História Pet's Curse - Capítulo 13


Escrita por: e DianaTory

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Harry Potter, Lord Voldemort, Minerva Mcgonagall, Narcissa Black Malfoy, Rabastan Lestrange, Remo Lupin, Rita Skeeter, Severo Snape, Sirius Black, Theodore Nott, Tiago Potter, Tiago S. Potter, Tom Riddle Jr.
Tags Harry Potter, Tomarry, Tomxharry
Visualizações 1.193
Palavras 2.553
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá meus anjinhos
Desculpe a demora hoje foi um dia ruim e aconteceu muita coisa que me deixaram extremamente pertubada
Mas vim postar esse capitulo pra vocês
Boa leitura
- By Diana

Capítulo 13 - Poder questionável


Capítulo XII


"O que foi aquilo?" Harry rosnou empurrando Voldemort para longe dele.

Voldemort sorriu e soltou o colarinho de Harry. Harry levou a mão ao pescoço onde o Lorde das Trevas o havia mordido. Harry tirou a mão do pescoço e olhou para o sangue e depois para o divertido Lorde das Trevas.

"Você se transformou em um vampiro e não me avisou?" Harry perguntou friamente antes de zombar do homem. "Você está ficando mais furioso com a idade."

"Obrigado."

Harry rosnou e então eles ouviram movimento atrás da porta, quando os dois olharam a porta se abrindo. Um dos Blacks, Harry não se lembrava de qual, olhava para os dois admirados.

"Orion". Voldemort disse divertidamente. O homem inclinou a cabeça e seus olhos encontraram os de Harry. "Você quer alguma coisa?"

Harry olhou para Voldemort, era o escritório do homem, ele tinha o direito de estar lá.

"Eu tenho algumas coisas que preciso da minha mesa, senhor."

Voldemort se levantou, erguendo-se sobre Harry, e se afastou, mostrando a mesa com a mão. Harry não pôde deixar de corar quando o Lorde Black se aproximou e abriu uma das gavetas tirando alguns pergaminhos antes de inclinar a cabeça para o Lorde das Trevas e sair do escritório, fechando a porta atrás de si.

"Você não tem respeito por ninguém." Harry rosnou, virando-se para o homem que já estava se elevando sobre ele, forçando Harry a olhar para cima.

"E você pode me dizer o que eu fiz de errado, meu animal de estimação?"

Harry rosnou para o homem.

"Primeiro este escritório não é seu caso você ainda não tenha notado. Segundo, eu não sou um animal de estimação e terceiro não sou seu!" Harry gritou a última parte.

Voldemort recuou no grito de Harry e depois riu.

"Eu tinha esquecido o quão alta sua voz se torna quando você fica bravo ..."

Harry zombou e se virou para sair, quando foi agarrado pelo homem e puxado para o peito do mesmo.

"O que?" Harry perguntou friamente olhando nos olhos cor de sangue do homem.

"Eu entendo que você me odeia em princípio, eu supostamente matei seus pais afinal, mas além disso, o que você sabe sobre mim que não foi contada em um livro leve ou por pessoas leves?" Harry abriu a boca para neutralizar quando o homem falou novamente. "Você disse aos seus alunos que nem todos os bruxos das trevas eram maus, assim como nem todos os luz são bons." Harry assentiu. "Por que você acha que eu sou apenas ruim?"

Harry franziu a testa friamente.

"Ah, certo, porque é bom matar infinitamente sem um propósito real, além de matar trouxas e nascidos trouxas. Bom trabalho com isso, Mestiço." Harry puxou o braço e tentou sair.

"Eu não estou matando nascidos trouxas." Harry parou. "Os nascidos trouxas simplesmente não entendem quando chegam ao nosso mundo e tentam mudá-lo quando as coisas não saem do jeito que eles gostam. Eu estou tentando modelar o mundo de modo que os nascidos trouxas não precisem morar com trouxas e serem abusado."

Harry ficou olhando para a porta em silêncio. Sua vida teria sido diferente se ele não tivesse sido forçado a morar com trouxas?

"Você quer dizer como você e eu." Harry finalmente comentou. "Nós fomos ensinados por trouxas e não sabíamos nada sobre magia antes de entrarmos em Hogwarts."

