1. Spirit Fanfics >
  2. Perfurado >
  3. Capítulo 6 - Trespassado por conflito

História Perfurado - Capítulo 6


Escrita por:


Capítulo 6 - Capítulo 6 - Trespassado por conflito


As sombras estavam agarradas a ele, tentando atraí-lo, comprimi-lo até que não fosse nada. Harry estava fazendo o possível para deixá-los.

Era dia. Ele estava parado perto da borda de uma clareira, a folhagem densa das árvores protegendo-o do sol mortal do meio-dia. Ele estava olhando para as árvores em frente à clareira, tentando se imaginar parado nas sombras. Era seu objetivo acabar nessas sombras, mas ele não tinha permissão para andar nas sombras seguras.

Finalmente, com o suor escorrendo de sua pele fria, ele exalou ruidosamente e desistiu, com o cérebro doendo. Ele tinha tanta certeza de que conseguiria dessa vez.

"Parece que eu não fiz nenhum progresso afinal," ele murmurou para si mesmo, ainda olhando para as sombras distantes.

"Pelo contrário", veio uma voz atrás dele. Harry se virou para olhar para Shadow, que estava sentado em um galho baixo de uma árvore. "Você está fazendo um progresso incrível. Pude sentir sua intenção, sua determinação, e pude ver as sombras envolvendo você, prestes a engoli-lo. Você só precisava de mais um empurrão." Ele deu a Harry um olhar agradavelmente surpreso. "Progresso incrivelmente bom", disse ele.

"Obrigado," disse Harry, deitando-se de costas. Este foi o quinto dia consecutivo que Harry estava treinando, embora não fosse necessariamente todo treinamento de Shadowalking. Houve também sparring, exercícios mentais e treinamento de velocidade. Foi tudo muito cansativo.

E embora ela nunca demonstrasse, Harry sabia que Hermione estava ficando mais ansiosa a cada hora que passava. A execução de Katerina foi marcada para duas noites a partir de agora e o vampiro interno de Harry não mostrou nenhum sinal de vir à tona tão cedo.

Mas essa era apenas a percepção de Hermione. Harry podia sentir o lado vampiro dele chegando com força, sua fome esmagadora. Ele teria explosões de sede de sangue e ouviria a voz fraca de seu lado vampiro, indicando que a mudança realmente iria acontecer em breve.

Harry olhou para Hermione, que estava dormindo em uma cama que ela transfigurou de uma folha. Claro que parecia confortável. Ela havia mudado seu horário de sono para corresponder ao horário de maior atividade e movimento, embora adormecer durante o dia ainda fosse difícil para ela. Ela vinha treinando sozinha durante a noite, treinamento que confundiu e desnorteava Harry. Ela não diria a ele o que estava fazendo, apenas que era benéfico e necessário para o sucesso de sua missão. Ele teria descoberto por si mesmo, mas estava muito ocupado com seu próprio treinamento.

Ele suspirou, olhando para as folhas enquanto relaxava no chão macio da floresta, então grunhiu quando Shadow pisou em seu estômago. 

"Que estúpido", disse Shadow. "Se você vai relaxar fisicamente, pelo menos fique mentalmente alerta." Ele foi pisar em Harry novamente, mas ele só encontrou chão quando o vampiro mais jovem rolou e se levantou, segurando seu estômago.

Harry assumiu sua posição de combate, Shadow fazendo o mesmo. Então Shadow estava atrás de Harry, que rolou, pulando em direção à árvore mais próxima para usá-la como um trampolim. Ele disparou na direção de Shadow, que facilmente se esquivou e pegou Harry com um golpe devastador no rosto, fazendo-o cair no chão depois de mais um tempo de vôo.

Enquanto ele estava sentado no chão, atordoado, Shadow o informou. "Ainda estou usando metade da minha velocidade, Harry. Você vai precisar fazer muito melhor do que isso."

