1. Spirit Fanfics >
  2. Petit Moment >
  3. Apenas não cometa erros

História Petit Moment - Capítulo 4


Escrita por:


Capítulo 4 - Apenas não cometa erros


Um mês se passou e nenhum sinal de Kaiba, isso era estranho - principalmente pelo fato de Joey aparecer quase todos os dias na empresa do mais velho, mas não chegavam a se encontrar. Joey costumava ficar na área de testes, praticamente sua função era duelar e descobrir possíveis bugs no sistema de batalha, claro que os cientistas da empresa faziam a maior parte do trabalho.  

Todavia, o sono de Joey andava agitado demais naqueles últimos dias, não era por causa de sua rotina de trabalho, na verdade parecia tudo bem fácil já que amava duelar, mas ainda era uma pessoa anônima para os demais e isso era bem confortável, mas as coisas estavam perto de mudar. Mokuba às vezes ia ver o loiro em seus duelos, era o porta-voz do irmão mais velho, e em um dessas suas visitas o garoto contou sobre o evento que o irmão usaria para apresentá-lo. 

Joey não entendia muito desses eventos, mas pelo que o garoto falou, é um gala anual de angariação de fundos para benefícios do Museu metropolitano de Artes, que ficava no centro de Dominó City. O evento de cada ano celebrava temas diversificados, os convidados deveriam escolher seus figurinos para combinar com o tema da exposição. Aquele ano em específico seria Masquerade, Mokuba comentou que era referência a um musical, ele até chegou a comentar qual, mas Joey não prestava muita atenção naquilo. 

Mas além do evento, uma coisa que aumentava a ansiedade de Joey era o fato de que Kaiba não havia entrado em contato com ele em nenhum momento, Mokuba jurou que o irmão iria ajudá-lo nesses eventos, mas estava faltando menos de uma semana e Joey estava ali, jogado em seu apartamento olhando para o teto e pensativo sobre o que usaria em um baile de gala, Kaiba não havia dado nenhuma roupa que combinasse com a ocasião. 

 

— O que eu vou usar, Atem? — Perguntou o loiro que fazia um gesto com sua mão para chamar o gato que estava deitado sobre o tapete na frente do pequeno aquecedor.  O gato parecia uma onça com sua pelagem dourado e cheia de manchas negras, e pertencia a Yugi. 

Yugi havia viajado para o Egito, ele tinha conseguido uma bolsa de estudos em uma faculdade no centro de Cairo. Joey nunca se deu muito bem com animais, mas o gato era tão manso e carinhoso, estava sempre o seguindo pela casa e miando, como se estivesse conversando sobre alguma coisa, ajudava Joey a relaxar. — O que nesses eventos exatamente?  

Os olhos dourados de Joey estavam focados nos olhos esverdeados do gato, o animal parecia entender cada palavra e o respondia sempre com um miado curto. 

— Eu sei disso . — Joey agia como se o gato tivesse dando a melhor respostas do mundo.  

Conforme se perdia em seus devaneios o rapaz adormeceu no sofá e assim foi o resto de seus dias, felizmente não tinha de ir para o trabalho naqueles dias, mas sua ansiedade só aumentava e na manhã do evento… Joey queria ficar escondido em sua cama chorando, não sabia o que fazer, estava em pânico.

Todavia, seu pânico acabou por volta das dez da manhã.  Alguém bateu em sua porta e para surpresa de Joey era o motorista de Kaiba, ele falou que estava ali para levá-lo até a mansão. 

 

[...]

 

— Joey! — Mokuba estava esperando o loiro na frente da mansão e tinha um sorriso empolgado em seu rosto. — Que bom que chegou! Seto está te esperando lá em cima.  

Mokuba o guiou até o escritório do irmão. O Kaiba mais velho estava lá, estava sentado sobre um grande sofá de couro marrom e mantinha seus olhos focados no notebook que estava em seu colo, ao seu lado um pequeno copo meio cheio - Joey deduziu que seria whisky.  Seus olhos azulados se estreitaram até a imagem de Joey e um suspiro deixou seus lábios. 

Seus olhos se encontraram por um breve momento, mas assim que isso aconteceu Wheeler desviou rapidamente na direção oposta, só então ele percebeu que havia uma roupa , protegida por um tipo de tecido preto, colocada sobre uma das cadeiras a frente da mesa de Kaiba. 

