1. Spirit Fanfics >
  2. Photograph - Gadizaski >
  3. Fofocas

História Photograph - Gadizaski - Capítulo 12


Escrita por:


Notas do Autor


Boa leitura! 🌻

Capítulo 12 - Fofocas


Fanfic / Fanfiction Photograph - Gadizaski - Capítulo 12 - Fofocas

Apartamento do trio, 16:15pm.

O empresário assim que entrou, deixou as chaves em cima da mesinha e fechou a porta ouvindo as risadas dos amigos dentro do quarto da Heslaine.

– EU CHEGUEI! - Bruno grita 

O silêncio toma conta assim que a tv é desligada.

– VEM CÁ! - Heslaine e Vinicius juntos. 

Bruno ri e anda até o quarto da investigadora, entrando e deitando ao lado dela que estava no meio e o publicitário do outro lado. 

– Ela foi. - Bruno olha pro teto. 

– QUE? - Heslaine grita surpresa e vira o rosto pro empresário.

– Mentira? Cê vai contar tudo e quero detalhe por detalhe. - Vinicius ri se sentando na cama.

– Larga de ser fofoqueiro e curioso, Wester. - Bruno revira os olhos cruzando os braços e o encara.

– Se não contar, vai sair desse quarto por tapas! - Heslaine o encara e se senta na cama deitando a cabeça no ombro do publicitário.

– Você tá pior do que o Vinicius, hein? Mas ok, eu conto. - Bruno a encara e se senta na cama.

– Eu deveria levar isso como uma ofensa? - Vinicius pergunta o encarando.

– Você deveria calar a boca e escutar. - Heslaine o olha e o publicitário resmunga, fazendo Bruno ri. 

O empresário respira fundo e se ajeita na cama antes de encarar os amigos o olhando atentamente. 

– Eu pensei que ela não ia ir mas foi. Entramos, fomos pro lugar onde tudo começou e eu fiz o que a Heslaine disse e pedi perdão a ela. Daí ela chorou ouvindo e disse que precisava de um tempo pra pensar sobre e eu falei que tava tudo bem, porque daria esse espaço pra ela. Depois entreguei aquela foto que eu tirei dela anos atrás antes do beijo, lembram? E ela pegou. - Bruno sorri os olhando.

– Você ainda tem essa foto? - Vinicius pergunta surpreso.

– Fiquei de entregar a dona e o destino ajudou. - Bruno ri o encarando.

– Forma errada mas ajudou, né? Mas ela chorou? Jura? - Heslaine pergunta o encarando.

– Enquanto eu falava, ela começou a chorar. Daí eu tive a certeza do quanto eu fui babaca e a machuquei muito. E pedi perdão pelo que aconteceu no bar também. E depois ela pediu carona. - Bruno os encarando.

– TU LEVOU ELA EM CASA? - Vinicius pergunta gritando animado. 

– Para de gritar! - Heslaine o encara e Vinicius revira os olhos.

– Levei. E quase aconteceu uma coisa. Aliás, quem mexeu na minha playlist? - Bruno pergunta os encarando.

Heslaine e Vinicius apontam um pro outro.

– HESLAINE! - Vinicius grita. 

– VINICIUS! - Heslaine grita o encarando.

– CALEM A BOCA! Quero a resposta! - Bruno grita os encarando.

– Por que? - Heslaine pergunta o olhando.

– Porque tocou uma certa música, que os dois sabem bem qual é e que está significando mais do que eu achava que significava. - Bruno o encarando.

– Fui eu. - Heslaine o encarando.

– Por que? - Bruno pergunta a encarando.

– Conta logo o que quase aconteceu. Cês iam se beijar? - Vinicius pergunta o encarando

Bruno respira fundo e os olham.

– Foi o seguinte…- Bruno os olhando.

Flashback on - Em frente da Escola Sesc.

– Pode me dar uma carona? - Daphne pergunta o olhando.

– Posso sim. - Bruno a olha e abre a porta da frente dentro do carro. 

Daphne faz a volta e entra em seguida no carro, fechando a porta e colocando o cinto. Bruno a olha e logo dá a partida. Os primeiros minutos foi de total silêncio até Daphne quebra-lô. 

– Admiro a sua amizade com a Heslaine e o Vinicius. - Daphne o olha e Bruno sorri dirigindo.

– Eles são meus irmãos. Daqui há algumas semanas completamos 10 anos de amizade  e cinco anos que moramos juntos. - Bruno sorri fazendo Daphne sorri junto. 