"Eu sei," disse Harry, sua frustração começando a crescer mais consigo mesmo do que qualquer coisa. Por que ele não podia usar todo o seu potencial?

“Você está com muito medo de que seu vampiro interior assuma o controle,” disse Shadow. "Você precisa apenas deixar ir e vir para mim com real intenção de matar. Se isso estiver ausente, eu temo que você nunca chegue perto de me tocar."

Harry, totalmente recuperado agora, se levantou e encarou seu mentor. Ele se lançou sobre ele, tentando encontrar a intenção de matar dentro de si. Ele foi atingido de lado quando Shadow se esquivou dele novamente, dizendo: "Ainda não senti nada."

"Eu sei," disse Harry com raiva. Era impossível para ele ter intenção de matar; ele simplesmente não odiava ninguém além de Voldemort o suficiente para matá-los.

Ele se voltou para Shadow, que parecia entediado enquanto se esquivava. Enquanto continuava a se esquivar preguiçosamente da enxurrada de socos de Harry, ele disse, "Vamos, Harry. Você pode fazer melhor do que isso."

"Estou tentando", ele grunhiu, tentando apenas tocar seu mentor.

Shadow vislumbrou Hermione observando discretamente à distância, agora acordada. Ela ainda não tinha se adaptado totalmente à mudança de horário de sono. "Então, sua garota ..." Shadow comentou com um sorriso malicioso.

Harry não cedeu em sua enorme combinação de erros. "Ela não é minha garota", disse ele, seu esforço vindo através de sua voz. "Ela tem um nome. É Hermione."

"Isso realmente não importa no momento", comentou Shadow. "Estou interessado em como você se sente em relação a ela."

"Ela é minha amiga", respondeu Harry.

"Oh?" disse Shadow com falsa sinceridade. "Só uma amiga?"

"Precisamente," disse Harry.

"Mas isso não me diz o que você sente por ela," disse Shadow, fazendo Harry parar. Agora ele estava intrigado para saber onde isso estava indo. "Não pare de socar, Harry. Eu quero que você veja o efeito da minha próxima tática."

Harry ergueu os punhos e começou a socar Shadow de novo, em dúvida sobre a tática de Shadow agora que sabia o que aconteceria.

 "Você me diz que não a ama", disse ele.

"Eu faço como uma amiga," Harry respondeu, agora ainda mais irritado.

Shadow olhou para Hermione novamente, fazendo contato visual com ela. Ela avançou um pouco, chegando mais perto da luta.

"Então você não se importaria se outro cara namorasse com ela?" Shadow perguntou, um sorriso malicioso, quase invisível em seu rosto.

"Claro que não, contanto que ele a faça feliz," Harry grunhiu, mantendo o rosto sério. Shadow sabia a verdade, porém, quando a velocidade de seus socos aumentou.

"E se você soubesse que ele estava transando com ela todas as noites, fazendo-a gritar o nome dele?" Shadow perguntou.

"Bom para eles", disse Harry, seu rosto ficando vermelho. Sua velocidade agora era quase três vezes maior do que antes.

"E se eles se casassem?" Shadow perguntou, os socos de Harry voando um pouco mais rápido em resposta enquanto ele mantinha seus lábios selados, seu único foco conectando-se com o rosto de Shadow para calá-lo. "E se ele não gostou do relacionamento que vocês dois tiveram e ela concordou de boa vontade com a sugestão de que vocês parassem de se falar?"

Harry deixou escapar o início de um grunhido feroz, agora esquecendo completamente o fato de que estava reagindo exatamente como Shadow queria. Shadow, enquanto isso, estava usando sua velocidade total para se esquivar dos socos rápidos de Harry, o vento causado por seus golpes comprimido e rápido o suficiente para machucar um humano comum.

"E se ..." Shadow começou, olhando para Hermione novamente enquanto puxava seu florete. "E se eu fizesse isso?" ele perguntou, girando em torno de Harry e empalando Hermione do peito até o punho, aço manchado de sangue saindo de suas costas.