Harry se virou e olhou para o homem. Voldemort estava olhando para trás sem sentir o que o homem estava pensando.

"Você foi ensinado como ser um bruxo? Ou você foi jogado em uma novo mundo sem nenhum ensinamento?"

Harry coçou a parte de trás de sua cabeça, desajeitadamente.

"Eu acho que foi o último."

"Você procurou em algum livro por respostas?" Harry sacudiu a cabeça. "Então você se tornou parte do sistema, estou certo? Aquele que apenas segue o que os outros lhe dizem é a normal e forçando seus próprios conceitos em nosso mundo."

"Ei, quando cheguei a Hogwarts, a maior parte das fériados trouxas já faziam parte do sistema! Além disso, tinha que perguntar a meu amigo trouxa quando não sabia de algo ..."

Voldemort revirou os olhos e se aproximou agarrando o queixo de Harry, forçando-o a olhar para cima.

"Eu supostamente fui quem te ensinou em casa, Aiden. É melhor você ficar mais bem informado porque eu não teria negligenciado isso em meus ensinamentos."

"Eu não vou apenas começar livros aleatórios só para fazer você se sentir feliz." Harry rosnou.

"Não é sobre me fazer sentir feliz, Pet." Os olhos de Harry se estreitaram. "É sobre o fato de que quando o mundo mágico parar de usar os velhos modos ... a magia vai morrer."

Os olhos de Harry cresceram completamente.

"Você só pode estar brincando comigo!"

"Eu não ... criança." O homem disse, obviamente, não acostumado com a palavra.

Harry sentiu seu queixo sendo liberado e ele sentou na mesa, com os olhos arregalados.

"Mas ... se isso for verdade ... então ..."

"O mundo que você conhece acabaria matando uns aos outros pela falta de magia. Se você perder sua magia, você morre." Harry acenou com a cabeça, o pensamento nem sequer passou por sua mente que o homem poderia estar mentindo. "Eu não estou matando os nascidos-trouxas ou os Meio-sangues, Aiden. Estou tentando torná-los um de nós, fazê-los entender seus erros antes que seja tarde demais. Antes que o Lado da Luz destrua nosso mundo."

"Por que você não ... segue o caminho político? Menos assassinatos e as pessoas estariam mais prontas para te seguir."

Voldemort zombou.

"Eu não posso. Voldemort não tem um nome para si mesmo e Riddle é um ninguém e meio-sangue. Ele nunca conseguiria o emprego como ministro." Harry não deixou de perceber que Voldemort havia falado na terceira pessoa.

"A guerra só trará e fará com que as pessoas se voltem contra você e façam as pessoas temerem o Lado Negro."

Voldemort olhou para Harry em silêncio e depois se afastou, aproximando-se da janela e olhou para fora.

"Aquele amigo seu, Rodolphus Lestrange." Harry cantarolou, imaginando por que o homem estava mencionando ele. "Ele quer ser um seguidor. Se você o encontrasse no campo de batalha ... o que você faria? Você seguiria seu perfeito Lorde da Luz ou você protegeria seu amigo?"

"Eu protegeria Rodolphus." Harry disse, não pensando duas vezes.

Voldemort olhou de volta divertido.

"Você tem certeza de que é um seguidor da Luz? Você fala como um Sonserino, você protegeria não o que você acredita, mas o que você mais gosta ... seu amigo. Dumbledore não. Ele lutaria com seu melhor amigo e até o colocaria na prisão se tão necessário ".

A foto adolescente de Grindelwald com Dumbledore imediatamente apareceu na mente de Harry. Harry olhou para a porta, evitando o homem. Voldemort riu.

"Você já sabia disso, não sabia? Que o mestre de marionetes colocou seu melhor amigo na prisão?"

"Amante, na verdade." Harry murmurou, Harry olhou de lado para Voldemort e ver a reação do homem, Harry sabia que Voldemort não sabia da parte. "Quero dizer, ex-amante."

"Se você sabe o que ele fez, como você ainda pode ..."

Harry encolheu os ombros.

