História Pérolas do Mar - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Visualizações 6
Palavras 2.180
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Magia, Mistério, Misticismo, Saga
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Olááá peixinhos(as), voltei com mais um cap!!
Espero que estejam gostando da história <3
Boa leitura =3

*P.s. : Imagem do cap é da Nimue ~sa bruxa filha da mãe mó destruidora de vidas T.T~

Capítulo 5 - Retorno ao Passado


Fanfic / Fanfiction Pérolas do Mar - Capítulo 5 - Retorno ao Passado

POV. Astoria
  

Desde que passei a fazer parte disso senti que uma parte de mim se apagava um pouco mais a cada momento, depois de um tempo finalmente compreendi que eram as trevas me consumindo. No fundo nenhuma sereia quer estar nessa situação, afinal, todas perdem os sentimentos completamente depois de um tempo. Eu parei de sentir tudo logo depois da segunda semana, mesmo sabendo do bebê que estava no meu ventre isso não mudou, apenas estava seguindo o que o destino escolheu pra mim, ou melhor, o destino que EU escolhi pra mim. Arelia e Ridley pareciam um pouco mais humanas que eu, por algum motivo elas conseguiam preservar algo semelhante a uma personalidade, mas também podia ser apenas fingimento.
  

- O que acham que Nimue vai fazer para que ele possa ser invocado pelas trevas? - Arelia perguntou curiosa. - O garoto já até passou dos 16 anos, não sei como isso vai ser possível.
  

- Tenho um pouco de medo por isso, ela está tramando algo e já tem um plano em mente. - Ridley estava pensativa.
  

- Mas seria possível ele ser clamado? - Perguntei um pouco duvidosa.
  

- Não faço ideia, mas se minha mãe já sabe o que fazer é bem provável. - Nossa líder respirou fundo. - Sabem, eu me lembro de muitas das coisas que eu fiz, matei duas pessoas que eram muito importantes pra mim, mas por incrível que pareça eu não consigo me sentir culpada ou arrependida por isso.
  

- Não é a única. - Arelia sorriu de uma forma estranha, talvez era isso que chamavam de sorriso triste. - Quando eu fui clamada a uns anos atrás eu matei toda a minha família, ninguém notou que eu tinha sido escolhida pelas trevas, pois não apareceram as marcas no meu caso. Voltei pra casa já transtornada e acabei matando todos, só depois Nimue apareceu e me acolheu, mas também não me sinto arrependida por isso. - Ela deu de ombros. - Acho que é isso que significa pertencer às trevas.
  

- Se um dia isso acabasse e todos esses sentimentos aparecessem nós não iríamos suportar. - Ridley estava pensativa. - Mas mesmo assim teremos que seguir com nosso plano, uma guerra está próxima, com Nimue no comando metade de nós será morta apenas para acabar com um reino.
  

- Não acham que a bruxa do mar leva a guerra contra minha mãe muito a sério? - Comecei a pensar sobre. - Ela está disposta a nos extinguir apenas para matá-la.
  

- Talvez tenha algo por trás disso que ainda não descobrimos. - Ridley concluiu. - Mas não importa muito, o que importa é que logo iremos assumir o controle dessa situação, não vamos morrer apenas parar acabar com uma rainha, vamos tomar todos os reinos.
  

- Acha que juntas poderíamos mesmo fazer uma revolução? - Arelia começou a pentear seus cabelos azuis escuros.
  

- Sim, só precisamos que ela recupere as informações do garoto que nos roubou, ele tem a poção de separação de corpos, é disso que vamos precisar. - Ela disse confiante.
  

- O que está acontecendo? - O garoto que estava desacordado numa concha próxima começou a se levantar.
  

- Nada, você apenas desmaiou durante sua metamorfose. - Respondi observando ele.
  

- Que lugar é esse? - Ele parecia confuso.
  

- Nosso lar, está no lado escuro do oceano. - Arelia falou calmante.
  

- Entendi. - Adam não parecia nada surpreso. - Meu irmão na verdade me falou um pouco sobre isso tudo, por isso escolhi estudar biologia marinha, depois que ele desapareceu tive certeza de as histórias dele não podiam ser mentira.
  

- Então faz sentido o fato de que você não se surpreende com várias das coisas pelas quais já passou. - Ridley ficou encarando o chão. - O que você ouviu?
  

- Nada na verdade, quando acordei só ouvi vozes, mas estava tonto demais pra entender o que era. - Ele respondeu na defensiva.
  

- Melhor assim. - Eu sabia que ela não arriscaria o nosso plano por causa de um tritão recém transformado.
  

