História Photograph - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Supergirl
Tags Supercorp
Visualizações 106
Palavras 1.760
Terminada Sim
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Drama (Tragédia)
Avisos: Bissexualidade
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


olá, bom essa é minha primeira one, escrevi em um surto da madrugada e é bem curtinha.
kara danvers ou supergirl faleceu lutando na crise ao lado de seus amigos, sendo assim deixando um vazio enorme em lena luthor, que até então antes desse diálogo não conseguia aceitar sua perda.

tem alguns trechos da música photograph (ed sheeran), então recomendo que leiam ela ao som da música.

boa leitura 😊

Capítulo 1 - Photograph


Fanfic / Fanfiction Photograph - Capítulo 1 - Photograph

a noite estava fria como de costume, duas figuras juntas de frente para o mar, ouvindo o vai e vem das ondas...

"você está aqui novamente? "

lena olhou intensamente para kara, um sorriso tímido se fez presente em seu rosto,kara retribui ao mesmo de maneira sutil, era nítido o olhar intenso de ambas, era como se houvesse as duas apenas ali, mas realmente apenas existiam elas, o mar, a lua e as estrelas, como testemunhas de um amor tão intenso e reprimido por tanto tempo. o barulho da água se chocando com as grandes e pequenas rochas ao redor da areia, era como uma melodia que ambas dancavam de forma lenta, lena deixou seus braços rodear de forma suave em volta do pescoço de kara, enquanto a mesma círculou a cintura de lena com suas mãos.

"você está linda hoje! aliás você está linda sempre,mais hoje...é..eu.." gaguejou e se reprimiu por isso; mas logo se perdeu em seu devaneio quando seus olhos encontraram os tão serenos de lena.

lena sorriu quebrando qualquer pensamento de kara, a como a mesma sentia falta desse pequeno gesto.

"kara querida, não precisa se justificar, eu entendi, obrigada. aliás você também está linda! me parece finalmente em paz"

kara afastou suas mãos das de lena, a mesma repetiu o ato, logo após deixando kara guiar suas mãos novamente, ambas às mãos se entrelaçaram. kara sorriu de maneira genuína, e seus olhos se encontraram ao mar, pela primeira vez depois de um tempo ela podia sentir o vento frio, acariciar de maneira sutil seu rosto; ela respirou fundo pensando em suas próximas palavras.

"é um lugar bom! mas ainda sinto um vazio diário, talvez seja porquê eu realmente tive tempo de... bom tarde dê mais" sorriu de maneira triste

lena deixou se olhar para o mar, por alguns minutos manteve-se em silêncio, imaginando como poderia ser esse lugar, e pior o vazio que kara sentia diariamente.

"talvez eu entenda" ela respondeu como um sussurro, poderia sentir o incômodo de lágrimas se formando em seus olhos.

"desde àquele dia... nada foi como era antes, eu compartilho do mesmo vazio kara! mas... na época, e.. eu não entendia muito bem; eu queria fazer algo tão grande, eu queria mudar o mundo, mas deveria ter começado mudando a mim mesma..." não pode aguentar, suas lágrimas vieram átona, lágrimas acumuladas há um bom tempo.

kara deixou se olhar para lena, aproximou seus dedos no fino rosto de lena, traçando pequenas linhas imaginárias, até limpar os restijos de lágrimas.

"eu sinto muito que minha lembrança ainda te faça sofrer"

lena soltou uma pequena gargalha, e kara a olhou de maneira confusa

"o que houve?" perguntou de maneira suave.

"estava me lembrando da sua primeira noite bêbada, naquele bar bizarro que você me levou"

kara demorou alguns minutos para entender, e no mesmo instante que isso aconteceu, soltou uma gargalhada.

"sério que de todas nossas lembranças, é essa que você quer recordar?"

"sim! aliás eu ainda tenho àquela foto que a nia tirou, antes de você subir ao palco e cantar, como era mesmo?" lena levantou a sobrancelha de maneira intimidadora

"it must have been love" sussurro.

