História Pérolas do Mar - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Visualizações 10
Palavras 2.174
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Magia, Mistério, Misticismo, Saga
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Oii conchinhas!!! Mais um cap pronto =3
Espero que estejam gostando da história, então tenha uma boa leitura! <3

Capítulo 4 - Metamorfose


Fanfic / Fanfiction Pérolas do Mar - Capítulo 4 - Metamorfose

POV. Ridley
   

Estávamos procurando pelo garoto a pouco mais de um mês, mas percorrer todas as faculdades de um país procurando um aluno era uma tarefa que levava tempo. Já havíamos passado por algumas dezenas de escolas, em todas deixávamos uma marca como recado que estávamos caçando alguém, eu enfeitiçada as secretárias para que buscassem o nome de Adam Murteno, se retornassem sem nenhum resultado Astoria transformava seus corações em cristal. O cristal se espalhava lentamente por dentro dos corpos perfurando todos os órgãos vitais, por isso chocou o país inicialmente, que divulgava sobre isso periodicamente. Depois que a notícia ganhou grande proporção o governo passou a abafar a história para não causar pânico, mas nós ainda estávamos na caçada por nosso peixinho. 

  

- My lady, eles escaparam, a arma do reino despertou. - Arelia surgiu ao nosso lado graças a uma magia de viajem rápida, ela estava usando um vestido vermelho que lembrava um pouco sua cauda.
  

- Nosso tempo está acabando então, teremos que ser rápidas, não é hora de criar um confronto. - Falei com uma ponta de preocupação.
  

- É uma das últimas faculdade dessa província, talvez ele esteja aqui. - Astoria indicou um conjunto de prédios.
  

Apenas fui caminhando até lá acompanhada das duas sereias, obviamente a segurança estava reforçada, eles sabiam que podiam ser os próximos. Vi alguns seguranças parados no portão principal nos encarando com desconfiança, talvez soubessem que éramos nós as assassinas da região.
  

- Qual curso estão prestando aqui? - Um deles perguntou em voz alta.
  

- Nos leve até o registro, pode avisar a todos que não façam nada conosco. - Ordenei esperando que logo ele desse o aviso e nos levasse para o local.
  

Como previsto foi o que ele fez, fomos conduzidas até uma sala isolada na qual uma moça de meia idade olhava para nós com curiosidade.
  

- Posso ajudá-las? - Ela perguntou com a voz falha, talvez estivesse com medo.
  

- Procure sobre um garoto chamado Adam Murteno nessa faculdade. - Falei rapidamente.
  

- Certo, já volto. - A garota falou meio atordoada e nos deu as costas.
  

Quando voltou estava segurando uma pequena pasta, que logo nos entregou.
  

- Adam Murteno faz o curso de biologia marinha no prédio 3, tem 19 anos e está no período da manhã. - Ela logo se sentou. - Mais alguma coisa?
  

- Não peixinha, obrigada. Graças a você encontramos o que estávamos procurando, então você será poupada! - Falei sorridente enquanto saia da sala.
  

- Agora só temos que encontrar ele aqui. - Astoria estava séria. - Deveríamos ter matado a garota.
  

- Talvez, mas ia demorar, sendo que não temos esse tempo, a arma está a caminho. - Lembrei elas de que estávamos numa corrida contra o tempo. - A garota é uma rastreadora, vai sentir a magia logo. Mas não se preocupem, apenas preferi não deixar o trabalho lento dos cristais, a secretaria já está amaldiçoada, vai ganhar um pouco de tempo pra nós caso aquele grupinho chegue.
  

- Temos a foto dele ao menos, e junto está também a foto do cara que procuramos, então tenho uma ideia. - Arelia disse iniciando uma metamorfose, logo ela estava igual ao nosso procurado. Essa era a habilidade dela, o disfarce.
  

- Isso deve servir, o próprio garoto virá até nós. - Astoria completou enquanto andávamos pelo campus buscando pelo garoto.
  

- Lexor! - Ouvimos um grito vindo de longe.
  

- Mais rápido do que imaginávamos... - Astoria sorriu.
  

Em poucos segundos um garoto alto de cabelo alaranjado e olhos azuis escuros surgiu ofegante pois estava correndo. Ele parecia espantado e ao mesmo tempo feliz, o que não iria durar muito tempo.
  

- Que pena, ele até que é bonitinho. - Arelia disse acabando com o disfarce rapidamente.
  

- Que droga é essa?! - Ele exclamou surpreso.
  

- Venha conosco. - Mandei e comecei a me direcionar para a saída da faculdade.
  

- Não vou para lugar nenhum! - Adam se afastou.
  

