História Pili e Purre - Ven Junto a Mi - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Go! Vive a Tu Manera (Go! Viva do Seu Jeito)
Visualizações 42
Palavras 2.081
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Romance e Novela

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 5 - Cap. 5 - Ya no más...


Fanfic / Fanfiction Pili e Purre - Ven Junto a Mi - Capítulo 5 - Cap. 5 - Ya no más...

Anteriormente em - Ven Junto a Mi...

Alí os dois terminaram de tomar banho, saíram do chuveiro e ficaram conversando somente de toalhas no quarto de Purre...

Até que ouviram barulhos das escadas e depois uma voz:

LOLA: Purre, chegamos!

Era a irmã de Purre!! Os dois se olharam assustado. Pili sussurrou...

Pili: E agora?!

....

Cap. 5

Purre deu sinal para Pili entrar no banheiro do quarto, assim que ela entrou Lola abriu a porta.

Quando Lola olhou para o irmão e viu sua cara de assustado, ela percebeu o que estava acontecendo ali... Então ela riu e acenou com a cabeça, como se concordasse em sem cúmplice dos dois, sem ao menos Purre e Pili precisar pedir... Em seguida ela saiu para voltar para cozinha onde Fernanda estava, e ajudou a mãe com as compras.

Pili saiu de pressa do banheiro de Purre e foi para o quarto onde estava hospedada. Purre trocou de roupa rapidamente desceu as escadas.

FERNANDA: Uê, filho! Cadê a Pili?

PURRE: Oi mãe, eu tô bem viu!? Obrigado por perguntar...

Purre disse enquanto mordia a maçã que pegará da sacola da mãe.

FERNANDA: Oooh nenê da mãe! Não fica assim eu te amo! Só estou perguntando porque achei que tivessem juntos...

LOLA: E estavam...

Purre fitou a irmã, temendo o que ele iria dizer...

LOLA: ... Juntos na praia... Mas fui lá e ela estava se arrumando lá no MEU QUARTO, acredito que já já ela desça.

A mãe de Purre terminou de ouvir a filha e foi até a dispensa.

Purre deu um cutucão na irmã, que só conseguiu rir da cara de desespero do irmão.

Pili estava com muita vergonha de descer... Mas respirou fundo e desceu! Afinal ela não iria ficar trancada o final de semana inteiro no quarto. E então prometou a ela mesmo que não rolaria mais nada com Purre naquele fim de semana, em respeito a Dona Fernanda.

Todos já estavam sentados a mesa quando Pili desceu...

FERNANDA: aaaah apareceu minha norinha querida! Senta aqui do meu lado.

Pilo sorriu toda feliz e se sentou ao lado da sogra. Alí eles tomaram café juntos e depois ficaram conversando e deram muitas risadas.

O final de semana não podia ter sido melhor, estava tudo perfeito, até... Chegar o fim da tarde de domingo, um pouco antes de voltarem pra casa...

Pili e Purre estavam dando sua última volta na praia, antes de voltaram pra BA.

Andando de mãos dadas na beira da praia, com óculos de sol e o vento bagunçando o cabelo deles, Purre começou a cantarolar " Ven junto a mi"... Pili ajudou...

Quando a música terminou os dois dançaram na beira da praia e se beijaram...

PURRE: Eu te amo!

PILI: Eu também te amo, você não imagina o quanto.

Purre segurou na cintura de Pili, a levantou e a girou ali na beira da praia. Pili sorriu, fechou os olhos e abriu os braços... Purre quis muito emoldurar aquela imagem, aquele rosto de princesa todo iluminado, ele a amava, ele a amava muito.

Antes de voltar Purre foi até o quiosque comprar algo para beberem. Pili ficou olhando para o mar.

De repente duas mãos cubriram seus olhos... Ela no primeiro momento, pensou que seria Purre, mas o cheiro não era o dele... Então ela disse:

PILI: Não faço a mínima ideia!!

Uma voz familiar respondeu:

JUAN: Não lembra mais de um amigo??!

Pili reconheceu a voz no mesmo instante, ela se virou toda feliz e os dois se abraçaram...

PILI: Eu não posso acreditar... É você Juan! O que está fazendo aqui?!

...Os dois ficaram ali conversando alguns minutos ... Fazia um tempo que não se viam, eles se conheciam desde criança.

