História Pet's Curse - Capítulo 15


Escrita por: e DianaTory

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Harry Potter, Lord Voldemort, Minerva Mcgonagall, Narcissa Black Malfoy, Rabastan Lestrange, Remo Lupin, Rita Skeeter, Severo Snape, Sirius Black, Theodore Nott, Tiago Potter, Tiago S. Potter, Tom Riddle Jr.
Tags Harry Potter, Tomarry, Tomxharry
Visualizações 328
Palavras 2.983
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Me desculpem de novo
Agora esta tudo certo
Vou tentar não errar de novo
-Diana

Capítulo 15 - Treinamento de Auror


Capítulo XIV


"Roddy?" Rodolphus ergueu os olhos dos livros para os quais olhava para a única pessoa que ousava chamá-lo assim; Sirius estava se aproximando um pouco ... ousava dizer sério? "Posso perguntar uma coisa sobre o professor Mather?" Rodolphus assentiu, certificando-se de levantar uma barreira de silêncio. "No dia em que eu te contatei na lareira do Professor, ele me disse que nunca conheceu o amor até conhecer seu padrinho ..." Sirius mordeu o lábio inferior e Rodolphus teve que controlar seus malditos hormônios. "Ele disse que estava com inveja de mim porque eu tinha pai e ele daria a própria vida por um. Ele foi criado por um tio que o forçou a morar em um armário embaixo da escada, não o alimentou e apenas deu ao professor Mather roupas de seu próprio filho e só porque ele era obrigado... Eu sei que ele viveu na guerra e tudo mais, mas ... ele não...

Rodolphus se aproximou e abraçou Sirius em seu peito em silêncio. Então Aiden tinha sido abusado?

"Como ele pode ser tão despreocupado e ao mesmo tempo tão assustador depois de tudo que passou?"

"Porque Aiden tinha amigos lá para ele. Porque ele tinha alguém em quem ele confiava e amava." Rodolphus sentia-se como um grifinório falando sobre confiança e amizade…

"Por que isso importa? Todos eles morreram!"

Rodolphus franziu a testa e se ajoelhou diante de Sirius aos olhos de seu noivo.

"Morreram?"

Sirius assentiu.

"Ele acabou de dizer isso a Riddle. Algo sobre isso, mesmo que ele retornasse às colônias, tudo pelo que lutou se foi."

Os olhos de Rodolphus se arregalaram. Então Aiden tinha perdido toda a esperança de voltar? e ele decidiu confiar em Riddle de todas as pessoas?

"Vá para o jovem Potter. Não fale com ninguém e fique longe de problemas... na verdade, fique dentro da loja." O menino bufou mas obedeceu.

Rodolphus levantou-se e pegou um frasco de seu colete, levando a lembrança de sua testa até o frasco; só então pegou um livro e foi até o balcão, só para ver Aiden, Riddle e o jovem Mather ali. Riddle olhou para ele quando se aproximou, mas o homem não o reconheceu. Rodolphus não era estúpido por estar zangado pelo modo como esse "meio-sangue" o estava tratando; esse bruxo era mais fluente que todos os Lordes, Rodolphus e até mais do que o próprio ministro. Para não falar das insinuações não ditas de Aiden este mago tinha que ser o bruxo de pele branca de cobra que Aiden tinha mostrado à memória outro dia. Rodolphus aproximou-se do comprador e os livros continuavam no monte de Aiden e mostravam seu próprio livro. O mago atrás do balcão se apressou em lhe vender o livro e, como Aiden não estava olhando, Rodolphus deu a Riddle o frasco. Rodolphus sentiu que estava traindo a confiança de Aiden em ir contra suas costas, mas se este realmente era o Lorde das Trevas e se o homem realmente alegava Aiden como seu então Rodolphus só tinha duas escolhas; mostrar ao bruxo o quanto ele se importava, ajudando-o de qualquer maneira que pudesse, e isso incluía dizer ao homem sobre o suposto abuso e o caminho mortal ... ou fugir e esperar que o bruxo nunca o encontrasse. Ele não queria terminar como Alastor Moody ... usado como um manequim para os Cursos Mais Escuros e depois jogado em algum beco. 

