História PILLOWTALK (Camren) - Capítulo 65


Escrita por: ~

Postado
Categorias Adam Levine, Ed Sheeran, Fifth Harmony, Justin Bieber, Nick Jonas, One Direction, Shawn Mendes
Personagens Adam Levine, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Ed Sheeran, Harry Styles, Justin Bieber, Lauren Jauregui, Liam Payne, Niall Horan, Nick Jonas, Normani Hamilton, Personagens Originais, Shawn Mendes, Zayn Malik
Tags Camren, Harry Styles, Justin Bieber, Larry, Liam Payne, Norminah, Zayn
Visualizações 1.271
Palavras 1.724
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Ficção Adolescente, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Babys, mil desculpas de novo por não postar capítulo, ontem eu precisei sair e hoje eu lembrei de um MEGA trabalho de faculdade, ou seja, fiquei completamente sem tempo.
Mas agora eu coloquei meus trabalhos em ordem e prometo que os capítulos vão sair no horário certo!

Boa leitura <3 ps: esse sábado tem maratona...

Capítulo 65 - Capítulo Sessenta e Cinco


POVs Camila

 

 Abri meus olhos e, por dez segundos o meu cérebro ficou livre de pensamentos ruins, ficou livre do pesadelo que aconteceu ontem. Agora eu me sento na cama e passo a mão no cabelo, Lauren nesse momento deve estar no colégio, preocupada comigo, tudo o que eu queria agora era o seu abraço.

 

- Camila, levanta e vai tomar café. -Minha mãe disse ao abrir a porta.
- Não tenho fome. -Menti.
- Agora, seu pai pediu. -Ela disse.

 

 Um nó veio na minha garganta só de eu ouvir a palavra "pai", não quero falar com ele agora, não tenho condições para isso. Fiquei ainda uns cinco minutos olhando para o nada e pensando em Lauren antes de finalmente tomar coragem para levantar, não quero que minha mãe volte aqui e venha falar merda pra mim.

 Fui ao banheiro para escovar meus dentes, após escovar eu olhei no espelho, meus olhos estão avermelhados por causa do choro e as olheiras também estão visíveis por conta de eu ter passado grande parte da noite sem conseguir dormir. Sai do banheiro e voltei ao meu quarto, vesti uma calça, uma camiseta preta e a blusa que Lauren me deu ontem para me cobrir. Desci as escadas e fui até a cozinha, meu pai está sentado na mesa olhando fixamente para o chão; passei por ele sem falar nada, abri a geladeira e peguei uma maçã para comer.

 

- Senta. -Ele mandou.
- Eu prefiro voltar ao meu quarto. -Falei.
- Não, senta aqui. -Ele mandou novamente.

 

 Engoli seco e me sentei, comi parte da maçã em silêncio, olhando para qualquer lugar que não seja para ele, o clima está realmente ruim.

 

- Você tem noção do que estava fazendo, Camila? -Ele me perguntou.
- Me diz você. -Falei, agora olhando em seus olhos. - Por que é tão ruim eu ser lésbica?
- Você não é, Camila! -Ele bateu sua mão na mesa. - Você trouxe uma garota aqui, você fez coisas com ela debaixo do meu nariz, coisas erradas.
- E se fosse um menino? -Perguntei. - Tenho certeza que você não faria tudo isso.
- Menino ou menina, você não tem o direito de nos esconder isso. -Ele levantou. - Eu não queria acreditar que você estava com conversas com aquela garota, não mesmo.
- Aquela garota é a minha namorada. -Segurei firme na aliança em minha mão.
- Não, não é. -Ele me olhou ainda mais bravo. - Você nunca mais vai falar com ela, me ouviu? É bom que já deixe avisado, e eu quero ver as conversas do seu celular.