— Esse é o seu.  — Disse o moreno que jogou sua cabeça de leve para o lado para estalar seu pescoço, logo após ele fechou seu notebook e o colocou para o lado. 

— Bem, agora que já está com o Seto. — Dizia Mokuba. — Eu vou sair hoje à noite. 

Mokuba usava a presença de Joey para pedir coisas para o irmão mais velho, sabia que ele não iniciaria uma briga tão pessoal na frente de Wheeler, era uma boa estratégia para falar a verdade, era uma forma de sempre conseguir um “tudo bem” do irmão. 

— Com quem? — Seto só havia entendido agora a empolgação do irmão pela visita de Wheeler. 

— Meu amigos, eu vou estar com meu celular o tempo todo e sem contar, vocês vão estar naquele evento, aposto que nem vai lembrar de mim. — Conforme falava o garoto ia se retirando e fechando a porta, em seu rosto ainda tinha um sorriso vitorioso. 

Seto cruzou seus braços, estava visivelmente irritado com aquela situação, mas se mantinha quieto em seu canto -apenas se remoendo por dentro. O silêncio predominou por um bom tempo, isso até Joey perceber um detalhe novo na aparência de Seto. 

— Seu cabelo está maior? — Perguntou quase que gritando. Os cabelos de Seto estavam maiores e presos em um rabo-de-cavalo e puxado para cima de seu ombro esquerdo, ele tinha ficado com o visual muito semelhante ao de Priest Seto, a única diferença era sua pele clara. — Ele não pode ter crescido tanto nesse curto tempo de tempo… E você odeia cabelo comprido!

— Pare de gritar e eu não odeio cabelo comprido, não gosto de coisas bagunçadas. — Dizia Seto que se levantava devagar e ia se aproximando do loiro. — E isso é uma parte da minha roupa desta noite.

Joey ficou visivelmente confuso com tudo aquilo, só agora que ele percebia que nunca conheceu o Seto Kaiba pessoa pública, ele era obrigada a aparecer nesses eventos sempre da melhor forma possível, sempre aceitando os temas. 

— Preste atenção, Wheeler. — A atenção de Joey voltou rapidamente para o moreno que estava parado à sua frente. — Essa noite é muito importante para empresa e para a minha imagem! É uma ótima oportunidade de apresentá-lo aos investidores e ao público, mas vai fazer tudo o que eu mandar e vai usar o que eu escolhi. Um estilista fez nossos roupas, hoje você vai estar representando a marca dele e a minha… Por favor, não estrague tudo. 

Seto estava ansioso com o evento, talvez com medo por nunca ter visto Joey se comportando de uma forma decente, o único evento que tinha visto o garoto foi em um próprio antes de um torneio e o comportamento do loiro não foi lá o melhor.

— Relaxa.  — Disse Joey em um tom calmo conforme dava um sorriso para o maior.  — Eu sei agir como um rico esnobe. 

Aquele comentário foi o bastante para deixar Seto mais nervoso e fazê-lo se perguntar se estava fazendo a coisa certa em apresentá-lo naquele evento. De qualquer forma, não tinha mais como voltar atrás agora. 

 

[...]

 

Joey passou o resto de seu dia na mansão, almoçar com os irmãos Kaiba era uma coisa meio estranha. Não tinha muito o que conversar normalmente, mas naquele dia em especial ambos falavam bastante geralmente coisas que Joey precisava se lembrar e evitar fazer, as vezes eles mencionam nomes , acreditando que Joey fosse lembrar deles, e falavam coisas pertinente as pessoas. 

Quando era quase quatro da tarde Seto entregou a roupa ao loiro e mandou que se trocasse e foi isso que o loiro fez. Seto foi para seu quarto se vestir e deixou que Joey se trocasse em um quarto qualquer.  

Realmente Joey não entendia aquele conceito.

Deve ser algum tipo de fetiche de pessoas ricas. — pensava Joey conforme observava suas roupas e a máscara, para falar a verdade Joey demorou um pouco para entender que aquela era sua máscara. Era feito com um tipo de renda preta e não tinha o formato de seu rosto. Joey já havia visto mulheres olhar aquilo, não homens. — Por que tudo tem que ser tão… “conceitual”?

As roupas, pelo ponto de vista limitado de Joey, não pareciam muita coisa. Era um terno, claro com mais detalhes do que um normal e parecia pertencer a Era Vitoriana. Não era difícil vestir e nem demorado, o único ponto que complicou foi a gravata preta, ele não sabia como amarrar aquilo por isso apenas deixou ao redor de seu pescoço e saiu do quarto. 

