1. Spirit Fanfics >
  2. Photography >
  3. Fábulas e dignidade.

História Photography - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


OLaáááá
por incrivel que pareça eu estou de volta - e mais cedo do q eu imaginei.
Muito obg pelos favsinhos e a quem leu, de vdd
hj trago mais um capsinho (e pq eu falo tanto no diminutivo?? vou parar eu juro) nele temos nossa querida raposinha do deserto; Jeongin! Eu amo esse nene e vou protege-lo
fiquem cm o capitulo e boa leitura
:x
bjnhos

Capítulo 2 - Fábulas e dignidade.


JeongIn

Sentei na cama com preguiça, afinal eram seis em ponto da manhã. Eu não gostava de chegar tarde na sala e ser o centro das atenções, sempre preferi ir o mais cedo possível para evitar contato com quem fosse preciso. Eu tenho pânico, pavor, um medo supremo de interação social, esse é meu pesadelo. Claro, junto desse medo vinha diversos prejuízos como: a) não ter amigos, b) não ser reconhecido pela minha inteligência, c) não ser popular, d) ser tímido demais e por isso ser zoado, e e) perder inúmeras chances de fazer coisas interessantes e legais apenas pelo medo de ser visto por outras pessoas; era terrível. 

Levantei cauteloso para não acordar Lee Minho meu colega de quarto, não era uma pessoa ruim, mas tinha um humor terrível pela manhã, principalmente se o acordam muito cedo.

Eu me arrumei rápido e sempre cuidando para que tudo ficasse perfeito, seria um pesadelo sair de casa com algo de errado na minha roupa ou rosto, e se as pessoas notassem e falassem de mim? Era meu fim. Me olhei rapidamente no espelho do pequeno banheiro checando se estava tudo certo, me certifiquei de escovar os dentes duas vezes e me encher de perfume. Quando estava pronto olhei com cuidado minha mochila para ver se não faltava nada, e ao terminar, sai quieto do quarto fechando a porta suavemente.

Caminhei pelos corredores do dormitório masculino tranquilamente, ainda faltava uma hora para as aulas começarem e já haviam alguns poucos alunos em estado de sonambulismo andando perdidos. Eu estudava na JYP School Academy, não era uma das mais requisitadas, mas eles tinham um excelente ensino.

Me perdendo em meus pensamentos não notei quando esbarrei com força no ombro de um garoto uns bons centímetros mais altos que eu. Meu coração falhou uma batida quando olhei pra cima tentando focar em seu rosto — afinal, o gênio perfeito aqui esqueceu a porcaria dos óculos. E notei, levemente, as características de um dos meninos — senão o — mais populares da academia: Hwang Hyunjin

— Você não olha por onde anda, não? — Ele questionou brusco, me puxando. E eu achei que ele me socaria com toda a força que seus braços tinham, mas ele apenas jogou o livro, que eu havia deixado cair, em meus braços, me fazendo agarrá-lo rapidamente. Não fazia ideia do que havia acabado de acontecer e fiquei mais confuso ainda quando ele saiu andando em silêncio para seu quarto, só agora pude notar que ele estava com o uniforme do time de basquete.

Fiquei mais alguns minutos parado, olhava para as paredes do dormitório ainda com a cabeça nas nuvens, o que exatamente aconteceu aqui?!

 

(...)

 

— Jeongin... IN... JEONGIN-AH — Felix gritou no meu ouvido e pude jurar que vi estrelas.

 — O que é, hyung?! — Coloquei as mãos sobre minhas orelhas atordoado. Lee Felix, meu melhor amigo, cumpria a fama de escandaloso que tinha.

 — Eu ‘tô a quase meia hora falando com você, e tu ‘tá aí parado que nem besta olhando ‘pras janelas! — ele me acusou irritado, e coloquei minha mão sobre meu peito ofendido.

 — Não precisa xingar. — Fiz biquinho apoiando o rosto na mão. — Pode repetir?

— Eu estava falando sobre o meu clube de artes, no trabalho de fim de ano, ele se juntou com o professor de história, então temos que pintar uma arte que represente algum tipo de revolução. — Ele concluiu e tomou um gole do suco de caixinha, estávamos no refeitório, os primeiros períodos de aula passaram rapidamente.

 — Parece mais animador do que o meu. — Suspirei tedioso, muitas pessoas estavam felizes com seus projetos, assim como muitas não estavam lá satisfeitas — eu era uma dessas. Felix suspirou me lançando um olhar reconfortante.

