História Pergunte ao Destino - Isulio - Capítulo 16


Escrita por:

Postado
Categorias Bia, Sou Luna
Personagens Alex Gutiérrez, Beatriz (Bia) Urquiza, Carmín Laguardia, Celeste Quinterro, Chiara Callegri, Manuel Quemola Gutiérrez, Mara Morales, Personagens Originais
Tags Aguslina, Amizade, Amor, Bia, Binuel, Carlex, Casal, desencontro, Destino, Disney Bia, Felicidade, Ficção Adolescente, Gastina, Isabela Souza, Isulio, Jhonleste, Julio Peña, Lutteo, Manuel, Michaentina, Romance, Ruggarol, Simbar, Viagem, Youtube
Visualizações 118
Palavras 2.065
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Suspense
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hello Hello!
Como estão? Espero que bem!
Ansiosos para o capítulo de hoje? Garanto que vão gostar.
Posso contar que falta bem pouco para o beijo deles, aguardem que minha mente está trabalhando perfeitamente para deixar esse momento inesquecível!
Se gostarem deixem um comentário, amo muito vocês♥
Boa leitura!

Capítulo 16 - Só não quero que você sofra no futuro.


Fanfic / Fanfiction Pergunte ao Destino - Isulio - Capítulo 16 - Só não quero que você sofra no futuro.

Por Isabela:


Meus cabelos estavam completamente bagunçados pois eu passava a mão neles toda vez que tentava lembrar da noite passada. É como se uma barreira estivesse me impedindo de ter qualquer contato com minhas lembranças passadas. Perdi a conta de quantas vezes me culpei por ter aceitado a bebida que o garçom me oferecerá. A dor não havia passado o que deixava toda minha situação mais lamentável ainda. Levantei da cama e comecei a andar em círculos- uma coisa muito normal para mim- enquanto tentava novamente passar todas minhas ações na festa de ontem. Sem sucesso. A bebida havia consumido toda minha mente e quando foi embora levou consigo todas minhas lembranças. 


Pelo menos eu sabia de uma coisa. Julio estava comigo no quarto. E possivelmente estávamos,  sozinhos. Oh meu Deus! Estávamos sozinhos no mesmo quarto enquanto minha consciência estava dominada totalmente pelo álcool, o que será que rolou entre nós? Será que fiz algo insensato? As perguntas se formavam cada vez mais e todas elas podiam ser solucionadas por uma única pessoa. Ele. O garoto do meu sonho. Julio.


Ouvi murmúrios vindo do outro lado da porta, em questão de segundos Giulia e Agustina entraram no quarto, seus olhares se voltaram para mim, me analisando, vendo meu humor, estudando-me.


- Como se sente?- Agustina pergunta fazendo seu papel de amiga preocupada.


- Confusa e querendo explicações!- respondo passando os dedos novamente pelos meus longos cabelos. 


- Você não se lembra de nada?- Giulia pergunta dessa vez franzindo as sobrancelhas em surpresa.


- Nadinha!- afirmo suspirando.- Estou sentindo que falei algo que não devia para Julio,- digo olhando para a cadeira da penteadeira.- Aliás, por que vocês deixaram ele me trazer até o quarto? 


- Ora, porque ele é um bom rapaz e parecia preocupado com seu estado.- diz Agustina enquanto colocava suas mãos na cintura. 


- E também porque é seu AMIGO e não te faria nada de mau!- Giulia afirma tentando me irritar e ao mesmo tempo questionar a confiança que eu talvez tenha em Julio.


- Não comece, Giulia!- reclamo já stressada. 


- Quando voltamos da festa ele já não estava e você dormia.- Agus disse com desdém como se eu fosse me interessar pela sua informação.- E é de se esperar que não se lembre de nada, seu estado ontem a noite estava crítico.- ela completou.


- E por que você está tão preocupada?- Giulia questiona curiosa.


- É que...- observo Giulia me olhar em espera de uma resposta. Suspiro e continuo:- Quando fico bêbada costumo falar coisas que não devia e estou com a impressão de ter falado algo para Julio.


- E o que você falaria para ele que não pode ser dito de maneira alguma?- Giulia questiona novamente lançando um sorriso para Agustina.


Ela está jogando comigo, está trilhando uma forma de arrancar as palavras de minha boca. Mas não posso deixar que elas fiquem ciente de meus verdadeiros sentimentos por Julio.


- Uma coisa que ninguém pode saber, incluindo ele.- respondo alheia aos olhares trocados das duas que pareciam descrentes sobre minha resposta. 


- Ainda se engando Isa?- Agustina diz me deixando mais tensa.


Sim eu estava me enganando. Mesmo nutrindo alguma coisa por ele, não podemos mantem uma relação. Julio além de gostar de outra pessoa, tem o casamento forçado que a família dele planeja para seu futuro. Não posso me dar ao luxo de achar que podemos ter alguma coisa, se fizesse isso, daí sim eu estaria me enganando.