"alex insistiu que era uma indireta a mim, por você com sua imaginação fértil, achar que eu estava gostando da andrea"

kara gangalhou "não mesmo! eu apenas era uma grande fã da música; mas você ainda tem àquela foto guardada?"

"lógico"

Então, você pode me guardar

Dentro do bolso do seu jeans rasgados

Me segurando por perto até nossos olhos se encontrarem

E você jamais estará sozinha

"lena..?"

" oi?"

"eu acho que chegou o momento! você não pode continuar mais dessa maneira, já se passaram tanto tempo"

kara se aproximou de lena, deixando se levar pela fragrância tão conhecida por ela, era suave, como lena, era embriagador como se recordava dos lábios da mesma.

"kara"

ela falou de maneira baixa, um nó se formando entre sua garganta.

Nós guardamos esse amor em uma fotografia

Fizemos essas memórias para nós mesmos

Onde nossos olhos nunca estão se fechando

Nossos corações nunca estão quebrados

E o tempo está congelado para sempre

"é doloroso, eu sei...mas está na hora."

"é isso mesmo que você quer?"

"sim!"

lena se afastou de kara, seu coração partido em tanta dor, lembranças de momentos inesquecíveis, se fazendo presente em sua memória. ela correu, correu descalça, seus pés entrando em contato com a água fria do mar, o vento gelado em seu rosto fazendo o mesmo adquirir uma coloração vermelha. ela caiu, caiu ao chão naquela areia, ela sentiu seus joelhos arderem, mais nada era comparado ao seu coração. ela conseguia se relembrar perfeitamente, cada palavra, cada frase, cada momento.

"kara danvers, você é a minha heroína."

"promete?

"sempre serei sua amiga. e eu sempre irei te proteger EU PROMETO"

ela gritou, gritou o mais alto que podia, até sua garganta doer, até o ar lhe faltar. kara apareceu em seguida, ofegante; abaixou-se até lena, suas mãos tremendo em desespero, sua única reação foi recolher lena em um abraço intenso e protetor.

Amar pode machucar

Amar pode machucar às vezes

Mas é a única coisa que eu conheço

Quando fica difícil

Você sabe, às vezes pode ficar difícil

É a única coisa que nos faz sentir vivos

"lena por favor, pare"

kara falou de maneira rude, lágrimas grossas se faziam presente nos olhos de ambas.

"EU NÃO POSSO! EU NÃO POSSO PERDER...VOCÊ NÃO PODE IR NOVAMENTE"

lena gritava, e se agarrava mais a kara, como um forma de diminuir sua dor.

"LENA VOCÊ JÁ ME PERDEU! EU ESTOU MORTA, MORTA e não existente nada que você possa fazer para mudar isso"

kara sussurro as últimas palavras,

lena levantou seu olhar,seus olhos transmitiam tanta dor, mas dor por passar anos não aceitando algo, que jamais poderia mudar, não era como uma viagem para outra cidade ou até mesmo país, era uma viagem sem volta, um caminho impossível de se reverter.

E se você me machucar

Bem, está tudo bem, querida

Só palavras sangram

Dentro destas páginas você apenas me abraça

E eu nunca vou te deixar ir

kara acariciou lentamente o rosto de lena, seus rostos se aproximando cada vez mais, kara aproximou seus lábios do de lena, sem nunca perder o contato visual, sem nunca deixar de se perder naquele verde tão intenso que são olhos de lena, o beijo a princípio foi suave, ambas se recordando do sabor adocicado dos seus lábios juntos; kara tomou a iniciativa de intensificar o beijo, suas mãos ao redor do pescoço de lena,o beijo se fez intenso, como o sentimento que ambas carregavam uma pela outra, depois de alguns minutos o ar se fez necessário, e ambas se afastaram. era o momento

Quando eu estou longe

Eu vou lembrar de como você me beijou

elas sabiam, havia chegado o momento. ambas se levantaram, lena mais uma vez sentia a dor... a mesma dor daquele maldito dia, mas agora, agora ela tinha entendido, kara estava em paz, ela merecia isso, depois de tudo que ela fez por tantos, ela havia morrido como uma verdaderia heroína que havia dentro dela, desde sua chegada a terra, ela se sacrificou em pró da vida de tantos, supergirl salvou sua terra, mais além disso também salvou terras de seus amigos e os próprios. mas kara danvers, kara havia deixado um vazio enorme em lena, que nunca havia aceitado sua partida, até então...

