais de lado.

Talvez Shikamaru tivesse razão, estava com tensão sexual, precisava relaxar um pouco. Sair e conhecer alguém parecia uma boa ideia.

 

No dia seguinte, tanto Naruto, quanto Shikamaru, receberam um e-mail sobre a resposta da bolsa da pós-graduação.

Naruto havia sido aprovado em uma das duas que se candidatou.    

(...)

 

Hinata tomou mais um gole do céu café, olhou pela parede de vidro, finalmente havia um pouco de sol. Sentiu-se feliz pelo clima ter esquentado um pouco nos últimos dias, na maioria das vezes o tempo estava nublado ou chuvoso.

— Conseguiu alguma informação que renda uma boa matéria? — Perguntou a mulher sentado à sua frente. Kurenai Yuhi, era um pouco mais velha que Hinata, possuía longos cabelos negros, eram um tanto desgrenhadas, dizia que era assim por causa da umidade, mas Hinata não acreditava muito nisso.

Conheceu Kurenai durante os dias de treinamento e assim como Hinata, também era uma reporte, no entanto atuava como Stringer, são jornalistas sem vínculos fixos com veículos de impressa, atualmente ela estava em serviço para uma agencia de noticias da Itália.

— A mesma notícia de sempre, sobre a contagem regressiva do filho do príncipe e da princesa. — Hinata se segurou para não revirar os olhos, parecia que por toda a Inglaterra, as pessoas só falavam nisso, porém foi uma notícia que seus superiores fizeram questão que ela acompanhasse de perto, sem deixar passar nenhum detalhe. No começo era uma noticia interessante, mas agora havia se tornado algo desgastante, parecia que estava trabalhando para um site de tabloide e não para uma emissora de televisão. Kurenai deu uma risada.

— Realmente, esse é o assunto mais falado por todo o país, desperta a curiosidade das pessoas tudo relacionado a realeza. — Disse sorrindo.

— Eu sei que isso desperta a curiosidade das pessoas, mas á tanto outros assuntos interessantes. — Falou. — Como aquele homem que foi assassinado em maio em um possível ataque terrorista. Isso valeria investigar afundo. — O entusiasmo transbordava em sua voz e em seu olhar. — Especulasse que pode haver ligação com o atentado da Maratona de Boston.

— Pode ser, mas isso é trabalho da policia, investigar. — Hinata fez uma careta com as palavras de Kurenai, realmente era trabalho da policia, mas também era o trabalho de um jornalista investigar afundo, quem sabe até conseguir uma matéria exclusiva.

— Também é o trabalho de um repórter investigar. — Murmurou emburrada, fazendo a mulher a sua frente rir mais ainda. Hinata era uma criatura adorável. — Mas a questão é que estou cansada de tudo isso. — Disse dando um suspiro. — Sinto que não estou sendo desafiada o suficiente. Todas as possíveis noticias que quero investigar é vetada. — Desabafou. — Nada de investigar o submundo de Londres, somente matérias felizes, economia e o novo membro da corte. — Tomou mais um gole do seu café. — Não senhorita Hyuuga, nada de notícias sobre o submundo de Londres, as pessoas aqui não querem saber nada sobre isso. — Tentou engrossar a voz, imitando um dos seus superiores, fazendo Kurenai gargalhar.

— Seu contrato com essa emissora está terminando? — Perguntou depois de recuperar o fôlego.

— Sim. — A respondeu. — Meu contrato é de um ano, falta pouco para terminar. Tivemos uma conversa recente sobre a renovação, mas não tenho certeza se vou querer, talvez eu volte para o Japão e tente conseguir emprego em uma emissora local. — Kurenai a olhou pensativa por um tempo.

— Hinata tenho uma proposta para te fazer. — Disse após refletir.

— Sim? — Perguntou interessada.

— Porque não trabalha comigo como Stringer? — Apoiou as duas mãos com os dedos entrelaçados sobre a mesa. — Você seria independente, poderia fazer matérias do seu interesse e ganharia um bom dinheiro.

— Não sei... — Disse receosa. A proposta era boa, entretanto, Stringers não eram bem vistos na maioria das vezes, não que Kurenai fosse assim, porém há duvidas sobre a veracidade das informações que esse tipo de profissional fornece, podendo ser algo sensacionalista demais ou de fonte não confiável.

— Eu sei que Stringer não são bem vistos e que enfrentamos muitos perigos. — Falou como se lesse os pensamentos de Hinata. — Mas pense no assunto.

 

Hinata estava deitada no chão de sua casa, olhava para a luminária com luz acesa em seu teto. Pensava na proposta que Kurenai havia feito e também sobre a conversa que teve com Tenten a alguns dias, não sabia o que fazer em ambas situações.

Tinha receio de tentar uma nova relação, sendo romântica ou algo passageiro. Também havia a duvida de se tornar uma stringer e isso acabasse com sua reputasse como repórter ou morta em uma vala.

“É só se arriscar. ” Uma voz sussurrava em sua cabeça.