Purre demorou um pouco pra comprar a água, pois a fila do caixa estava um pouco grande. Quando estava se aproximando de Pili, ele pode observar que ela não estava sozinha... Tinha outro rapaz ali, e ele estava segurando ela pela cintura, os dois pareciam muito felizes... Aquilo fez seu sangue ferver um pouco, mas manteve a calma e quando aproximou, ele a encarou.

Pili, nem notou o olhar de Purre, estava muito feliz em ver seu amigo de infância... Ela logo apresentou Purre q Juan.

PILI: Ah, Juan! Esse é meu amigo, Purre?!

Juan se virou e estendeu a mão a Purre. Seu sangue ferveu mais ainda quando ouviu a palavra "amigo" sair da boca de Pili, mas ele esticou a mão e segurou firme a de Juan, sem dizer uma palavra.

JUAN: Ele faz parte da série com você também, não é Chaparita?

PILI: Sim! Ele é o Álvaro...

Purre virou para Pili e perguntou:

PURRE: E ele quem é?!

PILI: Purre!! Esse é meu amigo de infância, ele está fazendo faculdade aqui, acredita?!

PURRE: Acredito!

Purre retornou a olhar para Juan com sorriso sem ânimo.

JUAN: Pili, me desculpa mas eu adoraria ficar conversado com você... Com vocês! Mas eu preciso ir... Estão me esperando. Agora que tenho seu Whats eu te chamo, pra gente marcar algo com calma. Sei que já está voltando pra BA, mas posso aparecer por lá qualquer dia.

PILI: Seria perfeito!

Eles se abraçaram bem forte.

Purre assistiu a tudo, com os nervos a flor da pele.

O amigo de Pili se afastou e eles se olharam. Purre estendeu a água pra Pili, ela pegou e abriu pra tomar um pouco.

PURRE: Vamos, minha mãe deve estar esperando a gente...

Assim que disse, Purre colocou o óculos e começou a andar de volta para casa. Pili terminou de tomar a água e deu uma corridinha para alcançar Purre.

Purre foi no silêncio o caminho todo. Pili não notou que Purre não estava de bom humor, porque começou uma ligação ao telefone com sua amiga Itziar. Ela só desligou o telefone quando chegou na casa.

A mãe e a irmã de Purre já estavam colocando as coisas no carro, Purre entrou para pegar as malas dele e de Pili que já estavam prontas. E colocá-las em seu carro.

Quando tudo estava no carro, eles se despediram da Fernanda e Lola e começaram a viagem de volta. Eram quase 4 horas de viagem. Pili foi se ajeitando no banco do passageiro até que adormeceu.

Na cabeça de Purre passava mil coisas. "NÃO É CIÚMES!" - pensou ele. A forma como ela se referiu a ele como AMIGO, isso era o que estava o incomodando, e claro toda aquela intimidade com o rapaz, mas não era ciúmes e sim falta de respeito! A imagem da mão na cintura sempre vinha na cabeça dele, os sorrisinhos e os abraços demorados. Ela deu o whats para ele, ele prometou ir a Argentina atrás dela... Aquilo tudo faziam a cabeça dele girar... Purre parou o carro num posto de gasolina, um pouco antes de chegarem.

Pili acordou, meio tonta. Tinha dormido bastante.

PURRE: Você vai querer alguma coisa?

Purre disse enquanto saia do carro.

PILI: Eu vou com você...

Ela saiu rapidinho. Purre apertou o alarme e eles entraram na loja de conveniência que tinha no posto.

PILI: Eu quero um chocolate!!

Purre não respondeu e continuo andando... Foi então que Pili percebeu que ele estava estranho.

Eles entraram, ele pegou um soda e ela chocolates... Ele não disse uma só palavra com ela... Quando retornaram para o carro antes de entrarem ela segurou o braço dele e perguntou:

PILI: O que aconteceu com você, Purre?

Ele parou, olhou para o céu, e então se virou para ela.

PURRE: Eu não quero falar disso agora!

PILI: Aaaah... Então aconteceu alguma coisa?

PURRE: E você ainda pergunta? Em que mundo você está Pilar??

Pili não esperava ouvir aquela resposta dele com aquela voz fria, então ela ficou parada com os olhos cheio de lágrimas olhando para Purre.

Purre percebeu que tinha exagerado, ele tirou o óculos escuro, os olhos dele estavam vermelhos como de quem quisesse chorar.

PURRE: Me desculpa, não queria ser grosso... Mas chegando em Buenos Aires a gente conversa direito.