Harry estava parado em choque quando Hermione ergueu os olhos da espada e encontrou os olhos dele, os dela brilhando enquanto a luz lentamente os deixava.

"Seu desgraçado!" Harry finalmente rugiu, se recuperando. Ele se lançou sobre Shadow, que não teve tempo de fazer nada enquanto Harry o abordava com tanta força que quebraram quatro árvores antes que ele fosse jogado no chão, criando uma vala.

As presas de Harry estavam estendidas, seus olhos piscando em vermelho. Ele bateu o punho no rosto de Shadow, o vampiro mais velho não tendo outra opção a não ser ir com o golpe enquanto fazia o seu melhor para se esquivar. O punho de Harry agarrou a borda de sua bochecha, fraturando-a enquanto ele a passava, abrindo sua bochecha. Seu punho bateu no chão com tanta força que deixou uma cratera, embora ele não sentisse dor. Ele ergueu o punho para lançar outro, mas uma mão suave o segurou de repente.

Com os olhos ainda piscando em vermelho, Harry olhou por cima do ombro para encontrar Hermione sorrindo para ele, perfeitamente saudável. "Ela ... como?" ele engasgou, a tristeza tornando sua voz rouca.

"Sinto muito por termos que enganá-lo, Harry, mas isso foi apenas mágica de ilusão," disse Hermione. "O florete de Shadow estava de volta ao acampamento o tempo todo. Eu acabei de criar um holograma físico, se isso faz sentido. Eu tive que fazer alguma mágica rápida para adicionar o sangue na lâmina, mas ... por que estou divagando?" ela se perguntou. "O que quero dizer é que era falso e eu estou bem. Então por que você não larga Shadow antes de arrancar a cabeça dele?"

Harry olhou para baixo para ver que sua mão esquerda estava segurando o pescoço de Shadow com tanta força que ele parecia estar com dor. Harry o soltou rapidamente, embora não com um pedido de desculpas. Ele merecia muito disso. Para brincar com ele assim era apenas cruzar a linha. Se Hermione realmente tivesse morrido ...

Harry captou sua linha de pensamento, suspirando e se levantando para que Shadow pudesse fazer o mesmo. Era perfeitamente normal ter esse tipo de reação se ele fosse apenas o melhor amigo da pessoa que morreu, certo?

"Vê o que quero dizer agora, Harry?" perguntou Shadow, que estava completamente composto mais uma vez. "Uma vez que você quis me matar, você estava uma milha acima de mim em todos os aspectos do combate."

"Eu entendi", Harry gemeu, segurando a cabeça. "Mas eu cedi a tanto ódio. Eu não posso ... segurá-lo ... de volta ... por mais tempo ..."

Harry ficou mole por um segundo, caindo de joelhos, o que levou Hermione a dar um meio passo preocupado em sua direção. Shadow agarrou o braço dela, porém, dizendo: "Está acontecendo. Ele está acordando."

Quando Harry olhou para cima novamente, ele estava sorrindo e seus olhos estavam vermelhos. Ele tinha uma aura de comando ao seu redor, uma aura de arrogância. Suas presas de vampiro eram perversamente afiadas e longas, o sorriso em seu rosto perturbador e assustador, o mal que estava saindo dele na forma de névoa negra e nublada apenas adicionando o efeito. Hermione não tinha notado antes, mas quando o Vampiro Harry se levantou foi muito mais suave do que a maneira como Harry se levantou. O vampiro Harry fazia com que parecesse algum tipo de arte.

Isso fez Hermione precisar reprimir um bufo.

"Você achou algo engraçado, mulher?" Harry perguntou, olhando para Hermione com total desdém. "Pensei ter dito para você nunca mais se aproximar de mim ou você se arrependeria."

