História Photographs - BTS e EXO - Capítulo 2


Escrita por: e mimikaryne

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO
Personagens Baekhyun, Jungkook, Lay, Personagens Originais, V
Tags Baekhyun, Bts, Exo, Imagine Baekhyun, Imagine Bts, Imagine Exo, Imagine Jungkook, Imagine Lay, Imagine Taehyung, Imagine V, Jungkook, Lay, Taehyung, Três, Triangulo, Triângulo Amoroso, Yixing
Visualizações 15
Palavras 996
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Fluffy, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


》Boa leitura

Capítulo 2 - Perdida


Fanfic / Fanfiction Photographs - BTS e EXO - Capítulo 2 - Perdida

Algo considerável a se dizer é que não é aconselhável andar pela noite com uma roupa consideravelmente curta.

Alguns dos homens que encontrava no meu caminho, me olhavam de cima a baixo, alguns até sorriam de canto. Repugnante. 

Isso começou a ser o de menos quando um homem passou a me seguir, e eu obviamente apressei o andar. Sentia o vento gélido soprando em minhas bochechas e exercendo certa pressão sobre meus olhos, me fazendo pisca-los por um longo período. Eu já sentia frio, e o que me salvava era o casaco de Soo ji que havia pego emprestado.

Eu tentava cortar em algumas ruas, mas o homem ainda me seguia. Dei me por perdida quando já não reconhecia nenhuma das casas das ruas em que passava. Meu tênis fazia uma barulho sobre o asfalto iluminados pelos altos postes metálicos.

Mais o tempo passava e mais o homem se aproximava. Com uma diferença sonora na rua, olho para trás e agora vejo dois homens. Seus passos se combinavam, junto com seus casacos pretos. Já começava a lacrimejar, e quando vi um carro preto avançando, me senti perdida.

Corri.

Corri, me vi sendo seguida pelos homens a pé, e o carro, que já estava ao meu lado. Em uma esquina, sou parada por aquele mesmo carro, que é jogado bruscamente em minha frente, fazendo um alto barulho de pneu. Olho para trás e não vejo mais as duas figuras que me aterrorizavam. Mas, ainda tinha um problema. O carro.

O vidro se abaixa devagar e revela a imagem que me faz respirar fundo e deixar as lágrimas correrem. Podem me chamar de dramática, sei que sou. Vejo a figura que me tira dos devaneios e me traz mais uma vez segurança. JungKook, o melhor amigo de Taehyung, e meu.

- Ei, relaxa, eu estou aqui. - ele me envolve em um abraço e me leva para dentro do carro, onde paro com meu choro. Liga o aquecedor e volta a dirigir, com destino à minha casa. - Porque não ligou para Taehyung, Noora?

O problema que tinha esquecido, volta a aparecer e parece me engolir. Porra, Baekhyun tinha mesmo que ser tão otário assim com alguém que nem sequer conhece? Não respondo a pergunta e Kook entende que eu prefiro não falar. Olhar as folhas caindo conforme andamos sobre as ruas me faz lembrar de quando eu e Taehyung andávamos por essas mesmas. Eu já reconhecia o caminho de casa.

- Como me achou? - aumento o volume ao som de Jealousy, de Monsta X

- Estava voltando da casa de Tae-Hee, e cortei caminho para chegar mais rápido na casa de Soo Ji - ele disse sem tirar seus olhos da estrada. Seus cabelos caiam sobre seus olhos, mas usava a mão esquerda para endireita-los.

- O que fazia na casa de Tae-Hee? - fiquei curiosa e o olhei sorrateiramente, vi um sorriso aparecer - Não precisa mais falar nada, seu safado - dei um tapa em seu braço

- Sabe que mais tarde vai ter que me falar o porque não ligou para Taehyung. Não é? - mais uma vez não respondi, apenas desviava o olhar - Noora. Eu te conheço. Aconteceu alguma coisa? - que saco. Jeon me conhecia muito bem, nós três - eu, ele e tae - nos conhecemos desde o maternal, era impossível esconder algo dele. Taehyung viajou para o Japão, e então cortamos os laços. Nos encontramos na festa de Soo Ji e o resto vocês já sabem.

- Bom... - comecei minha longa narrativa, lhe falando do início da festa, até onde ele me encontra. Suas expressões faciais determinavam pura raiva, e eu o entendo, também estava assim. Baekhyun é um cretino.

- Filho da puta - ele freou o carro em frente a novos pedregulhos mais familiares, os meus.

- Eu sei. Obrigada Kook, até depois - deposito um beijo em sua bochecha e saio do carro

- Tchauzinho, cordeirinha

Cordeirinha.

Já me acostumei com esse apelido desde que inventei de descolorir meu cabelo, deixando-o completamente branco. Claro, JungKook assimilou a um cordeiro porque para ele, cordeiros eram brancos. Vou evitar falar da discussão e prosseguir com minha entrada em casa.

Não preciso sequer falar da minha família, até porque ela não existe. Apenas minha mãe e o cara que ela casou depois do meu pai. Não o chamo de padrasto nem pai, ele não se deu ao trabalho de ser algo disso para mim. Minha mãe, não muito diferente, achava e continua achando que trabalhar é a única opção. Sim, ela tem uma empresa. Sim, ela é inteligente. Sim, ela ganha muito dinheiro. Mas de que adianta se eu não estou com ela?

Não vou comentar minhas frustações.

Subi as escadas sorrateiramente e fechei a porta do quarto bem devagar, sem fazer nenhum ruído.

Como vou contar para Taehyung?

Devo ou não terminar com ele?

Eu não sei. Todas essas perguntas retóricas faziam meu estômago revirar. Pensei em ligar para Jeon, mas ele provavelmente estaria na casa de Soo Ji, e esta, estaria bêbada. Liguei então para quem eu confiava.

- Oi Tae...

- "Noora? Porque está tão quieto ai? Precisa que eu vá te pegar?" – sorri com sua preocupação

- Não precisa, já estou em casa. Vim com JungKook.

- "Ah, entendi. Você deve estar cansada. A festa foi boa?"

- Foi sim... – e caiu uma lágrima, por pensar que eu não iria mais ter essa companhia e preocupação.

- "Va dormir, hun? Não é bom ficar acordada até ..."

- Tae... Preciso conversar com você

Ele riu

- "Mas já não estamos? Fale agora"

- Precisa ser pessoalmente... – minha voz diminuiu, ele sentiu algo errado, pelo seu suspiro

- "Yah, você está me deixando preocupado. Você está bem?"

- Sim, não é comigo. É sobre a gente. – abri o jogo, ele ficou um tempo sem falar – Tae...?

- "Noora... Eu fiz alguma coisa?" - meu coração estava partido

- Amanhã conversamos. Boa noite e dorme bem.

- "Amo você."



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...