Pili já estava em prantos... Tentando enxugar as lágrimas que não parava de cair...

PILI: Só me fala o que eu te fiz??

PURRE: A gente não vai dar certo!...

Pili o encarou, queria ouvir o que ele tinha pra dizer... Mas Purre não conseguiu continuar... Ele colocou o óculos e foi em direção a porta do carro para entrar...

Pili ficou do outro lado do carro e disse:

PILI: Então é isso??? A gente não vai dar certo e ponto???

Ele ficou quieto e entrou no carro.

Pili também entrou e bateu a porta. Purre ligou o carro e manobrou para voltar para a estrada.

Purre não disse mais nada...

Pili tentou se acalmar, mas seus pensamentos estavam todos atrapalhados, ela queria entender o porquê de Purre estar daquele jeito, o que levou ele a concluir que - Não dariam certo!

Pegaram a estrada por mais uns 40 minutos e já estava em Buenos Aires. Pili acabou dormindo de novo, tinha sido o único jeito que a fez para de chorar e pensar.

Purre entrou na garagem do prédio de Pilli e estacionou o carro devagar para não acordá-la. Ela estava linda... Como sempre. Ele queria guardar aquela imagem, antes da conversa ... Ele não queria colocar um fim no que mal tinha começado... Mas ela ainda não estava pronta... Ainda estava com medo de se entregar por completo. E talvez ela nem sentia o mesmo sentimento que ele sentia por ela.

Ele sabia exatamente o que sentia por ela, pois já tivera várias namoradas e o que sentia por ela era diferente do que sentiu pelas outras, era mais forte, mais real... E ele concluiu que talvez não tivesse o mesmo significado na vida dela. Talvez ela tivesse dito que o amava, mas ela nem sabia ainda o que era isso...

Pili se mexeu, quando abriu os olhos deu de cara com Purre olhando pra ela... Desejou que tudo fosse um sonho, mas quando o viu com olhos cheio de lágrimas ela teve certeza da dura realidade.

Os dois se olharam por alguns segundos...

PILI: Você vai falar agora!?

PURRE: Vamos entrar, lá dentro a gente conversa.

Pili saiu do carro, tinha prometido a ela mesmo que não iria ficar se humilhando por nada, muito menos por explicações.

Eles entraram e deixaram as malas na sala. Pili foi até a geladeira pegar uma água... Purre começou a falar:

PURRE: Você ainda não tá pronta, pro que q gente pode viver... Eu te amo demais! Mas não vai dar certo! Você não tem certeza do que sente...

PILI: Mas por que você tá me dizendo essas coisas?? Eu tenho toda a certeza do mundo do que eu sinto por você!

PURRE: Não! Não tem... E não tem problema você é nova, nunca se envolveu com ninguém, eu entendo...

PILI: Para de falar essas bobeiras! E não queira saber por mim... É mais bonito assumir que quer pular fora, do que vir com esse papo.

Purre começou a ficar nervoso, foi para mais perto dela e disse:

PURRE: Como assim pular fora, Pilar??? Foi você que me chamou de "AMIGO" quando me apresentou pro seu amiguinho Juan, é você que tá insegura.

PILI: AMIGO??? Eu falei porque a gente não assumiu nada ainda... Eu queria que nossas famílias fossem a primeira a saber! Você é meu primeiro namorado, é algo muito especial pra mim.

PURRE: Enquanto você não estiver certa do que você quer, cada um segue sua vida ...

PILI: O que eu preciso fazer pra você acreditar em mim?!

PURRE: Seja sincera com você mesma, e você vai saber o que quer, e o que sente por mim...

Pilar estava cansada de tentar se explicar... O final de semana tinha sido incrível, e realmente não achou que o motivo de término, fosse só ela e o que ela tinha dito...

Ela simplesmente foi até a porta e abriu, e ficou ali como se indicasse a saída.

PILI: Então pode deixar que algum dia eu te procuro.

Purre não esperava aquela atitude dela, mas aquilo pra ele foi como se provasse o que ele estava pensando, que realmente ele não significava nada pra ela.

Então ele colocou os óculos escuros e saiu sem olhar pra trás.

Pili fechou a porta e começou a chorar sem controle... Era como se tivessem tirado tudo que ela tinha, e aquilo machucava muito.

Purre entrou no carro e desabou em chorar... O cheiro dela ainda estava no carro, o que o deixou mais ainda mais distruído.

 

 

...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...