Ficamos nos encarando confusas, o garoto era imune?! Talvez o irmão tivesse lançado alguma proteção contra feitiços nele antes de fugir para o mar, isso dificultaria tudo.
  

- Adam certo? - Astoria perguntou calmamente. 

  

- Sim... - Ele parecia desconfiado.
  

- Somos nós as garotas que estamos causando pânico pelo seu país, aparentemente você é imune temporariamente aos nossos poderes, mas tudo isso foi causado por uma bagunça que seu irmão fez e só você pode arrumar, então caso você se recuse a vir conosco mataremos todos desse colégio. - Ela estava séria. - A escolha é sua.
  

- Não tem como vocês fazerem isso. - O garoto estava incrédulo.
  

- Observe aquela garota. - A princesa indicou uma menina morena que passava próxima de lá e tinha acabado de cair no chão passando mal. - Em 5 minutos todo o corpo dela será rasgado por cristais que já estão no coração dela. Alguma objeção?
  

Estávamos escutando a humana gritando e se contorcendo no chão, todos em volta estavam apavorados.
  

- Certo, vou com vocês. - Adam se deu por vencido. - Mas por favor, façam isso parar.
  

- Tarde de mais, uma vez que isso começa só acaba quando a pessoa morre. - Expliquei pra ele. - É assim que essa magia funciona, o cristal suga a energia vital da pessoa infectada e cresce, só para quando essa energia acaba, ou seja, ela está morta.
  

- Vamos logo, tem outro grupo atrás de você, teremos que remover esse feitiço lançado pelo seu irmão. - Arelia disse criando um portal, uma das especialistas dela.
  

O portal era formado por uma porta de madeira antiga e cheia de musgo, abrimos e atravessamos ela depois de Adam pra garantir que ele iria conosco, depois fechei-o ainda com tempo de ver os três peixinhos dourados chegando no local. Fomos parar em uma enseada calma e deserta, era o lugar perfeito para desconjurar o feitiço de proteção, então imediatamente chamei Medeia, ela era boa com anulação de feitiços.
  

- Agora podem explicar o que está acontecendo? - Adam perguntou irritado. 


Apesar de sua revolta ele não parecia surpreso, talvez já soubesse de algo devido ao irmão, mas isso não era problema.

  

- Me diga senhor, acredita em sereias? - Arelia perguntou sorrindo.
  

- Considerando a imensidão dos mares e o pouco deles que foi explorado, sim. - Ele concluiu confuso.
  

- Que bom, pois o seu irmão invadiu a casa de dezenas de sereias das trevas e roubou algumas poções muito importantes, agora está passando de reino em reino brincando com elas. - Me estressei ao pensar nisso.
  

- Então faz sentido o que vocês fizeram com a Sally. - O estudante parecia pensativo.  - Mas meu irmão desapareceu faz um bom tempo, não tenho como ajudar com isso.
  

- Ah você tem, é nossa isca para atrair um peixe maior. - Astoria respondeu friamente.
  

- Chamou princesa? - Medeia surgiu da água apressada.
  

Algumas das bruxas passaram a me considerar como princesa depois que Nimue me acolheu, afinal, ela que comanda todo o nosso pequeno mundo, então é considerada uma espécie de rainha das trevas.
  

Medeia é uma garota meio do mar meio da terra, o que pode acontecer quando uma sereia se envolve com um humano. Caso isso ocorra, o que é bem raro, o bebê tem algumas possibilidades de destino. Pode morrer ainda na barriga da sereia, nascer com cauda e ser como qualquer outro do mar, ser apenas um humano normal, ou o caso da Medeia, ser mestiço. Se o bebê é mestiço pode ser humano mas desenvolver poderes, nascer com características de seres marinhos, respirar em terra ou na água, coisas assim, é um mistério, mas nunca irá ter uma cauda. Essa criatura dotada de poder de anulação de magias e feitiços foi clamada com outro dom, mas no caso não único: a cura. Ela é um misto de ser humano e água viva, completou 16 anos recentemente e foi clamada pelas trevas, mas não totalmente dominada por elas.
  

- Sim, um feitiço foi lançado nesse garoto, precisamos que você retire. - Falei cansada.
  

- Certo. - A mestiça começou a analisar Adam. - Não é lá algo muito poderoso, é bem fácil de ser quebrador na realidade, protege o garoto contra feitiços lançados por sereias das trevas.
  

- Por que querem remover isso? - O humano perguntou contrariado.
  

- Não vamos ficar em terra obviamente, é muito perigoso pra nós, mas pra levar você conosco precisaremos lançar um feitiço. - Astoria disse revirando os olhos.
  

- Não tenho nenhuma opção mesmo não é? - Ele suspirou. 