- Então aqui estão vocês. - Nimue apareceu sorridente, algo tinha dado certo. - E o nosso convidado já está acordado, excelente, consegui encontrar o oráculo, então sei o que devemos fazer.
  

- Qual seu plano? - Ridley estava tensa.
  

- É algo bem simples na verdade, você só precisa ligar o ser às trevas permanente, assim ele acaba sendo tomado por elas. - Ela disse com um sorriso estranho nos lábios. - Para isso só será necessário repetir o que ocorreu com nossa querida princesinha. 

  

- Como assim? - Indaguei sem entender.
  

- Você foi clamada antes da hora peixinha, um dia antes do previsto na realidade, isso por causa do seu casamento. - A bruxa nos encarava com os olhos dourados. - Então um casamento unindo o garoto às trevas deverá despertá-lo, por isso decidi unir ele à força recente mais poderosa, minha filha.
  

- Protesto. - Ela parecia irritada.
  

- Não disse que você tinha escolha. - Nimue desfez seu sorriso. - Você não vai estragar tudo agora sua praga, se eu disse que é isso que vai fazer, você vai se calar e me obedecer.
  

- Não precisa ser eu, escolha qualquer outra! - Ridley tentou oferecer outra alternativa.
  

- Você é a única garota ainda pura aqui, a única que pode realmente se casar, não vou arriscar tudo por um capricho seu. - Os olhos de Nimue estavam com um brilho intenso.
  

- Por favor, reconsidere, deve haver outra forma. - Por algum motivo ela estava desesperada.
  

- Calada. - A rainha das trevas deu seu veredito. - Provavelmente há outra forma, mas não sabemos qual é e eu não vou perder tempo descobrindo. Essa é a forma mais rápida e simples, então caso queira continuar viva, vai acatar minha decisão e parar com essas suas exclamações de criança inútil.
  

Ridley ficou quieta com a cabeça baixa, isso tinha afetado ela mais do que deveria.
  

- Excelente, vá se arrumar. - A bruxa nos deu as costas. - Caso tente fugir será amaldiçoada assim como aquela garota fútil que você chama de irmã, ficará para o resto de sua vida sendo torturada naquele buraco.
  

Essa maldição enviava o ser desejado para o buraco mais fundo do oceano, lá ele ficava preso condenado à tortura eterna, não podia morrer graças a maldição, então sofria para sempre.
  

- Que história é essa? - Adam parecia irritado também. - Eu não vou me casar com ninguém, ser sequestrado eu até posso suportar, mas isso?!
  

- Ótimo, fuja e seja amaldiçoado, ao menos eu me livro disso. - Ridley continuava encarando o chão.
  

- Ridley, é por causa do passado não é? - Arelia sabia de algo.
  

- É claro que é! - Ela ergueu a cabeça, estava com os olhos brilhando como os da mãe. - Ela primeiro fez isso comigo, depois quer me fazer reviver tudo!
  

- Ainda sente a dor por isso então. - A sereia especialista em disfarces apenas encarava nossa futura líder com um olhar triste. - Quanto tempo demorou pra você descobrir que foi manipulada pela sua mãe?
  

- Foi rápido, quando vi minha irmã sendo amaldiçoada. - Mesmo sem sentir arrependimento nós podíamos sentir a dor por algumas coisas do passado. - Ai entendi que tudo que eu achava que tinha visto era só uma ilusão, ser puxada pelas trevas foi culpa dela... E sua.
  

- Podem explicar o que está havendo aqui? - Comecei a me sentir perdida na conversa.
  

- É uma história antiga. - Ridley disse distraída. - Vou me preparar como ordenado.
  

Logo após dizer isso ela apenas saiu lentamente do local, algo sobre o passado dela voltou para assombrar então.
  

- Nimue tinha visto graças ao oráculo que a filha seria uma força extremamente poderosa clamada pela luz. - Arelia começou a explicar. - A bruxa não podia deixar que isso acontecesse, então me deu a missão de plantar as trevas no coração dela.
  

- O que você fez exatamente? - Até Adam parecia curioso com a história.
  

- Segui ordens. - Ela sorriu. - Seduzi o noivo dela, mas foi um pouco pior do que eu planejava. Ridley descobriu, mas quando foi tirar satisfação com o garoto ele mostrou quem era de verdade.
  

- Um coração partido então? - Concluí imaginando a situação.
  

- Exato. - Arelia realmente não parecia se sentir culpada. - Nimue então começou a criar ilusões que puxaram ela cada vez mais para o nosso lado. No fim Ridley usou seu dom pra obrigar o garoto a me matar e depois cometer suicídio, mas claro que ele não conseguiu,  acabou no chão sozinho e morto .
  