Ele levantou a mão aberta, mas antes que pudesse fazer algo mais, um tapa diferente ricocheteou por entre as árvores. O tapa da mão de Hermione encontrando a bochecha de Harry.

Harry ficou parado, sua mão permanecendo levantada enquanto a olhava em estado de choque. "Como ... Como você ousa?" ele exigiu, seu rosto ficando escuro.

Hermione se aproximou dele, estreitando os olhos para ele enquanto fazia o possível para encará-lo enquanto olhava para cima. Ela não queria admitir, mas o Vampiro Harry tinha um olhar muito melhor do que o Harry normal.

"Não é essa a minha linha?" Hermione perguntou a ele.

A mão de Harry abaixou lentamente. "O que você está falando?" ele perguntou friamente. "Eu te avisei."

"Aquele tapa foi pela última vez, embora eu saiba que não doeu tanto quanto o seu", disse Hermione. "Mas do que estou falando é que você parece se imaginar como uma espécie de cavalheiro quando não está matando todo mundo sem pensar."

"Claro que estou," Harry disse friamente, ainda sem parar de encarar Hermione.

"Que tipo de cavalheiro bate em uma mulher?" Hermione perguntou.

"Que tipo de mulher revida?" Harry rebateu.

"Uma mulher que não tem medo de expressar sua individualidade e força, esse é o tipo de mulher que revida", disse Hermione. "E você vai ficar muito pior se tentar de novo."

"Quem é você para me ameaçar?" Harry exigiu, empinando o nariz. "Uma pulga patética, isso é tudo que você é."

Desta vez, Hermione deixou escapar uma risada zombeteira. "Eu já sei quem é a pulga patética e sugadora de sangue ."

"É melhor você se cuidar, mulher," Harry a avisou com uma voz perigosa.

"Ou o que?" perguntou Hermione. "Você vai bater em alguém mais fraco do que você de novo? Que viril."

"Você realmente me enfurece", disse Harry com os dentes cerrados. "Deixe minha presença, agora."

"Você realmente se acha tão alto e poderoso", comentou Hermione, a verdade finalmente aparecendo para ela.

"Isso é porque eu sou alto e poderoso", disse Harry. "Eu poderia destruir você em um instante."

"Mais uma vez, obrigada por declarar o óbvio," disse Hermione, sentindo-se como se estivesse andando em círculos.

"Mestre," disse Shadow, interrompendo a discussão. "Essa garota é muito inteligente. Ela está do nosso lado. Se eu posso ser tão ousado ... você poderia apenas apertar a mão dela e superar isso?"

"Essa garota não é adequada para ser minha companheira", Harry rosnou. "Eu não vou permitir que ela continue se misturando com aquele outro eu mais suave."

Hermione bufou, dizendo, "Não estou cumprimentando um idiota completo."

"Você está realmente pedindo por isso, não é?" perguntou Harry.

"Tudo com você é violência," disse Hermione.

"Eu sou um vampiro sangrento ", disse Harry.

Hermione suspirou. Ela não estava chegando a lugar nenhum. "Tudo bem então. Mesmo que eu não tenha nenhum interesse em ser a 'companheira' de Harry, o que eu preciso fazer para me provar para você?"

"Você pode ir embora para sempre", disse Harry, sua voz como gelo. Eles estavam se encarando novamente. Hermione podia sentir não exatamente ódio, mas talvez ódio saindo do vampiro Harry em ondas.

"Tudo bem Mestre, esqueça o aperto de mão, mas não seria uma boa ideia pegar algo para comer antes de invadirmos o castelo esta noite?" perguntou Shadow, esperançoso. Hermione achou interessante que Shadow era um vampiro completamente diferente quando o Vampiro Harry estava fora.

Harry olhou para Hermione por um longo tempo, dando a ela seu olhar mais frio. Quando ele falou, sua voz estava mortalmente baixa. 