Andava pelos corredores com cuidado e procurando a porta do quarto de Kaiba, não demorou muito para encontrar e bateu duas vezes antes de entrar. 

— Kaiba, me ajuda com a gravata…? — Joey estava mexendo no pedaço de pano preto enquanto entrava por isso mantinha sua cabeça baixa, mas quando ergueu se deparou com Seto, que também usava roupas Vitorianas, só que nele ficava tão natural. Seus cabelos estavam arrumados para o lado, o que combinava bastante com ele. 

Qualquer um que o visse poderia pensar que aquele idiota era algum tipo de modelo ou que pertencia aquela maldita era.  Enquanto Seto ficava fascinante naquelas roupas negras, Joey se sentia um idiota. 

— Não sabe amarrar?

— Meu pai não foi exatamente um exemplo neste quesito. — Dizia Joey que cruzava seus braços e suspirava baixo. Estava claro que ele não queria falar daquele assunto naquele momento, na verdade não queria falar daquele assunto com Kaiba. 

Seto por sua vez, percebeu que o assunto era delicado e apenas se aproximou do loiro e começou a amarrar sua gravata. 

Joey ficou com as bochechas um pouco avermelhadas, afinal, a última vez que tinha ficado tão perto de Kaiba tinha sido naquele beijo e por algum motivo idiota sua mente resolvia passar essa cena várias vezes.  

— Você não vai sair de perto de mim, entendeu? — Perguntava o mais velho conforme terminava. — Ficará ao meu lado o tempo interior. 

Joey revirou seus olhos, passar a noite inteira grudado a Kaiba, aquilo poderia ser um pesadelo. 

— Eu não vou fazer nada. — Resmungou Joey que cruzava seus braços. 

— Minha preocupação é você e as pessoas ao seu redor.  — Conforme falava Seto tomava a liberdade para arrumar as roupas de Joey que estavam tortas. — Você é um pedaço de carne. 

— Hã? — Fez Joey que arqueou sua sobrancelha esquerda conforme observava o mais velho sem entender o que ele queria falar com aquilo. Depois ele fechou seus olhos ao sentir os dedos de Kaiba tocarem seus cabelos para ajustá-los.  

— Você tem o que? — Perguntava Seto que seguia mexendo nos fios dourados do outro. — Dezenove? 

— Eu tenho vinte e um. — Bravejou Joey que cruzou seus braços, ele estava um pouco sem jeito por conta dos toques. 

— É um garoto jovem, bonito e retardado socialmente. — Ouvir aquela última parte fez com que Joey empurrasse Seto de leve e rosnasse baixo. — Não no sentido que imaginou!  Você não conhece nada e nem ninguém, pode ser seduzido com facilidade. 

Joey realmente não entendeu muito bem onde ele queria chegar, mas conseguiu entender que deveria ficar ao lado de Kaiba.  

— As pessoas vão tentar algo comigo? 

Seto estendeu a mão, esperando que Joey entregasse a máscara preta e assim foi feito e com um muito cuidado o maior foi a encaixando devagar no rosto do loiro.  

— Talvez te deixar bêbado para conseguirem coisas com mais facilidade.

Joey teria arregalado seus olhos, mas não podia pois os dedos de Kaiba estavam naquela região e já dava uma certa agonia. 

— Mas…

— Não se preocupe com isso. — Falava Seto que terminava de ajeitar as roupas de Joey. O mais velho realmente pretendia segurar o queixo do menor e beijá-lo, mas não queria assustá-lo naquele momento. Joey precisava fazer tudo certo aquela noite ou sua semana seria um verdadeiro inferno.  — Vou estar do seu lado a noite inteira. 

Seto foi se afastando para poder terminar de se arrumar, só faltava vestir sua máscara e quando viu a de Kaiba, um bico se formou em seus lábios. 

— Por que a sua é melhor? 

— Hum…? — A máscara de Seto tinha uma textura que parecia ser feita de bronze e cobria apenas o lado esquerdo de seu rosto. 

— Se você fosse um chefe legal, trocaria de máscara comigo. 

Seto abriu um sorriso de canto antes de cruzar seus braços. 

— A sua combina com suas roupas. Segue o estilo usado por Christine e o meu os de Erik. 