- Deixa quieto Agus, ela não vai admitir que gosta dele. Só ela mesmo para desperdiçar essa chance. Se eu tivesse alguém que me olhasse do jeito que o Julio olha para ela não restaria dúvidas no meu coração!- ela diz como se eu não estivesse no quarto.- Ela só vai dar valor quando o perder!


- Já chega!- explodo fazendo elas olharem para mim.- Vocês pensam que está sendo fácil tudo isso? Eu sou uma pessoa, ok? Acabei de terminar um relacionamento e vocês acham que estou segura para entrar em outro? Não notam que estou sofrendo com tudo isso?


Involuntariamente as lágrimas começam a escorrer de meus olhos e passo a mão para seca-las. Já estou cansada das pessoas falarem como se fosse tão fácil a minha vida. Eu só não quero sofrer de novo, quero ser feliz por pelo menos um pouco que seja. 


- Eu gosto dele. Está bom pra vocês agora?- confesso sentido meu coração apertar. 


- Isa a gente não queria fazer você ficar...- Agus para sem saber o que falar.


- Não estou brava com vocês. Só estou cansada de sofrer por as coisas não darem certo para mim!


- Elas só não dão certo porque você desiste no meio do caminho!- Giulia diz calmamente tentando não parecer rude.- Não desista dele só porque acha que não vai tê-lo. Ele realmente gosta de você, Isa!


- É Isa, a Giulia tem razão! Só confie em si mesma que vai dar tudo certo! 


Agustina se aproxima de mim e me abraça, me fazendo esquecer das lágrimas que insistiam cair de meus olhos, me dando conforto. Giulia não ficou para trás e rapidamente envolveu seus braços em nós duas. Nos afastamos e fitamos uma a outra e logo caímos na gargalhada. 


- Se sente melhor agora?- a loira pergunta num tom zombeteiro me fazendo assentir.- E para conversar com ele?


Eu tenho que acabar logo com isso. Tenho que conversar com ele. E mesmo não estando pronta, não posso mais adiar. Não posso mais me enganar. 


- Acho que sim!- respondo em meio a dúvida. 


- Ele deve estar no restaurante principal agora, nós nos encontramos com ele no caminho de volta para o quarto!- Agustina me informa rapidamente. 


- Vocês acham mesmo que essa é a melhor escolha a se fazer?- questiono com insegurança. 


- É tudo ou nada, se não der certo você pelo menos tentou!- Giulia diz me fazendo refletir em suas palavras. 


***


Confiança. Era a única coisa que eu precisava ter nesse momento. Preciso confiar em mim, confiar em Julio, confiar no meu coração. A medida que me aproximava do restaurante meu coração batia mais forte no peito. A porta principal entrou no meu campo de vista, inspirei e expirei. Eu consigo!


Passei meus olhos por todas as mesas do restaurante, mas não vi Julio e sim a suposta noiva dele. Ela estava sentada um pouco mais afastada das outras mesas e parecia magoada. O que será que aconteceu para ela parecer tão sensível e abatida? Dou de ombros e vou até ela.


- O que você está fazendo aqui?- ela pergunta voltando ao posto de garota insensível enquanto me aproximei de sua mesa.


- Sabe me dizer onde está o Julio?- pergunto rapidamente fazendo ela me olhar mais feio ainda.


- Estava agora pouco comigo e sem dizer nada saiu para atender uma ligação!- ela joga as palavras na minha cara como se eu fosse ficar chateada por ele estar com ela.- Estávamos aproveitando nossos últimos dias de noivado!


Últimos dias? Será que o Julio conseguiu se safar desse casamento forçado? Ou, eles vão se casar quando voltarem para Argentina?


- O que você quer dizer com isso?- questiono preocupada.


- Que vamos nos casar quando voltarmos de viagem!- ela sorri vitoriosa como se tivesse ganhado de mim em alguma coisa.


Então quer dizer que ele desistiu de tudo. Desistiu da promessa que me fez. As dúvidas sobre a noite passada retornaram a minha cabeça me deixando alheia a garota cinica a minha frente. Será que isso tudo tem haver com a noite de ontem?


- Fico feliz por você, Julia! Lhe desejo tudo de bom e que seja muito feliz com seu casamento de mentira!- sorriu mal percebendo no que acabará de falar.


Sai dali andando rápido, passo por diversos corredores até chegar ao saguão. O local estava cheio fazendo minha dor na cabeça latejar com o tamanho barulho. Em poucos minutos já estou do lado externo do navio sentindo a brisa soprar meus cabelos. O convés era o melhor lugar em todo o navio para mim, passei a caminhar observando a nuvens no céu e a água azulada do oceano.


Então Julio havia desistido de lutar pelo seu destino. Por que do nada ele fez isso? Será que adianta eu contar para ele meus sentimentos? Será que ele me ouviria? E se eu desistir?