Rodolphus viu os dedos de Riddle brincando com o frasco antes de guardá-lo no bolso. Só então Rodolphus se virou para Aiden e apontou para o monte de livros com uma sobrancelha levantada.

"Se o que você queria era uma biblioteca, eu poderia ter emprestado a minha."

O bruxo coçou a parte de trás de sua cabeça, bagunçando seu famoso cabelo Potter, e Rodolphus viu os olhos de Riddle escurecerem na luxúria.

"Eu disse a ele que não podia pagar tanto ..." Aiden disse apontando para Riddle como uma criança faria quando se deparava com um problema, o que era divertido considerando o costume do bruxo depois de seus anos de reações e modos de pensar.

"Que tipo de patrocinador eu seria se eu não pagasse pela sua educação?"

"Você foi o único que de repente decidiu me recapitular na educação."

"Mais uma razão para pagar por isso ... você pode pagar pelo livro do seu filho se isso faz você se sentir mais feliz."

Aiden rosnou.

"Se isso continuar, terei 40 anos quando tiver o dinheiro para pagar de volta."

Riddle sorriu.

"Você não precisa me pagar de volta, sabe?"

Aiden revirou os olhos.

"Okay, certo." Aiden retrucou e Rodolphus teve que respirar fundo para lembrar-se de que Aiden veio de outro país e por isso seu vocabulário não era ... o melhor com a falta de melhor palavra. "Você é um sonserino; sempre espera algo em troca quando faz coisas".

Riddle levantou uma sobrancelha divertida.

"Uma vez que você mencionou que você lutaria contra mim todos os dias." Aiden franziu a testa e se virou para o homem, assentindo. "Minha resposta então se mantém a mesma até agora."

"Você é Insano!"

"Eu tenho que ser ... por que mais eu tentaria fazer parte da sua vida?"

Aiden abriu a boca, mas nenhum som saiu disso, provavelmente não sabendo como responder a isso.

–//–

Harry fechou a boca e olhou pela janela apenas para ver James e Sirius jogando algum tipo de etiqueta do lado de fora.

"Por que eles estão fora?" ele perguntou apontando para eles confuso, inclinando a cabeça para o lado.

Harry viu Rodolphus olhar e franzir a testa.

"O que ele está fazendo? Eu disse a ele para ficar do lado de dentro!"

Harry se virou para Rodolphus com um olhar divertido.

"E você esperava que eles ouvissem?" Rodolphus gemeu e começou a sair da livraria, Harry seguindo-o. "Potter! Black!"

Os dois garotos olharam para Harry imediatamente, os olhos crescendo no tom formal.

"O que eu disse sobre ficar dentro?" Rodolphus repreendeu imediatamente.

"Mas Roddy ..."

Harry olhou para Rodolphus com um olhar divertido para o nome. Roddy?

"Dentro!" o homem rosnou completamente.

"Mas não é divertido lá dentro."

Harry sentiu um calafrio que havia ganhado quando estava em treinamento para um Auror e, quando olhou ao redor, sentiu uma barreira anti-aparatação ser levantada e remendada com a que já existia.

"Rapazes!" Harry disse e os dois garotos choramingando olharam para ele, Rodolphus erguendo uma sobrancelha para seu tom de urgência. "Para dentro agora." Quando os dois abriram a boca para argumentar, Harry olhou para eles. "Vocês entram agora ou vão ficar depois das aulas e fins de semana por um semestre inteiro ajudando Filch a limpar o castelo com a mão! Nada de magia!"

Isso pareceu colocá-los em ação e os dois correram para dentro. Rodolphus nem perguntou o que estava acontecendo e já havia tirado sua varinha.

"Eu gostaria de ter seus sentidos."

"Não, você não iria querer." Harry respondeu rapidamente olhando em volta tentando entender de onde o ataque veio.

"Por que não?"

Harry suspirou e olhou para Rodolphus.