"Agora ouça com atenção, mulher", disse ele. "Estaremos de volta em menos de uma hora. Se você não tiver ido nessa hora, vamos ter um problema sério."

"Mestre, ela desempenha um papel importante no plano," Shadow disse calmamente. "Nós-"

"Nós não precisamos dela, Shadow," Harry interrompeu. "Qualquer um de nós poderia facilmente assumir esse papel extra. Tudo o que ela é é um peso morto. Ela não só me faz fraco, mas ela nem é uma vampira. Teríamos que protegê-la. Ela não é nada além de um incômodo."

Hermione continuou a encarar o vampiro Harry, a raiva aumentando. Um incômodo, não é? "Este é o seu último aviso, mulher", disse Harry, seus olhos mais frios do que antes. "Vá embora."

Com isso, Harry começou a caminhar em direção à clareira novamente, Shadow bem atrás dele, deixando Hermione para trás, seus punhos tremendo de raiva reprimida.

"Mestre, por que você é tão duro com ela?" perguntou Shadow. "Isso realmente não tem a ver com ela ser fraca, não é? Porque nós definitivamente poderíamos usar o cérebro dela."

Harry olhou de volta para Hermione mais uma vez antes de começarem a Caminhada nas Sombras até seu destino: uma pequena cidade estacionada a alguns quilômetros de distância. Ele olhou para Shadow e suspirou. 

"Eu sou duro com ela porque eu não acho que o outro eu poderia aguentar se ela se machucasse", ele admitiu a contragosto.

Quando os dois apareceram na cidade, ainda faltavam cerca de quatro horas de luz do dia. Estando tão perto de um clã de vampiros, os habitantes da cidade deveriam saber que não deveriam entrar ou se aproximar de nenhuma sombra. Se ao menos Harry e Shadow não fossem restringidos pela regra do convite, eles teriam qualquer tempo fácil pegando uma presa.

No entanto, eles pararam e esperaram, observando as sombras com atenção. Finalmente, uma mulher tropeçou e tropeçou em uma sombra em frente a eles. Os dois imediatamente caminharam para a sombra, agarrando-a e puxando-a para um beco escuro enquanto Harry afundava suas presas em seu pescoço. O sangue quente desceu por sua garganta, fazendo-o fechar os olhos em êxtase enquanto a mulher lentamente parava de lutar. Então ela estava morta, seu sangue completamente drenado. Harry pegou o corpo e olhou para Shadow, que estava olhando para ele com uma leve surpresa.

"O que?" Harry retrucou. "Você acha que só porque eu mostrei moderação para com a mulher que eu tinha amolecido?"

"Claro que não, Mestre," Shadow comentou com uma cara perfeitamente séria.

Os dois enterraram o corpo na floresta, Harry ajoelhado ao pé do túmulo dela enquanto Shadow estava atrás dele. Harry murmurou a oração do vampiro sob sua respiração, a única vez que palavras sagradas podiam passar pelos lábios de um morto-vivo. Quando ele terminou e se levantou, Harry acenou para Shadow e os dois voltaram para o acampamento.

Para surpresa de ninguém, Hermione ainda estava lá quando eles chegaram.

Harry caminhou até ela até que ela estivesse a menos de um pé de distância dele, seus olhos desaprovadores olhando para ela.

 "Eu disse para você ir embora, mulher", disse ele. Quando Hermione não respondeu, Harry disse, "Vá embora ... mulher."

"Não," disse Hermione desafiadoramente.

"Não me faça ..." Harry disse, sua voz perigosamente baixa.

"Bater em mim?" Hermione perguntou secamente.

"Eu farei isso," Harry ameaçou.

"E você acha que levar um tapa por você vai me fazer sair do lado de Harry?" Hermione perguntou baixinho. "Você acha que assistir você matar quarenta pessoas vai me fazer sair do lado de Harry?" ela gritou na cara dele. "Você acha que ser frio e superior comigo vai me fazer sair do lado de Harry?" ela chorou. "Bem, pense novamente, porque absolutamente nada vai me fazer sair do lado dele!"

