1. Spirit Fanfics >
  2. Pergunte ao Destino - Maloma >
  3. Aceito. Mas eu que faço as perguntas!

História Pergunte ao Destino - Maloma - Capítulo 10


Escrita por:


Notas do Autor


Oi, Tudo bem? Espero que gostem!
Vim trazer mais um capitulo.

Capítulo 10 - Aceito. Mas eu que faço as perguntas!


Narração por Paloma:

- Não, tenho absolutamente certeza de que é você! - a garota de cabelos ruivos afirma mais uma vez. - Seu nome não é Paloma da Silva?

Neguei cinco vezes minha identidade para ver se a garota largava do meu pé, porém ela ainda está convicta de que realmente sou eu. Eu sei que é horrível mentir para alguém mas não estou afim de ficar explicando algo que quero tanto esquecer. Principalmente para Marcos, tenho certeza que ele vai querer saber.

- Você deve estar enganada, sou uma pessoa normal aproveitando minha viagem! - me explico tentando parecer calma.

Marcos me olha confuso, deve estar se perguntando o por que de eu estar mentindo para a pobre garota. Ela não tem culpa, mas não posso me afundar mais do que já estou. Tento pedir ajuda para ele e o mesmo apenas sorri divertindo-se com minha situação.

Minha vontade é de correr dali como uma pessoa covarde faria, mesmo assim, meu corpo permanece parado esperando minha mente raciocinar o que fazer.

A garota olha para Marcos e ele apenas da de ombros sem poder faer nada. Suspiro esperando que a garota fosse embora imediatamente. Lanço um olhar para ele fazendo com que nossos olhares se encontrassem.

- Me ajude. - movi os lábios lentamente o fazendo se curvar para prestar atenção neles. - Me ajude, por favor! - implorei mais uma vez.

- Eu não posso estar enganada, sou muito sua fã! Na verdade sou fã de você e de seu namorado, vocês formam um casal tão lindo. Meu sonho era...

- Perdão... - Marcos a interrompe vindo para perto de mim.

A garota olha atenta para ele e eu faço o mesmo. De repente, já ao meu lado, ele passa o braço ao redor de meu pescoço pousando sua mão em meu ombro. O observo com desespero, por que ele esta me tocando, não deixei bem claro que ele era um desconhecido para mim?

- O que você está fazendo? - pergunto nervosa entre dentes.

- Confie em mim. - um sorriso amigável estampa seus lábios.

Eis a questão. Confiar em uma pessoa que não faço ideia de quem seja. Para tudo se tem uma primeira vez.

- Perdão, mas minha namorada não é quem você acha que seja! Não é mesmo Anabela? - ele estreita os olhos para mim que ainda o olho atônita.

Minha cabeça dá voltas, me meti em uma situação bem embaraçosa. Sério, namorada? Não tinha mais nada para inventar? Pelo menos ele está me ajudando, mas sério!? Essa mentira foi horrível, se a situação não estivesse tensa eu juro que eu estaria rindo agora.

- É - digo rápido vendo a triste reação da garota.

- Eu que devo me desculpar, não queria incomodar vocês. É que realmente sua namorada parece muito com a Paloma, mesmo assim, me desculpem. - ela diz cabisbaixa e logo sai andando.

Fiquei com dó dela mas não posso fazer nada, seria a pior coisa se ela soubesse quem sou de verdade. Suspiro pesadamente e olho para Marcos que ainda mantém seu braço entre meus ombros.

- Não quer dizer o por que você mentiu para ela? - ele ergue uma das sobrancelhas enquanto espera minha resposta.

- Não estou muito afim de ficar triste agora, me entende? - me explico enquanto tiro seu braço de meu pescoço.

- Entendo e não vou te pressionar. - ele mostra um sorriso franco. - Agora você não pode dizer que não sou seu amigo, certo?

Assinto sorridente.

- Não sei nem o que fazer para te agradecer, sério muito obrigada! - digo sem jeito.

Ele pensa um pouco e fita de relance a mão que havia escrito seu nome e telefone.

- Pois eu sei!

- Ah é? E o que você quer?

- Não vou te dizer agora, se quiser saber terá que me enviar uma mensagem. - ele diz convencido de que eu faria.

É talvez eu faria.

- Vou pensar no seu caso! - brinco enquanto enrolava a ponta de um fio de cabelo em meu dedo indicador.

- Pense com carinho! - ele sorri divertido.