 

 Meu coração gelou, eu nunca apaguei a minha conversa com a Lauren e lá tem coisas que certamente ele não pode ler. Fechei meus olhos por alguns segundos para evitar de chorar, minhas mãos estão trêmulas agora, eu realmente tenho medo do que pode acontecer.

 

- Vamos, a senha. -Ele me olhou.
- Não. -Afirmei sem olhar para ele. - Eu ainda tenho minha privacidade.
- A privacidade que demos a você fez você achar que gosta de mulheres, Camila. -Ele alterou seu tom de voz. - Você não vai continuar com isso.
- Eu SOU lésbica, pai. -Levantei da cadeira e olhei firme nos seus olhos, mesmo com toda a vontade de chorar.
- Você NÃO é. -Ele disse se aproximando de mim. - Você não é, Camila, você continua sendo a minha pequena princesa.
- Não, para. -Abaixei minha cabeça para chorar. - Minha sexualidade não define isso.
- Por que você tá assim, Camila? -Minha mãe perguntou. - Olha essa confusão por causa disso.
- Porque eu amo a Lauren. -Fale entre soluços. - Eu sou feliz tendo ela do meu lado, quer vocês aceitem ou não.
- Sobe pro seu quarto. -Ele mandou.

 

 Sem pensar duas vezes eu subi, mas não fui ao meu quarto. Corri para o quarto dos meus pais e revirei as gavetas da cama até finalmente encontrar meu celular, enviei rapidamente uma mensagem para a Lauren dizendo que eu a amo e pra ela não ficar tão preocupada, em seguida apaguei a nossa conversa para não ter risco do meu pai ver.

 Sai do quarto e fui ao meu, me deitei na cama para ficar olhando a janela, novamente voltei a chorar, eu não posso continuar aqui com isso, não posso lidar com isso, eu preciso imensamente da Lauren.

 

...

 

 Passei horas ali sentada na cama, uma hora deitada e outra sentada de novo, eu nunca me senti tão perdida quanto me sinto agora, por mais que eu queira simplesmente chorar eu não consigo, as coisas estão tão ruins, é como se eu ainda estivesse em choque por conta de ontem.

 Resolvi sair do quarto e beber pelo menos um pouco de água, assim fiz; desci na cozinha e para a minha felicidade percebi que meu pai já saiu para o trabalho. Peguei água na geladeira e algo para comer também, afinal de contas eu não posso ficar sem comer, sei que a Lauren ficaria preocupada com algum desmaio meu. Enquanto comia vi que minha mãe está em seu estúdio, talvez se eu falasse com ela... Talvez ela possa me entender.

 Caminhei até lá devagar, ela ainda não percebeu a minha presença; abri a porta do estúdio devagar, ela me olhou um tanto surpresa por me ver ali.

 

- O que faz aqui? -Ela perguntou.
- Só... Eu não sei. -Falei, o nó na garganta se tornou forte.
- Devia ter pensado nisso antes de trazer aquela garota aqui. -Ela disse, voltando a pintar o quadro.
- Por que julga tanto algo assim? -Perguntei.
- Não é pelo fato de ser uma garota, Camila, mas por que você não confiou em mim? -Ela parou de pintar e me olhou. - Seria mais fácil se pudéssemos conversar antes de soubermos por outras pessoas, um anônimo enviou mensagens dizendo que deveríamos ficar de olho em você porque você estava namorando com a Lauren, seu pai quis negar isso até o fim, e de repente descobriu daquela forma.
- Estávamos falando sobre contar pra vocês, mãe, mas o meu pai é tão preconceituoso, você sabe disso, ele iria me afastar da Lauren. -Olhei em seus olhos. - Ele quer me afastar dela.
- Você é nova, Camila. -Minha mãe se aproximou. - Hetero ou não eu amo você da forma que você é. Mas seu pai nunca vai perdoar a Lauren, então desiste desse namoro, ainda vai conhecer outras pessoas na sua vida.
- Não mãe, eu a amo. -Afirmei. - Do fundo do meu coração, o meu namoro com ela era sempre um sonho e agora se tornou real, não vou deixar meu pai estragar isso.
- Você não conhece ela a tanto tempo pra dizer algo assim. -Ela colocou suas mãos em meus ombros. - Filha, eu tô tentando acalmar seu pai, mas precisa me ajudar também.
- Eu não quero ficar sem a Lauren, eu... n-não posso. -Falei desistindo de segurar o choro.

