1. Spirit Fanfics >
  2. Periélio. >
  3. Único.

História Periélio. - Capítulo 1


Escrita por:


Capítulo 1 - Único.


Hongjoong costumava dizer que Yunho era seu sol, que sempre sentia-se quente e amado ao lado do mais novo. Jeong tinha aquela áurea que emanava felicidade e fazia o coração do Kim palpitar toda vez que sorria, era quando isso acontecia – quando o maior sorria – que Hongjoong comprovava sua teoria de que Yunho era a maior estrela existente no sistema solar, sua estrela favorita.

Hongjoong também gostava de associar o maior ao sol por causa da primeira vez que se viram. Há seis anos atrás, quando Yeosang o chamou para ir ao Museu Nacional de Ciência em Gwacheon (porque queria ver uma exposição sobre as novas tecnologias de drones e afins e Seonghwa não quis levá-lo, obrigando Kang a recorrer ao segundo amigo mais velho) Hongjoong se deparou com Yunho, bem no meio do observatório astronômico, chamando sua atenção de tudo e de todos com aquele sorriso tímido, somado aos seus enormes olhos que carregavam um brilho indescritível.

Yunho tinha sido levado contra sua vontade – já que preferia muito mais ficar em casa jogando em seu ps4 do que ir ao museu, no entanto, Mingi e Jongho o arrastaram de casa mesmo com suas reclamações. Em certo momento, o celular de Jeong desligou, avisando que a bateria havia se esgotado por jogar um joguinho qualquer por muito tempo. Totalmente desanimado e desinteressado no lugar onde estava, Yunho sai olhando para todos os cantos tentando achar uma solução para sua falta de carga e é ai que ele encontra Hongjoong pela primeira vez. De uma forma completamente tímida (algo estranho se tratando de Jeong Yunho) o acastanhado chama atenção do ruivo e pergunta, gentilmente, se o menor teria o carregador do celular que Yunho viu – por acaso, já que ele não estava olhando para o outro, obviamente ele não tinha o encarado e imaginado o quão pequeno ele ficaria em seus braços, então não, ele não havia olhado por querer – ser igual ao seu.

Naquele dia, Hongjoong empresta seu carregador e boa parte de seu coração para Yunho.

Com isso, a história deles começa mesmo quando os dois trocam seus números, depois de fugir dos amigos nerds que os levaram àquele lugar extremamente chato. E o que era para ser uma simples ação solidária se transforma em uma amizade e em um período de um ano em um namoro.

Desde então Yunho e Hongjoong criaram seu próprio universo. Yunho era sol: a maior estrela existente, quente, forte, centralizada, tão brilhante que rouba toda atenção para si e cheio de energia. Já Hongjoong era mercúrio: o menor planeta do sistema, o mais perto do sol e que por fora não apresenta muito sobre si, mas por sempre estar perto do sol se torna vivo.

Em uma noite, depois de saírem para comemorar o terceiro aniversário de namoro, os dois estavam na casa do mais velho, vendo um filme qualquer sentados no chão - na posição que Hongjoong mais amava, Yunho o abraçava por trás e o envolvia por completo, praticamente em seu colo. No começo, Hongjoong admite que odiava se sentir menor que Yunho, o fato de ele ser o mais velho e mesmo assim ser quase 10cm mais baixo que seu namorado >mais novo< o deixava doido. Mas como tudo muda, principalmente quando se tem Yunho ao seu lado, com o tempo não havia mais nada no mundo que fosse melhor do que sentir os braços de Yunho ao seu redor.

E como de costume, ali no abraço aconchegante do namorado, Hongjoong sempre acabava dormindo. Chegava ser cômico, o filme começa a rodar e em poucos segundos já podia-se ouvir um pequeno bocejo do menor e sua respiração diminuindo gradativamente. O coração de Jeong sempre explodia mil supernovas em momentos como esse. Na manhã seguinte, quando Hongjoong acorda primeiro e sente o peso da perna de Yunho sobre si, ele se sente em casa. Sente que poderia acordar desse jeito todos os dias, mesmo tendo a visão do mais novo dormindo em uma posição totalmente desconfortável, com a boca meio aberta e a baba escorrendo. Foi nessa mesma manhã que Hongjoong disse ao outro que os imaginava como sol e mercúrio, tudo isso porque ao vê-lo acordar com o cabelo enrolado e seu rubor natural nas bochechas não se aguentou e acabou se declarando. Yunho sempre se fascinava com a inteligência e criatividade do Kim e em forma de elogio sempre o enchia de beijos, fazendo o mais velho se debater em risos.

Normalmente, mercúrio que se perde no brilho intenso do sol, mas em eclipses solares o brilho do sol se perde em mercúrio e mais uma vez Hongjoong relaciona a relação mútua de se perderem um no outro com os astros.