— Falar é fácil. — Suspirou cansada. — Quando me tornei uma pessoa tão patética? — Se perguntou fechando os olhos. — Preciso tomar uma atitude ou nada irá mudar. — Murmurou. — Mas como faço isso se o medo e a insegurança me impedem?

“Se você não se arriscar, nada irá mudar. ” Aquela sua voz interna soou novamente.

(...)

 

Tomou em um só gole seu quinto drink da noite. Estava sentada em frente ao balcão da boate, balançava seu corpo no ritmo da musica, observando as pessoas a sua volta tentando criar coragem para caçar.

Hinata havia decidido ir em uma boate em seu dia de folga, após refletir muito tinha criando coragem para se arriscar. Entretanto, quando colocou os pés no local, sentiu toda aquela adrenalina inicial se esvaziar. Bebia para tomar coragem, mas não adiantou.

Dispensou todos os convites para dançar, por mais difícil que fosse fazer os caras entender o que é não, mas felizmente não teve que chegar a algo estremo para eles entender.

Havia sido muito impulsiva indo ali, ainda mais sozinha, achou que estava pronta para dar um primeiro passo. Uma noite de sexo com um completo estranho não seria a solução dos seus problemas, havia outras maneiras de curar suas inseguranças.

— Um passo de cada vez Hinata. — Disse tomando mais gole da bebida.

 

(...)

 

Após fechar sua última mala, Hinata sorriu sentindo-se aliviada por finalmente ter terminado de arrumar suas coisas. Olhou em sua volta para ver se não teria esquecido nada. Finalmente havia tomado coragem e dado um primeiro passo.

Poucos dias antes do seu contrato encerrar, deixou claro que não iria querer uma renovação, seus superiores não ficaram nada felizes com isso, no entanto estava decidida. Conversou com Kurenai e ela ficou muito feliz, entretanto alertou Hinata sobre os possíveis perigos, desde a falta de auxilio, e até os locais de riscos, como as zonas de guerra. Hinata estava ciente, mas mesmo assim queria fazer isso.

Percebendo que ela já havia pensado bastante no assunto, Kurenai deu a primeira missão, ir para a Ucrânia, para obter informações sobre os preparativos para assinatura do acordo com a União Europeia. Por mais amedrontador que fosse, sentia excitação para o que estava por vir.

 

Hinata estava no aeroporto, Kurenai havia ido para Ucrânia primeiro, já que Hinata tinha alguns assuntos para resolver, como contatar sua família e Tenten para contar as novidades. Eles ficaram felizes por ela, isso porque ocultou partes do perigo que poderia enfrentar, não queria preocupa-los.

— Estou tão feliz por você! — Tenten a felicitava. — Agora só precisa resolver seu outro probleminha de tensão sexual. — Falou em tom de brincadeira, fazendo com que Hinata fizesse uma careta e mostrasse língua para ela.

 

Caminhou até a sala de embarque sentindo um friozinho na barriga, sentia medo, mas também confiança.

Enquanto caminhava até a sala de embarque, passou ao lado de uma pessoa com uma fragrância familiar, o que fez ela parar e seu coração falhar e logo em seguida acelerar.

“Naruto! ” Foi o que passou em sua cabeça ao sentir esse perfume. “Pare de pensar bobagens. Ele não é o único homem do mundo que tem esse cheiro. ” Se repreendeu voltando a andar.

 

(...)

 

Naruto se sentiu feliz quando o avião finalmente pousou em terra firme, era sua primeira vez em um avião e o voou ainda era longo.

Ao desembarcar foi direto pegar sua bagagem. Sentia-se exausto pelas horas de voos, mas não teria tempo para descanso, ainda teria que pegar o trem para cidade de Oxford, ir para law school de Oxford, fazer um tour pela universidade, lidar com um monte de documentação para em fim poder descansar.

Após pegar sua bagagem, começou a caminhar seguindo as setas que indicava o local de saída do aeroporto. Sentia um pouco de fome, mas deixaria para comer no trem, estava ansioso, no entanto de repente o mundo a sua volta pareceu parar por um momento, viu de relance uma mulher passar ao seu lado, não conseguiu visualizar seu rosto, porém pode ver seus cabelos azulados que lhe era tão familiar.

“Hinata! ” Foi o que se passou em sua mente, sentiu seu coração acelerar. Parou de aonde estava, virando-se para trás viu aquela mulher mesma mulher parada a poucos metros de si. Aqueles cabelos, apesar de curto, pareciam os delas, seu corpo também se assemelhava. “Hinata...” a olhava em transe, queria se aproximar, no entanto não pode, ela voltou a andar, se misturando a outras pessoas que transitavam por ali, a perdendo de vista.

— Estou imaginando coisas. — Murmurou balançando a cabeça, voltou a caminhar na direção oposta daquela mulher.


Notas Finais


as noticias citadas, como o nascimento do príncipe realmente aconteceu em 2013. Pesquisei noticias desse ano para colocar na fic hahaha
Me digam o que acharam por favor *-* deu uma trabalheira fazer tudo isso e.e ainda mais para que se encaixe no futuro da historia.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...