História Perfume - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Kim Taehyung (V), Personagens Originais
Tags Bangtan Boys, Bts, Cat!tae, Hybrid!au, Imagine, Kim Taehyung, One-shot, Porn Without Plot, Pvrplefanfics, Pwp
Visualizações 188
Palavras 1.763
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ecchi, Ficção Adolescente, Hentai, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


/olá, boa leitura/

Capítulo 1 - Capítulo Único


— Vamos, TaeTae. — você implorou pela milésima vez na semana. Estava literalmente de joelhos diante do meio-felino que continuava dando cem por cento de atenção ao próprio pelo e zero para você.

Já faziam três dias desde a última vez que Taehyung havia estado em sua forma humana, três dias desde aquela conversa. Tudo bem, você compreendia o motivo da negação do híbrido, não parece muito legal ter suas bolas cortadas fora, mas o próprio Taehyung tinha procurado isso para ele quando atacou seu crush da porta da frente sem nenhum motivo aparente.

— Taehyung. — tentou novamente, com uma certa firmeza na voz — Kim Taehyung. Eu vou levar você ao veterinário e eu vou castrar você, seja por bem ou por mal.

Se pôs de pé, caminhando até seu quarto, boa parte de suas coisas ainda se encontravam em caixas de papelão amontoadas, sobre elas haviam uma gaiola pequena e um gato adormecido.

— Se você não se incomodar, Jonas, vou pegar sua gaiolinha emprestada. — obteve um miado em resposta que decidiu considerar como um sim.

Não. Jonas não era metade humano como Taehyung, era apenas um siamês normal e preguiçoso.

O híbrido agora se encontrava adormecido, provavelmente não tinha dado importância para suas palavras, era assim desde a primeira vez que pisou na casa da senhora Kim para o emprego de cuidadora, mas até ai tudo bem, nunca tinham se desentendido de verdade. Taehyung ignorava você na maior parte do tempo. Você ignorava Taehyung de volta. Assim conviviam em paz, pelo menos até a, agora, falecida — que Deus a tenha — decidir deixar todos os seus bens para você, incluindo seu filho adotivo metade gato com um gênio dos infernos.

Caminhou até o bichano tentando fazer o mínimo de barulho, claro que ele te ouvia, mas não era possível que imaginasse o que vinha em seguida. Com uma agilidade que tirou de Deus sabe aonde, empurrou o gatinho para dentro da gaiola antes mesmo que ele conseguisse raciocinar o que estava havendo.

— Eu sinto muito, Tae, mas isso é para o seu próprio bem. — deu um leve tapinha sobre a gaiola, se apressando em correr para o seu quarto e colocar uma roupa decente o bastante para leva-lo ao veterinário.

A calça era última peça que faltava em seu corpo quando a porta do seu quarto foi aberta. Kim Taehyung tinha um sorriso debochado e a gaiola nas mãos.

— Sério mesmo? Gaiola de gato? — perguntou, parecia estar se divertindo as suas custas — Você realmente pensou que eu não ia conseguir abrir o trinco de uma gaiola de gato?

— Pode, pelo menos, colocar uma roupa? — desviou do assunto, indo até a gaveta do criado-mudo e puxando de lá uma bermuda de moletom, podia parecia um pouco estranho ter roupas de Taehyung entre as suas coisas, mas era mais normal do que parecia, já que o híbrido sempre acabava nu quando mudava de forma, haviam muitos shorts estrategicamente espalhados pela casa.

— Pronto. — a voz grave soou próximo ao seu ouvido, nem ao menos tinha percebido a súbita proximidade — Agora pode responder minhas perguntas?

— Não pensei muito quando fiz. — murmurrou quase tímida

Claro que ele conseguiria. Claro que foi burrice. A pequena gaiola verde claro podia muito bem segurar o pequeno Jonas, mas não um híbrido de vinte anos de idade.

Uma risada interrompeu seus pensamentos. Era rouca e fez os pelos de sua nuca se arrepiarem.

O meio-felino pareceu ter ciência disso quando se aproximou mais ainda de você, passando as pontas dos dedos longos sobre aquela área.

— Taehyung. — tentou formular uma frase, mas o garoto já avançava cada vez mais sobre você, levando os lábios finos para o seu pescoço — T-Taehyung.

— Me diga o que quer, princesa. — o apelidinho que ele te deu pareceu ter te atirado do torpor que os beijos do mesmo te colocaram, fazendo você se afastar instantaneamente, pelo menos o máximo que conseguia.

— Não comece com isso, Taehyung. Não de novo.

— Eu sei que no fundo você gosta.

— Já disse pra parar. — finalmente se soltou dos braços dele — Você anda por ai, no cio, se esfregando em mim, com os hormônios a mil, depois quer reclamar por eu querer esterilizar você.

— Vê cá, você não entende muito sobre gatos, não é? — disse divertido, sorrindo sarcasticamente para você

— Onde quer chegar com isso? — perguntou indo até seu guarda-roupas atrás de uma calça que pudesse usar. Ficar só de blusa e calcinha na frente daquele híbrido pervertido não poderia ser boa ideia.

— Princesa, gatos do sexo masculino não tem cio.

— Mas, aquela vez, aquele dia, você disse... — você não conseguia ir direto ao ponto, odiava falar sobre aquele dia.

— Que dia? — abriu um pequeno sorriso, pequeno e com tom de malícia — Você está se referindo àquela vez em que minha omma Kim pediu para você cuidar de mim durante um fim de semana e acabamos na minha cama? — o sorriso de Taehyung alargou mais ainda, o rapaz fechou os olhos, engolindo a seco, você sabia que ele estava pensando em todas as coisas que aconteceram naquela noite, era o que você estava pensando também — Princesa, não era eu. Era você. O seu cheiro... porra, era tão bom... eu não podia deixar de tocar você.