— Quem? — Seto se sentiu um pouco desapontado ao perceber aquilo, Joey não sabia nada sobre o tema escolhido pelo museu e sem contar, não havia entendido que a roupa deles de certa forma fazia com que fossem um casal. — Se perguntarem algo do tema para você, apenas responde que acha poético. 

— Isso é gay. 

Joey sentiu os olhos azuis de Kaiba o fuzilando e por isso respondeu em um tom calmo “é brincadeira”.  

 

[...]

 

O evento começou por volta das sete da noite, Joey estava mais ansioso do que antes. Ele realmente não acreditava que estava em um lugar tão chique e repleto de pessoas poderosas.  

Joey segurava uma taça em sua destra e as vezes tomava goles de sua bebida, Joey não acreditava que estava tomando champagne em uma ocasião que não era uma festa boba de fim de ano, era tudo tão surreal para ele. As roupas, a decoração tudo parecia tão caro, porque era.  Mas a parte mais assustadora é que Kaiba parecia conhecer todas as pessoas que estavam ali e sempre sabia o que conversar com cada um.  

Kaiba às vezes o apresentava para homens que vinham cumprimentâ-lo, era sempre tão intimidador, mas ele conseguia se segurar e às vezes até roubava todas as atenções.  Algumas vezes Kaiba deixava que Joey conduzisse a conversar, para ver até onde ele conseguia ir sozinho. Para sua surpresa o loiro estava se saindo muito bem, as pessoas estavam se divertindo ao lado dele e pareciam demonstrar interesse na mais nova aquisição de Kaiba, isso era bom. Claro que algumas pessoas ainda questionava sobre Yugi e perguntavam se não seria uma opção mais interessante, mas Joey conseguiu mudar esse discurso em poucos segundos. 

— Kaiba. — Uma voz familiar surgiu atrás do mais velho, que antes de se virar para cumprimentar, terminou de beber o conteúdo de sua taça. 

— Yako, achei que fosse chegar mais tarde. — Kaiba realmente esperava que o herdeiro de Pegasus aparecesse apenas mais tarde, quando já estivesse indo embora. 

O rapaz estava com seus longos cabelos esverdeados presos para o lado em um rabo-de-cavalo,  suas roupas eram mais chamativas e de uma tonalidade vibrante de vermelho. Ao seu lado, Duke Devlin. Parecia difícil Duke ficar mais sexy, mas ele conseguia com aquela roupas vitoriana se sua máscara que parecia feita de outro e imitava o formato do rosto de um felino.  

— Olha só quem está aqui. — Declarou Duke que se aproximava de Joey e passava seu braço ao redor do ombro do amigo e soltava um pouco seu peso. — Nunca imaginei que encontraria você num evento como esse. 

Joey também foi pego de surpresa pela presença de Duke, às vezes esquecia que o amigo era quase tão poderoso quanto Seto, tudo isso por ser o queridinho de Pegasus no passado. 

— Então esse é seu novo duelista. — Começava Yako que lançava um olhar penetrante na direção de Joey, o loiro podia sentir os olhos esverdeados de Yako o atravessando e isso apenas o deixava mais nervoso. — Cansou de investir em você? — Provocou o maior. 

— Eu não duelo mais e você sabe. Precisava de alguém para fazer isso por mim. — Respondia Kaiba. Era visível que ambos se desprezavam e queriam se matar ali, mas conseguiam ser tão elegantes e educados um com o outro. Joey observava aquela cena e admirava o controle que Seto tinha de sua emoções. 

Joey prestava atenção na conversa de Yako e Seto, mas sua atenção acabou sendo roubada pelo amigo.

— Você e Kaiba com roupas combinando, isso é realmente adorável. — Provocou Duke que tentava segurar sua risada. 

— Do que você está falando? — Duke empurrou o moreno para o lado e o encarou com uma expressão meio fechada. 

Duke deu uma risada baixa ao perceber que o loiro não fazia a menor ideia de nada, ia seguir com as provocações, mas percebeu que Kaiba passou na frente de Wheeler e foi se afastando. Joey por sua vez arregalou seus olhos ao perceber que o maior estava se afastando. Se despediu brevemente do amigo e foi correndo atrás do mais velho. 

 

[...]

 

A noite parecia não ter fim para Kaiba, ele já estava um pouco alterado pelo álcool, mas não deixava nada transparecer em seu rosto, diferente de Joey que estava com suas bochechas avermelhadas. 