"Para aprender isso você tem que ser colocado dentro de uma sala trancada durante dias e ser atacado sem aviso prévio. Você começará a sentir o ataque antes mesmo de começar."

"Isso é tortura." Rodolphus demorou.

Harry deu de ombros, olhando em volta.

Harry deu de ombros, olhando em volta.

"Para não falar de todas as poções que testei porque tive que aumentar meus sentidos ... e outras coisas." Harry olhou para Rodolphus, seu próprio corpo já em posição de combate. "Você perguntou como foi viver em guerra? Depois que você começa você nunca sai. Eu escolho testar a 'tortura', como você a chamou. Fui a primeira e única pessoa que lidou com isso. Meu melhor amigo Ron depois do terceira dia começou a surtar e no dia seguinte eles tiveram que tirá-lo enquanto ele mijava nas calças. " Harry olhou em volta para as pessoas ao seu redor. "Como eu gostaria de estar no manto dos Aurores agora!"


"O que você quer?"

"O lugar está cheio de Feitiços anti-aparatação, então eu quero todos nas lojas."

Rodolphus apontou a própria varinha para o pescoço e - quando ele fez, magicamente expandiu sua voz, começou a direcionar todo mundo para fora das ruas e para dentro das lojas - Voldemort saiu da livraria e se aproximou de Harry. Harry levantou uma sobrancelha e o homem balançou a cabeça, pegando sua própria varinha. De repente, houve um grito, Harry olhou apenas para ver um homem de pele branca agarrando outro homem e mordendo o pescoço. Harry olhou para o céu, não havia sol hoje ...

"Vampiros…"

Harry olhou para Voldemort com um olhar.

"Eu não fiz isso e se algum dos meus homens fez isso, eles vão ouvir." o homem disse friamente.

Harry rosnou e pegou sua varinha, colocando-a em seu próprio braço e cortou-a. Imediatamente o vampiro tirou o rosto do pescoço e sentiu o cheiro na direção de Harry.

"Você quer isso? Venha e pegue!"

Antes que Harry pudesse se mover um passo atrás, 7 vampiros estavam diante dele, os olhos vermelhos de fome, olhando para o braço de Harry enquanto eles lambiam os lábios. Harry viu como as pessoas correm imediatamente dentro das lojas e cafés de uma vez, alguns ajudando o homem atacado, tentando salvá-lo. Harry viu os olhos de Voldemort crescerem quando viu o que ele estava fazendo e antes que o homem pudesse reagir, dois vampiros estavam no pescoço de Harry mordendo, apenas para recuar com um gemido de dor.

Harry sorriu maliciosamente enquanto os dois vampiros recuavam não com a boca cheia de cor rubi, mas sim com prata, essas poções serviam para alguma coisa afinal. O sangue agora caindo do antebraço de Harry era prateado também. Harry viu Voldemort recuando, Rodolphus se aproximando do homem, os dois sabendo que é melhor ficar longe entre um vampiro e sua presa ... coisa boa que Harry não fez, certo?

"O quê? Não está mais com fome?" Harry perguntou friamente, sua própria magia restaurando a carne quebrada como costumava ser automática. Os dois vampiros caíram no chão, mal conseguindo se mover. Harry olhou para os dois sem se importar, enquanto os dois engasgavam de dor. "Bem, isso é o que acontece quando você não sabe o que está comendo." Harry disse antes de duas estacas de madeira aparecerem e esfaquearem os dois vampiros ofegantes.

Quando Harry olhou para os outros, de repente, havia 20 vampiros olhando para ele com violência. Harry olhou para todos eles com uma sobrancelha levantada.

"O quê? Vocês esperam que eu alimente todos vocês?"

–//–

Voldemort olhou para Aiden quando o homem provocou os vampiros, ele estava louco?

"Como o sangue dele pode se transformar em metal?" Ele se perguntou em voz alta, os vampiros o consideraram indigno por enquanto e estavam todos em seu Pet.

"Ele disse que tomou poções e fez testes em si mesmo." Voldemort olhou para Lestrange que estava ao seu lado olhando para os vampiros, tenso. "Isso nem mesmo seu melhor amigo conseguiu suportá-los ... considerando que sua criação não me surpreende."

