História Peter Kess e a profecia perdida - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Harry Potter, Percy Jackson & os Olimpianos
Personagens Alvo Potter, Harry Potter, Hermione Granger, Ronald Weasley, Rose Weasley, Scorpius Malfoy
Tags Alvo Potter, Drama, Harry Potter, Hogwarts, Missão, Os Olimpianos, Percy Jackson, Scorpius Malfoy
Visualizações 2
Palavras 1.085
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 2 - Olhos amarelos


      

Eu peguei uma vassoura ali perto, apontei para elas como uma arma para poder me defender,mas no fundo sentia que essa pedaço de madeira era inútil. Mas destanciei esse pensamento.

  – Ah, vamos lá,- ela protestou- Você não precisa disso. Que tal um beijo em vez disso?

Ela cheirava a rosas e pelo de animal limpo—um cheiro estranho, mas de alguma forma intoxicante.

Ela começava a aparecer presas nos seus dentes,  e entrei em pânico, eu  estava tava surtando. Estava totalmente confuso, e que diabos é semideus?

– Você estava anonimato nessa escola, mas hoje o seu cheiro incendiou a escola, e Kate  a trouxe pra cá, faz tempo que semideuses não chega Perto do nosso território. Você é um garoto sem sorte.

– Você e um garoto de onze anos, como poderá nos enfrentar meio-sangue?

Então ela começou a mudar. A cor foi drenada de seu rosto e braços. Sua pele se tornou branca como giz, seus olhos completamente vermelhos. Seus dentes cresceram em presas.

– O que é isso... Você e... uma  vampira! - eu gaguejei. Então notei suas pernas.Por baixo da sua saia do fardamento , sua perna esquerda era marrom e peluda com um casco de burro. Sua perna direita era moldada como uma perna humana, mas era feita de bronze. -Hum, uma vampira com...

– Não mencione as pernas! - cortou.-É rude fazer piada! Um garoto Percy Jackson se Safou  quando  nossas colegas do Colégio  Godoy em Manhatan ia pegar ele,  mas ele tinha uma espada para se defender, e você? - ela deu uma gargalhada, e avançou pra cima de min.

Ela avançou nas suas estranhas, incompatíveis pernas. Ela parecia totalmente bizarra, especialmente com os pompons, mas eu não podia rir—não encarando aqueles olhos vermelhos e presas afiadas.

– Longe de min vampira!  - falei passando a vassoura, estava sendo patético com essa vassoura.

– Uma vampira, você disse?- Kate riu.  - Vamos lhe explica,  Aquela lenda boba foi baseada em nós, seu idiota. Nós somos empousai, servas de Hécate.

– Umas delas chegaram mais perto de min, e elas tinha razão como poderei quanto a elas. Só sou um.

     – Magia negra nos formou a partir de animais, bronze, e fantasma! Nós existimos para nos alimentarmos do sangue de Crianças e jovens homem . Agora venha e me dê aquele beijo!

Ela arreganhou suas presas. Eu estava tão paralisado que não pude me mexer.

    Saio dali e vou  para o fundo da sala, porque a porta estava com duas garotas que me impedia de sair.

    Como vou fazer, não tenho arma, nen nada para me defender.

   Subo  cima de uma banca, para poder me distanciar delas, mas elas chegam perto de min em um piscar de olhos.

   – Não adianta fugir de min meio-sangue!

   – Venha , quero o seu sangue! -fala outra.

    Minha mão começa a furmigar, e a vassoura que estava na minha mão se transforma em uma espada de raio,um raio pra ser exato,ela sai faíscas e arregalo os olhos. Mas não havia tempo para ficar admirando o raio.

As vampiras - empousais - parecem o tanto desapontada com o raio em minhas mãos.

– Como você fez isso?  Qual são seus pais? Seu cheiro não é  totalmente de deuses... mas não tem importância .  Você vai ter o mesmo gostinho de semideus.

Avanço para cima delas, não consigo segurar o raio. Eu vou mantendo a distância delas, não quero machucar  essas coisas.

Umas delas tenta tomar minha espada, mas eu sai dali  E fui para o fundo novamente.

De repente meu pés escorregam e eu caio de bruços colidindo meu corpo e a espada também. Mas quando a espada tinha colidindo com o chão molhado,que estava todo coberto d'água,o chão tinha ganhado cargas de energia. Tive uma ideia.

Eu fui chegando mais perto delas, onde tinha água em seus pés.

    Eu inclinei o raio  e o fasso colidir com o chão de propósito,  imediatamente se transforma na água eletrificada.

  – Como você pode?!  - a sua voz e cortada por pela carga que tomou seu corpo.

Imediatamente as outras - seja lá  o que for - estava vindo  na minha direção, e as presas estavam bem afiadas.

Saio correndo pelos corredores, esbarro em alguns funcionários  da escola, mas os ignoro quando dizem "Cadê a educação?".

     E finalmente sai da escola e Digory estava vindo até a min confuso.

  – O que foi cara?  - pergunta  ele percebendo a minha expressão.

    – Preciso ir, não posso explicar  agora!  - falo ofegante. E vou correndo em direção de casa.

    – O que está fazendo com essa vassoura?  - grita ele de longe.  E vejo que não estou mais com o raio.

Jogo a vassoura no chão e saio correndo.

  Quando chego em casa, minha mãe não estava, talvez esteja na escola ainda trabalhando.

    Entro  no chuveiro e depois me troco e me jogo na cama.

  – O que está acontecendo  comigo? - digo para min mesmo.

  – O que está acontecendo com você filho?  Está tão distante... - fala minha mãe quando  estamos já  terminando o  jantar.

    Pensei duas vezes  antes de falar pra ela, o que ela acharia de min? Ela ficaria preocupada, e ia me levar para um psicólogo,  porque vai achar que sou louco.

   – Não , mãe... não é nada não - digo a ela,e mudo de assunto - Eu passei de ano,sabia! - isso vai manter-la longe de perguntas.

   – Sabia,você nunca reprovou.- Ela está orgulhosa. Isso me fez ficar aliviado.

   Agente conversa sobre o fim do ano letivo. Depois vou pro quarto.

  

   Pulo pra cima da cama, e fico encarando o teto. 

   Umas garotas viram empousais e fala que sou semideus,  O que é semideus?  E depois fasso uma vassoura  vira uma raio. O que está acontecendo comigo? Como fiz isso?

Fecho os olhos lentamente,   E logo adormeço. Tive um sonho.

     Tô em um corredor escuro,eu ouço vozes vindo em uma porta.

    – Temos que manda-lo pra cá! - diz uma mulher.

  – Seria imprudente manda-lo pra cá Minerva,ele é um garoto…como posso dizer…

    – Vamos manda-lo  a carta, essa é minha decisão  final.

    

   Acordo.  Ainda estava escuro, e não entendi  nada no meu sonho, que carta e essa? Quen é Minerva ?

   Fecho meus olhos novamente, e adormeço  rapidamente.  Agora sonho com dentes afiado  e pelos. 

    – SEMANAS DEPOIS – 30 DE AGOSTO .

    Acordo agora com um barulho de asas na minha janela do quarto. Já era de manhã, o sol irradiava todo meu quarto. Fazia semanas que não acontecia nada anormal comigo,e me sentia aliviado.

    Chego perto da janela e levo um susto com um animal estranho e com grandes olhos amarelos.

   

  

   



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...