"Para o bem maior eu acho ... além disso, se eu realmente fosse um seguidor de luz, eu teria dito ao diretor tudo sobre o meu passado. Eu confio nele tanto quanto eu confio em você, o que significa nada." Harry se levantou e olhou para Voldemort nos olhos, o homem não estava feliz em ser comparado com o diretor. "Se eu realmente acreditasse nessa linha, teria deixado Severus ter uma vida abusiva e não conhecer nenhum amor. Amar alguém que nunca o amaria de volta e morresse protegendo a mulher que amava. Se eu realmente acreditasse ..." Harry mordeu o fundo do lábio em pensamento. Harry ouviu Voldemort gemer, mas não pensou muito. "Eu não estaria aqui conversando com você. Eu teria me assegurado de me manter desconhecido neste tempo para não mexer com o futuro."

E Harry saiu do escritório.

–//--

Voldemort gemeu tentando controlar suas partes do corpo. Por que Aiden tem que ser tão inocentemente sexy e provocativo?

–//–

Harry chegou na sala de estar e imediatamente encontrou Severus, o garoto estava ao lado, olhando em volta provavelmente se sentindo fora do lugar. Harry sorriu e se aproximou colocando a mão em seu ombro, imediatamente o garoto se encolheu. Harry ficou tenso e estava prestes a tirar a mão quando Severus se virou e olhou para ele, visívelmente relaxando. Harry franziu a testa imaginando o quão ruim sua vida tinha sido na casa de seus pais.

"Você quer ir lá fora? Relaxar um pouco?" Harry perguntou calmamente, sabendo que ele teria que dar pequenos passos para conquistar Severus todo o coração. Ajudava ele ser o professor do garoto e então o garoto já confiava nele, mas ele provavelmente sempre temeria ser espancado, como Harry fazia.

Severus assentiu e Harry o guiou para o quintal quando uma mão apareceu na de Harry. Harry olhou para o dono apenas para ver um homem que ele não reconheceu tirando sua mão de Severus.

"Posso te ajudar senhor?" Harry questionou o homem.

O homem zombou de Harry antes de olhar para Severus. Harry olhou para os olhos negros do homem e então para Severus e começou a ver a semelhança, este homem poderia ser o Senhor Prince?

"Você é Severus?"

Severus olhou de lado para Harry e depois para o homem.

"Sim senhor."

"Você vem comigo!"

Os olhos de Harry se arregalaram quando o homem começou a tentar puxar o menino para longe.

"Desculpe-me? O que você está fazendo com o meu filho?"

Harry imediatamente puxou Severus do homem e o escondeu com seu próprio corpo, ele podia sentir Severus tremendo e desejou que ele pudesse se virar e abraçá-lo para acalmá-lo.

"Esse menino é meu neto, você realmente acha que eu vou deixar meu herdeiro viver com um sangue-ruim como você?"

Harry não pôde deixar de sorrir, enquanto todos ao redor deles começaram a se reunir.

"Senhor Prince, eu presumo?" O homem cheirou em indignação que Harry estava falando com ele, o que só divertia Harry ainda mais. "Prazer em conhecê-lo. Sou o professor Mather e pai de Severus Mather. Sou meio-sangue, assim como meu filho. Mas admito que fui criado no mundo trouxa, se isso faz de mim um sangue-ruim, então vou tomar orgulhosamente o nome."

Harry podia ouvir cada puro sangue ofegar por sua audácia, atrás dele ele sentiu Severus agarrando sua mão. Harry não pôde deixar de sentir borboletas em sua barriga; Severus o aceitou o suficiente para pegar sua mão em busca de conforto. Lord Prince zombou de Harry com desdém, Harry limitou-se a sorrir inocentemente. Harry viu a posição do homem e sabia que um ataque estava prestes a acontecer.

"Rapaz venha comigo neste exato momento, antes que eu perca a paciência. Assim que chegarmos, limparemos a sujeira se seu sangue."

Harry inclinou a cabeça para o lado em confusão.

"Que sangue sujo? Seu?" Harry podia sentir todo mundo tenso com sua impudência.

Felizmente isso foi o suficiente e Lord Prince pegar sua varinha e atacar Harry, que agarrou Severus em tempo recorde, puxando-o para o chão, protegendo-o com seu próprio corpo, antes de pegar sua própria varinha e apontá-la para o homem e desarmar ele. O rosto de Harry não era mais inocente, nem sua posição corporal, sua posição corporal gritava " Tema-me!" . Lorde Príncipe franziu a testa e Harry pegou a varinha do homem em silêncio, olhando para ela com frieza.