"Criação?" Lestrange apontou para o frasco no bolso de Voldemort. Voldemort franziu a testa, mas aceitou a resposta, agora não era hora de conversas.

Os vampiros começaram a atacar Aiden e antes que Voldemort soubesse que o beco estava cheio de vampiros famintos por sangue. Muitos tentaram entrar nas lojas, mas não puderam sem permissão, o que fez deles, Lestrange e Aiden os únicos alvos. Voldemort mantinha as defesas em torno de si e de Lestrange. Como se sentisse que a magia de Aiden se aproximava entrando na proteção, Voldemort nunca o tinha visto tão… vivo. Criado para abate de fato. Seus olhos estavam escuros em busca de sangue, parecendo um vampiro recém-nascido que acabara de se alimentar pela primeira vez. Vendo o olhar morto de Aiden em uma base diária e agora este olhar vivo fez Voldemort perceber que Aiden tinha morrido por dentro por causa da falta de ameaças vivas. Aiden aprendeu a viver para a guerra, pelo desafio e quando parou ele ficou entorpecido. Aiden tinha sido contaminado por quem o forçou a lutar com a idade de onze anos e nenhuma vida normal iria satisfazê-lo. mesmo que Voldemort tenha conseguido salvar seu eu mais jovem da contaminação, ele já havia sido contaminado e quando o ego mais jovem de Aiden chegou à idade em que Aiden foi enviado para o passado ele seria enviado para o passado com ou sem 'chave de portal' e se tornaria Aiden. Aiden salvaria todos menos ele mesmo, nunca ele mesmo.

"Sou só eu ou os aurores são incapazes de trabalhar? É a segunda vez que chegamos aqui e a segunda vez que eles não conseguem fazer o seu trabalho". Seu animal de estimação comentou para Lestrange que se divertiu.

"Eles devem estar trancados por causa das proteções. E provavelmente não podem passar a entrada do Beco Diagonal com algum tipo de barreira erguida para manter os vampiros presos aqui." Lestrange respondeu facilmente e Voldemort viu Aiden franzindo a testa. "O que é isso?"

"Eu senti as proteções sendo atualizadas, mas não posso senti-las agora."

Voldemort olhou para Lestrange quando o homem agarrou a mão de Aiden e magicamente o guiou para as barreiras no topo do beco. Rapidamente entendimento afogou em Voldemort com o que seu Pet estava pensando em fazer.

"Aiden pare!"

"Seus feitiços não vão durar para sempre, eu tenho que fazer alguma coisa!"

"Isso é loucura!" quando Voldemort viu que Aiden não estava ouvindo, ele rosnou. "Lestrange!" O bruxo saltou, olhando para ele. "Eu vou manter a proteção, ajude o Aiden, ele vai destruir as proteções anti-aparatação."

Os olhos de Lestrange cresceram, olhando para Aiden que olhava para o céu, mais diretamente para as proteções que ele podia ver agora.

"Elas são muito fortes. Você nunca poderia ..."

"Eu desmontei sua proteção apenas o suficiente para passar por ela." Aiden disse apontando para Voldemort. "Agora cale a boca e deixe-me trabalhar. Quando eu começar, não posso parar ou posso matar todos nós, pois vai explodir. Se você sabe ajudar, bom. Caso contrário, fique fora do meu caminho!"

Lestrange olhou para Voldemort, que olhou para trás e, em seguida, se aproximou de Aiden emprestando-lhe sua própria magia. Se Aiden conseguisse desfazer as antigas proteções que haviam sido atualizadas, mas nunca destruídas, Voldemort teria que adicionar duelo aos ensinamentos de Aiden para manter sua magia exercitada e aprender até onde a mesma poderia ir. Embora primeiro ele matasse o Comensal da Morte que ousou colocar os vampiros no Beco Diagonal hoje sem sua permissão.