"E se ele quiser que você saia?" perguntou Harry, olhando para ela astutamente.

"Isso é muito ruim para ele, não é?" Hermione perguntou com um brilho selvagem em seus olhos. "Ele está preso a mim, goste ou não. Eu posso vencer sua teimosia qualquer dia."

Harry a estudou por um longo momento, medindo sua sinceridade. Finalmente, ele se aproximou de Hermione e agarrou a frente de sua camisa, puxando-a na ponta dos pés enquanto ele os colocava frente a frente.

 "Você nos segura por um segundo, você reclama de uma coisinha, você perde um grama de determinação ... você se foi. Quando estamos implementando um plano ou no meio de uma luta e você deixa de cumprir seu dever ou segure-se ... você se foi ", disse ele. "Está claro?"

Hermione, embora estivesse olhando para ele, disse, "Muito." Mais uma vez, Harry segurou os olhos dela por um minuto antes de decepcioná-la.

Então ele suspirou e anunciou: "Vou meditar antes de pôr em prática nosso plano."

"Muito bem, Mestre," Shadow respondeu imediatamente. "Existe alguma coisa que você precisa?"

"Apenas paz e sossego", disse Harry, deixando sua visão enquanto caminhava por entre as árvores.

"Ele realmente gosta muito de você," Shadow comentou quando Harry estava fora do alcance da voz.

"Mesmo?" Hermione perguntou ceticamente.

"Eu conheço o lado dos vampiros", disse Shadow. "Eu nunca vi um aceitar um humano em seu meio tão cedo."

"Então?" Hermione perguntou.

"Harry estava dizendo para você sair por razões diferentes das que você acredita," Shadow explicou, tentando dissipar um pouco da tensão entre os dois.

"Você está me dizendo que ele não está tentando se livrar de mim porque pensa que sou uma humana inútil e peso morto que está arrastando todos vocês para baixo," Hermione afirmou sem acreditar.

"Ele não é tão egoísta assim quando se trata de você", disse Shadow. "Apenas ... certifique-se de não morrer esta noite, certo?"

"Eu não pretendo," disse Hermione.

Shadow começou a andar na direção oposta de Harry, acenando por cima do ombro. "Ninguém planeja morrer." 

Então Hermione estava sozinha ... de novo. Ela suspirou e começou a andar, pensando nas palavras de Shadow. Então ele estava realmente insinuando que o vampiro Harry era altruísta quando se tratava dela? Não há como isso ser verdade. Eles se odiavam!

Finalmente, com a curiosidade dominando-a, Hermione foi até Harry. Ela o encontrou deitado de costas usando as mãos como travesseiro, os olhos fechados. Ele parecia estar perdido em pensamentos. Hermione, sem saber como chamar sua atenção, deu uma tosse falsa. Harry não se mexeu. Hermione suspirou.

 "C-com licença", disse ela.

"Eu tenho um nome, você sabe," Harry murmurou.

Hermione ficou vermelha, odiando que ela se preparou para isso. Então, irada, ela disse: "Bem, você não é o Harry que eu conheço, então não posso chamá-lo assim."

Harry abriu um olho, estudando-a. Então ele se sentou de repente, com um sorriso no rosto. Um sorriso que era idêntico ao de Harry normal até as rugas de sua pele no canto dos olhos. 

"Ei, Hermione, só estava procurando por você. Preciso de uma ajudinha na minha Transfiguração", disse ele, sem toda a frieza de sua voz, substituída pelo calor de Harry. Hermione deu um passo para trás dele. "Eu sou Harry Potter", disse o vampiro, frio de novo. "É você quem tem uma percepção distorcida de quem é quem."

Hermione engoliu em seco. Então, decidindo ignorar suas zombarias, disse com os dentes cerrados:

 "Só vim agradecê-lo por aceitar minha maneira de pensar".