Medeia não esperou uma autorização, apenas deixou os longos tentáculos que formavam seu cabelo envolverem os braços e a cabeça do humano, depois sussurrou algumas palavras e por fim se afastou.
  

- Viram, eu disse que era bem fraco, foi mais fácil que caçar tubarão. - Ela sorriu e foi na direção da água. - Quando precisar só chamar!
  

- Certo, vamos acabar logo com isso então. - Arelia pegou uma das nossas poções que permitia a transformação de um humano em tritão.
  

- Foi isso que meu irmão roubou? - Ele parecia receoso.
  

- Mais ou menos, a poção que ele utilizou é permanente, ela não apenas transforma um humano em tritão, faz com que ele possua todos os atributos de um, por exemplo a magia. - Arelia explicou sorridente. - Mas claro que não usaríamos isso em você, seria muito fácil pra você fugir, então você vai apenas tomar uma poção temporária, depois de poucas semanas já voltará ao normal.
  

- Me deem isso logo. - O garoto pegou a poção meio irritado e bebeu o conteúdo do pequeno vidrinho.
  

- Idiota, vai morrer em terra sem conseguir respirar! - Falei começando a empurrar ele pra água antes que a metamorfose ocorresse. - Você se tornará um tritão sem poder nenhum, mas sua respiração vai depender da água, tente ficar na terra e morrerá.
  

Ele ficou me encarando assustado até que foi tomado pela dor. Toda magia tem um preço, no caso é sentir uma dor agonizante pelo corpo todo, mas que é muito mais intensa nas pernas. Já tinha ouvido falar disso, mas pela primeira vez vi algo assim, a pele dele estava sendo tomada por escamas enquanto ele caiu no chão se contorcendo por causa da sensação, ele arranhava a garganta e ao mesmo tempo se encolhia como uma criança birrenta. Depois de alguns minutos dessa tortura ele acabou desmaiando, mas já podíamos ver que a transformação estava completa, suas pernas deram lugar a uma longa cauda azul clara como o céu.
  

- Algo está errado, não era pra cauda dele estar assim, não há um tritão com uma cauda em cores como essa. - Falei preocupada.
  

- Talvez pra um humano que se transforme em tritão seja diferente. - Astoria também parecia confusa. - O idiota não conseguiu nem andar um pouco mais, se continuar só na beira da praia vai morrer sufocado. 


Acabamos arrastando ele mais pro fundo do mar, lá nos transformamos novamente em sereias e começamos a puxar ele pelo oceano até chegarmos em nosso próprio reino, o covil das sereias das trevas.
  

- Sabia que conseguiriam! - Nimue apareceu sorridente. - Não esperava menos de voc... O que significa isso?
  

Sua expressão de acolhimento logo se tornou de ódio, algo estava errado, dava pra notar.
  

- Vocês transformaram ele em um tritão? - Sua voz estava diferente.
  

- Era nossa única opção. - Tentei explicar. - Havia outro grupo em terra atrás dele, era perigoso demais ficar lá, tivemos que fazer isso.
  

- Você apenas não viram um detalhe, aparentemente nosso ladrãozinho não roubou a poção definitiva, ele acabou se confundindo e bebeu a temporária. - Mamãe estava transtornada. - Agora vocês me trazem um garoto transformado permanente em tritão, com poderes, que pode arruinar tudo, sendo que a verdadeira presa está por ai prestes a morrer afogado e levar pro túmulo a localização de tudo que ele roubou...
  

- Nós não tínhamos como saber disso. - Astoria disse baixinho.
  

- Certo, teremos que converter ele então, traremos ele para as trevas. - Minha mãe concluiu. - Assim será mais fácil talvez.
  

- Um tritão sendo clamado? - Arelia se espantou. - Mas isso não acontece, eles são neutros, nem da luz, nem das trevas.
  

- O caso é diferente, a poção que ele ingeriu permite isso, precisaremos apenas preparar algo pra que isso ocorra. - Nimue suspirou nos encarando. - Apenas mantenham ele distraído, até a noite ele virá para o nosso lado. 

Então assim fizemos, iríamos esperar pelo momento em que ele acordaria e depois distraí-lo até o momento certo. Não tínhamos muita escolha, a qualquer momento Nimue, minha mãe, poderia nos lançar uma das maldições mais poderosas já conhecidas, eu sabia disso pois pouco depois que cheguei aqui vi uma garota ser condenada com a maldição do abismo. Não era algo tão assustador pra mim, mas tinha um detalhe,  a garota que vi ser enviada pra lá era minha irmã. 

   



Notas Finais


Olaa peixinhos, obrigada por acompanhar essa fic!!
Pode deixar nos comentários caso queira dicas, críticas ou sugestões sobre a história, é bem importante pros escritores!!
Até o próximo Cap ^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...