- Por isso o desespero dela então. - Por um momento achei que algo como compaixão tinha despertado dentro de mim. 

  

- Além disso ela matou a tia, que tinha criado ela depois que Nimue a abandonou. - Arelia terminou a história com um suspiro. - Depois disso ela se afundou completamente em trevas, começou a aprender magias de alto nível com a Nimue, mas depois que descobriu que tudo tinha sido planejado ela surtou.
  

- E o resto já sabemos. - Falei ainda meio atordoada com tudo isso.
  

- Realmente, que triste história, não é mesmo? - Nimue retornou e parecia de mau humor.
  

Nós apenas nos curvamos e ficamos quietas esperando pela próxima fala dela.
  

- Cade ela? - Ela estava impaciente.
  

- Disse que iria se arrumar, vossa majestade. - Arelia arriscou responder.
  

- Que ela esteja aqui então o mais rápido possível, creio que ela não vai querer ser amaldiçoada como as pobres almas que se opuseram a mim. - A bruxa afirmou, deixou um vestido preto tradicional dos casamentos das sereias das trevas e saiu de lá novamente.
  

- Ela é tão poderosa a ponto de controlar toda uma legião? - Adam parecia preocupado.
  

- É graças a ela que o número de escolhidas pelas trevas aumentou. - Expliquei. - O normal sempre foi que apenas uma sereia fosse escolhida por ano, mas graças a Nimue tem sido quase uma por mês.
  

- Desde quando essa seleção acontece? - Ele estava interessado em mais histórias aparentemente.
  

- Bom, faz alguns séculos. - Comecei a recordar da lenda. - Foi uma época em que não havia essa divisão entre trevas e luz, as sereias eram apenas como os humanos, conviviam todos em harmonia. Mas havia uma sereia, uma rainha amante de magia e encantamentos, ela mudou tudo isso.
  

- Dessa história nem eu sabia. - Arelia começou a se interessar também.
  

- Assunto do reino. - Justifiquei. - Continuando... O nome dela era Syrena, mas a garota não era exatamente o que consideram como normal, ela tinha um problema que vocês chamam de dupla personalidade. Uma hora ela era extremamente gentil e piedosa, na outra ela ficava insana com instinto buscando por sangue, então quando descobriu isso ela resolveu tentar acabar com essa situação. A rainha criou uma magia que seria capaz de separar os dois lados de um ser, o lado bom do lado ruim, assim ela poderia matar sua metade que causava tantos problemas para o reino. - Fiz uma pausa lembrando do desfecho. - Mas deu errado, ela conseguiu se separar entre suas duas metades, mas não pode matar sua metade má, afinal, sua metade boa era toda composta por compaixão e piedade. No fim a metade ruim foi exilada e lançou uma maldição, que garantia que a cada ano uma garota iria se tornar como ela, assim começou a guerra entre a luz e as trevas.
  

- Nossa, eu nunca tinha imaginado que foi assim que tudo começou. - Arelia ficou empolgada.
  

- Ai dizem que até hoje, mesmo mortas, as duas metades tem seus espíritos vagando por ai, a metade ruim é a responsável pelas maldições, a boa por salvar os que foram tomados pelas trevas. - Sorri ao lembrar como essa história me encantava quando eu era pequena.
  

- É uma boa lenda. - Adam estava acompanhando a história atentamente.
  

- Achei vocês! - Vimos Medeia chegar apressada. - A rainha pediu para que vão até a praça principal para a cerimônia.
  

Nós nos entreolhamos apreensivos, não havia como saber a forma que Ridley ia reagir no momento, ela podia acabar matando todo mundo. Acabamos seguindo Medeia até o local que nós chamávamos de praça, era o lugar mais iluminado dessa parte do Oceano, cheio de peixes estranhos e brilhantes que passavam e com alguns corais brancos e de cores mortas que se atreviam a crescer na escuridão. Lá a legião estava toda reunida aguardando, nosso oráculo, Dália, estava lá para realizar a cerimônia. Adam foi nadando meio assustado até um local escolhido para ele, lá estava Nimue com uma pose imponente e intimidadora, ela apenas nos encarava como se estivesse indagando onde estava sua filha.
  

Mas logo Ridley apareceu, esperávamos que ela fosse acatar a ordem ou iria matar meio mundo, mas sua decisão foi outra. Ridley havia declarado guerra, ela estava vestida de branco.


Notas Finais


Heey pérolas, obrigada mesmo por acompanhar a fic <3
Deixem nos comentários dicas ou sugestões caso queiram!!
Até o próximo cap ^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...