– Eles me contaram como é a convivência de vocês. - Daphne o encara enquanto o empresário dirigia. 

– Contaram tudo? - Bruno pergunta digirindo.

– Desde das três regras, ao ciclo menstrual da Heslaine e essa coisa de um ter se acostumado ao fato da Heslaine andar pelo apê de calcinha e usando uma das camisetas e moletons de vocês e ela presenciar vocês de cueca na cozinha. - Daphne ri.

– Eles contaram tudo então. Mas só pra deixar bem claro que as nossas camisas são grandes o suficientes pra cobrir a Hes. - Bruno ri dirigindo.

– Não precisa me explicar nada. Mas sei disso, os três tem um grande respeito um pelo outro. Igual eu com as meninas. - Daphne sorrindo.

– Elas não gostam muito de mim mas não julgo. - Bruno a olha parando o carro e esperando o sinal abrir novamente.

– Tem seus motivos. - Daphne o encara e Bruno afirma com a cabeça.

– Quer escutar música? Eu sempre escuto quando tô dirigindo. - Bruno a olha mexendo no celular rapidamente.

– Quero sim. - Daphne sorri fraco. 

Bruno aperta o botão da playlist dele, ajeitando o celular e começa a tocar 'Photograph'.

– Só pode ser brincadeira. Eu mato aqueles dois. - Bruno sussurra e olha pra Daphne que fecha os olhos sorrindo.

– É a minha música favorita. Me lembra muitas coisas, além da fotografia. - Daphne abre os olhos sorrindo.

– Ela me lembra você. - Bruno a encara.

– O que disse? - Daphne pergunta o encarando.

– Essa música me lembra você. E nós dois de alguma forma. Eu não escutava fazia anos. - Bruno respira fundo a olhando. 

– Por que? - Daphne pergunta o olhando.

– Me faz lembrar o que eu perdi. - Bruno sussurra a olhando.

– Você gostava mesmo de mim? Tanta menina linda do colégio, Giovanna por exemplo. E foi gostar logo de mim? - Daphne pergunta ainda sem entender. 

Bruno se vira e aproxima colocando uma mexe atrás da orelha dela e sorri sem mostrar os dentes.

– Nenhuma delas era você, Daphne. - Bruno sussurra próximo aos lábios dela, enquanto a música tocava. 

– Não faz isso. - Daphne sussurra o encarando.

– Eu não vou. - Bruno a olha e se afasta, observando e o sinal tinha aberto e volta a digirir, enquanto Daphne olhava pela janela.

Flashback off - Ligação por vídeo-chamada.

VOCÊS SE BEIJARAM? - Gabriela pergunta do outro lado da tela.

Você prestou atenção no que ela disse, Gabriela? Ele se afastou! Certeza que sabia que iria levar um tapa na cara se beijasse a Daphne. - Manoela ri ajeitando a câmera.

Eu não ia bater nele. - Daphne encara as duas pelo celular. 

NÃO? - Manoela e Gabriela juntas. 

Não mas o beijo também não iria sair. Ele me pediu perdão e eu tenho tempo pra pensar se perdôo ou não. Mas caso acontecer, não significa que eu vá beijar ele ou namorar com o mesmo. - Daphne as olhando.

Jura que pensou nessa possibilidade? - Manoela pergunta e levanta uma das sombrancelhas encarando a amiga pelo celular. 

Não. - Daphne a olhando através da tela.

Não é o que tá parecendo, Daph. - Gabriela ri a olhando.

Eu só liguei pra avisar que tá tudo bem e que foi tranquilo. Não surtem, ok? Só foi uma conversa. - Daphne as encarando.

Ele guardou a foto que tirou de você no colégio, se isso não significa, podem tirar meu certificado de formada em moda. - Gabriela ri a olhando e Daphne revira os olhos.

Eu vou deixar a Manoela te dar uns tapas. - Daphne a encarando.

E eu dou com muito prazer! Só foi uma conversa, Gabriela! Não esqueça que ele fez mal pra ela no passado. - Manoela encarando a estilista através do celular. 

Calei minha boca. - Gabriela resmungando.

Nos falamos mais tarde meninas, beijo. - Daphne sorri acenando pras duas.

BEIJO, A GENTE TE AMA! - Gabriela e Manoela juntas. 