E como no afélio, existem os momentos em que mercúrio se afasta do sol. Como na vez que os pais de Yunho o pressionaram sobre "começar a viver de verdade" e o levaram de volta a Gwangju. Querendo colocar o filho na linha, eles tomaram seu celular na semana em que ficou lá e por isso o Jeong mais novo ficou impossibilitado de se comunicar com Kim.

Hongjoong o procurou todos os sete dias, Yunho havia sumido na semana do aniversário do mais velho, bem no primeiro ano como namorados. Quando o viu, depois que Yunho finalmente apareceu, o xingou e quis lhe bater por ter sumido sem avisar, nem dando uma chance do mais novo de se explicar. Somando toda confusão ao temperamento do maior - que já estava cansado por causa dos pais - acabaram brigando. Voltaram a se falar dois dias depois de muito choro do mais novo e um pedido de perdão em conjunto.

Também teve a vez no verão do quinto ano de namoro. Yunho e Hongjoong discutiram feio quando marcaram de irem ao karaokê com Wooyoung e San e o Choi acabou soltando que Yunho estava cansado de Hongjoong nunca ter tempo para o namorado. A briga foi intensa, pois Hongjoong estava bêbado demais e Yunho não entendia o por quê de seu namorado estar tão afastado. A questão era que com o novo trabalho de Hongjoong o pressionando e a falta de um emprego para Yunho martelando a mente dos dois, foi um motivo para um discussão simples virar uma enorme confusão pela falta de diálogo. Foram três semanas estressantes, até que Mingi e Seonghwa (que viraram amigos ao terem seus melhores amigos namorando por tanto tempo) obrigarem os dois a voltarem a se falar.

Mas também existiram os periélios, os momentos em que os dois se aproximavam como nunca. Tipo quando Hongjoong chamou Yunho para jantarem fora em um restaurante francês extremamente caro e simplesmente o pediu para morarem juntos. Naquele dia não só ocorreram explosões dentro de Yunho – quase como as fusões de hidrogênio no sol – como houveram outros tipos de explosões dos dois juntos no banco traseiro do carro de Hongjoong.

Houve também a vez em que, alguns dias depois de começarem a morarem juntos, Hongjoong pegou um resfriado muito forte e Yunho cancelou todos seus compromissos para cuidar do seu pequeno. Mesmo com todo clima de preocupação por medo da gripe virar algo pior, cuidar de Hongjoong foi uma maneira que o mais jovem arrumou de recompensar todas as mil e umas sensações e sentimentos que seu namorado sempre lhe causava, já que, por ser péssimo com palavras, Yunho em muita das vezes sentia-se incapaz de retribuir todas as cores que Hongjoong dava para sua vida com suas belas palavras ou quando o chamava de meu sol.

Por quanto tempo você acha que vamos durar? 一 Yunho perguntou depois de arregaçar as mangas mais uma vez, para não sujar (mais ainda) de tinta.

Como assim, Yun? 一 Hongjoong que até então estava concentrado em sua nova arte – lê-se outra transformação de uma peça de roupa velha em algo totalmente abstrato – olhou para o namorado sentado no chão a sua frente, franzino a sobrancelha.

Tipo, você acha que vamos ficar junto para sempre ou vai ter um dia que isso... 一 Gesticulou com os braços apontando para eles e para o pequeno apartamento. 一 Vai acabar?

Eu pretendo que sim... 一 A frase saiu como se fosse óbvia da boca do mais velho. 一 É óbvio que eu quero ficar com você pra sempre. Qual o motivo da pergunta solzinho? 一 Deixou o pincel num copo com água e engatinhou até ficar ajoelhado de frente ao outro.

Tive um sonho essa noite. 一 Yunho tinha o fofo hábito de coçar o nariz quando ficava chateado e ao fazer isso Hongjoong entendeu o que estava acontecendo. 一 Não quero falar o que sonhei, mas quando acordei e pensei na sensação de te perder, entrei em desespero.

Agora tudo fazia sentido, Jeong estava estranho desde o café da manhã, o que era praticamente impossível já que em domingos como esse o maior ficava totalmente pilhado por finalmente poder ter um tempo com Hongjoong fugindo da vida adulta.

Meu bebê... 一 O Kim juntou suas mãos. 一 Se fosse pra contabilizar os dias que eu quero passar com você, eu teria que contar todas as estrelas do céu. 一 Yunho sempre corava quando ouvia a voz de Hongjoong se declarando. 一 E ainda seria pouco. 一 A pequena mão de Hongjoong delicadamente levantou o queixo do garoto a sua frente e depositou um beijo casto, cheio de carinho nos lábios em formato de coração dele.

Promete que nunca vai sair de órbita? 一  Yunho precisava de garantias.

Prometo!

Pode-se dizer que mesmo tendo seus pequenos momentos de afélio, todos os grandes momentos de periélio faziam tudo valer a pena para os dois em seu pequeno sistema. . .



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...