— Então decidiu mentir pra mim?

— Eu nunca disse nada sobre estar no cio, você que assumiu isso. Ainda me lembro perfeitamente. — ele fechou os olhos de novo, tombando a cabeça para trás, você podia até achar que tinha ouvido um gemido baixo sair dos lábios semi-abertos do híbrido — Preciso te ter de novo, princesa.

— Não. — disse sem pensar duas vezes — Desde que começamos a morar juntos você só tem me dado dor de cabeça.

— E você acha que é fácil pra mim? Ser metade animal e conseguir me segurar com você seminua na minha frente? — Oh. As calças. Você tinha esquecido completamente delas.

— Por isso vamos castrar você e ponto final.

— Não. — Taehyung avançou em você novamente, os olhos intensos te fitando com desejo — Não vai dar certo, porque mesmo que você acabe com a atração do meu lado animal, o lado humano vai continuar apaixonado por você.

As palavras de Tae parecem ter sortido grande efeito em você. Não conseguia pensar em nada para rebater, nenhum argumento. Você estava tão fodida.

— Princesa. — ele te chamou quando a distância entre vocês já era mínima, os lábios quase roçavam, pela primeira vez esse apelido não soou irritante — Eu posso beijar você?

Ainda sem fala, você assentiu logo tendo seus lábios tomados em um beijo doce. A sessão era tão gostosa quanto da última vez e você se perguntava como havia conseguido passar tanto tempo sem a boca do rapaz na sua.

— Senti tanta falta do seu cheiro. — Tae murmurou entre o intervalo de um beijo e outro, descendo os lábios para seu pescoço — Não é a mesma coisa de longe.

Queria concordar e dizer que também sentiu falta, mas quando a abriu a boca pra falar um gemido sôfrego foi o único som que conseguiu emitir.

Taehyung sorriu malicioso, enrolando os dedos por entre as laterais de sua calcinha, quase como se pedisse permissão, o que você concedeu.

Suas costas tocaram o edredom quentinho e leves arrepios circularam por seu corpo enquanto sua calcinha era puxada para baixo.

— Gatinhos, hein? — ele disse divertido, examinando a estampa da vestimenta. Você achou que fosse morrer de vergonha, pelo menos até Taehyung passar a brincar com seu clitóris de forma deliciosa e suspiros cada vez mais altos deixarem seus lábios. Droga, você ia morrer mesmo.

Ele continuou naquela tortura gostosa até você atingir seu ápice pela primeira vez da noite, fazendo questão de limpar a pequena bagunça causada por ele com a própria língua, você estava tão sensível pelo orgasmo recente que acabou gemendo alto ao sentir a boca do Kim naquele local.

— Sabe, eu adoraria te dar seu segundo orgasmo só com a minha boca, — disse deixando a língua passear sobre o lábio inferior — mas eu preciso tanto te sentir que vou deixar para outro dia.

Taehyung se pôs de pé novamente, abaixando a bermuda. A visão fez você morder os lábios.

— Eu sei o que está pensando, princesa, mas eu quero estar dentro de você o quanto antes, então isso pode ficar pra outro dia também. — ele se debruçou sobre seu corpo, apertando suas coxas — Isso se você também quiser, é claro.

— E você está esperando o que? Convite formal? — respondeu com malícia, quase se sentindo vitoriosa porque parecia que Tae não esperava que você fosse tão... atrevida.

Teria se vangloriado se ele não tivesse aproveitado de sua distração para deslizar de uma vez para dentro de você. Foi a vez de Taehyung gemer alto.

Ele ia e vinha, não muito devagar, não muito rápido enchendo seu corpo de espasmos e arrepios.

— T-Tae, — você clamou, fazendo ele virar os olhos neblinados para você, mesmo com certeza dificuldade para mante-los abertos — quero ficar por cima.

— Seu desejo é uma ordem, princesa. — trocou as posições de vocês, separando seus corpos por um momento, depois erguendo o quadril e se pondo para dentro de você novamente, te arrancando um gemido.

Aquela posição era tão mais favorável para você, que descia e subia em seu colo enquanto se deliciava com as expressões faciais de Taehyung.

Foi encarando a face bela e inundada de prazer do homem que você chegou a seu limite, sentindo seu corpo tremer e desabar sobre o peito dele. Tae jogou os quadris para cima mais algumas vezes, antes de chegar ao próprio ápice, gemendo seu nome roucamente e levando o rosto para a curvatura de seu pescoço, deslizando o nariz fino e bonito por ali.

— Você não faz ideia de como eu torci para esse momento voltar a acontecer.

Você ri, saindo de cima do meio-felino e deixando seu corpo cair ao seu lado no colchão.

— Acho que no fundo, eu também. — você admitiu passando a mão entre os cabelos clarinhos de Taehyung, continuou naquilo até ter como resposta a uma vibração gostosinha — Ronronando? Sério isso?

— Ei, sou metade gato, não posso evitar. — rebateu simplista — Falando em ser metade gato... você desistiu dessa ideia de castração, não é?

— Não sei. — você deu de ombros — Será?

— Ou eu vou ter que te convencer de que você vai sentir falta no meu amiguinho aqui? — brincou já levando os lábios para seu pescoço

— Acho que vai ter que me mostrar a utilidade dele mais umas duas ou três vezes.

— Por mim, tudo bem, princesa.


Notas Finais


/desculpem qualquer erro/


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...