Daphne ri, encerra a ligação e se levanta caminhando até a mesinha e puxando a cadeira. Ela se senta e tira a câmera da caixa olhando atentamente e retira a fotografia do bolso observando bem e deixa um sorriso escapar.

– O que você quer comigo, Bruno? - Daphne pergunta sussurrando pra si mesma e volta a olhar pra câmera que tinha ganhado e pra fotografia em seguida.

No outro apartamento Heslaine e Vinicius encararam Bruno atentamente.

– Você ia beijar ela? - Vinicius pergunta o encarando.

– Não, foi coisa de momento. E a culpada pela música é sua! - Bruno encara Heslaine que revira os olhos.

– Eu coloco a música favorita de volta na sua playlist e a culpa é minha se quase beijou a Daphne? Agora eu vi, viu? - Heslaine pergunta revirando os olhos.

– Ainda gosta dela, num é? - Vinicius pergunta o encarando.

– Não, óbvio que não. - Bruno o olhando.

– Você disse a mesma coisa quando não quis admitir que gostava dela no colégio e olha onde chegamos. - Heslaine ri o olhando.

– Você cala essa boca e eu não gosto dela. Ela me odeia pra falar a verdade. Disse isso quando perguntei se ela me odiava no colégio. - Bruno explica os encarando.

– Ela não te odeia, só tá magoada. E com razão, Brunão. - Vinicius o encarando.

– Eu já pedi perdão, ok? Tá tudo certo agora. Mas não tenho certeza que ela vai mesmo me perdoar. - Bruno os olhando.

– Ela vai sim. Qual é o signo dela? Porque se for touro, ti se ferrou legal. Nós taurinos guardarmos rancor real, pelo menos eu guardo. - Heslaine ri o olhando.

– E começou a aula de astronomia. - Bruno revirando os olhos.

– Tá vendo porque meu santo não bate com gêmeos? - Heslaine pergunta virando a cabeça e encarando Vinicius que ri.

– Vou buscar terapia com a Manoela por causa de vocês dois, sabia? - Vinicius pergunta rindo e Bruno mais Heslaine reviram os olhos.

– Não gosta mesmo dela? - Heslaine pergunta e se deita novamente na cama.

– Não. Ela é boa demais pra mim. - Bruno a olha e se deita ao lado da amiga. 

– Seria mó louco vocês dois juntos, depois de tudo. - Vinicius ri e se ajeita na cama deitando ao lado da Heslaine.

– Seria e isso não vai acontecer. E você com a Gabriela? - Bruno pergunta olhando pro loiro.

– Ela me deu um selinho antes de ir ido atrás da Daphne no bar e estávamos conversando por mensagem mas acho que vou chamar ela pra sair. Só nós dois, sabe? - Vinicius sorri. 

– A Gabriela parece ser uma mulher incrível, se vacilar com ela, te mato. - Heslaine encara Vinicius que afirma com a cabeça rindo. 

– E a Manoela, senhora? - Bruno pergunta rindo e Heslaine o encara.

– O que tem ela? - Heslaine pergunta o olhando.

– Gostou dela? - Bruno pergunta a olhando.

– Ela é uma pessoa legal. - Heslaine o olhando.

– Ele não quis dizer isso. - Vinicius a encara.

– Vocês dois não comecem. - Heslaine revirando os olhos.

– Ah, a gente começa sim. Mas de uma forma melhor. - Bruno ri e começa a fazer cócegas na amiga.

– GADIOL PARA! - Heslaine grita rindo. 

– Vai ter que admitir primeiro.- Vinicius ri entrando junto na brincadeira e fazendo cócegas nela. 

– NÃO TENHO NADA PRA ADMITIR! PAREM! - Heslaine grita rindo. 

Bruno e Vinicius riem parando em seguida e a encarem.

– Tem mas não quer. Tá igual o Bruno. - Vinicius ri e Bruno revira os olhos.

– Vocês tiraram o dia pra implicarem comigo, né? - Bruno pergunta os encarando.

– Jura que percebeu só agora? - Heslaine pergunta rindo. 

– Mas a gente te ama. - Vinicius rindo. 

– Um pouquinho só também, muito faz mal. - Heslaine brinca rindo e Bruno revira os olhos e deita a cabeça no ombro da investigadora. 

– Vai fazer 10 anos que nos conhecemos e cinco que estamos morando juntos. - Bruno sorri.

– Quem diria que do fundamental, iríamos ainda estar juntos. - Vinicius sorri e deita a cabeça no outro ombro da amiga. 