"eu te amo"

disse kara abraçando lena pela última vez.

"eu te amo mais ALWAYS"

"por favor, não me esqueça... mantenha me viva em suas lembrança e principalmente em seu coração, e lembre-se você nunca estará sozinha! permita-se ser feliz lena, você mais que ninguém merece isso. eu estou bem! me sinto em paz, e no momento certo eu irei te reencontrar novamente. você lena luthor, você é minha heroína favorita!

elas se afastaram, suas mãos distente uma da outra... nenhuma disse adeus, alma gêmeas sempre se encontram certo? não importa o momento, lugar, época ou até mesmo universo, se vocês estão designado um para o outro vocês sempre vão se encontrar!

na manhã seguinte lena acordou decidida, não sabia ao certo se foi um sonho ou até mesmo um último reencontro.

Fez seu ritual de todas às manhãs, mas hoje decidiu dirigir seu carro, seu caminho até então incomum; havia muito tempo que ela pisou naquele lugar, nem ao menos no dia do enterro ela compareceu, sua dor, seu luto não a permitiu. ela seguiu até o lápide, o nome gravado era impossível até agora de acreditar, mesmo depois de tanto tempo. lena respirou fundo, abaixando-se até a foto, pegando-a o sorriso capaz de iluminar até o sol, era o seu favorito,mas também amava os timidios que só ela era capaz de tirar de kara.

"se passaram 3 anos desde sua partida, 3 anos que um vazio se faz presente em minha vida, 3 anos que minha heroína se foi... e eu não falo de supergirl, mas sim de kara danvers, a genuína menina que entrou em minha sala, com seu nervosismo habitual, sua mania de mexer nos óculos..."

"e você quem é?

"ooo...kara danvers"

"... a doce kara danvers por quem me apaixonei...e nunca... bom, eu jamais me esquecerei de você... mas você precisa ir não é mesmo? eu prometo que vou tentar ser feliz, por mais que você foi a única capaz de fazer me sentir assim... obrigada por tudo kara, eu te amo eternamente."

lena tirou uma pequena fotografia do bolso de sua calça. a fotografia era simples, mas a favorita de lena, nessa fotografia ela e kara se abraçavam após uma vitória em sua última noite de jogos.

lena pegou uma pequena pedra e colocou a cima da foto, que deixou no canto do túmulo de kara, que por coincidência ao lado crescia um lindo girassol. lena deu um pequeno sorriso

"você sempre estará comigo certo?

lena se levantou colocando o porta retrato com a foto de kara no mesmo lugar, e seguiu seu caminho até a l-corp.

lena nem ao menos pisou em sua sala e foi bombeada por inúmeras palavras da sua agitada secretaria.

"senhorita luthor? uma senhorita a espera em sua sala"

"tem horário marcado?"

"não... mas ela mandou avisar que..."

antes mesmo de sua secretaria terminar a frase, lena entrou em sua sala se deparando com uma silhueta e longos cabelos loiro ondulados..

     

Espere por mim para voltar para casa

Espere por mim para voltar para casa

Espere por mim para voltar para casa

"é... quem é você?

nesse momento a moça se virou, dando um sorriso tímido a lena.

"olá senhorita luthor, meu nome é mary smith, prazer em conhece-lá, sou a nova repórter da catco."

lena sorriu, a semelhança era evidente, até mesmo na mania de ajeitar  óculos

"olá senhorita smith"


Notas Finais


espero que gostem :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...