Em meio a minha caminhada meu corpo tromba com algo. Uma pessoa. Ele. O olho alarmada e ele devolve o mesmo olhar. Aquele curto momento em que nós miravamos meu coração pressentiu que algo estava errado entre nós. 


- Isa.- ele diz desacreditado. 


- Podemos conversar?- pergunto de uma vez só, sentindo meu coração se agitar mais ainda.


Seus olhos pareciam incertos, ele abre a boca mas logo fecha sem resposta alguma. Nesse momento eu sei que tem algo estranho entre nós. 


- Por favor, Julio!- imploro desesperada. 


- Não posso agora Isa, me perdoe. 

Sua recusa me deixa pasma. 'Me perdoe', essas duas palavras pareciam demonstrar outra coisa. 


- É sério Julio. Nós precisamos conversar!- digo mais uma vez tentando convencê-lo.


- Não posso. Não podemos conversar!- ele nega mais uma vez com certa relutância. 


O que estava acontecendo? 


- Você diz isso porquê não está com tempo ou porquê não quer mesmo falar comigo?


Ele estava me evitando. Por que está fazendo isso? Será por causa do casamento? 


- Preciso ir.- ele responde sem me olhar. 


Pego rapidamente em seu braço o segurando firme. Ele me fita como estivesse pedindo que não forçasse as coisas. 


- O que aconteceu entre a gente na noite passada?- questionei com a voz embargada.


- Nada de mais!- sua resposta é curta e rápida. 


- Por que você está agindo assim comigo?


- Tenho que ir, Julia está me esperando.


- É claro sua noiva está te esperando!- afirmo revirando os olhos.- Eu pensava que você não fosse de desistir mas acho que me enganei não é? E a promessa de não desistir de quem você realmente gosta? Ela não te importa mais?- meu tom demonstrava um alto nível de ciumes e raiva.


- Não desisti de nada Isabela. Só não quero que você sofra no futuro. Tem muita coisa em jogo!


'Você sofra'. O que eu tenho haver com a garota que ele gosta?


- Por que eu iria sofrer?- pergunto irritada.


Ele respira fundo e me olha de um jeito intenso, sinto como se borboletas estrangas estivessem perfurando minha barriga. Por que tanto suspense para slgumas palavras? 


- Eu já te disse Isa.- ele para imediatamente de falar e puxa delicadamente meu queixo para que eu não desviasse seu olhar.- A garota é você! Como pode ter dúvida disso? Você nunca percebeu como me faz bem estar com você? De como me preocupo com você?- me sentia como se eu tivesse tomado um choque e não conseguisse voltar ao normal.- Eu tentei não desistir de você, mas as coisas parecem se complicar cada vez mais. Eu precisava tomar uma decisão. 


Aquilo me faz arregalar os olhos. Eu era ela. Ele gostava de mim. Ele havia desistido de mim. Ele escolheu a Julia ao invés de mim. Sua mão escorregou de meu queixo e seu olhar desprendeu de mim, ele estava me evitando. Por que ele tornava as coisas tão difíceis? 


- Preciso ir.


Ele diz e se solta de mim. Seus passos vão ficando mais abafados e logo depois ensurdecedores. Suas palavras ressoavam em minha mente. Ainda não caiu a ficha, eu era a mesma garota que ele gostava. Ele desistiu de mim, eu deveria estar chateada por isso. Sera que ele sabe que gosto dele também?  Minha mente e meu coração pareciam não ter mais rumo algum, eu estava perplexa. Ele me deixou. Me deixou de duas maneiras.


Meu celular apitou anunciando uma nova notificação de mensagem. O puxei da minha jaqueta jeans e desbloqueei a tela. Ao ver quem me mandará a mensagem meus olhos se arregalaram e meus lábios cerram. Era Guido.


"Você leu a carta?"


Mordi o lábio inferior. Qual o objetivo de me perguntar se eu havia lido a carta, ainda mais depois de vários dias. Acho que paz é uma coisa que nunca vou ter. De um lado está Julio, me fazendo gostar dele e sofrer por ele. Do outro lado está Guido,  que eu já gostei e sofri. 


Notas Finais


E aí o que acharam?
Gostaram?
Qual a parte que vocês mais gostaram? Me contem nos comentários.
Finalmente a Isa deixou seu coração mandar e parou de metir para si mesma, merece meu respeito agora kkkk (brincadeira).
Mas quando ela toma essa atitude parece que tudo quer da errado.
Por que será que o Julio desistiu dela e resolveu aceitar o casamento?
Quem além de mim está sofrendo por esse casal não estar junto ainda?
Se lembram da carta e do álbum? Pois eu não me esqueci.
O que será que o Guidinho quer?
Façam suas apostas aqui nos comentários, amo ver as teorias que vocês fazem!
Obrigada por estarem dando uma chance a mim, sério mesmo! Não sei nem como agradecer a cada capítulo que se passa!
Até segunda! Beijos de luz...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...