1. Spirit Fanfics >
  2. Persegindo Fantasmas >
  3. A apresentaçao.

História Persegindo Fantasmas - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Essa história é baseada em um sonho que tive, tenho ela escrita a anos mas agora tomei coragem de publicar.

Capítulo 1 - A apresentaçao.


Fanfic / Fanfiction Persegindo Fantasmas - Capítulo 1 - A apresentaçao.

Capitulo 1 

 A apresentação: 

 

Em uma cidade tranquila um garoto chamado Caio vive com sua mãe, eles vivem afastados da cidade e Caio todos os dias sai cedo para pegar o ônibus da escola, no ônibus é ignorado por todos pois ele anda sempre de capuz e roupas longas para não mostrar seu cabelo que sempre muda de cor e seu corpo está sempre desaparecendo. Quando Caio era pequeno seu pai foi embora e deixou um presente para quando ele fizesse 18 anos, ele não sabia o que era, mas faltava apenas 2 meses para ele completar os 18 anos e sua mãe já estava bem preocupada, pois o pai dele voltaria quando ele tivesse a idade suficiente. Caio tinha um passatempo que era desenhar, mas ele sempre achou que seus desenhos não tinhas vida, sempre faltava algo, há alguns dias Caio começou a desenhar um meninas de cabelos loiros e longos, seus olhos mudavam de cor de acordo com o dia, ela era clara, quase branca, ele sonhava com ela todos as noites.  

Numa manhã nublada, sua mãe não queria o deixar ir a aula, mas ele tinha trabalhos e provas, sua mãe mesmo preocupada o deixou ir a aula, quando Caio subiu no ônibus, um homem apareceu atrás de sua mãe. 

 

-Está chegando a hora de levar ele, a senhora sebe disso né? 

Disso o homem nervoso, pois não queria está ali; 

-Eu sei, não queria que isso acontece-se. 

Respondeu a mãe de Caio com a tristeza estampada em seu rosto. 

Caio estava sentado no ultimo banco do ônibus sem ninguém do seu lado, quando o ônibus parou em uma casa que ele nunca tinha parado, uma garota entrou  e sentou ao seu lado, todos olharam estranhamente para ela, caio estava nervoso pois ninguém nunca havia sentado do seu lado, duas meninas gritaram do início do ônibus. 

-SE FOSSE VOCÊ NÃO SENTAVA DO LADO DE UM ESTRANHO QUE NEM SABEMOS A COR DOS OLHOS! 

A menina sentada do lado de Caio respondeu com a calma necessária. 

-Eu deveria é me preocupar coma arrogância de vocês duas, e não com a cor dos olhos dele, né Caio? 

Caio olhou para ela e viu a menina que ele desenha todos os dias, os olhos dela em dia nublado era azuis igual o oceano, sem respostas ele virou o rosto para a janela e ficou pensando, “como ela sabe o nome dele 

 e como ela é tão parecida com seus desenhos?” perguntas que somente ela poderia responder. 

Ao chegar na escola, ela desceu primeiro e foi direto pra diretoria pois é nova na escola, Caio foi para a sala de aula achando que tudo era uma coincidência, quando a aula começa a professora começa a falar sobre as férias que estavam próximas, quando é interrompida pela diretora que vinha dar um aviso. 

-Olá pessoal, bom falta 1 semana para as férias e quero que todos aproveitem, e isso não impede que tratem bem a nova colega de vocês. 

Caio levanta a cabeça rapidamente e vê a menina do ônibus entrando na sala, em quando a professora falava. 

-Essa é Sophie, ela veio de longe e vai ficar com nós até o final das aulas, tratem bem ela.  

-Bom Sophie seja bem vinda  a  turma. 

Sophie caminha até Caio que a encarava, ela senta do lado dele e dá um sorriso que faz com que ele virasse o rosto. 

“-Quem é ela?” 

Se pergunta Caio já sabendo da resposta. No recreio Sophie senta em um banco da praça olhando para o céu nublado que faz seu cabelo brilhar, Caio toma coragem e vai até ela para tentar uma conversa e descobrir quem é ela, mas no caminho ele é barrado pelas gurias de sua turma. 

-Deixa ela em paz, ela não vai querer conversar com um cara estranho. 