Eles com o passar da noite foram aprendendo a entender o outro sem trocar uma única palavra. Seto sabia que Joey já estava de saco cheio daquela festa e daquela pessoa, Kaiba estava da mesma forma por isso ligou para o motorista, infelizmente ele estava servindo Mokuba naquele momento, mas chegaria em breve para buscá-los.  

— Venha. — Falou Seto que subia as escadarias da mansão que ocorria o evento e seguia para uma parte mais reservada, onde sabia que não seria incomodado pelas pessoas, a música quase não se ouvia e podia perder um pouco de sua postura. 

O moreno andou na direção de um pequeno sofá e se jogou ali, deixando seu corpo ocupar todo o espaço, sem se importar muito com a presença de Joey, que apenas empurrou as pernas de Seto para o chão para assim poder se sentar. 

— Você é um péssimo funcionário. — Declarou Seto que erguia suas pernas e as deixava sobre as de Joey. — Pelo menos se saiu muito bem hoje, achei que não fosse conseguir quando falaram do Yugi. 

Joey jogou sua cabeça para trás a deixando apoiada nas almofadas e deu uma gargalhada baixa conforme retirava aquela máscara.

— Eu realmente fiquei nervoso e cheguei a pensar a mesma coisa. — Falava Joey em um tom arrastado devido o álcool.  — Mas lembrei do que Mokuba me disse, você vè potencial em mim. 

Seto revirou seus olhos. Aquilo era verdade, mas não admitiria em voz alto, nunca faria isso. Apenas ergueu um pouco seu pé para dar um chute fraco no braço de Joey. Kaiba daquela forma era mais solto e amigável, Joey gostava dele assim. 

— Você é tão irritante, mas pelo menos se veste melhor e está bonito nessas roupas. — Soltou Kaiba em seu tom arrastado conforme seguia jogado sobre o sofá. 

— Você é esquisito, mas não estou reclamando. — Rebateu Joey que se endireitou no sofá e direcionou um olhar sério na direção do mais velho. — Posso fazer uma pergunta? 

— Talvez eu possa responder. — Kaiba havia fechados seus olhos. 

— Você gosta de homens? 

Seto abriu seus olhos brevemente ao escutar aquilo e deu uma risada meio alto conforme se endireitou no sofá. Demorou um pouco para abrir seus olhos e deu outra risada, ainda não acreditava que estava ouvindo aquilo, passou a mão pelos seus cabelos castanhos os jogando para trás. 

— Sim, Wheeler. Eu sou homossexual se é isso que quer saber, mas percebeu isso quando te beijei ou quando? 

Talvez aquela não fosse a resposta que Joey esperava ouvir, ele esperava algo mais rude e sem graça, mas o que conseguiu foi um Seto mais próximo de seu rosto. 

— Eu nunca imaginei isso para falar a verdade… — Disse o loiro que tentava desviar o rosto, sua visão não estava tão nítida por conta do tecido da máscara. 

 Ele levou suas mãos para retirar, mas foi impedido por Seto. Eles estavam perigosamente perto, dava para sentir a respiração quente do mais velho batendo contra sua pele e podia sentir os lábios sendo pressionados contra os seus. Foi algo rápido e Seto foi logo se afastando, mas sentiu os lábios se tocarem de novo, nunca esperou que Joey fosse retribuir e ainda intensificar o beijo. 

Suas línguas se entrelaçaram enquanto o moreno tentava trazê-lo para cima de seu corpo, era arriscado fazer aquilo em um lugar tão público, poderia ser visto por alguém, mas por um breve momento Seto ignorou tudo, apenas levou sua mão para cintura do menor e foi o trazendo para seu colo. 

Um estava visivelmente desesperado pelo outro, mas se afastaram bruscamente quando o celular de Seto tocou. Ambos se assustaram com aquilo e acabaram sendo puxados de volta para realidade. Joey percebeu que tinha sido conduzido de uma forma perigosa para cima do colo de Seto, se fosse visto desta forma poderia causar problemas.  Se levantou e estendeu a mão para o maior. 

— Seu motorista pode me deixar em casa? 

— Pode ficar na mansão. — Respondia Seto que observava a tela do celular.  — Sabe que tem vários quartos lá e suas roupas ainda estão lá, pode voltar amanhã.

— Eu realmente quero ir para casa, Kaiba. 


 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...