"Dizem que a varinha é a melhor amiga do bruxo. Que quando você a destrói, você destrói mais do que apenas a varinha, mas a própria alma dos magos." Harry comentou com indiferença quando ele levantou a mão para o outro ponto da varinha e quebrou a varinha em dois. Harry olhou friamente para o Lorde Prince. "Você negou a sua filha a se casar com um trouxa e quando ela veio pedir ajuda, porque ela foi abusada, você virou o rosto com desprezo. Agora você quer o filho dela? O menino que você recusou quando você recusou a mãe? Severus não é um objeto que você pode usar para seu próprio lucro ele é um ser humano com sentimentos É claro que se Severus quiser seguir você, ele será bem-vindo, mas até que ele me diga para parar eu lutarei por ele, então não espere que eu seja um fraco sangue-ruim inocente como o mais provável que quebrou a sua varinha."

Harry se virou para Severus, ajudando-o a se levantar. Harry viu com o canto dos olhos o Lorde Prince se preparar para atacá-lo, mas antes que o homem pudesse agarra-lo. Harry se virou, abraçando Severus contra o peito, apenas para ver Voldemort e Rodolphus ao seu lado, Voldemort estava agarrando o pulso de Lorde Prince com um olhar frio que faria qualquer um rastejar para longe. Rodolphus colocou a mão no ombro de Severus, que olhou para o homem.

"Você quer ir com Lord Prince?" Rodolphus perguntou calmamente e Severus balançou a cabeça.

"Eu quero ficar com o meu pai." Harry sorriu e se ajoelhou diante de Severus, que olhou para trás com medo. "Eu posso, não posso?"

"Eu quero que você fique, mas a escolha é sua."

O garoto assentiu e olhou para Lorde Prince.

"Se eu alguma vez eu precisar limpar meu sangue imundo ... vou limpar o seu sangue!"

Harry sorriu com orgulho e, quando Severus olhou para trás com medo de ter ido longe demais, Harry acenou para mostrar sua aprovação.

–//–

Quando Voldemort ouviu que um sangue-ruim estava discutindo com Lord, ele imediatamente soube que tinha que ser seu animal de estimação. O homem não poderia ficar calmo por um minuto?

É claro que ele não esperava que seu Pet estivesse brigando pela paternidade de seu filho adotivo de Pet. Voldemort havia se aproximado de Lestrange que estivera do lado de fora vigiando seu noivo e o herdeiro Potter, e fez sinal para o homem segui-lo. Voldemort obviamente não esperava que Lorde Prince sequer pensasse em bater em seu Animal de Estimação e isso o enfureceu tanto que ele correu para agarrar o pulso do homem para impedi-lo de tocar seu animal de estimação. Ele podia ver Lestrange certificando-se de que tanto Aiden quanto o menino estivessem bem enquanto ele questionava o que o menino queria.

Tinha sido difícil controlar a vontade de revirar os olhos quando o garoto falou com lorde príncipe. Algumas semanas com Aiden e ele já tinha conseguido pensar e conversar. Lord Prince soltou sua mão e antes que o homem pudesse falar ou fazer qualquer coisa Orion se aproximou.

"Senhor Prince, por favor, saia da minha casa. Você não foi convidado e está incomodando meus convidados." Voldemort parecia indiferente ao príncipe que zombava de Orion por ousar interromper, Voldemort sabia muito bem que Orion só tinha falado agora porque ele e o herdeiro de uma família decidiram se juntar à comoção. Orion acenou para o Lord Prince na porta. "Se você puder, por favor?"

Lord Prince zombou, mas saiu, Voldemort sabia que seu Pet tinha acabado de se tornar um novo inimigo naquele homem. Voldemort olhou em volta; todos os puro-sangues que estavam observando eram seus seguidores e eles sabiam que no momento em que Voldemort interveio que Aiden era dele.


Notas Finais


Espero que tenham gostado
Pergunta(sim agora vou sempre fazer isso)
Vocês tem uma boa relação com os seus pais?
P.S: É bom vocês irem no perfil da Flayuu que ela ta traduzindo outra fic maravilhosa


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...