– Vamos comemorar, né? - Heslaine pergunta os olhando.

–  Com direito a tequila. - Vinicius ri.

– Vamos sim, dez anos de amizade e cinco que moramos juntos, devem ser comemorados - Bruno sorri os olhando.

– Amo vocês meninos. - Heslaine sorri os olhando.

– Te amamos também! - Bruno e Vinicius juntos sorrindo.

1 semana depois.

Uma semana se passou, desde que Bruno e Daphne conversaram. Nesse meio tempo, Gabriela e Manoela começaram a conviver não só com ele mas com Heslaine e Vinicius e os dois com Daphne mas sem a presença de Bruno. Ele queria dar o espaço que ela precisava e ela tinha que pensar bem se iria perdoar o empresário. Gabriela e Vinicius não tiveram tempo de saírem juntos por conta do trabalho mas o publicitário iria resolver isso da melhor forma. Heslaine e Manoela estavam cada dia mais próximas mas ambas ainda tinham o receio e o orgulho de não admitirem que estavam sentindo algo uma pela outra. Durante essa uma semana, Bruno pensou na possibilidade de voltar a fotografar mas ele ainda não conseguia, assim como Daphne também não. Ele pensou em diversas formas e jeitos de a chamar pra sair, como amigos mas Bruno não queria que Daphne achasse que ela estaria sendo pressionada. A Advogada por mais que aceitou a câmera de presente de Bruno, não chegou a usá-la, as más lembranças sempre vinham e ela não conseguia voltar a paixão que tinha antigamente.

Apartamento do trio - Sábado, 20:45pm.

Bruno abre a porta do quarto, olha pra investigadora que estava na cozinha e se joga no sofá.

– Que cheiro bom é esse? - Bruno pergunta sorrindo.

– Fricas...MAS O QUE VOCÊ TÁ FAZENDO AQUI? - Heslaine pergunta gritando e se vira encarando.

– Por que você tá gritando comigo? Não fiz nada! E eu vou assistir filme. - Bruno pergunta a encarando.

– Mas você não vai mesmo! A Manoela tá vindo pra cá e você vai dar um jeito de sair daqui agora mesmo. - Heslaine sai da cozinha e coloca as mãos na cintura parando de frente pra ele.

– O que? Não mesmo! Vinicius já saiu com a Gabriela hoje e eu tô afim de ficar em casa. - Bruno se senta a olhando.

– Por favor, sai daqui e só volta daqui há 3 horas mais ou menos. Aproveita que ainda não chamou a Daphne pra sair e faz isso. - Heslaine o encarando.

– Por que eu não posso ficar? Eu fico quieto e até uso fone quando vocês transarem. - Bruno ri a olhando.

– GADIOL! - Heslaine grita o encarando.

– Tá, tá. Eu vou, sua chata. - Bruno se levanta e a encara. 

– E a gente não vai transar, tá? - Heslaine o encara e volta pra cozinha. 

– Aposto 50 reais que vão. - Bruno a olha e pega a carteira e as chaves em cima da mesinha.

– Você acaba de perder 50 reais. Apostado. - Heslaine o encara rindo da cozinha, fazendo o empresário rir junto. 

– Tchau então, né? Tô sendo expulso do meu próprio apartamento. - Bruno revira os olhos e abre a porta. 

– Dramático! - Heslaine o encarando.

– Realista. Tchau idosa, boa transa. - Bruno ri e sai correndo do apartamento, fechando a porta em seguida.

– EU AINDA TE DOU UM SOCO! - Heslaine grita de dentro do apartamento.

– EU NÃO DUVIDO DISSO! - Bruno grita rindo de fora do apartamento e segue pro estacionamento.

O empresário seguiu para o carro logo em seguida há caminho do apartamento da advogada. Bruno não sabia o que esperar e não sabia o motivo por ele tá fazendo aquilo. Afinal, ele poderia ir pra qualquer lugar mas ouviu a Heslaine. Depois de alguns minutos, ele parou o carro, entrou no prédio e seguiu logo para o apartamento da Daphne. Assim que Bruno chegou no corredor e dá porta, ele respirou fundo e tocou a campainha. Não demorou muito pra Daphne abrir e o encarar.

– Bruno? O que faz aqui? - Daphne pergunta o encarando e estranhando.

– Oi! Eu vim te chamar pra sair, você aceita? - Bruno pergunta a olhando.


Notas Finais


Até o próximo capítulo! :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...