Voldemort olhou para Lestrange quando ele começou a perder a cor e esperou que o jovem bruxo lidasse com a grande extração de sua magia. Aiden, obviamente, não sabia o tamanho de sua magia e seus limites e estava usando de Lestrange a mesma quantidade da sua ... definitivamente ele tinha que adicionar um livro sobre isso ou seria um problema... como as outras pessoas morrendo de falta de magia.

Voldemort viu Bella vir correndo do travessa do tranco e depois de um olhar para ele - muito sangue em si mesma, provavelmente dos vampiros que ela havia matado - ela se aproximou de Aiden e começou a emprestar sua própria magia.

Voldemort imaginou o que a mulher estava fazendo em Travessa do Tranco e como ela achava que era necessária aqui, mas muito provavelmente ela sentiu a magia dele, afinal ela estava muito entediada.

–//–

James ficou tenso ao ver Aiden sendo atacado, felizmente nada havia acontecido. A livraria estava tão cheia de pessoas que ele mal podia se mover, mas mesmo assim ele ainda tinha uma boa visão do que Aiden estava fazendo, não que ele pudesse desviar o olhar realmente. James viu Riddle usar algum tipo de proteção e, depois que Aiden entrou na proteção, Aiden apontou a varinha para o céu.

"O que ele está fazendo?" Sirius perguntou ao seu lado.

As pessoas ao redor deles olharam e um velho bruxo grisalho respondeu.

"Ele está tentando quebrar as proteções, filho. Assim que ele fizer, os Aurores poderão vir."

Outro bruxo começou a surtar.

"Ele é apenas um rapaz. Ele não terá magia suficiente para fazer isso. Ele vai matar todos nós!"

As pessoas começaram a surtar também e James viu Bellatrix Black aparecer e dar a mão a Aiden.

"O que ela esta fazendo?" Ele perguntou admirado.

"Senhorita Black deve estar emprestando sua magia ao rapaz."

James e Sirius olharam para o bruxo grisalho.

"Ela pode fazer isso?"

"É uma magia perigosa, mas é possível ... Acredito que o herdeiro de Lestrange está emprestando sua própria magia também."

James ouviu o som da porta se abrindo e quando ele olhou viu um bruxo correndo para onde Aiden estava, usando algum tipo de proteção de luz e depois tocou em Lestrange.

"Lucas, certo, homens. Vamos todos nos juntar ao rapaz. Quem sabe como quebrar barreira ?"

"Eu faço!" Um dos homens nas costas disse. "Mas nem me atrevo a pensar em quebrar uma barreira como esta."

"Mulheres e filhos ficam. Homens vamos ajudar os rapazes do lado de fora. Quem pode quebrar barreiras assim que estiverem sob a proteção começará a guiar a magia para o Rapaz para que ele não deixe nenhuma ponta solta, pois isso pode ser perigoso. Os outros emprestem magia ou ajude a manter a proteção! Usem sua magia." O bruxo grisalho ordenou e antes que James pudesse pensar, os 30 bruxos que estavam dentro correram para Aiden e se juntaram à comoção e alguns bruxos de outras lojas começaram a se juntar também, matando os vampiros e eles se juntaram à proteção enquanto iam.

Uma mão apareceu no ombro de James, olhando para cima, ele viu a prima de Sirius, Narcissa.

"Eles vão ficar bem." A adolescente mais velha  tranquilizou ele e Sirius.

James assentiu e olhou para Aiden, preocupado, quando o sangue começou a cair da cicatriz em sua testa.

"Rapaz, você não pode sair!" James olhou apenas para ver Snape, seu "primo", tentando sair também.

James se aproximou e com muito esforço agarrou o outro garoto, puxando-o para onde ele e Sirius estavam.

"Calma, primo. Aiden me deixaria de castigo por meses se eu deixasse algo acontecer com você."

"Aiden ...?" uma das bruxas perguntou. "Como o professor? Aquele rapaz quebrando as proteções é o novo professor de Defesa Contra as Artes das Trevas?"

–//–

Assim que as proteções quebraram, os aurores começaram a aparatar e, em um momento, os vampiros desapareceram ou foram esfaqueados.


Notas Finais


Espero que tenham gostado💕


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...