Harry olhou para ela como se ela estivesse louca por um momento, então deu de ombros e se deitou. 

"Eu não fiz isso por você", disse ele.

"Você não fez isso por você também," Hermione rebateu.

Mais uma vez, um único olho se abriu. "Sim, eu fiz", disse ele. "Você estava sendo irritante e era a única maneira de calar a boca."

"Mentiroso," Hermione respondeu imediatamente.

Harry encolheu os ombros novamente. "Tudo o que você quiser acreditar", disse ele sem rodeios, fechando os olhos novamente. "Apenas certifique-se de ter um bom senso da realidade."

"O que eu fiz para que você me odiasse tanto?" Hermione perguntou antes de perceber o que estava deixando sua boca.

"Você pegou o coração de Harry antes que eu tivesse qualquer opinião sobre isso", Harry finalmente respondeu honestamente.

"Eu não fiz nada com o coração de Harry," Hermione respondeu calmamente.

"Subconscientemente," Harry disse cansado. "Subconscientemente."

Então algo atingiu Hermione, fazendo-a congelar. "Shadow estava errado," ela murmurou, fazendo as sobrancelhas de Harry franzirem. "Você fez isso por motivos egoístas", disse ela.

Harry sorriu, os olhos ainda fechados. "Agora você entendeu."

"É porque você não queria me ver em perigo", disse ela em sua voz de 'Eu tive uma epifania'. "Você me ama."

Os olhos de Harry se abriram. "Eu disse para você ter certeza de ter uma boa noção da realidade," ele disse como se a noção de Hermione fosse risível.

"Quieto," Hermione retrucou, tentando manter sua linha de pensamento. "Você acabou de dizer que é Harry. O lado mais suave de você, o lado que eu conheço, só o vê subconscientemente de acordo com você. Mas você. Você reconhece o sentimento. É por isso que você sabe que o Harry que eu conheço me ama."

"Eu sou um vampiro," disse Harry uniformemente, olhos fechados novamente. Mas Hermione podia ver que seus músculos estavam tensos. "Eu não me apaixono por ninguém, especialmente você."

"Você ... Harry ... realmente me ama," Hermione sussurrou, ainda surpresa.

O rosto de Harry estava instantaneamente a menos de um centímetro do dela, sua máscara de nojo e fúria.

 Sua mulher estúpida . Você não é minha companheira e nunca será", ele cuspiu. "Você é irritante, idiota, louco e hormonal. Cresça e perceba que Eu Não Amo Você."

Hermione balançou a cabeça, um pequeno sorriso no rosto. "O fato de você ser tão veemente sobre isso só prova mais o meu ponto."

"Você é incorrigível", disse Harry baixinho, sentando-se novamente. "Não adianta discutir com você."

"Porque você sabe que estou certa", disse Hermione.

Quando Harry voltou seus olhos para Hermione, ele ficou surpreso com o quão frios eles estavam. 

"Não", disse ele. "É porque você é incrivelmente cabeça dura e teimosa."

"Eu não sou nenhuma dessas coisas," Hermione respondeu. "Estou apenas sendo lógica. Seguindo sua lógica, estou correta."

Harry suspirou, deitado de costas. Por que ela simplesmente não conseguia parar? 

"Olhe então," ele disse cansado. "Nós dois estamos errados. Eu não sou Harry e não te amo."

"Mesmo?" Hermione perguntou. "Então por que você assumiu o domínio da mente de Harry quando parecia que eu tinha sido morta?"

"Eu me alimentei da raiva de Harry", disse Harry. "Era o meu melhor meio de assumir o controle. Nada mais. Nada menos."

"E você me deu um tapa na cara na primeira vez que saiu porque não queria parecer fraco na frente de Shadow," Hermione continuou, ignorando Harry completamente. "Tudo se encaixa", ela sussurrou.