Caio sai com a sensação que é verdade, então se senta em banco do outro lado da praça e fica desenhando, quando sente alguém do seu lado, ele olha as mãos no bando vê quanto são brancas e o cabelo que balançava era loiro, por um momento ele a observou sentada ao seu lado, mas desviou o olhar e seguiu desenhando, quando surge uma voz. 

-Você não deveria dar ouvidos a elas, sabia? 

Sophia diz com sinceridade; 

-Eu sei que elas estão certas, sou estranho. 

Caio responde desapontado com ele mesmo 

-Não acho, somos iguais, eu sei o que você é. 

Sophia fala baixinho no ouvido dele, Caio sem repostas olha para ela assustado. 

-Você acha seus desenhos sem vida né? posso te ajudar com isso, só preciso que me empreste o estilete. 

Caio assustado entrega o estilete para ela que corta a ponta de seu dedo e pinga o sangue na folha, caio olha para a folha e vê as flores se mexer e o cabelo da menina na folha se mover com o vento. 

-Viu somos parecidos, a diferença é que seu pai é um fantasma e o meu é um demônio. 

Sophie fala com ironia, e caio não consegue tirar os olhos dela. Na saída quando entram no ônibus Sophie senta do lado dele, e eles conversam até a parada da casa de Sophie, antes de descer ela o convida para ir na casa dela., então ele desce junto com ela, quando entra na casa dela não vê ninguém na casa e pergunta 

-Onde estão seus pais? 

-Meu pai foi em bora quando era pequena e minha mãe morreu a alguns dias, por isso fui transferida para cá, bom eu vivo sozinha. 

Respondeu Sophie com desanimo, mas sincera, caio fica impressionado com tudo.  

-O que vamos fazer? Não posso demorar. 

Disse Caio 

-Quero só te mostrar uma coisa, já que somos amigos. 

 Eles vão até o porão onde caio vê muitos fantasmas, e puxa Sophie para perto achando que ela não os via, mas ela podia muito bem os ver e pede para que ele a solte, quando ele larga o braço dela, ela tira uma fita suja de sangue, e olha para ele. 

-Você tem poderes sabia? Tente usar antes que seu pai venha lhe buscar, porque ele vai vir e vai matar todos a sua volta para conseguir o que quer. 

Falou Sophie em quanto o sangue dela escorria e formava uma espada, Caio lembra do presente de seu pai, e pega na mochila uma adaga de mentira, Sophie olha para ele e diz. 

-Você sabe como usar só tem medo, mas não tenha. 

Caio pega a adaga e corta o braço com ela, quando o sangue escorre ela se transforma em uma katana, os dois lutam contra os fantasmas, só que um dos fantasmas reconhece Caio. 

-Você é filho dele, não achei que fosse verdade, filho de uma humana com o r... 

Antes do fantasma terminar Sophie corta a cabeça dele fora, e Caio olha assustado para ela, quando escutam um estouro e Sophie corre até a porta e vê uma grande nuvem de fumaça, Caio corre e olha e diz. 

-É minha casa, mãe? 

Ele corre até sua casa, mas sente que Sophie ficou para trás, então ela grita pra ele. 

-Vai, eu vou ficar bem. 

Caio corre até sua casa e á vê pegando fogo, quando ele vira para a porta do porão um homem esta com sua mãe. 

-Venha assumir seu lugar príncipe, e ela ficará bem. 

-Eu não sou príncipe, sou um humano qualquer. 

Disse Caio desesperado. 

-Onde está sua amiga demônio? Cuidado, o pai dela está a procura dela, ela também tem que assumir o lugar de princesa. 

Caio olha para trás e não vê nem sinal  Sophie, ele corre até onde ela ficou e quando chega vê muito sangue pelo chão, ele enxerga Sophie caída no chão perdendo muito sague, mas não que ela estivesse machucada, e sim de seu braço, quando ela abre os olhos, seu cabelo de loiro fica ruivo e seus olhos ficam verdes, é ela fica assim quando está feliz com alguma coisa, ela sorriu e falou. 

-Quando eu acordar vamos atrás dela príncipe. 

-É claro princesa. 

 

Continua.. 


Notas Finais


obrigada por lerem e deixem comentários para ajudar, aceito criticas construtivas.
obrigada


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...