 

 As lágrimas começaram a cair sem parada, minha mãe parou de falar e me abraçou forte. Me encolhi em seus braços e fechei meus olhos, eu queria tanto estar junto da Lauren agora, não posso ficar sem vê-la assim.

 Ouvimos batidas na porta, ela disse que iria abrir e eu apenas assenti com a cabeça, em seguida subi para o meu quarto e voltei a deitar na cama, eu queria tanto poder pelo menos pegar o meu celular para falar com a Lauren. Voltei a ficar olhando a janela até que a porta do quarto abriu, para a minha surpresa vi Justin entrando, dei um sorriso de canto quando o vi, mas fraco demais para ser um sorriso sincero.

 

- Ah Mila. -Justin se sentou na cama ao meu lado. - Como você tá?
- Você viu a Lauren hoje? -Perguntei.
- Eu a vi, ela foi no colégio. -Ele disse. - Mas eu quero saber de você.
- Eu tô péssima. -Suspirei com um peso enorme nas costas. - Diz pra Lauren que eu sinto muito, por favor, a culpa é toda minha.
- Ei, ei. -Justin me puxou para os seus braços. - A culpa não é sua, nem dela. Vocês não poderiam adivinhar que isso aconteceria.
- Mas eu não devia ter pedido para ela vir aqui, meu pai viu a gente... Eu acabei com tudo, ele quer me trocar de escola só pra eu não ver mais a Lauren, não consigo lidar com isso.
- Camila, fica calma. -Justin pediu. - Vamos cuidar disso, eu prometo.
- Eu preciso ver a Lauren. -Falei voltando a chorar, então escondi meu rosto em seu ombro.
- Eu sei, e ela vai enlouquecer se não te ver. -Ele acariciou meu cabelo. - Mas paciência, ok? Vamos cuidar disso.
- Como? -Perguntei voltando a olhar para ele.
- Alguma maneira deve ter, Mila. -Ele sorriu. - E se falarmos com o seu pai? Quer dizer, o momento da raiva passou.
- Não adianta. -Suspirei. - Ele nunca vai aceitar isso.
- Eu posso tentar. -Justin me olhou.
- Não vai dar certo, Jus. -Afirmei. - Ele continua dizendo que não sou lésbica.
- Então vou dar um jeito de te levar até a Lauren. -Ele beijou minha testa. - Não vou deixar vocês se separarem.
- O meu medo é ter que fazer isso. -Fechei meus olhos. - Ainda falta um ano até eu poder entrar numa faculdade, e se eu precisar me separar dela ate lá?
- Não vai! -Justin segurou meu rosto. - Camila, se acalma.

 

 Ele apenas voltou a me abraçar, ficamos boa parte da tarde assim. Justin contou que a Lauren ficou muito irritada pela manhã e ele é Harry precisaram acalmar ela para não acontecer nada de ruim. Fico cada vez mais preocupada com isso, eu preciso ir na escola, preciso ver a Lauren, preciso sentir o seu abraço e ouvir sua voz dizendo que vai ficar tudo bem.

 Justin tentou de todas as formas me distrair, mas não tem como, não consigo deixar de pensar na Lauren... Ele disse que vai fazer de tudo pra nos vermos de novo, que vai por isso em plano mesmo se eu não for no colégio amanhã, e eu espero muito que eu possa ir pra poder ficar com a Lauren, eu preciso revê-la de novo.


Notas Finais


O que estão achando? Tadinha da Camz hahahha


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...