Eu fazia parte do clube de literatura, nosso projeto seria basicamente escrever uma história com mais de duas folhas sobre gêneros literários; entre o épico e o narrativo, haviam subgêneros: Épico, Fábula, Epopeia, Novela, Conto, Crônica, Ensaio e Romance. Uma pequena aula de literatura de graça, Yang Jeongin também é cultura. Eu havia escolhido o gênero narrativo, mais precisamente a fábula. 

Não, eu não tenho cinco anos, mas eu amo fábulas! Fala sério, quem não gosta de ler histórias com preceitos morais com animaizinhos falantes? Mal notei quando Felix novamente voltou a cutucar meu ombro, ele estava se levantando e supus que o intervalo já havia acabado.

 — Você ta bem avoado hoje, hein — ele resmungou irritado, e eu ri sem graça, me desculpando.

 

A verdade é que eu não parava de pensar no quão estranho o Hwang agira mais cedo e em como eu precisava escrever uma fábula em quinze dias, que era exatamente o tempo que tínhamos até o fim do mês e a entrega dos trabalhos. Não era tão fácil escrever como parece, eu precisava pensar em uma boa estrutura de personagens animais e que tivesse uma moral muito inteligente. Ao lado de Félix, caminhei até as escadarias para acompanhá-lo, ele estava no segundo ano, então, suas salas eram no segundo andar e as minhas no primeiro. Nos despedimos e eu fui para meu corredor.

 

(...)

 

 

Bang Chan

 

Eu estava triste, não, triste não, eu estava desolado, terrivelmente magoado e tudo de mais depressivo que tenha por aí. Eu levei um pé na bunda, qualquer um estaria triste agora, até mesmo o inabalável Bang Christopher. O problema é que não é meu primeiro chute, o que as pessoas tinham contra mim? Eu sempre fui um namorado atencioso e carinhoso, então, por que diabos ninguém me queria?!

Mas não tem problema isso não me afeta, eu vou me recuperar hoje mesmo e parar de chorar por quem não vale a pena.

“Narrador: Mas ele não parou de chorar”

Sim, é como ele disse, eu ainda ‘to chorando. E sim, eu estou me debulhando em lágrimas sozinho no meu quarto, esperando que meu colega não chegue mais cedo e não me encontre em meu estado lastimável. Mas como Deus me ama e o universo me adora eu escutei o barulho da porta e só tive tempo de me atirar na cama enfiando o rosto no travesseiro. Vergonhoso.

— Bang Chan sunbaenim*, ‘tá tudo bem? — E é claro que eu escorreguei quando pulei e cai do outro lado da cama, batendo a nuca na mesinha de cabeceira. Parabéns, um a zero para o universo que tanto me odeia.  

— Ah, não, eu to tranquilo, F-Felix. — Levantei desajeitado, batendo as pernas igual um besouro caído e fiquei em pé, esquecendo por um segundo de que meu rosto estava vermelho, inchado e molhado de lágrimas, e me virei de frente pra Félix, mandando meu melhor sorriso amarelo.

— Aish, Sunbaenim, você se machucou? — Ele parecia preocupado, e eu me sentia tocado pelo seu cuidado, Félix era um bom hoobae*. — Não precisa chorar, eu posso dar uma olhada pra ver se não ficou muito feio.

— Ah, não, não, eu não ‘tava chorando por causa disso. — Me fiz de forte, por mais que fosse verdade o que eu disse, minha cabeça doía, afinal dar uma porrada na nuca não era lá muito bom. — É que... aconteceram umas paradas aí, nada demais. — Ri sem graça com a mão atrás da cabeça.

— Sei que não somos muito próximos, mas se tiver algo te incomodando pode me falar. — Ele sorriu. — Meu amigo me diz que sou um ótimo psicólogo.

E, claro, que nesse momento, mostrei o quão durão eu sou e não me abalei pelo seu convite a desabafo, parei de chorar e esqueci na hora do pé na bunda, indo para minha cama com minha dignidade intacta.

Ou era isso que eu queria ter feito.

Porque ir chorar no colo do outro Australiano não é bem um bom exemplo de reconstruir meu pobre orgulho.

Aqui jaz o orgulho e a dignidade de Bang Christopher Chan.

 


Notas Finais


eu nn posso shippar o Felix e o Chan - repitam cmg
SKSKKSKSSKKS É ISSO oq acharam? No próximo eu >acho< q vai ter changlix hein hihi

1* Sunbaenim é uma pessoa que esta em casta mais alta q a sua na escola num curso ou no trabalho, como um professor ou um aluno do 3° ano (enquanto vc ta no 1°) e 2* Hoobae é o contrario alguém que esta em uma casta mais baixa
nesse sentido Chan é do 3° ano e Felix do 2°, Chan é sunbaenim dele e Felix é o hoobae


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...