*********

- Olha quem chegou! - Sofia finge surpresa ao me ver entrar no quarto.

Não tenho ideia do que minhas amigas fizeram depois do passeio pelo navio, mas pelo visto foi algo animado já que Natália estava bem contente.

- Pelo visto vocês estão bem sem mim! - brinco olhando para Natália que estava misturando algo em um pote pequeno.

Coloco a câmera sobre a penteadeira e vou xeretar o que tanto Natália misturava.

- É uma máscara facial. Faz tanto tempo que não faço, minha pele vai agradecer bastante! - ela alega passando a mão pela pele.

- Eu também quero! - peço com empolgação.

Quando eu e Natália tínhamos a noite das garotas, sempre fazíamos isso mas desde que comecei a namorada com Ramon não havíamos mais feito. Ela assentiu e completou sua mistura.

- Sofia vem, primeiro você! - Natália chama e a loira vem correndo sentar ao lado dela. - Tente não fazer nenhuma careta quando eu estiver aplicando a máscara!

- Não garanto nada! - ela ri fazendo Natália revirar os olhos.

Enquanto minha amiga aplicava a máscara em Sofia, fui em busca do carregador de meu celular. Quando achei o conectei em uma tomada perto de minha cama e deixei meu celular carregando.

Sentei em minha cama e olhei fixamente para minha mão. Marcos Prado. Aquele sobrenome não me é estranho, tenho a impressão de ter o escutado alguma vez! Talvez Ramon tivesse mencionado alguma vez e não me lembro. Deixei essa questão de lado e analisei o telefone logo em baixo de seu nome.

Eu deveria anotar logo em minha agenda para não correr o risco de apagar. Peguei meu celular ainda no carregador e anotei em minha agenda seu nome e telefone. Pronto, sorri satisfeita.

- Por que sorri tanto para o celular? - Natália pergunta me olhando por cima do ombro.

- Por nada! - minto desligando a tela do celular rapidamente e o deixando carregar em paz sob a cama.

- Não minta para suas amigas! - Sofia murmura sem mexer os lábios me fazendo rir. O rosto dela já estava com a máscara verde gosmenta, foi impossível não rir.

- Sua vez Paloma. - Natália gesticula com as mãos me chamando. Sento em sua cama e fecho os olhos quando ela começa a aplicar a máscara.

- Como foi o passeio com o tal Marcos? - Sofia m pergunta sentando-se ao meu lado. Abro os olhos e vejo a expressão confusa de Natália.

- Tenho a impressão de vocês não estarem me contando as coisas. - alega ela enquanto espalhava perfeitamente o treco verde em minha pele.

- É uma longa história, depois te conto. - Sofia informa agitada. - Agora me conte o que aconteceu depois que eu sai!

Penso repentinamente no que havia acontecido. Tirando meu nervoso e algumas reações tolas, foi bem normal. Só conversamos igual pessoas normais fazem.

Natália estava com seu olhar de quem foi abandonada e totalmente esquecida. Fiquei com pena, afinal não era culpa dela que eu não havia contado a ela.

- Só caminhamos e conversamos, nada de mais! - dou de ombros enquanto um sorriso se estampa entre os lábios da loira.

- Um simples passeio com direito a conversa com aquele deus grego não é nada de mais! É tudo de bom, eu gostaria de estar no seu lugar mas parece que o destino já decidiu que vocês nasceram um para o outro. - seus olhos chegam a brilhar a cada palavra que dizia.

- Nada haver! - desconverso.

- Ignora, ela é louca mesmo! - Natália roda o dedo indicador próximo ao ouvido gesticulando o sinal de loucura.

- Depois não vem choramingar e dizer que eu estava certa! - ela resmunga brincalhona. - Me conte mais, porquê estou desacreditada que rolou só isso!

Pensei um pouco se seria uma péssima ideia contar que uma garota me reconheceu e Marcos fingiu ser meu namorado para despitá-la.

Contei a história toda e elas ficaram pasmas, principalmente Sofia que deu vários gritos agudos em nossos ouvidos.

- Ele também me deu seu telefone! - mostro rapidamente a palma de minha mão.

- Ele é mais rápido do que eu pensava! - a loira diz com graça. - Ele disse mais o quê?

- Pare de fazer perguntas! - Natália intervém vendo a empolgação da loira.

- Ele disse que é pra mim chama-lo. Mas não sei se faço isso ainda hoje. - digo em meio a dúvida.