"Não!" Harry finalmente explodiu, a magia negra girando em torno dele enquanto ele levitava cerca de trinta centímetros do chão. "Nada se encaixa, menina! Tire essas fantasias doentias e distorcidas da sua cabeça! O amor não leva a nada além de dor, que por sua vez leva a nada além de sofrimento! Não estou apaixonado por você agora, e nunca planejo estar ! Você não percebe o quanto eu te desprezo? Você, como pode permanecer tão inocente depois de tudo que testemunhou? Como pode não estar fugindo de mim gritando neste exato momento? Como pode ser tão teimosa quando eu disse dez vezes que não te amo? " ele se enfureceu. "Eu te odeio! Eu odeio que você tenha a força para me enfrentar, e odeio que seu sorriso só tenha ficado mais presunçoso conforme nossa conversa progredia! Como, quando há tanto mal neste mundo, você pode ficar tão boa e compreensiva? Você deveria estar amarga e enfurecida! Você e o outro lado de mim! Eu odeio vocês dois!"

Hermione estava olhando para ele com os olhos arregalados, não esperando tal explosão do vampiro. 

"Eu sinto muito", disse ela humildemente.

Harry desinflou. "E agora você está se desculpando ..." ele disse, parando. "Excelente." Hermione abriu a boca, mas Harry disse rapidamente, "Vá embora. Apenas ... me deixe em paz."

Shadow chegou naquele momento, ajoelhando-se assim que apareceu. "Mestre, Hermione, está na hora", disse ele.

"Muito bem," Harry respondeu, seu comportamento frio de volta ao lugar. "Eu encontro vocês dois do outro lado."

Harry imediatamente decolou, Shadowalking por entre as árvores até a borda da floresta, onde o castelo apareceu. Ele se ajoelhou, sua mente ainda uma massa de emoções em redemoinho, apesar de sua fachada calma e controlada. Foi difícil estar apaixonado por uma garota tão inteligente. Ela descobriu muito rápido. Ela havia descoberto. Ele realmente a esbofeteou em seu primeiro encontro por essa mesma razão, e ele segurou a mente de Harry em um esforço para fazer o que pudesse para salvá-la, já que ela aparentemente havia sido atropelada pelo florete de Shadow, mesmo que fosse tarde demais .

Ele era de fato toda a raiva e ódio que o Harry normal possuía, uma espécie de transtorno bipolar exagerado. Isso não significava que ele era incapaz de amar, no entanto. Aqui estava ele, mas um novato neste mundo, e ele teve que lidar com a mulher mais inteligente, espirituosa e bonita que ele já conheceu a cada minuto do dia. Não era justo.

Sendo o lado odioso de Harry, ele sabia como o amor poderia ser. Foi tão fugaz quanto a própria vida. Nascido aparentemente do nada, pode ser extinto a qualquer momento, ir embora, arrebatado pelas mãos frias da morte. Ele não queria ser a razão pela qual ela sentiu aquela traição pela primeira vez.

Porque, como todas as pessoas más, o lado mau de Harry realmente tinha um ponto fraco em seu coração. Ele adorava matar, mutilar e causar destruição em massa, mas bastaria uma única palavra da palavra 'pare' dos lábios de Hermione para fazê-lo virar as costas para tudo isso. Ele realmente não queria que ninguém descobrisse isso, muito menos a própria mulher.

"O que está feito está feito", Harry murmurou para si mesmo. "Devo me concentrar na tarefa em mãos, se quiser sobreviver."

Ele respirou fundo, instintivamente, abriu os olhos e saiu da cobertura protetora da floresta, pronto para assumir o controle do mundo dos vampiros.

Hermione realmente era a única pessoa que poderia pará-lo neste ponto, embora ele soubesse que ela não queria isso.

O 'Mestre Vampiro' realmente se arrependeria de não ter cumprido sua política melhor.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...