- É melhor você chama-lo amanhã, se não ele vai pensar que você é fácil demais! - Natália diz colocando sua sensatez no topo, como sempre faz.

- Ele não liga se você é fácil ou difícil, ele só quer que você o chame. Faça isso hoje, você não pode perder essa chance! Até porque aquela Vitória não vai querer ficar pra trás não. - Sofia diz enquanto se levantava da cama.

Elas estão dizendo como se ele estivesse completamente afim de mim. Em que mundo elas estão? Acabei de terminar um relacionamento e não quero me enfiar em outro, não tão depressa.

Vou mandar a mensagem quando sentir vontade, afinal, é só uma simples mensagem para uma pessoa que não tem nenhuma importância na minha vida.

Depois de alguns minutos ainda com aquela máscara grudenta no rosto, vou até o banheiro e a removo. Lavo meu rosto duas vezes e logo aplico um creme facial. Pronto, minha pele está mais macia do que nunca.

********************

Minhas amigas se arrumavam apressadas enquanto eu passava os olhos na página de meu mais recente livro que comprei. Não estava dando para me concentrar um os barulhos irritantes que elas faziam a cada instante.

- Nat, você viu um batom vermelho meu?

- Está em cima da penteadeira! - informo ainda com os olhos no livro.

- Tem certeza de que não quer ir jantar com a gente no restaurante principal!? - Natália pergunta enquanto enrolava as pontas dos cabelos com a chapinha.

- Estou bem aqui. Daqui a pouco peço ao serviço de quarto trazer meu jantar, não se preocupe vou sobreviver! - ela resmunga um "ok" e volta sua total atenção para o espelho.

Minutos depois elas saíram do quarto trancando a porta. O silêncio pairou e finalmente pude me concentrar em meu livro. Mas eu já não estava com mais vontade de ler, joguei o livro para o outro lado da cama e peguei meu celular.

Havia algumas notificações do aplicativo de mensagens, mas nem me dei o trabalho de ver quem era. Fui direto para a agenda de meu celular, rolei com o dedo polegar até chegar na letra 'M' e cliquei no nome dele.

Fiquei longos minutos encarando a tela e meu celular com um absurdo medo de completar o que iria fazer. Com um desespero enorme cliquei na tecla 'enviar uma mensagem'.

Oi, é a Paloma! Não tive tempo de te enviar uma mensagem, está com tempo agora?

Refleti antes de enviar. Estou me explicando demais, pareço uma tola. Deleto a mensagem rapidamente e logo começo a escrever outra.

Olaaa! É a Paloma! Você está bem? O que você queria me propor mais cedo? Estou tão curiosa!

Muita empolgação. Estou parecendo a Sofia. Apagar!

Oi, o que você queria me propor?

Muito desanimada, credo.

Tento mais umas três vezes e desisto decepcionada. Nunca pensei que mandar uma mensagem era tão difícil assim!

Peço meu jantar que vem mais depressa do que o esperado. Faço minha refeição calada enquanto analiso fixamente a tela de meu celular.

Por que estou tão preocupada em como mandar uma mensagem? Tipo é só uma mensagem não uma carta para meu testamento.

Ao acabar faço minhas higienes noturnas e desligo todas as luzes do quarto, deixando apenas a luz fraca da tela de meu celular para iluminar o breu que o quarto se encontrava.

Escrevo uma simples mensagem tentando parecer normal e eu mesma e a envio.

Sou eu a Paloma. Você ainda vai me dizer o que quer em troca do grande favor que me fez hoje cedo? Olha que depois da meia-noite, não aceito mais nada! - Enviado às 23:26.

Alguns minutos depois meu celular apita anunciando que ele havia me respondido.

Isso quer dizer que você aceita? - Enviado e visto às 23:40.

Depende! Vai me falar ou vai ficar enrolando? - Enviado às 23:42.

Você vai ter que jantar comigo amanhã, aceita? - Enviado e visto às 23:45.

Jantar com ele? Qual era o objetivo daquilo? Mas até que é uma boa ideia, assim posso descobrir o que a tal Vitória é dele e suas verdadeiras intenções comigo.

Aceito. Mas eu que faço as perguntas! - Enviado e visto às 23:51.

Mal posso esperar! - Enviado às 23:52.

Sorriu vitoriosa e desligo a tela do celular o colocando debaixo de meu travesseiro.


Notas Finais


E aí gostaram????
Continua????


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...